Procuradores da Lava Jato em SP pedem renúncia coletiva

Em carta à PGR, eles alegam "incompatibilidades insolúveis" com a atuação da procuradora do MPF Viviane de Oliveira Martinez

Jornal GGN – Oito procuradores da Lava Jato em São Paulo enviaram um ofício à Procuradoria-Geral da República informando sua renúncia coletiva e pedindo exoneração da força-tarefa até o final do mês.

Na carta de renúncia, assinada pela coordenadora Janice Ascari, eles alegam “incompatibilidades insolúveis” com a atuação da procuradora Viviane de Oliveira Martinez, do Ministério Público Federal, que também atua no Estado e não fazia parte formalmente da força-tarefa.

A renúncia um dia depois que Deltan Dallagnol alega questões familiares para se afastar da coordenação da Lava Jato em Curitiba.

Em setembro, a PGR deve decidir se prorrogará as forças-tarefas da Lava Jato em SP, Rio de Janeiro e Paraná.

Procurada, a PGR ainda não se manifestou a respeito da renúncia coletiva, diz a Folha desta quinta (3).

Leia mais:

Deltan Dallagnol confirma saída da Lava Jato e anuncia sucessor

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora