OAB e CNJ irão fiscalizar as urnas

As entidades farão a vigilância de todos os processos de votação em paralelo às Forças Armadas e ao Ministério da Justiça

Divulgação

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) irão fiscalizar as eleições, previstas para outubro deste ano, a pedido do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin.

As entidades já escolheram os representantes que farão a vigilância de todos os processos de votação em paralelo às Forças Armadas e ao Ministério da Justiça.

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Foi indicado pela OAB o gerente de tecnologia da informação da entidade, Rodrigo Lemgruber. Já o CNJ escolheu o juiz auxiliar João Moreira.

A ação é prevista em uma resolução do TSE, de 2021. Com isso, as entidades poderão fiscalizar a integridade e a autenticidade dos sistemas eleitorais durante a preparação das urnas.

Leia também:

Bolsonaro acumula mais de 20 escândalos de corrupção. Confira a lista

Jornal GGN produzirá documentário sobre esquemas da ultradireita mundial e ameaça eleitoral. Saiba como apoiar

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador