Revista GGN

Assine

Condecorações de Lula geram desconforto

Por Sonia Maria Aranha

Da Época

Reação provinciana às condecorações de Lula

Paulo Moreira Leite 

Confesso que o esforço de determinados políticos, observadores e acadêmicos para reclamar das condecorações internacionais recebidas por Luiz Inácio Lula da Silva já passou o limite da boa educação, do bom gosto e até do ridículo.

Lula recebeu sua mais nova condecoração há duas semanas em Paris. Até hoje a imprensa continua publicando textos que procuram convencer o leitor, basicamente, do seguinte: os pobres intelectuais do mundo desenvolvido são tão despreparados, tão ignorantes e tão incultos, que não sabem quem é Lula, nunca ouviram falar das mazelas de seu governo e só por isso insistem em lhe dar títulos honorários.

Num artigo publicado no Estadão, hoje, um professor do interior de Minas Gerais tenta convencer o público que os intelectuais europeus estão confundindo Lula com a reencarnação do “bom selvagem,” aquele mito da obra de Jean-Jaques Rousseau.

É até preconceituoso, quando se recorda que o “bom selvagem” não tinha um conteúdo de classe social, mas era uma referencia a civilizações consideradas primitivas pelo pensamento colonial europeu.

É preciso apostar alto na ignorancia do leitor para imaginar que ele vai acreditar que os intelectuais dos países desenvolvidos vivem na Idade da Pedra, sem internet e sem uma imprensa de qualidade, que nos últimos anos tem feito reportagens extensas e profundas sobre o Brasil.

Posturas deste tipo são apenas mesquinhas e provincianas.

Mesquinhas, porque envolvem interesses menores e inconfessáveis, frequentemente eleitorais, apenas disfarçados por um palavrório de tom indignado.

Provincianas, porque a condecoração de um presidente da Republica por instituições respeitadas, como a Ecole de Sciencies Politiques, de Paris, que, com afetada intimidade, alguns comentaristas chamam de Siencies Po, deveria ser motivo de orgulho para qualquer brasileiro.

Outro ponto é que o aplauso acadêmico internacional pelas realizações do governo Lula contém um ensinamento importante para um pais desigual e hierarquizado, onde a boa educação só é acessível a uma minoria.

Estou falando de um preconceito antigo e mal disfarçado contra brasileiros e brasileiras que não puderam frequentar a escola como se deve, na idade em que seria preciso, não tem o domínio perfeito da língua, não respeitam normas cultas, cometem erros de concordancia e exibem um vocabulário muitas vezes limitado.

Com frequencia, essas pessoas  costumam ser tratados como cidadãos de segunda classe, pré-destinados a ocupações inferiores e que nada devem fazer além de ganhar a vida em atividades braçais.

Ao premiar um presidente que teve pouca educação formal, mas foi capaz de obter um reconhecimento popular como nenhum outro na história recente do país, as universidades estrangeiras informam que é recomendável enxergar além do estererótipo.

Talvez por isso as condecorações irritem tanto a tantos. O reconhecimento é uma advertencia contra aqueles que valorizam demais os diplomas que conseguiram pendurar na parede. Não faltam motivos concretos para se fazer uma crítica política a Lula e a seu governo. Todo cidadão bem informado tem sua lista de críticas e sua análise.

Mas o esforço para criticar as condecorações internacionais é  esforço inglório.

Nem os brasileiros foram convencidos por estes argumentos, como se viu na campanha presidencial e também pelas pesquisas de opinião, que sugerem que Lula está próximo do nível da santificação junto ao eleitorado. Vencidos em casa, seus adversários querem ganhar a eleição no exterior. Além de feia, é uma batalha perdida.

Sem votos
82 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+82 comentários

http://blog.brasilacademico.com/2011/09/mudando-paradigmas-na-educacao.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+BlogBrasilAcademico+%28Blog+Brasil+Acad%C3%AAmico%29

Sir Ken Robinson, especialista em criatividade, inovação e pessoas, ao falar sobre mudança de paradigma na educação, explica esse comportamento dos invejosos de Lula e justifica seus reconhecimentos por intelectuais, ou não, se os preconceitos (e partidos) forem deixados de lado. Ele fala que a “educação quer chegar ao futuro fazendo aquilo que fizeram no passado, na cultura intelectual do Iluminismo e na circunstância econômica da Revolução Industrial, onde a inteligência real consistia nessa capacidade para certos tipos de deduções lógicas e num conhecimento dos Clássicos. O que passamos a definir como habilidade acadêmica. Há apenas dois tipos de pessoas: acadêmicos e não acadêmicos. Pessoas inteligentes e pessoas desprovidas de inteligência. E a conseqüência disso é que muitas pessoas brilhantes acham que não o são. Porque elas são julgadas com base nessa visão especifica da mente. Então nós temos pilares gêmeos, econômico e intelectual. A minha visão é que esse modelo trouxe caos para a vida de muitas pessoas, mas tem sido ótimo para alguns. Há pessoas que se beneficiaram enormemente com isso... mas a maioria das pessoas não”. Essa concepção de que o único valor está numa intelectualidade ‘mental’ é hoje considerada, no mundo desenvolvido, ou não, oportunista, atrasada e burra! Não precisa ser intelectual para entender isso no mundo de HOJE, basta um pouco de informação e bom senso - além da vontade, é claro. Mas para ser e fazer o que Lula fez como líder político digno de todos esses reconhecimentos, aí precisa de gênio, e gênialidade não se aprende na escola.

 

A universidade da vida tem os melhores professores,  as melhores disciplinas. Nessa cada dia que passa vou aprendendo mais. A universidade convencional só me deu uma certeza: a certeza da dúvida.

Bom, mas estes atributos o Lula os possui. E é isso que os intelectuais estrangeiros decobriram nele, enquanto os nossos ficam batendo cabeça.

 

Eu tenho certeza de que há certo comentarista aqui no blog que não é real.

É uma personagem contratada só para dizer absurdos para por "fogo" na discussão.

E, pra mim, inominável não é só a veja...me recuso a falar outros nomes, principalmente de quem não existe.

Não existe, é fictício, olê-êeeeeee...

 

 

"(...) Mas o maior obstáculo para que sentasse o homem humilde à mesa do estamento, além da própria falta de tradição e nome, era o exercício passado de um ofício manual, infamante por si próprio, de que nenhum título ou lustre lavaria a mancha. Pior do que isso não havia, nem mesmo o passado nos bancos da criminalidade."(Raimundo Faoro analisando o Brasil pela obra de "Machado de Assis: a pirâmide e o trapézio", Editora Globo, 4ª edição, 2001, p. 28)

 

"A escravidão permanecerá por muito tempo como a característica nacional do Brasil"

(Joaquim Nabuco, salvo engano em 1898, dez anos após a Abolição)

 

 

Lula lá.

 

Só pessoas desprovidas de conhecimento do que se passa nestas instituições, que têm premiado o Lula, podem espernear tanto assim.  Os que têm inteleigência, ainda que não tenham cultura/conhecimento, devem imaginar que, se o fazem, devem estar baseadas nos seus critérios - seculares - de julgamento.  Mas bom mesmo é saber que a inveja corrói por dentro - no espetáculo patético que temos testemunhado, das mal traçadas linhas do desespero destes invejosos.  E viva Luiz Inácio Lula da Silva, o melhor presidente que este país já teve!

 

Steve Jobs não teve diploma também, mas está sendo amplamente homenageado pelo PIG.

Ele mudou algumas coisas no mundo, e Lula mudou algumas coisas no Brasil, tirando milhões da pobreza.

 

UÉ, BLAYA ...

se o texto, o tema e quem escreveu é algo tão sem importância para vc, pq perder tempo em comentar???

 

Até hoje a imprensa continua publicando textos que procuram convencer o leitor, basicamente, do seguinte: os pobres intelectuais do mundo desenvolvido são tão despreparados, tão ignorantes e tão incultos, que não sabem quem é Lula, nunca ouviram falar das mazelas de seu governo e só por isso insistem em lhe dar títulos honorários.

Eles não são nem um pouco despreparados, ignorantes e muito menos incultos, apenas não leem a in Veja, Estadão, Folha e o Pig em geral.

Este leitor do PIG deveria saber que existe vida REAL fora do PIG.

Tudo bem, um dia ele aprende.

Conhecereis a VERDADE e a VERDADE vos libertará.

 

O Marcio Pochmann nas primeiras linhas de um estudo do IPEA que li chama as elites de "CLASSES OCIOSAS"

Disse tudo.

O Lula trabalhou. Quem não trabalha não consegue compreender esse universo desconhecido que é a satisfação de proporcionar aos desfavorecidos o poder de andar com as próprias pernas. A Europa ainda lembra daquelas duas guerras pavorosas que assolaram o continente ao longo do século XX. Quem passou por aquele inferno de Dante (e recebeu a ajuda que recebeu), valoriza um batalhador que desde sempre combateu a Miséria e a Fome e "bravateou" um ESPETÁCULO DE CRESCIMENTO PARA TODOS, num país que está em paz com vizinhos ha mais de um século.

Agora se fosse o filho ou sobrinho de qualquer uma dessas malas dos jornalões que recebesse a titulação acima , aí a coisa mudava de figura. Rapidinho.

 

Merecidamente ou não , quem neste país tem condições de criticar intelectualmente qualquer outra pessoa ? QUEM ?

Não há um único intelectual brasileiro de relevância no cenário internacional. O Brasil não produziu nada de expressão nos últimos 40 anos.

Reveladora de nossa condição de indigência a entrevista de PHILIP ROTH reproduzida aqui por esses dias, em que o autor que é considerado o maior escritor vivo da atualidade, diz desconhecer qualquer escritor brasileiro , e só ter lido um único livro de Machado de Assis - a única coisa que conhece em relação ao Brasil .

 

Bom, pelo menos o Velho Mundo está vendo porque somos do terceiro mundo. Pudera, com uma elite desta que eles próprios enviaram para cá.

 

>>>> Confesso que o esforço de determinados políticos, observadores e acadêmicos para reclamar das condecorações internacionais recebidas por Luiz Inácio Lula da Silva já passou o limite da boa educação, do bom gosto e até do ridículo.

Principalmente porque são titulos honorificos sem qualquer validade acadêmica. E Lula, ao recebê-los, esta tanto em boa quanto em ma companhia.

>>>> Num artigo publicado no Estadão, hoje, um professor do interior de Minas Gerais tenta convencer o público que os intelectuais europeus estão confundindo Lula com a reencarnação do “bom selvagem,” aquele mito da obra de Jean-Jaques Rousseau.

Assim como o "professor do interior de Minas Gerais" -- hummmm, alguém tão desimportante que não merece nem ter o nome citado, né? --, também não dou muita bola pros intelectuais europeus so por serem intelectuais ou, menos ainda, europeus. Antes era feio, agora é bonito pagar pau pra eles? Por que? Por que condecoraram Lula? Que tal dar uma olhada em quem eles ja andaram condecorando? Talvez Lula ficasse é com vergonha de aceitar a honraria...

 

Até que o indivíduo não merecia ter seu nome citado, mas pelo menos a referência de sua origem deveria ser correta.

Ele não é do "interior de Minas", ele é do "subúrbio carioca".

:-)  :-)  :-)

 

A única coisa que os senhores de bom grado dão aos escravos é a esperança. (Albert Camus)

Bueno...

para fazer justiça  ao  homenageado do Sciences Politiques, lembramos que MAIS duas montadoras decidiram  criar uma fabrica no Nordeste - alem da Ford que ja estava na BA e Fiat que meses atras se decidiu por PE.

E chato pra aqueles do sul maravilha que se incluem nos preconceituosos, que nao sao todos.

E localizaçao, logistica de exportaçao, 'fome' do consumidor, mão de obra e qualidade de vida fazem muita diferença... Seis a sete dias menos de navio, profundidade de porto "hub" etc.  E o   terrorismo do IPi nao adiantou, né mesmo?

A 'auto" estima dos nordestinos sobe, com perdao do trocadilho. Muito bom para a tucanagem de SP e PR  acordar de seu delirio de 17 anos.

Por falar em mantega, ele comenta em publico que a Europa "sempre demora em buscar soluçoes para crises". Po,  tem que demorar mesmo: é uma burocracia  em bruxelas,  depois liga pra   uoxington, depois consulta berlim, paris e roma. Ai as reaçoes vareiam: a merkel "nein, nein Teufel ' - o sarkozy: oui,oui s ´il vous plait" e o berlusconi demora mais... "ma che porca gnocca questa!".

 

 

 

Certa vez estive com Lula em Santa Ines/BA. Era São Jo]ao e ele fazendo política pelo interior do país. Lula é um espetáculo, muitíssimo carismático e aconchegante. Inesquecível aquele São João.

 

 

... se os "qualificados" críticos do presidente Lula se colocarem cara a cara com ele para discutir quaisquer assuntos globais, passarão vergonha, o homem engole a todos eles juntos, na boa, e ainda tira uma casquinha carregada de humor com direito a sonora gargalhada da platéia... algum dos "qualificados" quer encarar? Sugiro que seja em Paris, fica melhor... e com direito a apresentação dos currículos ao mundo todo para avaliação... gente, qua!

O presidente Lula, como sempre acontece, acabará aplaudido de pé como respeitado do mundo acadêmico mundial ao seu alto saber... enquanto isso, os "qualificados"  da mídia dominante na segunda fala estarão gaguejantes... Alguém se atreve a encarar o homem em terreno neutro?

No afinal, uma diferença que saltará a tona: o presidente Lula é samurai, deixa  saída honrosa para os adversários... grandeza que pouvos têm.

Ao contrário do artigo, o povo brasileiro sente-se mui confortável e orgulhoso de seu ex-presidente e de sua presidenta também.

 

A inveja está corroendo a alma e o corpo dessa gente que não entende as premiações do ex e eterno presidente Lula. Para não se mostrarem assim, os críticos do ex-presidente deveriam, pelo menos, fazerem uma autocrítica antes de escreverem bopbagens que só os condenam

 

Vez enquando é bom ver alguns doutos, escravos da própria arrogância. Lê-rê, lê-rê! Lê-rê-rê-rê-rê-rê...

 

Todos nós conhecemos uma renca de personalidades "sem-faculdade" que se tornaram milionários. Entre eles podemos citar Steve Jobs, Bill Gates, José de Alencar, Amador Aguiar (Bradesco), Sebastião Camargo Correa entre outros. É só procurar na internet que tem muita gente. A característica comum a todos eles é que são empresários - fazem ou fizeram dinheiro. Além disso, a maioria é branca, fala bonito e é oriunda de grandes centros. Já Lula, só para começar, é nordestino, o que por si só já deixa muita gente com dor de cotovelo. Para agravar, não fala corretamente embora se expresse como ninguém. É do meio político e para ferrar de vez, é do PT. Como Lula muito bem disse em passado recente, ele era o único presidente que não podia errar, pois não teria como se esconder ao deixar o governo. Hoje ao vermos que, apesar de seu sucesso e de suas inegáveis vitórias, ele continua sendo vítima de preconceito, podemos ter uma idéia de como ele seria tratado caso tivesse falhado. Ouso dizer que os feitos de Lula, considerando desde a criação do PT até o final de seu segundo mandado, são tão grandes se não maiores, do que os feitos de Gates e Jobs.

 

"Ouso dizer que os feitos de Lula, considerando desde a criação do PT até o final de seu segundo mandado, são tão grandes se não maiores, do que os feitos de Gates e Jobs."

Ousadia não caro Almir! O que Gates e Jobs fizeram para o Brasil? Para a população menos favorecida? Prefiro mil vezes meio Lula a quinhentos Gates e Jobs!!!!

 

Mil

 

Esse texto saiu na Época? É um milagre. Pela primeira vez em varios anos, um veículo da grande imprensa golpista se rende ao óbvio. A verdade é que todos os brasileiros que apoiam e veneram o Presidente Lula (incluindo a mim) estão pouco se lixando para estes premios, por mais respeitados que sejam. Quem perde o sono,  é essa elite arrogante e estupida que acredita ser  uma "raça superior" e se coloca acima, e se acha mais lucida do que os seus pares no mundo desenvolvido. É patetico. É bom que se registre, pela enesima vez:  o presidente Lula nunca foi contra um boa Educação e nunca deixou de valorizar diplomas. Inumeras vezes ele se pronunciou nesse sentido, de maneira fortemente emotiva, por não possuir aquilo que ele mais valoriza, que é um diploma. Porém  o bom senso determina que nem sempre um diploma garante  liderança, sensibilidade e inteligencia. Tem muito diplomado que não vale um conto furado. Principalmente  nas universidade e no Juduciário. Aqui na minha cidade tem as pencas ...

 

Acontece que a maioria das pessoas tem uma visão distorcida da realidade. O notório saber, premiado nos títulos concedidos "honoris causa",  é inerente a pessoa. A inteligência e a sabedoria, que são objeto dos títulos recebidos, desenvolvidas serão,  no íntimo das pessoas, durante uma vida de coração aberto e de grandeza e abnegação pessoal, onde o perdão e a tolerância engrandecem o ser humano ... isso é, na verdade, cultura e notório saber. 

Os demais, na maioria membros de uma elite mesquinha e de uma mídia que vive voejando em volta dessa elite em busca de migalhas,  podem apenas ostentar títulos universitários, doutorados, cargos públicos conseguidos em cartórios e clubes fechados, etc... etc....

Como não tem a percepção do espiritual, ... da grandeza sem ostentação, ... da simplicidade enfim,...  então criticam, odeiam, agridem,...  mas estão a caminho do esquecimento e do desprezo nos novos tempos que a humanidade irá, sem dúvida, viver.

 

Entendo que nem tanto a céu nem tanto ao mar ,Lula não é uma sumidade ,assim como não é um ignorante de marca maior , e os premios que recebe no exterior devem ser respeitado , pois afinal é um Brasileiro . Agora , acompanho a carreira de Lula desde o inicio , e fui  a paletras de políticos na decáda de oitenta e ele era um dos participantes , como sindicalistas que então despontava no cenário nacional , e o discurso era o de sempre , batia nas elites brancas de olhos azuis , se dizia perseguido pela polícia ,que provalvelmente estava ali gravando sua fala , e esta aparente coragem fazia a alegria dos presentes que via ali um lider corajoso e destemido , assim foi fazendo seu nome, tentou várias vezes a presidencia , antes passou polo congresso , a onde foi pouco notado, pelos poucos progetos . Mas ele continua o mesmo de sempre , agora a nível mundial , com suas galhofas , e tiradas espirituosas , mas agora faturando alto ,mais do que a elite de olhos azuis . No seu governo , teve o previlégio de um cenário mundial favoravel e capitalisou tudo isso como obra sua , ai esta sua falha , foi desonesto . Quanto a seu governo pouco fezen termos de infrestrutura rodo ferroviária , saneamento básico , educação e saúde , continuamos com os piores índices do mundo , os números não mentem jamais. E as reformas tão esperadas e prometidas , o tivemos nestes oito anos foi um inchaço das instituições públicas com a criações de vários ministérios inoperante para premiar a base de apoio do governo , e arrumar emprego para os "cumpanhero".  A esperança é que Dilma continue com a faxina do que foi deixado por Lula , e promova um governo mais proativo com uma gestão moderna e menos politiqueira .

 

"...não é um ignorante de marca maior..."

Estou entendendo muito bem esse seu contorcionismo biliar

 

Armando, agora vc falou uma verdade, o Lula não tem nenhum progeto!

 

O início de seu comentário dá a impressão de que será equilibrado, mas logo descamba e mostra suas críticas aos poucos "proGetos" (SIC) do Lula deputado. E descamba ainda mais quando diz que o governo Lula fez pouco em relação a ferrovias (qual governo anterior fez pelo menos o mesmo, cara-pálida?), saneamento básico (PAC de Norte a Sul), educação e saúde (mais de 200 escolas técnicas federais, ENADE e SAMU).

Na próxima eleição, vote em "Sassá Mutema"!!!

 

Tem um remédio para isso, o nome é Carbolitio:

O lítio é uma das mais importantes descobertas da psicofarmacologia moderna. Além de atuar na fase aguda da mania, previne também o seu aparecimento e, possivelmente, também a fase de depressão. Com doses adequadas a melhora é mantida por tempo prolongado, as recidivas tornam-se cada vez menos frequentes e não ocorrem amnésias ou distúrbios da função cerebral.
Na maioria dos casos, o tratamento com Carbonato de Lítio leva ao desaparecimento de todas as manifestações de mania, sem que os pacientes sintam ou causem a impressão de que estão narcotizados.
A absorção completa ocorre em cerca de 8 horas, com pico de concentração sérica máxima ocorrendo duas a quatro horas após a dose oral. O lítio é principalmente excretado na urina (95%), apresentando ainda pequena eliminação pelas fezes (1%) e suor (4%). A passagem do meio intracelular para o extracelular é difícil, dando um perfil de eliminação à droga caracterizado por duas fases: uma rápida que elimina cerca de 2/3 da droga em seis horas, e uma lenta que se estende por 10 a 14 dias. Isto ocorre por ser o lítio reabsorvido pelos túbulos proximais em cerca de 80%. Seu equilíbrio dinâmico entre ingestão e excreção, obtido com doses repetidas, ocorre em torno de 6 dias.
A meia-vida da eliminação é de aproximadamente 24 horas.

INDICAÇÕES:
É indicado no tratamento de psicose maníaco-depressiva bipolar; mania recorrente; depressão recorrente ou unipolar; psicoses esquizoafetivas recidivantes; alcoolismo crônico; agressividade patológica; cefaléias.

 

 Acho muito complicado escrever sobre algo que se desconhece, pois corre-se o risco de errar, e feio, como foi seu caso. Copiar bula não é uma idéia interessante. O nome genérico do medicamento é Carbonato de lítio; Carbolitium é um de seus nomes comerciais. Sua indicação é como estabilizador do humor e quando muito, pode ser usado como adjuvante no tratamento de depressões resistentes ou muito graves.

 

Lítio combinado com Aldol é perfeito para os maníacos depressivos em crise.

 

Marcinha,

não é só isso não> Minha avó quando via uma pessoa nervosa (aprontando) inclusive nós na época crianças, tinha uma receita infalível: Óleo de Ríscino

óleo de rícino tem sido usado tanto internamente como externamente por milhares de anos na medicina popular. Uma vez que melhora o funcionamento do sistema imunológico, o óleo de mamona é considerado um ótimo remédio para tratar algumas das seguintes doenças graves:

  • Esclerose Múltipla
  • Doença de Parkinson
  • Paralisia Cerebral
  • Queda de cabelo
  • Artrite e Reumatismo

Usado frequentemente para tratar problemas mais comuns como:

  • Infecções por fungos
  • Constipação intestinal (prisão de ventre, intestino preso)
  • Problemas gastrointestinais
  • Distúrbios menstruais
  • Enxaqueca
  • Acne
  • Queimaduras de sol
  • Dermatofitose (Pé de atleta)
  • Micoses
  • Inflamações
 

Luis Américo.

 

Minha avó, a sertaneja,  dizia que era um santo remédio e todos os seus filhos  tomaram o" purgante infalível"...rs

PS - Obrigada pelo Inha..., já gosto de um carinho!!!

Um abraço.

 

Ele se refere certamente ao artigo do Gulherme fiuza"A França condecora um lula imaginário" do grotesco gulherme fiuza,colega das páginas da època. e conferencista e articulista do instituto millenium. Além de autor do "Crássico" "Meu nome não é johnny"

 Não vou caçar o link mas deve ter lá ná página da època. uma excrecência 

 O grande PML não teve sua coluna exibida na edição impressa da peNúltima edição. Ainda não vi a ùltima mas desconfio que ele éstá com seu emprego ameaçado.

 Já o fiùza, deve ganhar até aumento salarial.

 This is PIG, folks!!

 

 Procurei o artigo do Fiùza e ele não estava lá. certamente  se deu conta do ridículo. mas eu tenho a edição impressa  e vou copiar palavra por palavra e publicar aqui no primeiro momento em que ele baixar o nível. vira latas de quinta. até no botequim da esquina tem analista mais sério.

 notei também que a página da època está prestigiando o PML e "escondendo" o Fiùza. primeiro a sobrevivência, depois o golpehe,he. Provavelmente receberam enxurrada de cartas repudiando o Fiùza mas não devem ter publicado nenhuma.

 

 de qualquer forma,viva o PML!!

 

Ótimo texto, define bem a angústia, inveja, desprezo dessa "elite branca e cheirosa" em relação ao nordestino, sem diploma que deu uma guinada na vida deste Brasil. 

 

Patativa do Assaré, Cartola, Luiz Gonzaga... Bem. Nenhum deles era erudito. O provinciano vem de Sumpaulo. A meca do provincianismo.

 

 

Querido, eu gostaria de acressentar à lista  Machado de Assis e Jesus Cristo. Assim como Lula, nenhum deles teve a educação formal de sua época. Talvez isso explique o sucesso de de outras personalidades altamente graduadas: FHC, Merval e Cantanhede. Como se sabe esses três intelectuais acrescentaram mais que Jesus, Machado e Lula.

Um forte abraço

Manuel Marques  

 

Por favor alguém tem o e-mail do ARNALDO JABOR, REINALDO AZEVEDO OU DO SR. FRIAS para mandar este texto????

Obrigado

:)

 

Goabriel

Mas que cara chato esse tal de Blaya, tá loco

 

E não é que o Sr. Paulo Moreira tá me conquistando.

 

Quem seduz o faz apenas dizendo aquilo que você quer ouvir.

 

Tire-se Lula da equação, e esses mini intelectuais da elite Millenium-Daslu, só faltam terem orgasmos múltiplos ao falar dessas mesmas instituições que ora depreciam. A "bronca" é com o homenageado, sendo assim, não são apenas hipócritas, mas também uns vira-latas canalhas.

Um abraço. 

 

"[...]Devia era, logo de manhã, passar um sonho pelo rosto. É isso que impede o tempo e atrasa a ruga.[...]" - Mia Couto

acho que a autora esta provincianamente deslumbrada com os titulos dados pelos europeus para um brasileiro!

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

Acho que um comentarista deste blog, brasileiro com complexo de vira-lata, típico representante de nossa direita provinciana e medíocre, certamente não leu o texto confirma a tese da autor.

Está com claro desconforto pelo reconhecimento de um brasileiro que não faz parte de seu grupo, foi sempre alvo das galhofas deste grupo, e se tornou maior que qualquer membro deste grupo, por ser um grupo composto quase que completamente por arrogantes, provincianos e medíocres vira-latas.

 

 

Deixo para ti um texto de Ricardo Kotscho

Por que Lula e não Fernando Henrique Cardoso, seu antecessor, para receber uma homenagem da instituição?

Começa assim, acreditem, com esta pergunta indecorosa, a entrevista de Deborah Berlinck, correspondente de "O Globo" em Paris, com Richard Descoings, diretor do Instituto de Estudos Políticos de Paris, o Sciences- Po, que entregou o título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente Lula, na tarde desta terça-feira.

Resposta de Descoings:

"O antigo presidente merecia e, como universitário, era considerado um grande acadêmico (...) O presidente Lula fez uma carreira política de alto nível, que mudou muito o país e, radicalmente, mudou a imagem do Brasil no mundo. O Brasil se tornou uma potência emergente sob Lula, e ele não tem estudo superior. Isso nos pareceu totalmente em linha com a nossa política atual no Sciences- Po, a de que o mérito pessoal não deve vir somente do diploma universitário. Na França, temos uma sociedade de castas. E o que distingue a casta é o diploma. O presidente Lula demonstrou que é possível ser um bom presidente, sem passar pela universidade".

A entrevista completa de Berlinck com Descoings foi publicada no portal de "O Globo" às 22h56 do dia 22/9. Mas a história completa do vexame que a imprensa nativa sabuja deu estes dias, inconformada por Lula ter sido o primeiro latino-americano a receber este título, que só foi outorgado a 16 personalidades mundiais em 140 anos de história da instituição, foi contada por um jornalista argentino, Martin Granovsky, no jornal Página 12.

Tomei emprestada de Mino Carta a expressão imprensa sabuja porque é a que melhor qualifica o que aconteceu na cobertura do sétimo e mais importante título de Doutor Honoris Causa que Lula recebeu este ano. Sabujo, segundo as definições encontradas no Dicionário Informal, significa servil, bajulador, adulador, baba-ovo, lambe-cu, lambe-botas, capacho.

Sob o título "Escravocratas contra Lula", Granovsky relata o que aconteceu durante uma exposição feita na véspera pelo diretor Richard Descoings para explicar as razões da iniciativa do Science- Po de entregar o título ao ex-presidente brasileiro.

"Naturalmente, para escutar Descoings, foram chamados vários colegas brasileiros. O professor Descoings quis ser amável e didático (...). Um dos colegas perguntou se era o caso de se premiar a quem se orgulhava de nunca ter lido um livro. O professor manteve sua calma e deu um olhar de assombrado(...).

"Por que premiam a um presidente que tolerou a corrupção", foi a pergunta seguinte. O professor sorriu e disse: "Veja, Sciences Po não é a Igreja Católica. Não entra em análises morais, nem tira conclusões apressadas. Deixa para o julgamento da História este assunto e outros muito importantes, como a eletrificação das favelas em todo o Brasil e as políticas sociais" (...). Não desculpamos, nem julgamos. Simplesmente, não damos lições de moral a outros países.

"Outro colega brasileiro perguntou, com ironia, se o Honoris Causa de Lula era parte da ação afirmativa do Sciences Po. Descoings o observou com atenção, antes de responder. "As elites não são apenas escolares ou sociais, disse. "Os que avaliam quem são os melhores, também. Caso contrário, estaríamos diante de um caso de elitismo social. Lula é um torneiro-mecânico que chegou à presidência, mas pelo que entendi foi votado por milhões de brasileiros em eleições democráticas".

No final do artigo, o jornalista argentino Martin Granovsky escreve para vergonha dos jornalistas brasileiros:

"Em meio a esta discussão, Lula chegará à França. Convém que saiba que, antes de receber o doutorado Honoris Causa da Sciences Po, deve pedir desculpas aos elitistas de seu país. Um trabalhador metalúrgico não pode ser presidente. Se por alguma casualidade chegou ao Planalto, agora deveria exercer o recato. No Brasil, a Casa Grande das fazendas estava reservada aos proprietários de terra e escravos. Assim, Lula, silêncio por favor. Os da Casa Grande estão irritados".

Desde que Lula passou o cargo de presidente da República para Dilma Rousseff há nove meses, a nossa grande imprensa tenta jogar um contra o outro e procura detonar a imagem do seu governo, que chegou ao final dos oito anos com índices de aprovação acima de 80%.

Como até agora não conseguiram uma coisa nem outra, tentam apagar Lula do mapa. O melhor exemplo foi dado hoje pelo maior jornal do país, a "Folha de S. Paulo", que não encontrou espaço na sua edição de 74 páginas para publicar uma mísera linha sobre o importante título outorgado a Lula pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris.

Em compensação, encontrou espaço para publicar uma simpática foto de Marina Silva ao lado de Fernando Henrique Cardoso, em importante evento do instituto do mesmo nome, com este texto-legenda:

"AFAGOS - FHC e Marina em debate sobre Código Florestal no instituto do ex-presidente; o tucano creditou ao fascínio que Marina gera o fato de o auditório estar lotado".

Assim como decisões da Justiça, criterios editoriais não se discute, claro.

Enquanto isso, em Paris, segundo relato publicado no portal de "O Globo" pela correspondente Deborah Berlinck, às 16h37, ficamos sabendo que:

"O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi recebido com festa no Instituto de Estudos Políticos de Paris - o Sciences- Po _, na França, para receber mais um título de doutor honoris causa, nesta terça-feira. Tratado como uma estrela desde sua entrada na instituição, ele foi cercado por estudantes e, aos gritos, foi saudado. Antes de chegar à sala de homenagem, em um corredor, Lula ouviu, dos franceses, a música de Geraldo Vandré, "para não dizer que eu não falei das flores.

"A sala do instituto onde ocorreu a cerimônia tinha capacidade para 500 pessoas, mas muitos estudantes ficaram do lado de fora. O diretor da universidade, Richard Descoings, abriu a cerimônia explicando que a escolha do ex-presidente tinha sido feita por unanimidade".

Em seu discurso de agradecimento, Lula disse:

"Embora eu tenha sido o único governante do Brasil que não tinha diploma universitário, já sou o presidente que mais fez universidades na história do Brasil, e isso possivelmente porque eu quisesse que parte dos filhos dos brasileiros tivesse a oportunidade que eu não tive".

Para certos brasileiros, certamente deve ser duro ouvir estas coisas. É melhor nem ficar sabendo

 

 

A autora é um "autor". Paulo Moreira Leite, na Época

 

Caro blá, bla, Blaya

Não fique se torturando tanto assim não, mas preciso lhe dizer que vou salvar esse texto  pelo brilho, altivez e lucidez do seu conteúdo. Em síntese, um texto sem reparos, magistral.

 

 O texto é do Paulo Moreira Leite. E na hora que você citou "provincianismo" você vestiu a carapuça.

Desculpa a franqueza, mas eu ri muito! (de você)