MP-RJ vai pedir ao STF para devolver caso Queiroz à primeira instância

A decisão que dá foro privilegiado a Flávio Bolsonaro contraria manifestação do próprio STF, que negou o "elevador processual" ao ex-deputado

Fabrício Queiroz e Jair Bolsonaro. Foto: reprodução/redes sociais

Jornal GGN – O Ministério Público do Rio de Janeiro vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal para que a investigação das rachadinhas no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro, que tem Fabrício Queiroz como pivô, retorne à primeira instância.

Na semana passada, a defesa de Flávio conseguiu uma decisão que retirou o processo do juiz de primeiro grau Flávio Itabaiana e entregou ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça, sem anular as decisões tomadas nos dois anos de investigação. Porém, o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, já tinha julgado em liminar que Flávio não tem direito a “elevador processual”.

“Frise-se que o fato de alcançar-se mandato diverso daquele no curso do qual supostamente praticado delito não enseja o chamado elevador processual, deslocando-se autos de inquérito, procedimento de investigação penal ou processo-crime em tramitação”, escreveu Marco Aurélio ao analisar um recurso de Flávio em 2019.

O ministro até se pronunciou sobre a decisão que beneficiou Flávio recentemente. “Não há a menor dúvida de que não observaram a doutrina do Supremo. É o Brasil. É o faz de conta. Faz de conta que o Supremo decidiu isso, mas eu entendo de outra forma e aí se toca. Cada cabeça uma sentença”, disparou.

Leia mais:

Especialistas criticam foro privilegiado a Flávio Bolsonaro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Delegado da PF processa União por ter sofrido perseguição da Lava Jato

1 comentário

  1. Nassif: a única diferença entre o apelo do Delcídio (“parrem essa porra senão vai dar merda”) e o que acontece agora é que naquele tempo os VerdeSauvas estavam desestabilizando (desde 2003) um governo democraticamente eleito e neste episódio estão acoitando as Milícias do Queiroz, que facilitaram para eles alcançarem um sonho que acalentavam há mais de 100 anos. Sim, porque (com as exceções que a regra comporta) antes se tinha EmpresáriosCorruptos, como agora; Elite safada, como agora; Judiciário venal e pusilânime, como agora; Políticos escroques e ladrões, como agora. Só que AGORA todos eles estão agasalhados pela Bala e pela Baioneta dos tais, sob mesma bandeira e brasão. Ouvi dizer que a tática dos Coronéis é aceitarem maciçamente o apoio dos chinas, investimentos e compras de terras etc. Depois, quando a merda feder muito darão o cano neles (em 1964 fizeram assim e não fosse o Dr. Sobral os de olhinhos rasgados entrariam no PauDeArara). E se engrossar, já que não têm cacife pra sair no pau, gritarão pro dono do Quintal onde moramos pedir na ONU reintegração de posse, seguido de desembarque de mariners, dizendo-se “esbulhados” (“a América para nos americanos”) pelos vermelhos da Ásia. Se de lá vierem foguetes intercontinentais, o Suserano nem vai dar bola. Na visão colonial dos caras Pindorama não passa de uma Senzala (“republiqueta de bananas”). Pode até morrer gente deles, como no Vietnã ou no Afeganistão. Mas que se dane, não é na casa deles. À essa altura as mencionadas corjas se mandarão pra lugares mais tranquilos (com a graninha poupada em ParaísosFiscais). E os das Armas podem até pegar uma boquinha nesse embate. Melhor que treino no Haiti. Afinal, são soldados…

    Por isso o blábláblá sobre o caso Bananinha vai ser a chatice de sempre. O novo do mesmo. A vantagem é que, vindo prá primeira instância se evitaria da venda do CristoRedentor, do PãoDeAçucar, 3 poços no PréSal e os Palácios (do governo) em Brasilia serem arrendados à MáfiaDeMiami, para fazerem cassinos. Tudo isso pra “pagar custas do Processo”…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome