Fernando Castilho
Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor. Autor de Depois que Descemos das Árvores, Um Humano Num Pálido Ponto Azul e Dilma, a Sangria Estancada.
[email protected]

Revisão da vida toda terá ato na Paulista, por Fernando Castilho

Os ministros do STF, zelosos com a saúde financeira do país, optaram por abandonar a Constituição para se tornarem secretários de Haddad

Revisão da vida toda terá ato na Paulista

por Fernando Castilho

Passado um mês após o dia 21 de março, chamado pelos aposentados que pleiteiam a Revisão da Vida Toda, de o Dia da Vergonha, muitas reflexões foram feitas, tanto pelos segurados quanto pelos escritórios especializados em direito previdenciário.

Para quem não acompanhou, o processo da Revisão da Vida Toda, aprovado por 6 a 5 pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em dezembro de 2022, que se encontra em fase de embargos de declaração (que não tem o poder de mudar a decisão), sofreu um duro golpe quando o presidente do tribunal, ministro Luís Roberto Barroso, ressuscitou duas ADIs (Ações Diretas de Inconstitucionalidade) que estavam mortas há 20 anos, para tentar acabar com a RVT.

O ministro Cristiano Zanin, acompanhando Barroso, tentou justificar o ato com a justificativa de que a RVT implicaria num rombo aos cofres públicos de 480 bilhões de reais! Esse valor foi o que o INSS apresentou para evitar pagar aos aposentados, mas sabe-se que, na verdade, o tal rombo não passaria de 3 bilhões ao longo de 10 anos! Alegaram, apressadamente, que a RVT, e, por consequência, os pobres dos aposentados, pasmem, tinham a intenção de quebrar o Brasil. Isso, num país que pagou em 2022 a bagatela de 586 bilhões em juros da dívida! Além disso, o ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, em entrevista à Folha de São Paulo, afirmou que os 480 bilhões são um chutômetro.

Ao que parece, os ministros do STF, zelosos com a saúde financeira do país, optaram por abandonar a Constituição para se tornarem secretários do ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Afinal, o que importa a sobrevivência de uma minoria de aposentados, não é mesmo?

Cabeça mais fria, a análise agora é que o foco, que até então vinha sendo técnico, com os escritórios de direito previdenciário ingressando com questões de ordem e petições, deve mudar para o viés político da decisão.

O programa de governo do presidente Lula promete acabar com a fome e reduzir drasticamente a desigualdade social ao longo de quatro anos de mandato e é isso que ele vem fazendo sem medir esforços. Portanto, se imagina que Lula e Haddad tenham sido mal-informados de boa fé e não, má.

Bastaria, tão somente, a Haddad desconfiar dos valores estratosféricos, até porque não têm lógica, e requerer à sua assessoria um levantamento com bases científicas. Mas, infelizmente, parece não haver disposição para isso.

Quem sabe, mexendo com a parte mais sensível de todo político que é a voz das ruas?

Por isso, está sendo convocada uma manifestação de aposentados para o dia Primeiro de Maio, em frente ao Masp, na Avenida Paulista às 10:00.

Quem sabe se, ganhando visibilidade, os até agora invisíveis aposentados não conseguem que a grande mídia, o STF e Lula percebam que eles existem e que não estão esmolando nada, mas sim, exigindo seus direitos, já que contribuíram por décadas com o INSS?

Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor. Autor de Depois que Descemos das Árvores, Um Humano Num Pálido Ponto Azul e Dilma, a Sangria Estancada.

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]. O artigo será publicado se atender aos critérios do Jornal GGN.

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Fernando Castilho

Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor. Autor de Depois que Descemos das Árvores, Um Humano Num Pálido Ponto Azul e Dilma, a Sangria Estancada.

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Os aposentados da Revisão da Vida Toda estão com voz aqui no GGN do Nassif, na Fórum e em sites jurídicos, onde os advogados previdenciários falam jurisdiquês. A grande mídia informa números astronômicos e inverídicos da Revisão e faz terrorismo covarde contra um segmento de aposentados, apoiando o Haddad nisso. Muito triste o que está acontecendo com a Revisão da Vida Toda; os aposentados estão certos, o jeito é ir para as ruas.

    1. O jornalista Nassif precisa buscar boas fontes para falar sobre a Revisão da Vida Toda. Suas apreciações sobre o tema 1102 do STF não tem consistência! As boas fontes: institutos IEPREV, e IBDP, alguns advogados realmente dedicados na defesa dos aposentados contra as malandragens do INSS e AGU.

  2. Tem que chegar ao lula para ser questionado ao vivo, quem defende trabalhador não pode fazer uma covardia destas. Parece que querem aumentar mais as regalias e penduricalhos de juízes e desembargadores e parece que a negociaçao ja foi feita

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador