Texto da PEC do Estado de Emergência pode ser votado na quinta-feira

Relator recomenda aprovação do texto, que vai permitir ao governo Bolsonaro aumentar benefícios que não seriam autorizados em ano eleitoral

Foto: Nilson Bastian /Câmara dos Deputados

O deputado federal Danilo Forte (União Brasil) apresentou na noite desta terça-feira o seu parecer na comissão especial que analisa a chamada PEC do Estado de Emergência (PEC 1/22), em reunião que prosseguiu até o início da madrugada desta quarta-feira (06/07).

O texto do deputado é um substitutivo que consolida as redações das duas PECs (15/22 e 1/22) sem alterar o mérito já aprovado no Senado. Está previsto o estado de emergência no país até 31 de dezembro, justificado pela elevação “extraordinária e imprevisível” dos preços do petróleo, combustíveis e seus impactos sociais.

Na prática, a medida permite ao governo de Jair Bolsonaro (PL) ampliar benefícios sociais que não seriam autorizados em ano eleitoral, o que deve gerar um impacto de R$ 41,2 bilhões nos cofres públicos.

O pacote prevê o aumento do Auxílio Brasil para R$ 600, um auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros, vale-gás de cozinha e reforço ao programa Alimenta Brasil, além de recursos extras para taxistas, financiamento da gratuidade no transporte coletivo de idosos e compensações para os estados que reduzirem a carga tributária dos biocombustíveis.

A presidente do colegiado, deputada Celina Leão (PP), concedeu vista para que os demais parlamentares possam analisar a proposta por mais duas sessões. A comissão volta se reunir na quinta-feira (7), a partir das 9 horas, quando poderá ser votada a matéria.

Com informações da Agência Câmara de Notícias

Leia Também

E o dinheiro apareceu, por Paulo Kliass

Cerca de 30% da população sobrevive com R$ 497, diz FGV

PEC Kamikase não garante vitória a Bolsonaro, diz consultoria

Senado aprova PEC do estado de emergência, que permite a Bolsonaro inflar programas sociais

Bolsonaro não impedirá levante de bolsonaristas em derrota nas eleições

Bolsonaro agora diz que seu governo não tem ‘corrupção endêmica’

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador