newsletter

A greve da Polícia Militar na Bahia

Da Agência Estado

BA: secretário diz que não negocia com 10 mil PMs em greve

Pelo menos cinco lojas de eletrodomésticos foram saqueadas na madrugada desta sexta-feira em bairros centrais de Salvador. Segundo testemunhas, grupos grandes, de mais de 30 pessoas, a maioria encapuzada e algumas armadas, promoveram o arrombamento e o furto de mercadorias dos estabelecimentos, que estavam fechados na hora dos ataques. Na avenida Jorge Amado, no Imbuí, também em Salvador, quatro corpos foram encontrados.

Força Nacional na cidade: PMs mantêm paralisação e Força Nacional chega à Bahia 
Clima de tensão: Prefeitura de Salvador reforça segurança após ataques na Bahia

Foto: AE

Quatro corpos foram encontrados na Avenida Jorge Amado, no Imbuí, Salvador, nesta sexta-feira

Os ataques ocorrem em meio à paralisação parcial da Polícia Militar na Bahia, iniciado na tarde de terça-feira pela Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), uma das entidades que representam a categoria. 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, pelo menos dois terços do efetivo policial do Estado trabalha normalmente, mas o governo baiano pediu o reforço de tropas da Força Nacional e do Exército. Segundo o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, a intenção da medida é "aumentar a sensação de segurança" da população. 

 

Foto: AE Ampliar

Agentes da Força Nacional na chegada a Salvador

No fim da noite desta quinta-feira chegaram à Base Aérea de Salvador os primeiros 150 integrantes da Força Nacional que vão fortalecer o contingente no Estado. Outros 500, que estão se deslocando por terra, são aguardados hoje, bem como 2 mil militares, que devem atuar no policiamento ostensivo nas principais cidades baianas. 

"Vamos nos reunir, na tarde de hoje, para determinar como as forças serão distribuídas e os limites de atuação de cada unidade", afirma o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa. "Vamos restabelecer o mais rápido possível a sensação de segurança da população." 

Barbosa afirma que a principal preocupação da secretaria é com as maiores cidades e com os pontos de maior circulação de pessoas. Na noite de ontem, grandes congestionamentos foram registrados em Salvador depois que policiais à paisana, armados e encapuzados, tomaram ônibus coletivos e os atravessaram nas pistas de algumas das principais avenidas da cidade. Temendo arrastões, o comércio fechou mais cedo no centro. 

"Para cada ato de vandalismo estamos instaurando um inquérito, que será conduzido pela Polícia Civil e pelo Ministério Público, a justiça será feita", promete Barbosa. "Não podemos aceitar que policiais armados façam o que estão fazendo." 

Em cidades como Ilhéus, no litoral sul do Estado, e Feira de Santana, segundo maior município baiano, a 110 quilômetros de Salvador, apesar de o comando da Polícia Militar ter informado o envio de reforços para a segurança dos dois municípios, parte do comércio das cidades continua fechado. Em Feira de Santana, rodoviários e empresas de transporte coletivo optaram por não tirar os veículos das garagens. 

Em Salvador, cresceu a presença de manifestantes acampados na frente da Assembleia Legislativa. Preocupados com um possível confronto com integrantes da Força Nacional, cerca de 400 grevistas se juntaram aos 100 que ocupavam o local desde terça-feira. Mulheres e filhos de policiais também são vistos no local. 

 

Foto: AE

Policiais protestam por melhores condições de trabalho na Bahia

A Aspra, que congrega cerca de 2 mil filiados, do universo de 32 mil PMs e bombeiros da ativa na Bahia, cobra do governo a incorporação de gratificações aos salários, além de regulamentação para o pagamento de adicionais, como de periculosidade e acidente. 

As outras associações de classe não aderiram à paralisação e o comando-geral da PM diz não reconhecer a Aspra como entidade de classe. "Abrimos canais de diálogo com as (três) principais associações de policiais, teremos reuniões hoje, mas não vamos negociar com quem quer criar clima de pânico e terror na população", afirma Barbosa. 

Ontem, o juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública da Bahia, Ruy Eduardo Almeida Brito, havia determinado, por meio de liminar, a suspensão do movimento grevista, sob pena multa de R$ 80 mil por dia para a associação. 

O presidente da Aspra, o ex-soldado Marco Prisco, diz que a liminar não prejudicará a paralisação. Ele foi um dos articuladores da última grande greve da PM no Estado, em julho de 2001, e foi afastado da corporação pelo episódio. 

Em nota, o governador Wagner disse que vai usar "medidas enérgicas" para defender "os interesses maiores da população". "Não admitirei que a segurança seja colocada em risco por um pequeno grupo de pessoas, ainda mais porque estas desconsideraram a decisão judicial que considerou a greve ilegal", diz o texto.

Originalmente: 

Sem votos
68 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+68 comentários

Meu maior temor é que esses amotinados consigam o que querem, Eu até comecei simpática a luta deles, mas depois. Se já fazem terror no dia-a-dia  e de forma mais covarde durante essa  paralisação, o que vai ser se nós quando voltarem as ruas? Com a arma na mão estão dizendo que tudo podem e o pior é que podem porque agem com intimidação, violência, terror. Minha única esperança é naqueles, inclusive policiais, que desejam manter o mínino de regras em um estado democrático de direito façam algo decente. Não acho que mereçamos viver temendo a morte e a violência, seja ela de bandidos ou de polícia. Cadê os profissionais que disseram que sua missão é defender o nosso povo? Nada, nada, nada, NADA, justifica o terror.

 

Submeto a apreciação de v.sas, para possível publicação, artigo referente a greve da policia militar na Bahia.

atenciosamente,prof. dr. Reginaldo de souza silva


Policiais Militares até quando serão desvalorizados?

 

O desrespeito ao cidadão trabalhador militar traz à tona neste país uma realidade de insatisfação e discordância no interior dos quartéis. Diuturnamente, policiais militares que deveriam garantir a segurança de seus cidadãos e autoridades não são respeitados e valorizados. A questão dos soldos baixos para soldados e policiais é histórica no Brasil. Da mesma forma o é o despreparo da categoria e a corrupção ali dentro.

 

Há algum tempo, as associações representativas de oficiais e praças das Policias Militares dos Estados, a exemplo da Bahia, vem alertando a sociedade sobre o clima de insatisfação generalizada que permeia toda a Corporação, sobretudo no desrespeito aos direitos deste profissional, materializados na PEC 300, a qual Governadores não tem dado a devida importância.

 

Na Bahia, a categoria reivindica o cumprimento da lei 7.145 de 1997, instituída há 14 anos cujos benefícios nunca foram pagos, a gratificação por atividade policial (chamada GAP 5), incorporação da gratificação ao salário, regulamentação do pagamento de auxílio acidente e adicionais de periculosidade e insalubridade.

 

Infelizmente, o governo do Partido dos Trabalhadores se recusa a acatar o que prevê a legislação, bem como os pleitos da categoria, o que inclui ainda o cumprimento da lei da anistia e a criação do código de ética e de uma comissão para discutir o plano de carreira dos PMs. Os policiais baianos recebem o salário base, equivalente ao salário mínimo e a GAP 3, que somam mensalmente cerca de R$ 2.300. Em toda a Bahia, há um contingente de 31.869 policiais. Na capital, esse número é de 10.712 e os demais são distribuídos nos demais 416 municípios. Até o momento 10 mil PMs aderiram à greve por tempo indeterminado em várias cidades.

 

Se por um lado, os policiais são proibidos de fazerem greve, por outro, o desrespeito as entidades representativas de classe por parte dos governos, acusando a associação dos policiais de "causar intranquilidade" na população, coloca em risco a disciplina e a sobrevivência.

 

O paradoxo é que, esses mesmos policiais, que hoje fazem sua paralisação, foram os mesmos que estiveram na linha de frente para fazer a reprimenda a outros movimentos reivindicatórios de outras categorias de trabalhadores e estudantes. Afirmam os policiais: “não somos favoráveis aos movimentos reivindicatórios, com paralisação das atividades, sem que antes sejam esgotados todos os canais de negociação”.

 

Reafirmam que as principais reivindicações são: criação de uma Mesa Permanente de Negociação, envolvendo os representantes das Associações de Oficiais e Praças; reajuste linear de 17,28% retroativo a abril de 2007; revisão no valor do Auxílio Alimentação; pagamento da diferença de GAP; implantação da GAP IV e V para policiais ativos, inativos e pensionistas; atualização do valor do Honorário de Ensino congelado há mais de uma década; pagamento da URV; mudanças no Plano de Carreira; Regime Próprio de Previdência, conforme dispõe a Constituição Federal – CF/88; implantação do Subsídio, conforme prevê o § 4º do art. 39 da CF/88; isonomia salarial entre os integrantes das Polícias Civil e Militar, de acordo com o que preceitua o art. 47 da Constituição do Estado da Bahia; e melhores condições de trabalho.

 

O que a população baiana espera deste Governo é ter um serviço de qualidade, com policiais em todas as cidades zona urbana, rural e periferias das cidades. Para isto é necessário a valorização e o reconhecimento do trabalho dos policiais militares; a abertura imediata de negociação (que não seja as denominadas mesas setoriais de tapeações) com os representantes das Associações que os representam.

 

Sabemos que o Estado da Bahia, assim como os demais, não irá superar ou minimizar os erros cometidos no desenvolvimento das ações a elas atribuídas (grande parte legitimadas pelo Estado) sem um investimento massivo e continuado na formação e manutenção dos recursos e equipamentos das policias.

 

Podemos perceber que esta se cultivando no imaginário popular a figura do militar como a pessoa do mal. A eles são atribuídas, torturas, mortes, assassinatos, roubos, seqüestros, golpes e abuso de poder. Perguntamos: Quantos morreram? Quantos vão morrer? Quantos quase morreram?  Na sociedade, assim como, na vida militar, a segurança do coletivo depende de cada membro. Em nosso país a instituição responsável pela segurança pública é a Polícia Militar.

 

Nossos políticos que em sua grande maioria não são dignos, sérios e nem éticos não querem uma Polícia (militar, civil e bombeiros) séria e digna. 

 

Mas, em pleno século XXI na capital baiana e cidades do interior vivenciamos mais uma etapa do desrespeito ao cidadão trabalhador militar. Uma corporação centenária, uma das poucas instituições que está 24h no ar, em que muitos dos seus integrantes em situações extremas entregaram suas vidas para salvar outras vidas. Neste momento, os PMs ocupam as ruas, a Assembléia Legislativa para protestar, para demonstrar ao governo que para colocar a sua vida em risco os salários, as condições de trabalho e de relacionamento com o governo não são dignas.

 

Senhores coronéis e demais oficiais a qual se atribui a responsabilidade pela salvaguarda da história, dos legados das corporações, da segurança, da unidade e moral da tropa, demonstrem e testemunhem aos seus comandados a todos os componentes da base das corporações os SOLDADOS (do coronel ao recruta) o símbolo da honra e dignidade militar. 

 

Perguntem aos seus comandados: Há Orgulho em ser Policial Militar? Demonstrem a cada membro da tropa que esta é uma profissão digna, que muitos deram a sua própria vida e continuam a fazê-lo para garantir a tranqüilidade e segurança de todos. Não permita que Policiais Militares e bombeiros se prestem a serem massa de manobra de alguns políticos hipócritas, que com suas promessas vãs os enganem propositalmente.

 

“O compromisso com a lei e com a ordem e a manutenção da paz e da segurança de toda sociedade dependerá de profissionais sérios, homens e mulheres de bem, pais e mães de família que sabem perfeitamente do seu papel e responsabilidade”.

 

Infelizmente, muitos comandantes, inclusive o próprio governador, se distanciaram das tropas, vivem nos gabinetes e já não servem de exemplo. Segurança pública é direito de todos e a população das cidades do interior está cansada de pagar a conta quando em períodos de carnaval e festas vê parte de seu efetivo deslocado para Salvador.

 

 *Reginaldo de Souza Silva – Doutor em Educação Brasileira, professor do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Email:reginaldoprof@yahoo.com.br

 

SOU MORADOR AQUI DA BAHIA, ACREDITO NOS POLICIAIS ENTENDO SUA MANIFESTAÇÃO, SÓ NÃO ENTENDO PQ ESTE GOVERNADOR DURANTE SUA CAMPANHA PROMETEU MELHORIAS EM SALARIOS DESTES, E PROMOVEU-SE ATRAVÉS DE VIDEOS DA GREVE E HJ ESTAMOS PREOCUPADOS COM NOSSAS VIDAS QUE A QUALQUER MOMENTO PODE SER CEIFADA POR CAUSA DESTE GOVERNO TÃO BONZINHO, ESPERO QUE O CARNAVAL TENHA RECORDES EM DESISTÊNCIA POIS ACREDITO QUE ESTAS PESSOAS NÃO VIRÃO AQUI PRA SE TORNAR VITIMAS DESTES HOMICIDAS NA CIDADE.

 

Em 2001, Lula disse ser favorável à greve em serviços essenciais, pois estava na oposição. Em 2010, Lula disse ser contra a greve em serviços essenciais, pois a sociedade não pode ser prejudicada e ele era governo. Eis a metamorfose ambulante em sua plenitude verborrágica.

 


Companheiros Milicianos e Operadores de Segurança Pública do Brasil, NÃO VAMOS ESMORECER!!!!

O TEMPO DA ESCRAVIDÃO DE PMs NO BRASIL ACABOU”!!!! 

Daí, NOSSO VEEMENTE REPÚDIO é que façam as AUTORIDADES BRASILEIRAS o que quiserem , a polícia simplesmente CANSOU!!!!

Nós,militares brasileiros, também não achamos graça nenhuma em termos deputados recebendo mesada para votarem em interesses escusos.

Não nos divertimos muito quando encontramos dirigentes políticos com dinheiro na cueca.

Não nos faz rir ter senadores construindo palácios megalomaníacos às custas de ilícitos superfaturamentos.

Não encontramos piada nenhuma quando os políticos favorecem familiares e usam o seu poder em benefício próprio.

Ficamos, pelo contrário, tão furiosos, que gostaríamos de colocá-los na Cadeia.

Veja só – quanta falta de humor abrigamos em nossos extenuados peitos.

Muito pelo contrário, fazem-nos rir as Sessões Plenárias do Congresso e do Senado brasileiro.

Aqui no Brasil , e estou certo que em toda a Civilização Mundial, nossos Congressistas vêm dando excelentes programas de humor.

Agora, durma com uma conversa dessa!!!

 

TODAVIA, O CRIME NÃO COMPENSA. MAS O SALÁRIO POLICIAL TAMBÉM NÃO!

POR ISSO, É GREVE GERAL NACIONAL POLICIAL NO CARNAVAL!!!!! ATÉ A APROVAÇÃO DA PEC 300, A PEC DA DIGNIDADE POLICIAL!!!

 



AGORA, “PODEM ME ATIRAR AOS LOBOS QUE VOLTAREI LIDERANDO A MATILHA!!!”

 

 

Prezado Nassif

Mas um ponto que jamais deve ser esquecido , é que o assalariado brasileiro (especialmente os funcionários municipais e estaduais) sempre foram os "Buchas de Canhão" nas recomposições salariais!. No estado do Rio de Janeiro, parece que o Governador deu um aumento imediato de 20% . E um restante (parece-me de 10%) para o próximo ano (dependendo das contigências) . Certamente salários aviltantes na carreira policial  é um convite para "Bicos" e daí um passo para  entrarem na banda Podre do crime organizado .

Mas os Juízes devem julgar com urgência a validade legal do movimento .E a ordem pública cumprida a todo custo , mesmo que triste episódios como de 1981 tenham que desgraçadamente repetirem-se !.Esta é a opinião de um cidadão contribuinte , assalariado e preocupado com estas ondas de "Primaveras" no Mundo  que acabam se transformando em  "Invernos" .

 

Dastanhêda

interessante como ninguem critica o governo...

é como se a PM tivesse chegado a esse estado de descontrole sem participaçao nenhuma do executivo.

duro de aguentar esse tipo de coisa, se isso ocorresse em S Paulo para cada paragrafo haveria varias citaçoes e condenaçao ao tolo do Alckmim

Mas como o governo é de esquerda neguinho não para de falar que :" certas categorias não podem paraaaaaarrr "

E estao certos, não podem mesmo.

O dose da coisa toda é que essa compreensao do que venha a ser estado de direito e a imposição dele a força sobre uma categoria só ocorre quando convem...

 

leonidas

O senhor está errado. O pessoal aqui acha que o governo tem culpa pela greve da PM sim. O Governo Alckmin! Alguma coisa ele faz, não é possível! Vai ter ligação.

 

A policia militar e um desoculpados não tem nada de fazer vai inventar greve pra os Militares de Garanhuns eles tem mais o que fazer do que ficar saindo de suas cidades deslocando pra Bahia vai voltar logo pra seu trabalhos...

 

Nassif,


Sou baiano - estou em Ilhéus/BA - e posso lhe falar que o que está acontecendo na Bahia é uma inconstitucionalidade, ilegalidade e uma afronta a toda uma sociedade que decidiu viver em um estado que promovesse a paz e a democracia. Sou a favor da utilização de negociações e greves para a melhora das categorias laborais, porém existem categorias diferenciadas, como a dos policiais e as que tiverem o poder de se utilizar de armas autorizadas pelo Estado, que seguem um regime jurídico diferenciado. Os militares seguem a hierarquia, devem salvaguardar o direito e a paz na sociedade; porém esses policiais (os que aderiram à greve, "criminosos de farda") afrontam o direito (a Constituição da República Federativa do Brasil - CRFB), o Estado (promovendo o crime) e a herarquia (quando insubordinam-se ao seu chefe maior, o governador). A CRFB, art. 142 no inciso IV, quando institui e regulamenta a segurança pública é clara ao estabelecer que ao militar são proibidas a sindicalização e a greve - não é o que ocorreu com a greve e com essas "associações" que os representa (que seriam sindicatos de fato e que tem como presidente da associação que decretou a greve um vereador do PSDB - Prisco). Estes policiais estão em sua maioria armados na Assembléia Legislativa ou nas ruas promovendo/provocando o terror : em Salvador põe armas nas cabeças das pessoas para pararem o trânsito ou colocar ônibus para interromper o trânsito, além de ficarem realizando boatos - fora os crimes que estão se praticando que não se sabem se são realizados por bandidos que se aproveitam da situação ou por policiais; em Ilhéus, passam de carro com armas em punho para que os comerciantes fechem as portas, além de plantarem notas factóides nos sites locais de arrombamento a caixas de bancos ou promovendo o clima de insegurança. Aliás os policiais querem que o clima de insegurança aumente para que eles se façam mais necessários e surjam como paladinos. Esses fatos causam uma histeria coletiva e fazem com que os outros bandidos se aproveitem desse clima para também praticarem roubos ("a oportunidade faz o ladrão"). Essa história de se criar a insegurança para se apresentar como salvadores da pátria já fora utilizado no regime de excessão quanndo vivemos a ditadura militar e que a sociedade não podia votar em seus governantes nem decidir os rumos do Brasil. Nós temos uma das piores polícias do mundo e na Bahia (que é uma das piores do Brasil, senão a pior) o índice de violência cresce o que seria motivo para toda uma reestruturação na polícia, mas nunca um pedido de aumento de salários - ainda mais praticando crimes contra a população. Esses policiais afrontam não só as folhas de papel da Constituição e das Leis como também toda a sociedade que em decisão democrática constituiu o Estado para que vivamos em paz, harmonia e justiça. Acho que esses policiais que participam dessa greve devem ser demitidos e responderem processos criminais. Acredito também que se realizar concurso hoje para a polícia com os salários de hoje terá uma concorrência altíssima - o que selecionaria os que quisessem trabalhar, seguir os preceitos da hierarquia militar e honrar a polícia, sociedade e Estado. Para ter uma polícia militar como essa (criminosa, insubordinada e que não salvaguarda nossa Constituição e Leis)... é preferível que não tenha polícia, pois teremos menos bandidos com armas no Brasil - e dessa maneira fico com o questionamento contido na música dos Titãs: "Polícia, para quem precisa; polícia, para quem precisa de polícia!"!!!

 

Caro,

que estúpida invocação da lei é essa? Lei é coisa de burguês, que só vale contra puta, preto, pobre e bicha. As  leis vigentes não atendem mais as necessidades sociais da população, cujo direito achado na rua é o que é certo para erigir a sociedade sonhada pela esquerda.

Os companheioros policiais estão no direito deles de reivindicarem melhores salário. Cresci ouvindo o PT dizer isso.

 A PM é uma entidade completamente dispensável: diturnamente ouço todos aqui dizerem isso.

Um outro mundo é possível: sem leis, sem PM, sem hirarquia...

E quando ele acontece, começam a reclamar?

Vá entender... 

 

Há muito um colega disse, devido ao que havia lhe ocorrido, que a diferença básica entre um marginal e um policial era a farda. Eu discordava. Mas algumas notícias parecem corrobar.

E em tempo, quem conhece Salvador e vê a quantidade de desemprgados(e/ou desocupados) não se admira da onda de violência.

 

Em resumo: como diria nosso grande Odorico Paraguassu, a culpa é da oposição...

 

Há cerca de cinco anos, fiquei sabendo por meio de um conhecido meu, jornalista, casado com  uma delegada que estava sendo ameaçada de morte por policiais corruptos, que havia um grupo de policiais de alta patente que não estava contente com a eleição do governador Wagner. Eles se sentiam incomodados com a eleição de um "subversivo"que, inclusive, já foi fichado por esta mesma policia nos anos da ditadura. Esta ala da PM baiana, coincidentemente, tinha bastante simpatia pelo carlismo, corrente política conhecida pelos seus metodos truculentos e pela corrupção desenfreada. Muitos destes policiais, é bom ressaltar, faziam parte destes esquemas de corrupção. Alguns destes esquemas foram desbaratados no governo petista. No entanto, os esquemas mais pesados, assim como as "viúvas" do carlismo mais raivosas, continuaram sem qualquer sanção a seus movimentos.

Não sem motivo, creio que esta ala tenha contribuído para o aumento da violência e dos homicidios no estado. Isto pelo motivo de quê, nos governos de orientação carlistas, muitas delegacias eram  instadas a ignorar e ou mesmo, desestimular o registro de ocorrências. Junto a isto some-se a relação "cordial" que a polícia carlista tinha com um traficante conhecido como "Ravengar" aqui em Salvador o que ajudava na pacificação de possiveis criminosos. Este  senhor era o chefe máximo do tráfico local,  e chegou mesmo a produzir um show muito popular aqui na cidade em seu QG em um lugar chamado "Morro do Águia". Muitas vezes a segurança destes shows, pasmem, era feita pela PM! É possível que toda esta política de condescendencia com o crime, que gerava números baixos de violência, tenha sido mudada com chegada inesperada ao poder de uma força politica rival.

Paralelo a isto, a Bahia se desenvolveu muito nos últimos anos, mesmo no período carlista. Salvador cresceu, não economicamente apenas, mas em termos populacionais e politicos, gerando uma massa de interesses conflitantes, impossível de ser conciliadade, mesmo na questão do crime. Muitos agentes sociais, traficantes comercializando crack, entre eles,  atuando, descontrole a vista em um esquema autoritário. O resultado vemos no aumento desenfreado e sem planejamento da ocupação urbana e consequente fraqueza dos poderes públicos nas areas mais isoladas. Porém, retornando ao tema inicial deste texto, esta soma de fatores foi muito, muito mal avalidada pelo governo do PT.

A ansia em se manter no poder a qualquer preço, fez com que a administração do PT baiano não enfrentasse com a devida firmeza todos os problemas que citei acima. Preferiu o conservadorismo típico de quem chega ao poder no Brasil, que é fazer revoluções sem rupturas, coisa que acordos com e a adesões de ex-carlitas ao projeto do PT, confirma. Aliás, o próprio vice-governador atual, já foi vice de um outro governador de orientação carlista. Com tantos medos de enfrentamentos e  de rupturas, e acordos com ex-adversários, hoje o governo Wagner tem muitas fraquezas e uma delas, veio a tona agora: arqui-inimigos do governo armados , livres e soltos dentro da  própria polícia, tendo atitudes tipicas de milicianos. 

 

Sr Jean,

Seu comentário é correto, é justo e retrata com fidelidade todo quadro da situação.

Luis Nassif, dada a precisão daquilo que escreveu o senhor Jean, eu considero como digno de subir à página principal deste blogue.

Abraço.

 

Concordo, Edmundo.

 

No Governo de Valdir Pires o Secretário de  Segurança  Pública da  Bahia, o  saudoso Enio Mendes, encontrou enorme  dificuldade para nomear um comandante Geral da PM  pois  todos os  coronéis  eram carlistas declarados.

 

O governador é antes de tudo um vitorioso, para fazer jus, vai mudar da Federação para a Vitoria, bairro nobre do centro de Salvador. O governo deste ex-sindicalista tem feito uma administração exemplar de cooptação politico-partidaria e sindical, tanto que os sindicatos dos funcionarios publicos são coniventes com as estrategias administrativas do governo e esses  tem operado mediunicamente, enquanto o governo emprega parentes e aderententes dos diretores e presidentes das organizaçõeas trabalhistas nos cargos publicos. Os sindicatos dos professores,policiais civis, medicos estão mortos. Para lembrar um policial civil continua a ganhar em media o que ganhava nos governo anteriores, nada mudou, um professor estadual com nivel superior ganha dois salarios minimos por turno trabalhado, ou seja tudo dantes no quartel de abrantes. Quantas escolas o governo construiu, reformou ou ampliou? Não há informação destes dados nas propagandas diarias exibidas em horarios nobres, pagas com dinheiro de um Estado pobre de recursos, sem arrecadação necessaria para implantar as escolas de tempo integral, ou o pagamento  digno dos docentes do Estado da Bahia, se fizesse isso não teria dinheiro para as propagandas dos radios, jornais e tvs, ou a injeção de duzentos milhoes para a fonte nova privatizada às pobrezinhas da odebrech e OAS .  A valorização do Estado e a profissionalização do servidor publico, é praticada com enfase na contratação de cargos de confianças, na exploração de recursos humanos sem direito as férias, fgts, plano de saude, ou sequer carteira assinada dos REDAS, enquanto o governo utiliza a pratica dos governos anteriores de conceder aumentos para as categorias que ganham mais, enquanto as demais e numerosas categorias ficam na vã esperança dos seus "sindighosts" comprados, esperando uma melhoria no seus parcos salarios. Ah! sim, o governo pensou que na policia militar bastava continuar a gratificar bem os escalões superiores para manter o moral da tropa, e continuar a agir com empafia a exclamar que não tem medo de greve, agora os cidadãos baianos, inclusives os 800 ou 600 mil eleitores soterapolitanos que votaram neste ex sindicalista, estão sofrendo as consequencias das "estrategias administrativas" governamentais. É lamentavel, um governo deixar a situação chegar a esse ponto. Talvez o governador baiano-carioca,  brasileiro-polaco-israelita, petista- social democrata, governador-sindicalista, esteja no governo sofrendo a crise de identidade, pelas tantas caracteristas que advem da sua personalidade. Porem, nada como um vitorioso lutador da causas sociais que cansa e vira mais um politico que se preocupa mais com as calças sociais que veste. Parabens governador os baianos mereceram, mais empafia por favor.

 

A direita raivosa se apossou da Bahia? Ou é a nova direita que costuma se travestir de esquerda?

 

Todos aqui, salvo as raras exceções de direita, os quais são chamados pejorativamente de trolls, são contra a PM, o Estado de Direito e as leis burguesas, que só existem para prejudicar petro, pobre, puta e bicha.

Pois bem, a Bahia está vivenciando o estado anárquico pedido pelos valorosos progressistas que aqui habitam: o governador fazendo seu turismo ideológico em Cuba, o prefeito, seu turismo amoroso no Rio e a PM quebrando a odiosa ordem hierárquica, que é ao fim e ao cabo o que mantém de pé uma sociedade.

Bem vindos ao outro mundo possível!

 

Dida,

Você exagera e mente. Existem nos acontecimentos material de sobra para que você possa expor seus pontos de vista, contudo sem mentir.

 

 

Caro,

onde está o exagero e mentira? Aponte-me onde eles estão e, caso vc tenha argumentos sólidos para contrapor, dialeticamente poderei rever meu posicionamento...

 

Dida,

Perdoe-me, você não mente. Mil vezes perdão!! A rigor seu caso ultrapassa a mintomania e neste episódio, especificamente, você não mente. Você (desculpe-me mais uma vez, gostaria de tratá-lo como senhor ou senhora, mas seu apelido ambíguo não me dá essa liberdade). Retomando, - como diria o cap Nascimento-, Tudo aquilo que dizes é a mais pura verdade. A verdade que decorre de um universo exclusivamente seu. Neste sentido não tenho razão em apontar mentiras ou que tais em seu discurso tão genuíno e exclusivo. Suas verdades decorrem de universo, - insisto , particularíssimo e paralelo, claro. intrometer-se na exposição de suas idéias e tentar enxergar nelas argumentos passíveis de contra-arguição é exercício que exige de seu interlocutor razoáveis conhecimentos de neurociência associada à psicanálise, e esses, desculpe-me: não os tenho.

Perdoe-me.

 

 
Re: A greve da Polícia Militar na Bahia
 

O Petismo é uma grande palhaçada, se esta greve enfeitada com este monte de presunto baiano espalhado pelas ruas acontecesse em São Paulo, a Petistada estaria tendo orgasmos múltiplos, como é na Bahia.......

 

Era uma vez, em 2001:

 

 

27/07/2001 - 03h26

 

Salário mixo justifica greve da PM, diz Lula

LÉO GERCHMANN

da Agência Folha, em Santa Maria

 

O presidenciável petista Luiz Inácio Lula da Silva acusou ontem, em Santa Maria (RS), o governo da Bahia de ter provocado a violência, saques e arrastões durante a greve da Polícia Militar para enfraquecer o movimento. E defendeu o direito de policiais fazerem paralisações.

 

"Acho que, no caso da Bahia, o próprio governo articulou os chamados arrastões para criar pânico na sociedade. O que o governo tentou vender? A impressão que passava era a de que, se não houvesse policial na rua, todo baiano era bandido. Não é verdade. Os arrastões na Bahia me lembraram os que ocorreram no Rio em 92, quando a Benedita [da Silva, petista e atual vice-governadora do Rio] foi para o segundo turno [nas eleições para a prefeitura]. Você percebeu que, na época, terminaram as eleições e, com isso, acabaram os arrastões?"

 

"A PM pode fazer greve. Minha tese é que todas as categorias de trabalhadores que são consideradas atividades essenciais só podem ser proibidas de fazer greve se tiverem também salário essencial. Se considero a atividade essencial, mas pago salário mixo, esse cidadão tem direito a fazer greve. Na Suécia, até o Exército pode fazer greve fora da época de guerra", disse.

 

As declarações foram feitas durante a Caravana da Agricultura Familiar, que Lula realiza no Sul. Durante todo o dia, Lula falou sobre a prioridade que dará, caso seja eleito presidente, para a agricultura familiar. Usou, como exemplo do quanto isso poderia ser positivo para o país, o casal de agricultores com quem tomou café da manhã, Moacir Aozani, 53, e Inês Aozani, 47.

 

Eles vivem com renda de R$ 260 vendendo seus produtos para uma feira no centro de Santa Maria, cidade administrada pelo PT. Trocaram o cultivo do fumo pelo de vegetais.

 

FMI

O petista criticou o acordo que está sendo discutido pelo governo federal com o FMI e o acusou de estar ""engessando" a administração do futuro presidente.

 

"Acho que o governo está fazendo de tudo para engessar o novo governo. Todo o discurso, o desmonte do Estado, é feito porque, na cabeça doentia da equipe econômica e na subordinação ao capital externo, querem que qualquer governo continue desenvolvendo suas políticas. Só temos interesse em ganhar as eleições para não fazermos as políticas que eles estão fazendo", afirmou Lula.

 

O governador do Rio Grande do Sul, Olívio Dutra (PT), foi à tarde ao encontro da caravana.

 

FPD

Vai responder o quê? Nada. Mas gostaria de dar meus parabéns ao Governador Jacques Wagner e que aproveite as férias no Caribe...

 

Depois do famoso "esqueçam o que eu escrevi" do FHC é o "esqueçam o que eu disse" do Lula que não para de crescer.

 

Essa greve dr 2001 foi seríssima. Os soteropolitanos  ficaram trancados em casa e nunca  vimos tanta violencia  como naquela ocasião Durou mais  de uma  semana. Não se compara  com  esses fatos  de  agora.

 

@marcia, vc está na mesma cidade? O caos de agora é tão quanto o de 2001. 

A greve só maximiza o grande valor que Wagareza dá para a segurança pública. Além de ter demorado para voltar, só desmarcou ontem no final da tarde a viagem que faria ao Rio de Janeiro para a feijoada da Portela,  se não me engano. Mas mandou o Sec. de Turismo. VALHA-ME DEUS... ISSO COM MEU DINHEIRO! 


O que vejo aqui são opiniões apaixonadas que não permitem ver a realidade. A Bahia só melhorou devido a políticas do governo federal. tire isso e vemos que não temos uma proposta do desgoverno do Estado. O partido mais ligado a greve seria o PSOL, visto a simpatia do "líder" do movimento com o partido... dizer que o PSDB tem braço nisso é calhodice... a expressividade que o PSDB tem na Bahia é a mesma que o Partido Comunista tem nos EUA...


Deixemos a paixão de lado e olhemos a realidade... a qualidade de vida na Bahia piorou. Se não fosse a política do governo federal estaria ainda pior.

VALE LEMBRAR QUE SOMOS O ESTADO MAIS MISERÁVEL DO PAÍS COM QUASE 2 MILHÕES DE MISERÁVEIS, E PROPOSTA DO ESTADO É ZERO

A EDUCAÇÃO CONTINUA PÍFIA, E VAI PIORAR COM O REDA (EU MESMO, NÃO MINTO, ME INSCREVI PARA SER PROFESSOR DE HISTÓRIA... PERGUNTE SE SOU FORMADO NA ÁREA... O EDITAL PERMITIA)

O PARQUE TECNOLÓGICO ESTÁ DESDE  A PRIMEIRA GESTÃO SENDO CONSTRUIDO, A VIA EXPRESSA TÁ MAIS LENTA QU ELE...

A ÚNICA COISA QUE ANDA RÁPIDO E TEM DEDO DE WAGNER É A FONTE NOVA

 

ACORDA PÔ WAGNER FOI A PIOR OPÇÃO DO PT PARA GOVERNO DO ESTADO.  


E EU NÃO SOU E NUNCA FUI TUCANO, CARLISTA, DIREITISTA OU COISA PARECIDA

 

Peraí, Marcia... então se a confusão se mantiver por uma semana os PMs - que fazem greve com arma na mão - passarão a ter razão???

 

Nabuco e demais,

A greve de agora não conta com a maioria do efetivo. Ano passado, antes e próximo ao carnaval houve ameaça e pequenas manifestações que foram rapidamente diluidas. Agora, comparado com o evento de 2001, guarda muitas diferenças. Como disse no começo, o atual movimento não conta com o apoio da maioria e menos ainda do oficialato, bem diferente de 2001.

As eleições municipais deste ano são sempre um atrativo para candidaturas de membros de corporações (polícia, professores, garis, rodoviários, etc). É bem possível que os manifestantes tenham razão em pleitear maiores salários, melhores condições de trabalhos, etc, contudo, o movimento, notoriamente, não conta com a maioria da corporação e tem aspecto político-eleitoreiro.

Outro aspecto que deve ser considerado é a participação, indireta, de alguns apresentadores de tv abrigados na BAND e RECORD que insistem, com suas posturas pouco cuidadosas, dissiminar o pânco na população.

A postura do governo do Estado foi correta, pois o comando da PM tem o controle da corporação. É bem verdade que muitos devem está com saudades dos atos truculentos ordenados por Antonio Carlos Magalhães em março de 1981, quando dois homens, um deles o Tte PM Valmir Alcântara dos Santos, tombaram mortos em combate com os fuzileiros navais, no largo da Calçada. Talvez, muito provavelmente, muitos que residem na Bahia e ora visita este espaço estejam com saudades daqueles tempos e atitudes.

Tirem, pois, o cavalinho da chuva isto não vai ocorrer e a baderna promovida por alguns e incentivada por outros menos, não dura mais 24 horas, sem mortes, sem truculência, mas com altivez e autoridade.

Abraço.

 

É exatamente isso o que está acontecendo. Um sujeito que está se lançando em campanha, e com muito mais minutos de exposição que o horário eleitoral lhe garantirá. E o pior, arregimentando policiais e familiares desinformados, que não se perguntaram se esta greve é mesmo oportuna, já que não estamos em fase de votação de orçamento. Caberia às lideranças mais sérias dentro da Assembleia Legislativa (há "representantes" da classe policial ali que estão se omitindo) lançar luz sobre os ignorantes. E outra: por mais que se considere o governador "intransigente", acho que dar palanque a esse sujeito não é uma boa, já que a entidade que ele preside de fato não representa a classe, por ser uma associação pequena. E o governador não governa sozinho: isso é mais uma prova de que a maioria dos deputados que temos em nosso estado são uns inúteis. Mas já tem neguinho faminto por votos jogando tomates sobre o prefeito e governador. Não é assim, o legislativo existe e custa caro! Acho que os deputados - em especial aqueles que representam a classe policial - deveriam ser igualmente execrados.

Causa estranheza que os grandes jornais e blogueiros do país tenham resolvido se posicionar apenas quando setores da PM carioca tenham indicado apoio ao movimento.

 

Sem mortes????

Já foram 20 assassinatos de ontem para hoje!!! O triplo da média mensal de Salvador registrada em Janeiro.

É isso mesmo gente. O normal na capital baiana é matarem 7 pessoas por dia!

E vcs ainda têm coragem de ficar puxando o saco deste governador incompetente.

Haja paciência!

 

Sersikera,

Não soube contextualizar o que pretendi dizer. Referia-me que não haveria embate entre forças oficiais de modo que ocorressem mortes, daí o sem mortes que sabiamente tomas como mote. Ocorreu número extraordinário de mortes para um dia que não no fim de semana. Que fique claro: não pretendi minimizar ou desdenhar daqueles que que morreram.

Seu contraponto inclina-se para a agressão quando sua postura oposicionista vem à tona: não sou puxa-saco deste ou de qualquer governador, como de quem quer quer que seja, de resto. Sustento-me com o fruto do meu trabalho, cujo produto é vendido à iniciativa privada. Não tenho qualquer relação de trabalho ou algo parecido com o Estado ou com políticos de qualquer partido. Não sou petista e não tenho vínculo com qualquer partido.

Tenho, graças ao que leio, ao que escuto e que vejo, independência intelectual, sem ser necessário ter que repetir discurso alheio sem antes poderar e constatar sua pertinência. Não sou escravo de dogmas e menos ainda de arremedos ideológicos muito comum aos que arrotam conhecimento, normalmente adquirido em leitura de orelhas sem a menor profundidade. Sem argumento, me calo. Sem conhecimento escuto. Nunca, mas nunca eu agrido. Quando a agressão antecede a exposição de idéias, é claro (para mim) que essas são raras.

Sinceramente, não sei se sua agressividade decorre da falta de idéia ou se a causa encontra abrigo em outra razão. Por fim, só lhe peço que dispense-me o mesmo respeito a que dedido as pessoas notadamente àquelas de que discordo.

 

Edmundo.

Sem dúvida nenhuma, como morador de Salvador, hoje me coloco na oposição ao governador, apesar de ter votado nele em 2006. E a razão pura e simples é que o considero um governador medíocre e incompetente, notadamente na área da segurança pública.

Se passei do ponto, é que não dá para se conformar com a violência e insegurança que vem tomando conta do estado e que atingiu seu ápice na crise desta semana com este autêntico banho de sangue pelas ruas de Salvador. E não dá para  contemporizar e deixar de reconhecer a responsabilidade do governo, apesar banditismo fardado destes grevistas.

Entenda o tom agressivo como decorrente da minha incorformidade com esta situação absurda e o "puxasaquismo" como uma forma de criticar a defesa do governo. De qualquer forma peço desculpas se você se sentiu desrespeitado.

No mais a minha oposição e crítica ao atual governo do estado não provêm de idéias adquiridas através de análises aprofundadas das ações do governo, e muito menos de posições ideológicas ou partidárias. Vêm principalmente da percepção do dia-dia de um cidadão que costituiu família, mora, trabalha, paga seus impostos aqui na Bahia.     

 

 

 

Sersikera,

Entendi e acatei suas argumentações. Não vejo razão e nem motivo para não entedê-lo como uma pessoa educada e civilizada.

Muito obrigado.

 

Apoadissimo Edmundo.

 

Olhe, esse negócio  de alguns grevistas ficarem dando  tiros para o  alto ( é o que  está acontecendo) é gravíssimo e o governo já  avisou que vai punir   cpm medidas   drásticas.

Agora  a greve de 2001 foi pior porque o Governo  do Estado, á  época, recusou o auxílio de  tropas federais. A cidade  ficou a merce da  bandidagem.

Agora  as  forças federais já  chegaram . Entendeu a  diferença?

 

 Deixa ver se entendi : se policiais de São Paulo fazem greve, se trata de uma justa luta contra os salários de fome; se a polícia chefiada por um governo petista faz greve, é bagunça, sedição e desrespeito à Constituição.

 Em tempo : sou contra a greve da polícia e do serviço público em geral, mas não sou hipócrita.

 

Ulderico

Exatamente isso, mon ami. Assim como reintegração de posse em governo tucano é "barbarie", "falta de sensibilidade social" e "atentado contra os direitos humanos", mas em governo petista é obediencia à lei, àcima da qual ninguém esta.

 

realmente essa policia petista e complicada!!!!!

 

Encapuzados, PMs em greve atacam ônibus e espalham medo na Bahia

Policiais militares, muitos deles com armas em punho, cercam a sede do governo estadual

Força Nacional e Exército enviam 1.250 homens para o Estado a fim de tentar garantir segurança da população

GRACILIANO ROCHA
DE SALVADOR

Encapuzados e armados, PMs em greve na Bahia atacaram ontem ônibus municipais, isolaram o acesso à sede do governo estadual e espalharam medo pelas ruas de Salvador a ponto de comerciantes fecharem as suas portas com medo de assaltos.

O governador Jaques Wagner (PT) pediu reforço da Força Nacional de Segurança e do Exército. Ao todo, 1.250 homens serão enviados.

A greve foi decretada anteontem por uma associação de policiais militares que o governo não reconhece, mas ganhou a adesão de soldados, sargentos e suboficiais.

Ontem, a paralisação foi considerada ilegal pela Justiça. O juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, Ruy Almeida Brito, concedeu liminar ao Estado determinando que os policiais voltem imediatamente ao trabalho.

A multa diária para Associação de Policiais e Bombeiros da Bahia é de R$ 80 mil.

Apesar da decisão judicial, o movimento ganhou corpo e reduziu sensivelmente o policiamento nas ruas de Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista, as principais cidades do interior.

O centro nervoso do comando de greve é a Assembleia Legislativa, onde pelo menos 300 policiais encontram-se reunidos. Por volta das 18h de ontem, a Folha presenciou o fechamento do acesso ao Centro Administrativo da Bahia, conjunto de edifícios que abriga as cúpulas do Executivo, o Legislativo e o Judiciário estaduais.

AMEAÇA

Grevistas encapuzados e exibindo pistolas na cintura e nas mãos abordaram ônibus e obrigaram motoristas e passageiros a descer. Depois, os policiais atravessaram os veículos nas avenidas de acesso ao Centro Administrativo e furaram os pneus a facadas.

Alguns PMs que a Folha flagrou bloqueando vias aparentavam nervosismo com a possibilidade da chegada da tropa de choque -o que não havia ocorrido até as 22h de ontem. Pelo menos dois deles empunhavam pistolas ao abordar motoristas no local.

O motorista Josenildo Martins, 42, contou que os encapuzados atiraram nos pneus do ônibus que dirigia. Ele exibia um cartucho de munição de pistola. "Para mim, isso não é atitude de autoridade. Causaram prejuízo", disse.

O governo estadual diz que 80% dos policiais militares continuam trabalhando normalmente. O presidente da associação grevista, Marco Prisco, diz que a adesão é geral.

Prisco foi expulso da PM após ter liderado uma grande greve em 2001. "O governador Jaques Wagner está se mostrando intransigente às demandas da tropa", afirmou o líder do movimento.

Colaborou JOHANNA NUBLAT, de Brasília

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

Blaya dessa vez vc postou a realidade dos fatos.

Ressalto, todavia, que sou contra  greve quando  se trata de  serviços públicos essenciais.

 

Será que o PT manterá o apoio que deu à greve de 2001, quando, ninguém menos do que Lula, disse que era legítima a greve de policiais militares, mesmo sendo vedada pela CF?

 

Erick

Diz uma antiga lenda que ha um video por ai onde Lula chamava o Bolsa Escola (precursor do Bolsa Familia) de Bolsa Esmola ou algo assim. Haveria também, segundo as mas linguas, um outro onde, em cima de um palanque, alguém parecido com o ex-presidente bradava improperios sobre uma certa familia de oligarcas do Nordeste que futuramente ele trataria como amigos de infância. Sendo isso tudo verdade (alguém confirma ou desmente), coerência não é la muito o forte dele. Em outros tempos, palavras ditas e não escritas eram levadas pelo vento. Com o raio da Internet, como isso mudou! Houve o "esqueçam o que eu escrevi", assim como haveria o "esqueçam o que falei".

 

 


Começou bem, bem mal, a "Ala Sindical Tucana".


O Jutahy nos deve explicações.


 

 

Se isso é coisa de sindicalista tucano, temos de reconhecer, então, que aprederam direitinho a lição com os sindicalistas petistas... São duas almas gêmeas, mesmo, PT-PSDB...

 

A situação pode piorar se:

Insegurança: rodoviários ameaçam parar

Categoria alega ter sofrido ameaças por parte dos grevistas e teme repetição dos atos de vandalismo verificados ontem Sindicato das empresas é contra a medida e diz confiar no bom senso dos operadores

03 do 02 de 2012 às 13:23

Bahia 247

Em nota oficial divulgada na mídia, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sintroba) ameaça recolher os ônibus a partir das 18h desta sexta-feira, em virtude dos atos de vandalismos verificados ontem em vários pontos da cidade e tendo os condutores de ônibus como alvo. Segundo o presidente Manoel Machado, a medida visa preservar a integridade física de operadores e de usuários do transporte, que viveram momentos críticos nesta quinta-feira

 

Sempre, neste período pré carnaval, a polícia entra em greve por melhorias das condições de trabalho. Aí eu pergunto:

  • Qual a prevenção que o aparato público tomou?
  • Serviços essenciais não têm limitações aos seus direitos de greve?
  • Qual a responsabilidade que os policiais têm com a população a quem deveria proteger?
  • Porque quando há greve de policia no Brasil, as cidades se transformam em caos?