PGR envia para primeira instância caso sobre ameaças de Sara Winter ao STF

Ativista de Bolsonaro ameaçou ministros do STF em vídeo, após ser alvo de inquérito das fake news

Jornal GGN – Alvo do inquérito das fake news, a ativista de extrema-direita e apoiadora de Bolsonaro, Sara Winter, deve ser julgada na primeira instância sobre ataques contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. 

A Procuradoria-Geral da República enviou nesta-sexta-feira, 29 de maio, o caso ao Ministério Público Federal no Distrito Federal. Segundo informações de o Globo, o procurador Frederick Lustosa de Melo deve decidir sobre as acusações. 

Foi o próprio ministro Alexandre de Moraes que pediu ao procurador-geral da República, Augusto Aras, que “tomasse providências cabíveis em relação aos ataques de Sara Winter”.

Após ser alvo de operação da Polícia Federal, na última quarta-feira, no inquérito das fake news, Winter gravou vídeo ameaçando Moraes, relator do processo na Corte. 

“Pois você me aguarde, Alexandre de Moraes, o senhor nunca mais vai ter paz na vida. Hoje, o senhor tomou a pior decisão da vida do senhor”, disse a ativista de Bolsonaro. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 comentários

  1. Nessas horas é que a justiça deve pensar muito bem o que fazer.
    O que ela busca é popularidade para se lançar candidata a vereadora, provavelmente em Sampa, que aceita de braços abertos esse tipo de lixo, como joice, frota janáina…lista longa.
    Se a justiça prender e não cassar seus direitos políticos por incitação a violência e negação da democracia, se é que é possível, estará montando para ela um vistoso palanque onde ela vai figurar como mártir e se eleger com a maior votação para vereadora da cidade arrumando a sua pobre vida financeira. Dois anos depois pode ser estadual ou federal.
    Talvez seja o caso de fazer cara de paisagem e deixar a doida esgotar o seu prestígio sem obter o que busca desesperadamente; a prisão fulgaz que pode ser relaxada com um HC.

    • Certamente essa é a idéia (dela).
      Não sei se é viável, mas condená-la à internação numa instituição psiquiátrica faria bem a ela.
      (até o irmão dela dewconfia).
      E ao “potencial” eleitorado.
      Principalmente se lá lhe derem um “diploma”…

  2. Essa menina já deve ter puxado cadeia. Pela desenvoltura com que ela pousa com armas, bem ao modelo de integrantes de facções criminosas, parece não deixar dúvidas de que não só é marginal como também está envolvida com eles.
    Ela calçará o chinelinho amarelo de dedo, a camiseta branca e a calça cáqui do uniforme.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome