Se é para parar Bolsonaro, é hora de parar os desmandos e crimes da Lava Jato

As coisas teriam chegado a esse ponto se os senhores ministros tivessem velado pela Constituição nas dezenas de vezes em que ela foi pisoteada?

Comentário do leitor Eduardo Ramos referente ao post “Toffoli indica que Fundação da Lava Jato é um crime”.

***

Uma parcela imensa de nossa sociedade não se deu conta da gravidade dessa questão: está configurado um crime! Essa foi a alusão que Dias Toffoli fez em seu comentário sobre a criação da Fundação Lava Jato e a APROPRIAÇÃO, na marra, por debaixo dos panos, das leis, da Constituição, de 2,6 BILHÕES DE REAIS. Isso envolve uma IMORALIDADE absurda, inaceitável! Que parte de juízes (Sergio Moro e Gabriela Hardt) e procuradores ligados a uma operação cujo “lema” é o combate à corrupção.

Onde a coerência de se prender um ex-presidente da República por um triplex mequetrefe de 1 milhão de reais, QUE NUNCA LHE PERTENCEU DE FATO, condenação feita sobre ilações frouxas, farsescas, e depois de todo esse carnaval, das prisões, das delações, dos vazamentos, da autopromoção escandalosa, essas mesmas autoridades TOMAM PARA SI, atropelando tudo e todos, 2,6 BILHÕES DE REAIS que pertencem à União, ao povo brasileiro?

Como pode uma sociedade exigir e celebrar Lula condenado e preso por uma recriação da realidade, uma obra de ficção, sem uma prova sequer concreta dos crimes dos quais é acusado, e essa mesma sociedade não se revolta contra um ATO, UM FATO, UM CRIME DOCUMENTADO, dessa monta, banhado em um cinismo e arrogância jamais vistos antes na História do nosso país?

Como pode a ANPR apoiar esse descalabro, essa indignidade por parte de seus membros?

Como pode a senhora Procuradora-Geral não denunciá-los por CRIME?

Leia também:  Dodge segurou investigações sobre Bolsonaro até ser descartada sua recondução, afirma jornal

Como pode a grande mídia se omitir – à exceção de raros e amenos artigos – de um modo tão vil?

Como pode o STF na voz de seus ministros, apenas “lançar frases de efeito”, como fez no caso ainda mais grave do vazamento da gravação de uma presidente da República, justamente para provocar comoção social e daí se partir para o impeachment?

Seguem no jogo acomodado e omisso de apenas “darem palmadas no bumbum” dos agentes públicos agindo como criminosos, numa arrogância tão inacreditável que hoje incomoda aos próprios ministros, obrigados a reagirem até por sua sobrevivência como instituição.

As coisas teriam chegado a esse ponto se os senhores ministros tivessem velado pela Constituição nas dezenas de vezes em que ela foi pisoteada?

Moro, Deltan Dallagnol, Hardt, demais procuradores envolvidos nessa tramoia, em país minimamente civilizado e na vigência de um pleno Estado de Direito, estariam demitidos e tornados réus em ações criminais.

Deplorável o silêncio, a catatonia, a incoerência inominável de nossas elites e classe média. Onde foi a fúria indignada contra Lula e o triplex, ou o sítio de Atibaia?

Fica a certeza, que “dependendo de quem é”, mesmo documentado fartamente, a tentativa de se apropriarem de 2,6 BILHÕES de reais, não importa, não causa nenhum sentimento de indignação nesses “brasileiros de bem”.

Mas dependendo de quem for, delações arrancadas sob tortura de prisões “provisórias” são o suficiente para condenar um homem, sem provas, num processo vergonhoso e farsesco do início ao fim.

Não nos tornamos apenas um país incivilizado, um Estado de Exceção, uma ditadura! Somos também uma Nação de sociedade profundamente hipócrita e enferma.