Excelentíssimos Ministros, imparcialidade é sinônimo de honestidade, por Sergio Medeiros

Perguntemo-nos, qual a legitimidade de um juiz que não respeita as leis, viola a Constituição e, assim agindo, atinge de forma brutal a dignidade e a humanidade de todos nós, pois nos deixa sem a proteção que somente um estado democrático de direito pode nos conceder/reconhecer.

Excelentíssimos Ministros, imparcialidade é sinônimo de honestidade

por Sergio Medeiros

Pois bem, Ministros…

Agora nós também sabemos o que aconteceu no processo contra Luis Inácio Lula da Silva.

E, sabemos também que Moro e Dallagnoll, na inconcebível República de Curitiba, em sua im(parcialidade), omitiram tais informações ao povo brasileiro.

Para um juiz imparcialidade é sinônimo de honestidade.

Para nós cidadãos honestidade é sinal de caráter.

Ministro Celso de Mello...

Que ao ser retirado o véu que recobre os olhos da Justiça, e vermos seu rosto em toda sua inteireza, que vejamos somente a Constituição e as leis.

Porque a cara da Justiça, a verdadeira e a que conforma sua atuação, é a Constituição de um país.

Não há lei maior nem espaço diferente que não a sua observância ao se aplicar a Justiça.

A Constituição, a democracia, a liberdade, aos poucos está sendo destruída, e pior, por intermédio de quem deveria ser seu guardião, os guardiões do Estado Democrático de Direito.

Sóis um guardião, que o fardo lhe seja leve  e a justiça prevaleça

Ministro  Gilmar Mendes

A divergência é aceitável, é salutar, é a essência do ato de julgar, e, é exatamente o contrário da suspeição, da intriga, da maledicência, uma vez que estas são a negação da virtude, do bem julgar, do livre decidir.

Vejamos de forma clara, que um de seus principais atores, continua exibindo todo seu desprezo pelo que se chamou lei e primado da lei.

Perguntemo-nos, qual a legitimidade de um juiz que não respeita as leis, viola a Constituição e, assim agindo, atinge de forma brutal a dignidade e a humanidade de todos nós, pois nos deixa sem a proteção que somente um estado democrático de direito pode nos conceder/reconhecer.

Leia também:  Economia em risco e o desastre do governo Bolsonaro, por Fernando Haddad

Pergunta-se, que legitimidade tal pessoa pode ter, se viola a Constituição, se subverte as leis.

E o pior, me desculpe, mas não são atos  impensados, eles sabem o que estavam fazendo,  eventuais mortos e feridos estão na conta, só não avisaram as pessoas que serão sacrificadas.

Aos que compactuam com tais atos, ao arrepio da lei e da Constituição, não esqueçam que ao fim e ao cabo, não há retorno, não basta simplesmente desenterrar os mortos, para eles não existirá a centelha da vida, nem para eles, nem nos olhos dos responsáveis por tal barbárie…

Ministra Carmen Lúcia

Não haverá outra oportunidade

Este é um momento crucial para o STF, é a oportunidade derradeira para o Tribunal Supremo.

Lembra-te das tuas palavras: A garantia de falar do outro, que me cumpre hoje, juíza, garantir, pode ter como conteúdo a minha própria vida”.

Sim, ministra, este é o momento.

Ministra Carmen Lúcia, não tolha as palavras que ora se apresentam e conduzem a liberdade de alguém injustamente aprisionado.

Não as desconsidere, pois demais eloquentes e comprobatórias da fraude a lei.

Como dissestes: Tentar calar o outro é uma constante.

E, neste momento, o que tem sido trazido a tona, não são meras palavras, mas a confirmação de toda uma série de atos que culminaram, sem sombra de dúvidas na prisão ilegal de um cidadão, um cidadão brasileiro que atende pelo singelo nome de Lula.

Ministro Lewandowski,

Excelentíssimos Ministros,

É preciso que se diga, o que esta tardando a ser colocado em pauta é a Constituição brasileira.

Leia também:  Sobre Lula e o Nobel da Paz, por Eduardo Ramos

Um país não é uma nação, na acepção da palavra, sem que a liberdade de seus cidadãos esteja em conformidade com suas regras e princípios.

E, é com a alma cheia de esperança, que lhes peço, por fim, que o julgamento de Lula, seja livre, seja claro, seja honesto, seja imparcial.

E, que a Constituição seja cumprida em seus exatos termos.

Paga-se um preço por se viver em um Estado de Direito, e mostra-se módico, ou seja, a obediência ao arcabouço normativo, procedimento ao alcance de todos os cidadãos, que se impõe aos órgãos judiciários, sob pena de haver a inversão da sequência natural das coisas, potencializando-se o fim em detrimento do meio.”(Ministro Marco Aurélio Mello)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Nada de novo no front……
    o golpe é lojistas e lojistas são amarrados a um acordo de proteção mutua….

    Não há garantistas ali, está na hora de parar com essa conversa mole…….aquele que pediu vistas num hc, que já é um absurdo, sentou em cima do troço por mais de seis meses e pelo visto pedirá vistas de novamente…….seis meses sentado no hc não foram suficientes para se inteirar de um assunto que o mundo inteiro conhece……

    È o cidadão que ficou até meia noite para dar dar o hc-canguru…….. para Lula, tem 40 paginas para ler, e mesmo com a posse do hc por seis meses vai pedir vistas novamente………affffffff…….

    Lula já perdeu esposa, neto, e podem ter certeza que rezam todos dias ao cramunhão para que ele morra na prisão…..seria um alívio e o fim de uma dor de cabeça……

    A onu já foi pro brejo……não é a toa fica ali em nóviorque, o intercept muito fala, esbraveja e pouco mostra, onde estão os arquivos colossais de audio e videos que dizem ter? Tres semanas depois o impacto de suas revelações perderam a força, sentaram em cima dos arquivos tambem; o cidadão assustado botou o hc pra andar, vendo que nada vinha de bombastico, que nenhuma prova irrefutavel surgiu, tomou coragem pra sentar em cima novamente…..péssimo timming, ou o efeito desejado fosse esse mesmo……já não confia em ninguem nesse jogo fétido……

    Ou…… hoje tomam atitude e jogam uma bomba semiotica na cara dos caretas…..vou esperar sentado……

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome