newsletter

A contribuição da Igreja para a ciência

Por  Fernando Cruz

"Vamos a mais alguns dados, que certamente os anti-catolicismo jamais tomaram conhecimento (lembrem-se, tudo que ele sabem de história ou cinecia, aprenderam em livros de segundo grau do maravilhoso ensino brasileiro), caso saibam, omitem propositalmente.

"De acordo com o Dr. Thomas Woods ( historiador estadunidense e autor best-seller do New York Times), os historiadores da ciência – A.C. Crombie, David Lindberg, Edward Grant, Stanley Jaki, Thomas Goldstein, J. L. Heibron e outros – concluíram que a Revolução Científica tem um grande débito com a Igreja.

A contribuição da Igreja com a ciência foi muito além do conhecido, muitos cientistas eram padres.

Alguns dados falam por si :

Pe. Nicholas Steno ( considerado o "o pai da geologia" )

Pe. Athanasios Keicher (o pai da egiptologia)

Pe. Giambattista Riccioli (a primeira pessoa a medira a taxa de aceleração de um corpo em queda livre)

Pe. Robert Boscovich (considerado o pai da teoria atômica moderna)

Os Jesuítas ( a sismologia veio a ser conhecida como a "Ciência Jesuítica"Especializaram-se em Terremotos.

Trinta e cinco crateras da lua foram nomeadas por cientistas e matemáticos Jesuítas.

Monge Franciscano Roger Bacon (foi considerado precursor do método científico moderno, defendendo como método a experiência; Fez importantes descobertas sobre a ótica com estudo sobre refração, aberração esférica e reflexão, além de ter feito invenções mecânicas como a máquina a vapor, navios mecânicos, carruagens; desenvolveu a câmera para observação de eclipses, e deixou cálculos matemáticos em relação à lentes e inventou os óculos)

Bispo Silvestre II, (seis séculos antes de Galileu, sofreu incompreensões e perseguições por causa de suas ideias científicas, e seus perseguidores não foram da Igreja;)

Bispo Robert Grosseteste (1168-1253) (Fundou a Escola Oxford , escreveu tratados de ótica, som, astronomia, geometria e aritmética.)

Pe. Nicolau Steno, (estabeleceu os princípios básicos da geologia moderna e chamado de "pai da estratigrafia", estudo das camadas da terra.)

Pe. Christóforo Scheiner (1573-1650) (Descobriu as manchas solares em Janeiro de 1612, Galileu as descobriu em Março. Fabricou o primeiro telescópio; descreveu a determinação do raio da curvatura da córnea.)

Pe. Francisco de Vitória, (professor que ganhou o título de "pai da lei internacional";)

Pe. Atanasius Kircher, (criador da geologia moderna; foi o primeiro a defender que as doenças eram causadas por microorganismos)

Pe. Rudjer Josef ( precursor da teoria atômica; esboçou algumas idéias da teoria da relatividade)

Pe. Mateo Ricci e companheiros Jesuítas ( influenciou fortemente o desenvolvimento científico na China, quando a China ainda estava "anos luz" do desenvolvimento da Europeu; Escreveu mais de-20 livros de ciência para Chineses,; construiu o quadrante solar na China , relógios, esferas celestes e terrestres; elaborou o primeiro Mapa da China que o Ocidente conheceu; recebeu dos Chineses o título de Doutor Mateus 'Li Matheus".

Redigiu o tratado de geometria Euclidiana em Chinês; Provou ao imperador que o calendário Chinês continha erros. Etc.

A lei canônica foi o primeiro sistema legal da Europa, o que deu início ao primeiro corpo docente de leis.

A Igreja ensinou que conflitos, estatutos, casos e doutrina podem ser reconciliadas por análise e síntese.

A Igreja Católica deu mais suporte financeiro e Social ao estudo da astronomia, por mais de seis séculos, do que qualquer outra instituição.

A Igreja Católica é a maior obra caritativa do planeta. Nenhuma instituição no mundo faz mais ou tanto quanto a Igreja pelos que mais precisam.

Foram os monges copistas da Igreja que preservaram a herança literária do mundo antigo, após a queda de Roma diante dos Bárbaros em 476.

Os Monges deram à toda Europa um rede de fábricas, centros de criação de gado, centros de educação.

O monge São Bento é chamado de "O pai da Europa"

Etc,etc,etc.

A Igreja Católica pregou contra e aboliu a prática do infanticídio que era considerada moralmente aceita pelos antigos gregos e romanos. Platão disse por exemplo, que um velho pobre e doente que não pode trabalhar, poderia ser abandonado a morrer; Le Goff afirma que Sêneca escreveu: "Nós afogamos as crianças que nascem doentes e anormais".

• A Igreja Católica promoveu a mulher e sua dignidade quando:

Ensinou que adultério não é só a traição da esposa para com o marido, mas também do marido para com a esposa.

Só pelo Catolicismo foi possível existir as comunidades religiosas de mulheres que se auto-governavam; algo que jamais houve no mundo antigo.

Onde as mulheres eram capazes de manter suas próprias escolas, conventos, colégios, hospitais e orfanatos fora da Igreja?

A Igreja lutou contra a imposição do casamento; numa época em que os pais escolhiam com quem a filha deveria se casar.

Não será por isso e por tantas outras coisas que as mulheres amam mais a Igreja que os homens? Não será por isso também que 70% do rebanho da Igreja é de mulheres? Ninguém as defendeu tanto ao longo da história.

• Muito se fala erroneamente sobre a inquisição, sobre as cruzadas e se quer analisá-las fora do contexto da época, isso é um absurdo histórico; ninguém pode entender um fato fora do seu contexto: moral, social, psicológico, cultural, da época.

• Muitos não sabem que a inquisição era prática social dentro do contexto da época e que a Igreja entrou com o julgamento aos acusados, anos mais tarde, e deu a eles o direito de defesa, por esse motivo salvou milhares da morte.

Antes da Igreja intervir, muitos, para serem condenados, bastava uma simples acusação.

O único caso de pessoa alvo da Inquisição por ter defendido idéias estritamente científicas foi Galileu Galilei, por defender o heliocentrismo. Mesmo nesse caso, sua condenação envolve elementos muito mais complexos do que uma simples controvérsia entre "fé" e "ciência". Galileu não morreu na fogueira. Ele foi colocado em prisão domiciliar, onde pôde receber visitas e continuou tendo acesso a instrumentos científicos. Foi nessa época que ele elaborou conceitos sobre o movimento dos corpos que se tornaram os fundamentos da dinâmica;

O erro está em tentar interpretar um acontecimento fora de seu contexto. E a verdade é que não se estuda de fato a história dentro de seu contexto é mais cômodo acreditar no que diz o revoltado professor da escola.

A Igreja Católica berçou a Civilização Ocidental em todos os seus campos: arte, filosofia, física, matemática, música, arquitetura, direito, economia, moral, ciência, letras, língua, etc.

• A única instituição que resistiu após a queda de Roma diante da invasão dos Bárbaros no ano de 476. A Igreja soube lidar com eles e catequiza-los à longo prazo.

O que é a França se não os Bárbaros convertidos?

Portanto, afirmar que a Igreja impediu ou impede o avanço científico ou qualquer outro avanço, seja cultural, moral, democrático,etc, é no mínimo covardia intelectual."

XXX

Portanto, afirmar que a Igreja impediu ou impede o avanço científico ou qualquer outro avanço, seja cultural, moral, democrático,etc, é no mínimo covardia intelectual."

Compartilhar

Média:
Cancelar
Nota 1
Nota 2
Nota 3
Nota 4
Nota 5

1 leitura Rascunho Denunciar editar apagar responder Link Permanente

Média: 5 (3 votos)
1 comentário

Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Fernando Martins
Fernando Martins

A igreja contribuiu a ciencia não sendo igreja

A igreja não fez contribuiu em nada, o que a igreja tem é religião, se esses padres ou qualquer ser desse universo fizer contribuição a ciencia atraves da oração, pedindo perdão, se ajoelhando, falando com os seus amigos imaginários, morrendo na cruz ou qualquer outra pratica do universo da religião, ai sim a igreja teria feito contribuição, mas eles fizeram essa contribuindo fazendo tudo que a igreja não faz, que é a propria ciencia, é mais sábio dizer que a ciencia contribuiu a vida desses padres, coitados, imagina o que seria da genialidade deles sem a ciencia, sem proposito, destino? 

Seu voto: Nenhum
imagem de Marcos P. Silva
Marcos P. Silva

Momento vergonha alheia com esta sua resposta!!!!!

Meu caro, sua mente fechada e simplista te impede de ver o óbvio, que a Igreja SIM, contribuiu para a ciência.

Primeiro, que todos gostam de arrotar todas as perseguições feitas pela Igreja a cientistas durante a Alta Idade Média. No entanto, gostam de omitir, ou ignorar o fato que a Igreja apoiava tantas outras pesquisas, financiava, posto que estas pesquisas eram realizadas em dependências Católicas. Falar que a Igreja "não fez nada", é como dizer que as universidades em nada contribuem ou contribuiram para qualquer pesquisa ou estudo. 

Segundo, que estes Padres e monges se identificavam como tal. Padres e Monges. A pesquisa, o estudo, fazia parte do seu cotidiano, de suas vidas profissionais. Além disso, boa aprte das pesquisas tinham sim, como objetivo, conseguir respostas à anseios religiosos. Newton não calculou a data do Apocalipse? Não tentou calcular o tamanho do Diabo? 

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+118 comentários

"Portanto, afirmar que a Igreja impediu ou impede o avanço científico ou qualquer outro avanço, seja cultural, moral, democrático,etc, é no mínimo covardia intelectual."


As pesquisas sobre células tronco embrionárias estão SIM sendo atravancadas de maneira dogmática/ignorante  pela Igreja Católica, E MUITO!!!!

Na verdade, agindo assim a Igreja Católica figura apenas como uma idiota útil em todo esse processo de pesquisas e de comercialização de medicamentos, pois muitos pesquisadores não estão nem aí pras leis e muito menos pra Igreja e, já estão há muito tempo estudando as tais células embrionárias e tirando todo o proveito de suas descobertas quanto possível, enquanto outros institutos e pesquisadores que respeitam as leis (geralmente institutos estatais, que não visam o lucro) estão ficando para trás. Como sempre, a santa madre igreja favorece de uma maneira ou de outra  os déspotas e poderosos que agem à margem das leis. 

 

Este é um blog notadamente antipaulista! Paulistas, não se submetam docilmente a humilhações e manifestações de preconceito!! A internet é enorme.

A idéia de nomear os padres que contribuiram para a ciência é louvável e tenta colocar as coisas no lugar. Inexplicavelmente faltou Gregor Mendel o pai da genética, um homem que mudou o mundo. Mas são contribuições individuais, não é uma política orientada e sistemática.  O problema é que a Igreja católica tentou explicar o mundo pela religião e, para isto, construiu dogmas que tiveram papel importante para a instituição. Para criar estes dogmas a Palavra no Novo Testamento, que nunca descreveu a criação do homem e da terra, não bastava, então lançou-se mão de textos não cristãos. A condenação de Galileu baseou-se em dogmas Católicos mas que não encontravam embasamento no Novo Testamento. Muito da 'moral católica' está embasada em textos antigos pré cristãos, a condenação ao casamento gay por exemplo.

O problema da Igreja com a ciência nada tem a ver com a fé e sim com os dogmas que 'explicavam' o mundo e o homem à sua época. A ciência avança e os dogmas não, existem e sempre existirão padres e cristãos envolvidos com a ciência, indivíduos de fé, não  instituições dogmáticas.

Horacio V. Duarte

 

Tambem foram cientistas muitos herejes e judeus; Daqueles que a igreja de Roma só não mandou queimar porque os povos não permitiram e mandaram embora os padres.

 

"A Igreja lutou contra a imposição do casamento"

Mentira, os casamentos de acordo de conveniências da aristocracia eram realizados e abençoados pela igreja, em solenidades pomposas. Nunca houve uma condenação pública contra isto.

"Muitos não sabem que a inquisição era prática social dentro do contexto da época e que a Igreja..."

Outra mentira deslavada, a inquisição era a igreja, senhora poderosa "do contexto da época", julgava-se heresias, revoltas contra a opressão religiosa que era fato e atingia até reis e aristocratas, a igreja antecipava "o fogo dos infernos" para os hereges. A própria igreja pediu perdão pelos seus crimes, reconheceu o que os praticou, não venha fantasiar esses tribunais de horrores, de prática de torturas.

 

Almeida

"A Igreja lutou contra a imposição do casamento"

Mentira, os casamentos de acordo de conveniências da aristocracia eram realizados e abençoados pela igreja, em solenidades pomposas. Nunca houve uma condenação pública contra isto.

 

Pior, era pra roubar os condenados. Judeus, ciganos ou de qualquer outra raça, desde que tivesse dinheiro ou ameaçasse algum mafioso do clero. O processo era inquisitório, logo, não cabia defesa; apenas confissão de culpa, mediante torturas violentíssimas e o sujeito era liberado pra viver o resto da vida na miséria se não oferecesse algum perigo. Se oferece era "purificado". No fogo.

 

Parece que nessa história de Igreja e Ciência, cientistas-padres, ou padres-cientistas do Vaticano estão perseguindo, em segredo, a Bomba Atômica, mais secretamente, ainda, em parceria com os aitolas-cientistas ou cientistas-aitolas.

 

Márcio Cubiak

"A contribuição da Igreja com a ciência foi muito além do conhecido, muitos cientistas eram padres."

Que pieguice!!!  Isso acontecia na Idade Média ou antes!! Idade das Trevas, quando todos no Ocidente eram obrigados a serem católicos, sob pena de arder na fogueira!!!  Me diga os nome de padres cientistas DE HOJE cujas teorias  são de alguma relevância! Se é que existem padres cientistas e eles têm teorias científicas...   

 

Este é um blog notadamente antipaulista! Paulistas, não se submetam docilmente a humilhações e manifestações de preconceito!! A internet é enorme.

Bispo D. Luiz Gonzaga Bergonzini

Graças a este "mavioso" clérigo da ICAR temos uma PresidentA no lugar de um presidente. O sujeito é tão tosco que muitos católicos votaram em Dilma apenas pra lhe fazer oposição.

 

A semeadura é livre, mas a colheita obrigatória.

Mesmo os de antes. Uma longa lista da periferia da ciência.

Os que, minimamente, fizeram descobertas que questionavam os dogmas tiveram o mesmo fim de algumas vítimas da ditadura tupiniquim: viraram cinzas.

PS: Não se trata de anti-catolicismo. O problema são as ações obscurantistas das religiões que atrazam o desenvolvimento. Um exemplo é a civilização árabe: foram responsáveis por um fantástico desenvolvimento científico enquanto a civilização ocidental sucumbia na idade média da Igreja. O declínio científico ocorreu, por coinicidência, com o surgimento do Islã- Maomé matou a ciência árabe. Outro exemplo, o Renascimento, apesar da concessão de alguns artistas e cientistas  à Igreja, traziam disfarçados as verdadeiras "religiões" dos artistas. Assim como Cálice, do Chico, uma mal disfarçada crítica ao regime. As pinturas da capela Cistina, por exemplo, escondiam verdadeiros atlas de anatomia.

Aliás, fico com um, que aparentemente mostra a perplexidade Michellangelo ante ao paradoxo católico, que se perpetua até hoje sob o clichê de "brincar de Deus". Na pintura, Deus a representação de Deus numa concha, na verdade é um desenho anatômico do cérebro e  tronco cerebral humanos: se Deus criou o homem à Sua imagem e semelhança, não queria ele que agíssemos como Ele? Se Ele criou a mulher de uma costela de Adão, não estaria ensinando o caminho das pedras para as pesquisas com céulas tronco, p ex.?

Re: A contribuição da Igreja para a ciência
 

Rapaz, você está bem mal informado. Primeiro, o óbvio: o desenvolvimento dos árabes e principalmente de sua ciência só ocorreu depois do século VII, que não por acaso foi também o momento de unificação das antes dispersas tribos árabes pelo Islã criado pelo profeta Maomé. Goste-se ou não dele e de seu islamismo, Maomé propiciou que os árabes em 30 ou 40 anos virassem uma potência militar, política e, um pouco mais tarde, cultural e científica. Ponto para ele. Em segundo lugar, você está muito errado em achar que o que houve foi a "Idade das Trevas da Igreja". É atribuir poder excessivo, transformador demais, à Igreja quando ela só se consolidou a ponto de se tornar a instituição de longe mais poderosa da Europa bem depois da fase mais horrível da Idade Média, que foi o seu início entre meados de 476 e 800, um verdadeiro caos. Foi desse caos de migrações, invasões, epidemias, Estados de parca duração, destruição e abandono de cidades que nasceu a "Idade das Trevas", e não de uma só Igreja fazendo tudo decair e virar "tenebroso". Todos os que gostam de estudar a Idade Média percebem duas coisas: 1) ela na verdade foi 2 períodos muito distintos, a Alta Idade Média realmente "das trevas" e a Baixa Idade Média, que foi na verdade um período de enorme crescimento econômico, cultural e populacional, responsável por preparar a Europa para se tornar, em meados de 1500, uma das regiões mais prósperas do mundo; e 2) a Igreja ascendeu NA Idade Média, portanto ela não pode ter criado esse período, e os 400 ou 500 anos de decadência (+- 476 até 1000, 1050) se deveram a uma verdadeira reviravolta na ocupação da Europa, o que desorganizou por completo as economias e modos de vida locais. Prova disso é que onde o cristianismo era dominante, mas não houve o chamado Período das Migrações (bárbaras), as sociedades continuaram desenvolvidas (exemplo: Ásia Menor e Líbano).

 

"Um exemplo é a civilização árabe: foram responsáveis por um fantástico desenvolvimento científico enquanto a civilização ocidental sucumbia na idade média da Igreja. O declínio científico ocorreu, por coinicidência, com o surgimento do Islã- Maomé matou a ciência árabe."

Nunca vi isso em leituras sobre História, História da Ciência ou da Filosofia. Pelo contrário, o grande impulso veio com o Islamismo em relação a toda a civilização árabe e a ciência em particular. Com a participação dos judeus -- ainda mal divulgada -- que muitas vezes escreviam em árabe e tinham nomes árabes, mantendo-se judeus, escrevendo inclusive sobre a teologia de um ponto de vista judeu. E foi um impulso decisivo para a Europa.

 

"Seja realista: exija o impossível"

Cariry, você tem que ser muito paciente pra responder uma bobagem dessas.

Qualquer pessoa que tenha pelo menos olhado na internet sobre o assunto por meia hora sabe que os principais pensadores, juristas e cientistas arabes foram aparecer alguns séculos após o surgimento do Islamismo.  

 

Conflito e luta, mas contribuição.

(Lembrem de Newton e Leibniz.)

Pierre Teilhard de Chardin (Orcines, 1 de maio de 1881Nova Iorque, 10 de abril de1955) foi um padre jesuíta, teólogo, filósofo e paleontólogo francês que logrou construir uma visão integradora entre ciência e teologia. Através de suas obras, legou-nos uma filosofia que reconcilia a ciência do mundo material com as forças sagradas do divino e sua teologia. Disposto a desfazer o mal entendido entre a ciência e a religião, conseguiu ser mal visto pelos representantes de ambas. Muitos colegas cientistas negaram o valor científico de sua obra, acusando-a de vir carregada de um misticismo e de uma linguagem estranha à ciência. Do lado da Igreja Católica, por sua vez, foi proibido de lecionar, de publicar suas obras teológicas e submetido a um quase exílio na China.

"Aparentemente, a Terra Moderna nasceu de um movimento anti-religioso. O Homem bastando-se a si mesmo. A Razão substituindo-se à Crença. Nossa geração e as duas precedentes quase só ouviram falar de conflito entre Fé e Ciência. A tal ponto que pôde parecer, a certa altura, que esta era decididamente chamada a tomar o lugar daquela. Ora, à medida que a tensão se prolonga, é visivelmente sob uma forma muito diferente de equilíbrio – não eliminação, nem dualidade, mas síntese – que parece haver de se resolver o conflito."

(Teilhard de CHARDIN, O Fenómeno Humano)

não gosto mas retirei isto da wikipedia http://pt.wikipedia.org/wiki/Teilhard_de_Chardin

 

"Seja realista: exija o impossível"

Oi Tarkus:

O saber era reservado unicamente aos monjes que guardavam a 7 chaves os seus escritos. A Igreja como instituição sempre se manteve contra os avanços científicos. Que o digam Galileu, Copérnico, Giordano Bruno, e por aí vai...

Abs,

 

José Antônio

 


Padre Roberto Busa


ROMA - È morto padre Roberto Busa, gesuita, pioniere dell'informatica linguistica, inventore dell'Index Tomisticus, anticipatore dell'ipertesto attivo di Internet 15 anni prima delle ricerche di scienziati americani. Scienziato, intellettuale, studioso di fama mondiale, padre Busa, che aveva quasi 98 anni, è deceduto ieri sera alle 22. La sua opera comincia negli anni '40, lungo 70 anni di ricerca nella scienza che ha promosso e inventato, l'informatica linguistica. Nato a Vicenza il 28 novembre 1913, a sedici anni Roberto Busa frequenta il seminario di Belluno dove avrà come compagno di studi un amico vero, Padre Albino Luciani. Ma non fu solo Papa Giovanni Paolo I a collaborare con Padre Busa, sostenendo l'opera e la ricerca di questo immenso scienziato, pioniere degli studi linguistici nell'informatica. E la sua ricerca gli è valsa l'istituzione del 'Roberto Busa Award', la massima onorificenza del settore. Fu vero anticipatore dell'ipertesto attivo e di Internet, già quindici anni prima delle ricerche degli scienziati americani più noti come Nelson e Enghelbart.

La sua grande opera che ha richiesto almeno 40 anni di lavoro e ricerca è l«'Index Tomisticus», un'impresa in 56 Volumi sorta con la collaborazione tecnica di IBM, azienda che finanziò e sostenne la sua ricerca direttamente per indicazione del suo fondatore Tom Watson. E' stato tra i pionieri dell'uso dell'informatica per l'analisi del testo, la lessicografia e la ricerca bibliografica. Grazie all'opera da lui iniziata, la lessicografia e l'ermeneutica testuale ricevono un contributo decisivo dall'informatica linguistica. Padre Busa ha fondato nel 1992 la Scuola di Lessicografia ed Ermeneutica, costituita all' interno della facoltà di filosofia della Pontificia Università Gregoriana. Lo scienziato gesuita risiedeva dagli anni Sessanta all'Aloisianum di Gallarate, assieme ai grandi decani gesuiti, tra cui il cardinale Carlo Maria Martini di cui era amico e interlocutore. Molti i legami con Varese e Gallarate, città di adozione che ha visto, con Rosa Piantanida Bassetti, la nascita dei primi atti di mecenatismo industriale e di cui l'Aloisianum stesso è un'espressione. Tra i libri più recenti, tutti pubblicati, negli scorsi anni, dalla casa editrice Spirali, «Rovesciando Babele ossia tornare alle radici d'ogni lingua» e «Quodlibet, briciole del Mio Mulino» forse l'opera più aperta e pubblica dello scienziato.

 

Georges Lemaître  S.J.
(1894 -1966)  Teoria del Big Bang.
Prima ipotesi di una teoria che prevedesse l’espansione del cosmo, da lui
chiamata “ipotesi dell’atomo primitivo”. A lui è dedicato il cratere
lunare omonimo.

 

É verdade que foram responsáveis por muita coisa boa. Uma delas:

Os monges trapistas inventaram uma forma elaborada de refino da cerveja, que a deixou bem leve, ótima para consumir no calor brasileiro. Só por isso já teria valido a pena.

Mas alguns monges foram responsáveis pela compilação de diversos clássicos greco-romanos que poderiam ter sido perdidos não fosse sua dedicação é obra. Mais um ponto. 

A famosa monja Hildegard de Bingen, brilhante musicista, naturalista, escritora medieval, que escreveu o "Hortus Deliciorum", a primeira tentativa de se escrever uma enciclopédia. Outro ponto.

Mas também pisaram feio na bola ao longo dos séculos, moçada! Quiseram queimar o Copernico, o Galileu, aliás levaram quatro séculos para reconhecer que estavam errados e o brilhante cientista certo. Queimaram o Giordano Bruno, queimaram um brilhante poeta e libretista brasileiro, o carioca Antonio José da Silva.

Enfim, ficaram devendo bastante.

Vamos que vamos, se tiverem boas intenções, há muito com que se penitenciar. Há tempo ainda, caprichem!

 

A grande contribuição de cada um desses nomes reside JUSTAMENTE em terem se desviado do dogma da igreja, procurando explicações naturais para aquilo que a igreja se contentava como explicar como "desígnio de deus."

Sinceramente, "covardia intelectual" é saudar Kircher como "pai da Egiptologia" (estendendo a graça a igreja) ignorando o fato de que:
a) foi o cristianismo que perseguiu e proibiu o uso da escrita hieroglífica egípcia (além de destruir templos, entre os quais estava o Serapeum de Alexandria que guardava os últimos documentos pertencentes à Biblioteca de Alexandria);
b) Kircher jamais chegou a ler a escrita egípcia tal como ela foi concebida pelos egípcios. O mérito em ser reconhecido como patrono da egiptologia reside apenas em sua figura política e no fato de ter recompilado o lingua aegyptiaca restituta (que trata do copta). Em relação a ler hieróglifos em si, ele estava tão distante disso quanto qualquer intelectual da Idade Moderna que tenha versado sobre o tema (Tasso, Mignault, Menestrier, Caussin, Pierio Valeriano, Fasanini, entre outros).

"Muitos não sabem que a inquisição era prática social dentro do contexto da época e que a Igreja entrou com o julgamento aos acusados, anos mais tarde, e deu a eles o direito de defesa, por esse motivo salvou milhares da morte.

Antes da Igreja intervir, muitos, para serem condenados, bastava uma simples acusação."


Esta passagem evidencia o que é desonestidade intelectual: chega ao cúmulo de sugerir que a inquisição existia antes da igreja. Ora! Primeiro, a inquisição (Inquisitio Haereticae Pravitatis) foi um instrumento criado para a própria igreja para a perseguição de hereges! Depois, se foi usada como um instrumento político, o foi pela própria igreja! É mórbido sugerir que a igreja não é responsável pela inquisição porque absolveu pessoas!

Como o autor do texto é um profundo ignorante de história, faço questão de traduzir uma passagem do Directorum Inquisitorum (1583, Livro III, p. 137):

"...quoniam punitio non refertur primo & per se in correctionem & bonum eius qui punitur, sed in bonum publicum ut alij terreantur, & a malis committendis avocentur"

"... posto que a punição não se orienta, a princípio e em si, à correção e bem de quem está sendo punido, mas para o bem do público que se apavora, e se afasta de cometer males."

Quer dizer, a punição tinha a função de mostrar aos indivíduos o poder da igreja contra quem ousasse contrariar o dogma, e não a necessariamente punir por um crime. 

Diante do exposto, o autor do post ainda é capaz de sair-se com esta:

"O erro está em tentar interpretar um acontecimento fora de seu contexto. E a verdade é que não se estuda de fato a história dentro de seu contexto é mais cômodo acreditar no que diz o revoltado professor da escola."

Não o vi citar uma referência histórica, expor um dado em fonte primária, demonstrar a validade de NENHUMA de suas proposições (seja por prova ou silogismo) - e ainda acha-se no direito de generalizar críticos da instituição católica? Supor que todo crítico se acredite no que diz professor revoltado? Sinceramente, a superficialidade dessa argumentação faz jus a falta de conhecimento do sujeito, e a sua pobreza argumentativa.

Só pra rir:

"Pe. Mateo Ricci e companheiros Jesuítas ( influenciou fortemente o desenvolvimento científico na China, quando a China ainda estava "anos luz" do desenvolvimento da Europeu;"

"Anos luz atrás do desenvolvimento da (sic) Europeu" só evidencia, mais uma vez, a falta de informação do autor. Os chineses, antes de Ricci, já tinham inventado a pólvora, a imprensa, a massa, e até o modelo do sistema binária (Leibiniz se inspirou diretamente no Yijing).

Mais risos?

O monge São Bento é chamado de "O pai da Europa" 

 Pelos cristãos. E olhe lá.

 

 

covardia intelectual?

pust...

é.. aqui também tá um frio danado.

 

"Ensinou que adultério não é só a traição da esposa para com o marido, mas também do marido para com a esposa".


Ora, ora, isso está mais do que claro nono mandamento, escrito mais de mil anos antes de Cristo e das suas igrejas, que condena quem cobiça a mulher do próximo, não a cobiçada. Dizer que isso é uma contribuição da igreja católica é falso. Mas na prática o que se viu foi sempre outra coisa, as apedrejadas eram as mulheres, o próprio Cristo teve de socorrer uma, mesmo assim os cristão continuaram .oprimindo mulheres. A moralidade do cristianismo e das suas igrejas foi sempre um sepulcro caiado. Os crimes contra mulheres "em defesa da honra" comprovam a hipocrisia dessa moralidade.

 

Almeida

Prova nada.

Esses sacerdotes não eram propriamente clérigos; eram cientististas.

A defesa da compatibilidade é uma grande jogada do clericalismo. Não falo de religião, mas de clericalismo.

 

 

 

Giordano Bruno era um comunista ateu e foi justamente punido pela Santa Madre.

 

Pode ser brincadeira de tua parte...

Mas vale a pena falar: nem comunista nem ateu, profundamente religioso e místico, herético diante da sua hierarquia católica, livre pensador (este foi seu grande pecado, o que o levou a fogueira).

 

"Seja realista: exija o impossível"

Não esqueçamos das chacinas perpetradas pela reforma de Lutero.

 

Otimo.  Agora desaparece do mapa mais rapido.

O tempo de igreja passou e so eles nao viram.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Vira e mexe surge um entusiasta do catolicismo recorrendo a supostos feitos do período medieval para exaltar a santa igreja. Na Idade Média, quase toda a produção de conhecimento estava ligada à igreja por meio dos monastérios, portanto, é natural que a cultura da época tenha se desenvolvido lá e que, em mil anos de história, algumas descobertas tenham surgido. Note-se, esses pesquisadores foram pontuais e surgiram de maneira descentralizada, sem um apoio oficial  da igreja. Outras sociedades que não contaram com o catolicismo também tiveram forte desenvolvimento científico, como o Islã.

Além disso, é inegável que os fundamentos da ciência moderna foram desenvolvidos apenas a partir do Renascimento.  A metodologia da "ciência católica", baseada em Aristóteles, recorria ao senso comum, a transição para um método baseado na experimentação foi lenta e a igreja não facilitou. E por que não falar na condenação de Giordano Bruno por heresia, como isso contribuiu para a ciência? E "a Igreja lutou contra a imposição do casamento; numa época em que os pais escolhiam com quem a filha deveria se casar", que espécie de argumento é esse? Quais as provas?

A igreja sempre foi retrógrada e suas posições sempre foram de reação a tudo, tanto que hoje essa continua sendo a principal marca dessa instituição. Para mim, a real contribuição da igreja foi a criação do calendário gregoriano. Nesse ponto reconheço, seu sistema de anos bissextos é altamente estável, tanto que usamos até hoje. De resto, não vejo nada digno de nota.

 

É.. Os padres fizeram muito, mas quem ganhou hoje na formula 1 foi o Pastor... Maldonado. É o fim dos tempos...

 

Ah, quanto à condenação de Giordano Bruno, hoje é bem conhecido que sua condenação por heresia foi lamentável, porém foi causada principalmente pelas posições teológicas de Bruno, que eram eminentemente panteístas e diferiam abertamente da doutrina católica, e que as questões científicas foram muito secundárias para sua acusação como herege. Bruno não era só cientista, mas também defendia e desenvolvia ideias teológicas, e nisso, evidentemente, tocou muito de perto o âmbito religioso sob domínio da Igreja. Quem se informa sobre sua história logo vê que não foi bem uma "cruzada contra esse homem perigoso que quer desenvolver a ciência".

 

O Renascimento, por sua vez, foi basicamente a culminação de um processo nascido na Baixa Idade Média com o desenvolvimento da vida urbana e das ciências nas Universidades, que, queira-se admitir ou não, nasceram sob o patrocínio e geralmente até fisicamente próximas de catedrais importantes da Europa. O método científico que começou a se desenvolver no Renascimento, mas só viria mesmo a se consolidar já perto da Idade Contemporânea, já começou a ter seus primeiros desenvolvimentos e defensores na Idade Média, sim, com religiosos católicos que defendiam a necessidade de comprovação empírica de hipóteses e conclusões tiradas por indução, e para isso foram muito relevantes Robert Grosseteste e Roger Bacon, ambos religiosos. O surgimento da ciência moderna não ocorreu do dia para a noite, mas se há algo certo é que remonta ao surgimento das primeiras universidades na Europa (assim como, no Islã, teve grande incentivo das autoridades e religiosos islâmicos, mas foi um outro processo histórico, e a ciência moderna deriva principalmente da Europa, não do Islã). Além disso, não custa lembrar que não foram só padres, mas também leigos comuns, porém profundamente religiosos, como Isaac Newton, que fizeram a ciência avançar numa época ainda em geral profundamente religiosa. O que essas experiências e fatos demonstram não é, ao contrário do que pode parecer, que a ciência precisou da Igreja para surgir, mas sim demonstra sem sombra de dúvidas que ter religião não é nem foi impedimento para o desenvolvimento da ciência. Não são polos opostos, portanto, ao menos não em princípio.

 

Prezado, você diz: "note-se que esses pesquisadores foram pontuais e  também que era algo feito de forma descentralizada sem apoio oficial da Igreja".


Bem, além de existerem os que atuavam de forma descentralizada, mesmo assim ainda tivemos a Pontifícia Academia de ciências que  foi fundada em Roma, em 1603, com o nome de Academia dos Linces por Frederico Cesi e foi a primeira academia científica do mundo.


Sds,


 

 

A lógica (que posso chamar de formal -- não confundir com formol) antiga -- para alguns atual -- se deve principalmente a Aristóteles.

Foi uma tolice dogmatizar a Física aristotélica (belíssima construção) com todas as suas implicações (algumas nada teológicas). Como é uma tolice atual separar rigidamente Platão e Aristótles seja na Europa seja na Igreja Católica, mesmo a medieval.

 

"Seja realista: exija o impossível"

esta intervenção é um complemento a de Julio p

(deixei passar um comentário no meio que nada tem a ver com o que digo)

 

"Seja realista: exija o impossível"

Concordo com sua afirmação, mas lembro que ao elogiar a Igreja usamos relativismo, ao criticar esquecemos a epoca e o contexto.

 

Mas quem alega que a igreja tem inspiração divina, que as "verdades" que propaga são eternas e que o papa é infalível são os crentes.

Eu estou completamente disposto a considerar a igreja em sua época, desde que os crentes admitam que as "verdades" da igreja variam conforme as épocas e as sociedades. Que tal, por exemplo, aceitarem o casamento "gay" e as famílias homossexuais?

 

Qual o problema em não fazer proselitismo da união gay, mas ter amigos gay, e respeitá-los, se relacionar com casais gay, e respeitá-los, e assim por diante? Entre o preto e o branco existe uma infinidade de tons cinza...Porque sou obrigado a defender ou combater alguma coisa? Será que você não percebe que este é um produto caixa-pensamento, vendido nas melhores livrarias do ramo? Eu só tenho opinião, nada mais que isso...

 

Caro Fernando, parabens pelo texto

Permita-me observar que existem pessoas que só tem capacidade de ver ha um palmo de suas faces. Assim quando se deparam com a realidade, fazem profundas citações a respeito do Santos, do dia quente e por ai vai

Alem de profunda ignorancia historia, padecem de educação com a opinião divergente.

Creio que são comentaristas tambem do Blog de um senhor que adora usar chapeu

 

Fernando li o livro do Wood na versão italiana, não a encontrei em português; o estudo e toda a bibliografia se abastecem no ambiente americano da reforma o que elimina o bairrismo.


Da tua leitura bem sintetizada, faltou mencionar que as Universidades foram criadas na sombra das Catedrais, Bologna primeira Padova em seguida, Paris, Chartres etc.  

 

Li esse livro.

Muito interessante.

 

Faltou o Padre que é o autor da teoria do Big Bang. Não me recordo do nome.

Ele foi o autor da teoria mas quem deu nome foi outro cientista.

 

Teve aquele padre alcoolatra que deu uma contribuição danada à ciência. O seu tratamento de cirrose virou tese de doutorado. Este não está na lista acima.

 

Georges-Henri Édouard Lemaître (Charleroi, 17 de julho de 1894Louvain, 20 de junho de 1966) foi um padre católico, astrônomo e físico belga.


Lemaître propôs o que ficou conhecido como teoria da origem do Universo do Big Bang, que ele chamava de "hipótese do átomo primordial".[1][2], que posteriormente foi desenvolvida por George Gamow.


O asteróide 1565 Lemaître foi assim chamado em sua homenagem

 

Faltou também o padre Mendel, criador da genética.

 



As ideias iniciais que deram origem à teoria do Big-Bang foram propostas pelo padre belga Georges Lemaître. 

 

Georges Lemaître

Ele propôs a teoria do Big-Bang. 

"Em 1965, um ano antes de sua morte e já doente em um hospital, recebe com alegria a notícia de que sua Teoria do Big Bang fora confirmada pelos experimentos de Arno Penzias e Robert Woodrow Wilson e era tida como a teoria padrão pela comunidade científica."

 

 

Faltou Mendel o Pai da Genética. Mas esses exemplos são exemplos da arte e da genialidade de pessoas que eram membros da igreja e não representam a igreja. Esta, se pudesse, teria impedido a maioria das pesquisas.

 

Prezado,


Seu argumento é esse mesmo, ou seja, quando um Padre tem uma obra genial dessa você diz que ele não representa a igreja.


Seu argumento em parte é verdadeiro, pois, realmente nem uma Padre por si só representa a Igreja, ele é um membro dela. Mas também nunca ouvi falar ou ler que Mendel era contra a Igreja ou desobediente a ela. Se você tiver algum registro histórico, favor compartilhar conosco.


Sds,


 

 

Eu postei, num comentário acima, um breve histórico da vida de Mendel.

Antes de padre, ele foi professor de História Natural.

 

Embora considere o Big Bang apenas um dos modelos sobre o Universo, vai alguma informação:

Georges-Henri Édouard Lemaître (Charleroi, 17 de julho de 1894Louvain, 20 de junho de 1966) foi um padre católico, astrônomo e físico belga.

Lemaître propôs o que ficou conhecido como teoria da origem do Universo do Big Bang, que ele chamava de "hipótese do átomo primordial".[1][2], que posteriormente foi desenvolvida por George Gamow. [Gamow era russo e colaborador de Lev Landau um dos maiores físicos.]

O asteróide 1565 Lemaître foi assim chamado em sua homenagem.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Georges_Lema%C3%AEtre

 

"Seja realista: exija o impossível"

Ainda sobre Lemaitre e os padres "desligados" da Igreja em sua contribuição a Ciência. [Lembrar de Newton sempre.]

On March 17, 1934, he received the Francqui Prize, the highest Belgian scientific distinction, from King Léopold III, for his work on the expanding universe. In 1936, he was elected a member of the Pontifical Academy of Sciences, where he became the president in March 1960, remaining so until his death. He was also named prelate in 1960. In 1941, he was elected member of the Royal Academy of Sciences and Arts of Belgium. In 1941, he was elected member of the Royal Academy of Sciences and Arts of Belgium. In 1950, he was given the decennial prize for applied sciences for the period 1933-1942. In 1953 he received the very first Eddington Medal award of the Royal Astronomical Society.

Sobre a academia atual pode-se ver algo em http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_academies/acdscien/

 

"Seja realista: exija o impossível"