Revista GGN

Assine

As mulheres da máfia

Do Diário do Centro do Mundo

Andressa Mendonça e o destino das mulheres de mafiosos

de Kiko Nogueira

Virginia Hill, a musa da máfia americana

Andressa Mendonça, a linda mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, se colocou numa fria ao tentar chantagear o juiz federal Alderico da Rocha Santos. Ela terá de pagar uma fiança de 100 mil reais para não ser presa na quarta-feira. Está também proibida de visitar o marido.

Um amigo a define como “chave de cadeia”: Andressa era casada com o empresário Wilder de Moraes, secretário estadual de Infraestrutura e primeiro suplente do senador goiano Demóstenes Torres, quando teve um caso com Carlos Augusto Ramos. O fato é que Andressa pertence a uma longa linhagem de mulheres de mafiosos, as silent wives: fieis a seus homens, cúmplices, sexy, misteriosas e suspeitas.

Em 2007, a polícia siciliana descobriu uma lista de dez mandamentos sobre como ser um honorável mafioso. Dois deles dizem respeito a suas companheiras: 1) nunca olhe para as mulheres de amigos; 2) mulheres devem ser tratadas com respeito. Não se sabe se Cachoeira está seguindo o protocolo, mas parece que Andressa, sim.

Andressa poderia ter uma antecessora em Virginia Hill, conhecida como “Flamingo”. Natural do Alabama, bonita e articulada, ela mudou-se para Chicago nos anos 30, onde se envolveu com Al Capone e outros bacanas da Cosa Nostra. Com essas conexões, tentou uma carreira de atriz em Los Angeles – frustrada. Mas foi lá que conheceu Ben “Bugsy” Siegel, um dos mais poderosos chefões do jogo em Las Vegas. “Ela era esperta e sabia manter a boca fechada”, contou uma amiga. Entre outras tarefas, Virginia levava o dinheiro de Siegel para o exterior.

Siegel caiu em desgraça quando tentou dar um golpe em seus colegas para saldar as dívidas de seu cassino, o Flamingo (batizado em homenagem à amada). Ele acabou sendo executado no sofá em que o casal assistia projeções de filmes. Virginia estava em Paris, depois de uma briga. Quando foi interrogada pelas autoridades, não abriu o bico. “Se alguém ou alguma coisa era seu amante, era aquele hotel em Las Vegas. Eu nunca soube que Ben tivesse algo a ver com gangsteres. Não imagino quem o tenha matado e nem por quê”, declarou.

Difícil saber se Andressa terá algo a aprender com Virginia. Seus amigos precisam torcer para que ela não tenha o mesmo destino da irresistível “Flamingo”, que se matou em 1961, aos 50 anos, em seu exílio na Áustria, de uma overdose de remédios para dormir, ao lado de uma ponte.

Sem votos
13 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+13 comentários

Ora,  e alem de tudo, uma feminista racista !!

 

Nada pessoal, mas este FRANK (?) com certeza é uma feroz feminista , infiltrada  neste espaço com este pseudonimo ridiculo. O linguajar ressentido não a fez ver (como toda feminista) a ironia contida em meu comentario. Era apenas uma piada, perfeitamente entendida pelo mundo masculino, mas não por uma mulher.

E com certeza , deve ser sim uma velha, gorda e feia.

 

Tem de tudo um pouco... tem as fiéis conservadoras e tem muito amor de mãe, também:

La storia di Carmela Iuculano
Sposata con Pino Rizzo, un boss mafioso legato ai Corleonesi di Bernardo Provenzano, oggi Carmela Iuculano, 33 anni, è una pentita di mafia: per un atto d’amore verso i suoi figli, ha accusato suo marito di essere un capomafia, un assassino e un estorsore. Grazie al suo pentimento ha dato allo Stato importanti informazioni sulla mafia siciliana e soprattutto ha permesso un futuro diverso ai suoi figli.

Serafina Battaglia
Palermo, 30 gennaio 1962: Serafina Battaglia, è la prima donna di mafia che spezza il muro dell’omertà per vendicare l’assassinio del figlio Salvatore. In tribunale rivela tutto quello che sa, indica i nomi degli assassini, dei mandanti e degli esecutori. Da quel momento diventa testimone implacabile per moltissimi processi.

Donne di mafia, garanti dell’omertà
Teresa Principato, Sostituto Procuratore Direzione Nazionale Antimafia: «Le donne sono state sempre le custodi, coloro a cui è stata affidata la conservazione a la trasmissione dei valori mafiosi. Ecco perché si sono rivelate nel tempo sicuramente più conservatrici dei loro uomini…».

http://www.lastoriasiamonoi.rai.it/puntata.aspx?id=342

As mulheres nas organizações mafiosas:

As atividades criminosas protagonizadas por essas mulheres não diferem em nada da verdadeiras e própria participação na organização mafiosa. A figura da mulher caseira, silenciosa e passiva é uma recordação distante: as mulheres, ainda que não pertençam formalmente às várias organizações mafiosas, constituem uma parte fundamental delas e podem ser consideradas como suas integrantes.

http://www.stampoantimafioso.it/wp-content/uploads/Le%20donne%20nelle%20...

 

Vejam o lado bom das coisas:

O  "Coito de bandidos" passará a ser estrelado pela Andressa. 10!!

 

Monte de invejosos.

O castigo para voces, maledicentes, é dormir compartilhando a cama com as vossas gordas, feias e velhas mulheres.

 

Bem, não sei de onde você tirou que a minha mulher é velha, feia ou gorda. Se este fosse  o problema, e não o é, qualquer R$ 300,00 compra o corpo de uma bela mulher e resolve o problema, quantia pouca para nós letrados.

Agora, se o seu consolo ou o seu prazer é poder se vangloriar junto aos outros por ter uma mulher como esta, a qual certamente lhe custa ao menos R$ 20 mil/mês (agora em julho a conta foi um pouquinho mais alta: R$ 100 mil de fiança mais R$ 15 milhoes do Marcio Tomas no lixo por causa de uma burrice), é justo que você leve consigo o pacote todo, tudo o mais que ela pode te oferecer: uma inteligencia ao ponto de se auto-incriminar garantindo a estadia do seu homem por mais um bom tempo na cadeia além de providenciar, na ausencia dela, um bom companheiro de cela pare ele, um negão bem carinhoso.

É, eu realmente tenho inveja de você pois a ignorancia é uma bençao e você é um abençoado.

 

O que torna a máfia atraente é exatamente essa simbiose com os valores cristãos. Por isso, os mafiosos são respeitados por religiosos. Aliás, os religiosos apoiaram Hitler, o Regime de 64, as guerras norte-americanas. E apoiam a máfia também.

"Não cobiçar a mulher do próximo", já diz o preceito bíblico, incorporado no código de ética não escrito da máfia. A glamourização dessas mulheres fiéis, que não caguetam os negócios do maridão mafiosos, só reforça, no imaginário social, esse fascínio e terror que a máfia traz.

Ela será glamourizada e vitimizada o quanto for necessário para que se deletem todos os indícios de vínculo entre Cachoeira e a Revista Veja.

 

Annette Benning a incorporou no filme Bugsy de 1991 (Bugsy foi interpretado por Warren Beatty). No filme, Bugsy é assassinado por seus associados em decorrência, entre outras coisas, de um desvio de dinheiro feito por ela na ordem de U$ 2 milhões. Dinheiro depois devolvido. O arrependimento, ainda segundo o filme, é que a teria levado ao suicídio. 

 

 

Pela bobagem que cometeu, andressa não é nada esperta em "negócios". Não vejo outro destino dessa senhora senão revista playboy, aparecer em programas televisivos babacas e, se continuar pisando na bola , acabará com a boca cheia de formigas. A máfia tupiniquim já deu provas do que é capaz no quesito queima de arquivo. 

 

Tentativa tola do texto em GLAMOURIZAR mulheres criminosas .


Tomara mesmo que Cachoeira e sua esposa terminem como um outro casal famoso de gangsters : BONNIE  & CLYDE !

 

Photo of Virginia Hill

A foto que estaria no texto não aparece em meu PC. Seria esta?

Coitada, várias tentativas de suicídio, até que na última, funcionou, em 1966.

http://www.glamourgirlsofthesilverscreen.com/show/309/Virginia+Hill/index.html

 

Não esquente a cabeça, ela gostou dos holofotes, passando a tempestade acabará posando na play boy ou fazendo uma ponta na fazenda da record, seu destino esta traçado, vai acabar na roça.

 

Roberto M Almeida

Pois é, a Abril vai publicar o "dossiê" da moça nas páginas da Playboy.

 

Juliano Santos