Guedes insiste, e Bolsonaro autoriza teste de ‘nova CPMF’

Militares dizem que aceno do presidente é uma tentativa de provar ao ministro da Economia que medida não tem respaldo político

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro autorizou o ministro da Economia, Paulo Guedes, a defender a criação de um encargo nos moldes da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras).

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, Bolsonaro disse que o ministro pode testar o apoio ao tributo em reuniões com deputados e senadores, mas nos bastidores o presidente reconhece que dificilmente o Legislativo apoiará um novo imposto.

A opinião do presidente é compartilhada pela cúpula militar, para a qual o aceno do presidente ao ministro se trata de uma última tentativa de provar a ele que a medida não tem respaldo político.

O debate chegou a derrubar o então secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra.​ Guedes deixou o encargo de lado por um tempo, mas não o eliminou de seus planos – sob a justificativa de que não é uma CPMF, e que o tributo envolve o ecommerce no país.

 

Leia Também
Guedes diz que só aumenta isenção do IR com novo imposto
Crise econômica se instalou no Brasil muito antes da pandemia, diz especialista
Centrão frustra Guedes após votação do Fundeb
Guedes deve usar créditos extraordinários para pagar seguro-desemprego

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Em evento, Bolsonaro diz que agricultores não foram ‘frouxos’

1 comentário

  1. Vai ser onde, na lingua, na veia ou na bunda?

    Particularmente eu sou favorável a este imposto ou semelhante como forma de rastreamento do dinheiro, foi o que propôs ao congresso o ex ministro da casa civil José Dirceu e foi detonado por todos e principalmente a FIESP e FEBRABAN. Já se passaram anos, talvez se tenha criado mecanismo melhor para fazer isso, se não…

    Seguir o dinheiro? Aqui não!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome