newsletter

Pular para o conteúdo principal

Para entender 'Eclesiastes', uma análise da obra

Nassif, 

Parece que muita gente não entendeu o post de ontem ("Tudo é vaidade" - livro do Eclesiastes) e alguns se apressaram em comentar. Seria esclarecedor, talvez, quem sabe, quiçá (rs) publicar uma análise da obra. Não custa tentar, né?

x Eclesiastes 

Traduzido do original que se encontra no blogWine, Cheese and Theology  

Eu tenho escrito e pensado bastante sobre alguns temas nietzcheanos na arte e no livro de Eclesiastes.

Ambos dizem que nós deveríamos desfrutar a vida aqui e agora. Ambos apontam contradições e dilemas na vida.
Nietzche propõe uma experimentação intelectual na sua doutrina do Eterno Retorno. E se - ele especula - o conjunto da história é cíclico, e você fosse destinado a viver a sua vida repetitiva e exatamente da mesma maneira? Ele diz o seguinte: E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: "Esta vida, assim como tu vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes: e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e seqüência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!". Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasses assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderias: "Tu és um deus e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse: a pergunta diante de tudo e de cada coisa: "Quero isto ainda uma vez e inúmeras vezes?" pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! Ou, então, como terias de ficar de bem contigo e mesmo com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela? [1]  Trevor Hart explica a doutrina de Nietzche desta maneira: A idéia do eterno retorno funciona como um tipo de iluminação daquilo que realmente significaria aceitar completamente a falta de sentido e propósito no mundo. Viver sem uma metanarrativa , liberado do sonho moderno e cristão de uma realidade diferente daquela que de fato aí está, deveria significar, por outro lado, ser capaz de afirmar a totalidade da vida tal qual ela é.  Nietzche não está atrás de uma saída, um escape, para aquilo que seria uma maldição na vida. Ele busca um tipo de aceitação, ou afirmação desta vida, por amor ao destino.

O livro de Eclesiastes abre com o Professor, Qohelet, anunciando que tudo é hebel. Esta palavra pode ser traduzida como "vaidade", "vapor", ou "inútil". O erudito Michael Fox a traduz como "absurdo". Fox trabalha sobre a definição de absurdo dada pelo filósofo existencialista Albert Camus. Para Camus, o Absurdo é a desconexão entre pretensão e realidade, entre aquilo que nós esperamos ser o caso, e o que ele realmente é. Para Camus, é um fato empírico que nós esperamos certas coisas do mundo. Nós temos um desejo, ou uma aspiração por justiça, para dar um aspecto pessoal ao universo, e para que as coisas façam sentido. Mas não é isso que nós constatamos. Em vez disso, nós encontramos um mundo cheio de injustiça, e o universo é profundamente indiferente à nossa presença. Da mesma maneira, em Eclesiastes, Qohelet explora as áreas da vida em que a pretensão se desliga da realidade. Nós pensamos que o conhecimento e a sabedoria deveriam levar à felicidade, mas, em vez disso, eles geralmente terminam em tristeza (1:16-18). O prazer deveria levar à felicidade, mas ele é passageiro e, em última instância, descartável (2:1-3, 2:10-11). O trabalho deveria levar à plena satisfação, mas, em vez disso, nós descobrimos que as suas recompensas são passageiras quando comparadas ao esforço que colocamos para ganhá-las (2:4-8, 18-19, 21). Não somente o nosso trabalho é passageiro e temporário, mas nós também somos; a morte é inescapável (2:16, 3:21). A justiça deveria ser recompensada e a maldade punida (8:12-13), ainda que freqüentemente parece que as coisas funcionam da maneira contrária (3:16-21, 4:1-3, 7:15, 10:7). Talvez a desconexão última resida no fato de que "[Deus] colocou a eternidade no coração do homem, ainda que ele não possa descobrir a obra que Deus fez do início até o final" (3:11). De alguma maneira, nós ansiamos ou esperamos "eternidade" dentro desta vida. Nós não conseguimos, como Camus diz, "reduzir o mundo a um princípio racional" ou explicar todos os meandros aleatórios da vida (as suas injustiças, dúvidas, opressões e sofrimentos). O mundo é simplesmente muito grande para nós organizarmos tudo e somos finitos por natureza (3:1-8, 8:6-7, 8:16-17, 9:11-12).

Entretanto, antes de se desesperar, Qohelet conclui que Deus, no meio de tantos absurdos, em tempos finites, concede alegrias temporárias. Esses prazeres passageiros existem para serem desfrutados como dons (2:24-25, 3:12-13, 22, 5:18-20, 8:15, 9:7-9). Desta maneira, podemos abraçar a nossa humanidade com a sua temporalidade, finitude e mesmo o sofrimento. E nós fazemos isso quando desfrutamos esses dons com gratidão e esperança.No fundo, nós encontramos uma fé fundamental nos escritos de Qohelet, apesar dos absurdos da vida. Nós somos capazes de desfrutar os prazeres temporais da vida precisamente porque nós sabemos que eles vêm de Deus. Além disso, ainda que seja verdade que, da nossa perspectiva, o mundo é absurdo, Qohelet advoga uma fé no Deus que tem uma visão muito mais abrangente (5:1-7, 12:13-14). Dons que se evaporam, prazeres fugitivos e belezas que se desvanecem são vista como apropriadas para o nosso "quinhão" na vida em virtude da distinção entre Criador e criatura.

Assim é quando Qohelet focaliza a natureza cíclica da vida (1:4-11, 12:7, 3:15). Ele ao mesmo tempo abraça um elemento prospectivo e esperançoso. Mesmo que seja verdade que, do nosso ponto de vista, a injustiça reina, o prazer seja uma ilusão, e os paradoxos abundem, nós temos a idéia de que Deus está sempre disposto a algo muito maior do que nós possamos conceber. "Então contemplei toda obra de Deus, e vi que o homem não pode compreender a obra que se faz debaixo do sol; pois por mais que o homem trabalhe para a descobrir, não a achará; embora o sábio queira conhecê-la, nem por isso a poderá compreender" (8:17). "Não há nada melhor para o homem do que comer e beber, e fazer que a sua alma goze do bem do seu trabalho. Vi que também isso vem da mão de Deus" (2:24). De novo, Qohelet justapõe essas duas realidades, frisando os absurdos da vida e então nos aconselha a desfrutar o nosso quinhão na vida (não menos que seis vezes, pelas minhas contas, nos capítulos 2 a 9). Finalmente, ele finaliza o livro com a admoestação de temer a Deus e uma referência ao juízo final (12:13-14). Peter Leithart coloca as coisas da seguinte maneira:

Como acontece nos capítulos finais de Jó, Eclesiastes ensina que há mais coisas no céu e na terra do que aquilo que é sonhado na nossa filosofia ou teologia, que Deus se propõe a muito mais do que nós possamos conceber e que, limitados e finitos como somos, é tão-somente natural que o nosso entendimento do padrão a história é parcial e o nosso controle da vida é limitado... a alegria salomônica é um hedonismo que nasce da confiança de que o mundo está sempre debaixo do controle de Yahweh.... em vez de se impacientar com a nossa finitude e ansiedade por sermos deuses, Salomão aconselha que nós devemos nos regozijar no nossos limites e em toda a efêmera vida que nos foi dada.  Então, qual é a diferença fundamental entre Nietzche e Qohelet? Nesses dois pensadores nós encontramos imperativos idênticos com indicativos opostos. Para Nietzche, nós devemos desfrutar a vida (imperativo) porque ela é tudo que existe (indicativo). Para Qohelet, nós devemos desfrutar a vida (imperativo) precisamente porque aquilo que nós vemos não é tudo o que existe (indicativo). 
[1] NIETZCHE, Friedrich. A Gaia Ciência. São Paulo: Nova Cultural, Círculo do Livro, 1996. Coleção "Os Pensadores", p. 193

Sem votos
63 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+63 comentários

Xacal, calma, o bom do espaço aqui é a possibilidade de construirmos afetividades, isso vale mais do que qualquer sabedoria, do que qualquer arte, a vida é tão curta para perdermos tempo com cizânias,, as divergências sempre acontecem por aqui, o que não pode é haver agressão e isso vc tem que reconhecer que houve da sua parte, vc tem muito a compartilhar conosco, ah não sei se vc viu a resposta do Nassif a um dos seus primeiros comentários, boa noite

dom, 13/01/2013 - 19:39

luisnassif

Prezado,

manere.

 

 

Calendário SPIN

Ava,

Um traço que carrego comigo é não posar de vítima, mas também, por outro lado, nutro profundo desprezo(agressivo, é verdade) com quem o faz.

O único comentário que posso ter me excedido(não pelo conteúdo do tema, mas na forma, talvez) foi o caso da Wilma.

Nos outros, uma equilibrada e sensata impressão de todos os comentários de todos os lados, com a cronologia correta(e não descontextualizada) provará o que digo, e se Nassif é quem eu acho que ele é, saberá disto.

Este post é um exemplo: cumpri aqui a minha "ameaça" de não ofender a Vânia e desconstruiria cada comentário ou texto dela com argumentos, sem me dirigir a ela, como ela mesmo copiou e colou aqui(como se isto fosse uma ofensa horrível)...

Ora, olhano a assimetria intectual entre mim e ela(também nçao alimento falsa modéstia)minha ação de descconstruir seus textos não é um "ataque", mas uma reverência...ela entendeu errado, junto com sua entourage...

E aqui, neste post onde você delicadamente se dirige a mim, eu repito: leia a cronologia, e observe de onde sairam as ofensas...

Agora,. eu não as levo para casa...

Se o Nassif quer que eu manere, que seja específico, claro, objetivo, onde poderei, se houver ampla defesa, e contraditório, me defender ou aceitar a sua reprimenda...[

genericamente, neste ambiente conflagrado, que não é apenas de minha responsabilidade, não dá...

gosto muito daqui, mas não vou morrer se for censurado...ou banido...

 

Eh isso, JC.

Vai sumindo desse blog, Xacal.

 

Nassif, a mesma pessoa ou equipe de pessoas esta escrevendo a maior parte dos comentarios desse post.  Quer ver um forum totalmente destruido por uma unica pessoa/equipe?

Da uma olhada no physforum.com e o "Lady Elizabeth" que posta la.

Foi intencional, foi violento, desnecessario, brutal, totalmente inexplicavel ate hoje, 3 anos depois.

Ja vi isso antes, Nassif.  Nao eh a primeira vez e nao vai ser a ultima.

Policia ou nao, Xacal:  desapareca pros quintos dos infernos.

 

Tava na cara que iria dar nisso. Não entendo pra quê deixar chegar a este ponto. E, só pra terminar, tem muita gente aqui que se deixa levar pela "forma". Se o cara escreve "bem" ou muito blá pseudo cultural, é respeitado...  engana a maioria. Enfim... boa noite.

Vaidade das vaidades...

 

Agora eu vi. O cadastrado que for excluido, como ocorreu com Xacal, pode voltar a comentar com o mesmo nick, como não cadastrado. Se a punição foi dada em cima do IP ele pode até mudar de computador, embora o estoque de computadores à disposição possa se esgotar em algum momento. No caso do Xacal, este continua comentando, agora como anônimo. Há aqueles que são de boa fé mas que comentam como anônimos e os motivos não sabemos. Sou a favor do anonimato desde que a coisa não se torne uma bagunça geral nem descarrilhe totalmente. Só sei que não é fácil pro Nassif administrar isso, uma pena.

 

xacal,

iria bem um colocação inédita tua no fora de pauta

poderias demonstrar tua capacidade de destroçar a partir de algo inédito

afinal, nada mais pequeno burgues e classe média que esta crítica chupim

desbunda de vez cara!!!

 

hijo mio, basta você pesquisar e verás vários textos do xacal na página principal, sobre segurança pública.

mas não é o xacal o tema, embora ele seja o eixo utilizado, você parece (ou não)quer enxergar do que realmente se trata...

 

Sim, Xacal, desbunda mesmo porque foi logo depois do Antonio fazer mencao ao "maior armario" da galaxia e antes da explicacao que voce desbundou.  Faz isso de novo pra nos.  Voce eh so ateu?

 

Ivan de Union, there is a post ( at 15:33 ) but I think is not yours. Maybe someone used your name. The reason is all of us care a lot for Vania.

 

But I do care too...is she alive? Are you alive, laurita, or these are only the sounds of a kind of zumbi-twilight--zone, were you've been caught?

 

Alguém pode me dizer quantas o XACAL-BLADE RUNNER já bebeu hoje? Ivan de Union , do you think he is able to run? KKKKKKK   Answer me please!

 

Laurita, Why the fuck didn'n you ask me? Do you really fuck think that talking in English you can takes me off...

poor child...

by the way, the only drug that  I "use" is this kind of shit that you write(with your pals). maybe I'm adict on this fucking shit...kicking asses...

it's fun...

 

Entendí lo que escribió Laurita y también lo que dice ese tal de Xacal!

Si después de lo que dice este energúmeno (Xacal), sin respeto hacia los demás, quienes conducen el Blog, NO HACEN NADA, pensaré que todo el GRAN CONCEPTO que le tengo a Nassif es un error... Que realmente no existe credibilidad en ningún lugar!

Otra cosa, si quien dirige el Blog NO quiere que yo participe, porqué el primer día que escribí español colocaron mi comentario en contexto para todos comentasen?

Pedo salir en cualquier momento, mas no puede dejar que un 'cualquiera' me falte el respeto y esnobe a los demás!

 

Ui que mêda...Oh, I'm afraid so...Paúra, Paúra...

Clarita, chica mia, entonces la chica puedes decir o que quieres, ma nosotros, no?

Now, you are in the club...Join V., Ivan, Laurita, xacalzão, jair, and...have a good night...

 

En ningún momento ofendí a nadie, mira bien y verás... Y piensa bien, la RESPONSABILIDAD POR PROCESOS  al Blog es de Nassif!

Así que mide tus palabras pues quien responde por ti, es Nassif! 

Maleducado, mide tus palabras!

 

Clara, clarona, clarita, claraboia,

Processo por que?

dano moral a um nick?

injúria(real), calúnia, difamação, onde está, prove?

bom, se o moderador do blog publica e não me censurou, se eu tenho certeza de que nada fiz que atingisse a esfera jurídica de niguém, a que serve seu comentário, ameaça?

clama por censura, chica mia?

entonces és esto?

faça um favor a nós dois, troll paraguaio, vá dormir...

 

Erré. 

*PUEDO!

 

Você nao deu força para o troll? Agora está vendo com quem se aliou... Se é que você nao é apenas mais um pseudônimo dele, o que tb pode ser... 

 

Curta vivência   como policial  rendeu  longo conhecimento sobre  certos métodos.

Também  guarda semelhança com os tipos mencionados 

Confirma a  tênue linha  que separam as  coisas opostas,inclusive  o indivíduo  de si mesmo.

Bom, ai o caminho  se bifurca, como nos  jardins de Borges  e um deles é inexoravelmente a psiquiatria...

 

Fiote, Borges eu não li, então, não me aventurarei sobre os seus jardins e bifurcações.

Segue a sanha classificatória: Meu deus, um policial que foge a regra que eu pensei para ele? Oh vai pelo jardim, ou pela camisa de força...

Então, mas o diagnóstico(de sua lavra)às vezes diz mais de quem o faz do que do "paciente", pois vejamos:

"Curta vivência   como policial  rendeu  longo conhecimento sobre  certos métodos."

O problema não é o conhecimento, mas a escolha em usá-los...quando e onde e como...talvez se sua filha estiver nas mãos de um sanguinário estuprador, em cárcere privado em algum lugar desocnhecido, e seu único comparsa saiba onde, e se negue a dizer, eu(ou você) me perguntará: que métodos são válidos, se o advogado dele, "convenientemente" sair da sala?

"Também  guarda semelhança com os tipos mencionados "

Com todos os tipo, aprendemos a ser "polícias" nos enlatados de TV, no caldo de violência de gente como você, que alimenta a violência como sociedade, mas se nega a apertar gatilho nas periferias contra os alvos de sempre...aí, seus tributos são destinados a gente...mas não tenha dúvida, a munição que nos serve, o combustível das viaturas (veraneios vascaínas)é o ódio abafado de vocês, rsrsrs

"Confirma a  tênue linha  que separam as  coisas opostas,inclusive  o indivíduo  de si mesmo."

Nossa, diagnóstico sutil de esquizofrenia...é conhecimento clínico, imputação reflexiva ou ambos? 

"Bom, ai o caminho  se bifurca, como nos  jardins de Borges  e um deles é inexoravelmente a psiquiatria..."

Pois é, para você dormir em paz com seus dogmas de paz e civilidade, alguém tem que se f...der, né não? Mas eu prefiro destroçar a classe média onde ela mais se ressente, além do bolso: a vaidade intelectual, rsrsr

 

Mas eu prefiro destroçar a classe média onde ela mais se ressente, além do bolso: a vaidade intelectual, rsrsr

Fio, tu mente p'rá caramba! Deve ter aprendido comigo...

num adianta posar de "é nóis" que tu tá mais para ABL!!!

onde tu aprendeu a destroçar? no doi-codi? ou com o paulinho da força? comendo o que chacal come é que não foi...

 

Não, não xacalzão, não foi na ABL(pelamordedeus, ABL não, aí você ofendeu pesado)...nem no CODI(não tenho idade, e nem gosto deste lance físico, sangue, porrada...para massacrar quem a polícia deve massacrar:pobre, preto, favelado, já basta a lei..tá tudo lá....com vocês é diferente...é preciso sofisticação...)...mas de certa foram obsevar nossa sociedade é ver um bocado deste monte de coisa não...mentira, ABL, shopping, blog, xacalzões, xacalzinhos, V., Ivans, e por aí vai.

Um auto-didata, se faz tanta questão de me definir e situar...

Pouca leitura, apenas o segundo grau, origem pobre...

 
 

Mais um rótulo, jair fonseca(cabeça oca e perna seca)?...Tá vendo, podemos brincar disto até amanhã...

Nefasto!

mas fale alguma coisa aí sobre filosofia clássica alemâ(até para me ofender/rotualr), ou segurança pública, ou mercado de mulheres, ou PT, mídia, governo, hegemonia, luta de classe...

por que será que você vive apenas colado(como um parasita?)aos comentários de V.(aquela que não pode ser nominada)?

ahhhhhh, entendi...entendi...tá rolando uma troca....intelectual(?). Bom, esta parece ser pouco provável...

Já passaram da fase "a" de abelhinha e "vovô viu a uva"?

 

Para entender xacal:

eu sou o máximo!!!!!

chuto com qualquer pé e falo de qualquer assunto

leio de nietzsche a caminho suave (nesta ordem)

 

Dependendo do traseiro a ser chutado, e da baboseira escrita, xacal dá conta...chuta com os dois pés, fala sobre qualquer coisa: de cabeça de alfinete a combustível de foguete...

Só não faz uma coisa: só adjetiva!

Isto qualquer xacalzão vulgar faz, e superlativo...

Difícil é desmontar com duas mãos no teclado as "baboseiras" que o xacalzinho fala...como eu gostaria de aprender com gente que só fala sobre sua especialidade:

(Nietsche?) ou  Eclesiastes(plágiocombinação) ,

Mas eles são autoritários e auto-suficentes demais para ensinar ou debater, só classificam e dizem: não, aqui, não, só entram os "iniciados", para você, só os adjetivos...

xacal seu bobo, feio, chato, anda à pé e não tem relógio, rsrsr, roubou meu pirulito e passou a mão na minha b...da

 

now, we pray, opn our knees:

aleluia, V.(the one that we don't say the name)

aleluia V, 

save us from our stupidness

 

Para entender xacal:

eu sou o máximo!!!!!

chuto com qualquer pé e falo de qualquer assunto

leio de nietzsche a caminho suave (nesta ordem)

 

A carapuça horrenda lhe serviu? Que bom. Agora, chega de sabotagem, e de pegar no pé dos outros, né, véi? Morreu o papo. Pusta cara chato!

 

Carapuça????? Então este não foi um adjetivo direto? Uauuuuu, quanta sutileza, uauuu, você me pegou....seu espertalhão...

quem diria, hein, jair?

V.(the one that we don't say the name) must be proud of you

 

Eis o que Ivan(o grande?) de Union diz sobre V.(aquela que não pode ser nominada):

"Preocupa nao, Clara, a Vania morde ate eu!  (mas era gozacao)

Mas voces duas sao um doce.  So que ela sabe que eu sei que ela sabe que eu sei, e pra voce eu nunca disse antes!

E se voce tivesse a menor ideia do quanto eu aprecio seu espanhol no blog voce nem acreditaria!  Voce ta abrindo um caminho que nunca existiria com MEU espanhol, por exemplo."

Nas palavras de Ivan(o grande?) nos poderíamos chamar metaforicamente a V. de cachorra(por gozação?), mas ele se incomodaria se fosse eu, e não ele?

E se eu me disfarçar de ele? Vai poder então.

Então não é a verdade ou o "conhecimento", as tradições ou os cadastros que importam, mas o que imaginamos saber sobre quem nos julga, e não o julgamento em si...

A intolerância soft de V.(aquela que não pode ser nominada)está provada.

Ivan(o grande)acha, metaforicamente que V.(aquela que não pode...)morde(bites).

Se desculpa por ela.

Diz que para V.(aquela que não...) não morder ou lhe tolerar é preciso que ela saiba que sabe que ele sabe que ela sabe(oblesqbom, ablué, ablué, ablué)....

Então tá, o psicopata sou eu...sou eu...soy jo


 

Lamento tanto disfraz, POBRE NASSIF! Yo todavía, a Nassif, lo admiro!

El resto es sólo RESTO, y es muy bueno saber con los bueyes que se ara, y queda el mensaje para que todos los otros participantes, para que SE CUIDEN, porque 'detrás de la cortina', está la "chusma' para ver cómo te pueden criticar y destruir como ellos los MÁS SABIOS DEL MUNDO!

Es increíble leer tanta hipocrecía y odio!

A ti te dejo con todo ese veneno, si continúas así, te volverás loco, hombre!

Aprende a vivir la vida!

 

Vania eh uma gata.  Precisa de oculos pra achar seu antipsicotico tambem?

 

ahhhh, that's the way it is...

Ivan( o grande) desires to put tha car in the garage...now we now....

V.(the one we say no name) is a cute little baby...

roll on baby, roll on...

Ivan, why the fuck didn't you say from the start?

Good luck, asshole...

 

E agora todo o planeta sabe porque eu sempre detestei a putada da policia de Minas.

And now all the planet knows why I always detested the fucking whores from the Minas police.

Ja lembraram de me pagar pelo seu assassino em serie?

Did you remember to pay me for your serial killer already?

 

Hã, what the fuck?

I don't have any idea what hell you're talking about?

Are you nuts?

So, that's why you were pissed off about police men? only because they don't agree with you, or they don't play the game you wanted they to do?

hey, freakboy, take it easy...

and tell me 'bout V., did you rock and roll?

Count on me, I can help fighting her... so you can be her fucking hero...

Always yours, 

X.

 Em tempo, este Ivan é fake, não fala inglês po...ra nenhuma: a tentativa de tradução literal de "putada" para "whores" é de doer.

o certo seria son of the bithces, scunbags, ou qualquer outro xingamento(slang-gíria ou palavrão, dependendo do contexto), mas não há tradução de "putada" para nenhuma forma literal no inglês, e quem fala a língua sabe disto.

Quem "pensa" na língua que fala não comete este erro...este erro seria normal para mim, que não falo, nem escrevo desde 1997, quando dei aula aqui no CNA...não para ele...

Caiu a máscara deste "fake", mais um....

Olha só a cara de pau(se fosse ele seria: "woodface"?)....quaquaqua...usando inglês macarrônico mistuurado com uma suposta dificuldadae de falar português para posar de "up to date"...

colonizado cretino....

e ainda querendo me tirar...ê classe mé(r)dia:

Como eu sempre digo: You have the right to be in silence, anything(or everything?  never learned) you tell shall and will be used agaisnt you...

ou misturando as bolas: quem fala demais dá bom dia a cavalo...

 

 

 

"only because they don't agree with you, or they don't play the game you wanted they to do?":

I, Ivan Moraes, am the only game in town.  There will be no other.

Do remind the 5 or 6 insiders from the Minas police that they will NEVER get anything else from me.  On the contrary, I can send them a message in a few days.  It's no effort.

 

Minha única observação: Nietzsche, Friedrich Nietzsche, com S depois do Z. 

 

Céus! Haja falta do que fazer para fazer um comentário apenas para corrigir ortografia dos outros... 

 

pena!

gosto de quem discute seriamente trechos bíblicos, mesmo que não seja cristão, mesmo que seja só para compreender um pouco do que somos espiritualmente (uma carga enorme de cultura cristão ao longo de séculos, e que impregna até mesmo a ciência, de contrabando, mas inpregna)

o post foi implodido

prefiro ler o Ecleisastes a partir do post inicial

 

"Seja realista: exija o impossível"

Alguém que diz:

"(...)mesmo que seja só para compreender um pouco do que somos espiritualmente(...)"

Espiritualmente, conhecimento, carga?

Sei, "espiritualmente" a cristandade, materializada em sua estrutura mais poderosa, a Igreja, destroçou toda e qualquer forma de conhecimento que não se submetesse a sua mediação, aí incluída a ciência, sua maior vítima, quer seja no assassinato, quer seja no contrabando (já confessado).

Eu acho que esta "busca espiritual" está deslocada, embora não me seja dada a moderação:

Ou você busca isto no seu recato privado de oração, ou no silêncio opus deístico ou na pornochanchada carismática qualquer...

De que nos interessa sabermos o que você são espiritualmente, se a noção que tem de si mesmos(com a qual empulham o mundo, ou tentam)é totalmente distorcida da realidade? Isto que vocês chamam de espiritual? Uma conduta totalmente contrária ao que dizem que acreditam? E ainda assim, pretendem-se bastiões morais de pessoas e, ou Estados inteiros?

uauuuuuuuuu................

"seriamente" textos bíblicos? só pode ser piada....



 

Melhor dar um tempo para não atrapalhar os debates.....uauuuuuuuuuu....

Todos so debates estão interditados pelo problema que a aflige, quanta modéstia, e não pela sua incapacidade de debatê-lo, ainda que seja contra quem deteste, diz detestar ou não respeite, etc...

Isto aqui é o quê, um jardim de infância(e olha que crianças podem ser inocentemente cruéis, como cantou Cauza)?

Eclesiastes...mais uma fraude, estelionato intelectual da Igreja ao compilar(e "samplear" ou plagicombinar como diz Tom Zé)o conhecimento ancestral, laico e leigo para fins de dominção ideológica ou espiritual(?)...

E trazer esta baboseira óbvia é o debate "interditado"? Super urgente??????

uau.........................

 

Lo dices por mí, Xacal?

Mira, estoy de acuerdo contigo, como dije antes, en relación al comportamiento de Vânia en relación a los otros el día de ayer...

Por lo demás, no sé cuáles son tus 'broncas' con las personas que escriben en el blog, mas no es mi costumbre meterme a ser la dueña de la verdad!

En relación a 'decir verdades' en religión y política, para mí no hay verdades únicas, cada uno que piense lo que quiere y por eso DIALOGAMOS...

Ése es el sentido del Blog, o no? 

Jardín de infantes? No, no lo es, pero tampoco se puede convertir en una batalla campal!

 Abrazos!

 

Clara, 

No hablo su língua...

Não falei para você(poderia falar de uma porta ou de uma caneca, porque "você" na internet não é nada, entende? usei teu exemplo para dizer a incoerência de Ivan e de V.(la chica que no hablamos el nombre) e seus sistemas(falsos) de saturação e tolerância, que se orientam por oportunismo, e menos por valores que ela diz acreditar.

Na verdade, eu passei a ser chato quando ataquei aquilo que haviam convencionado não ser atacado, e este jogo muda todo tempo aqui(rsrs)...

Enquanto chinelava os que eles detestam, tava tudo bem...mas quem sabe eu sirva para que eles, enfim, se reúnam, de "braços e abraços em um romance astral"? rsrsr

Sua querela com ela não e diz respeito, e tampouco sua opinião sobre os "jardins" ou "batalhas campais".

Porque, fiel ao que você disse, podemos ter batalhas e jardins de infância, dependendo do caso...

Ou aqui, você defende verdades absolutas...?

 

 

Faça o que queres...

Clarita, clarona, claraboia, clarinete...

pelo número de respostas (e até um xacalzão faka - achei engraçado), não parece que tua teoria do isaolamento tá muito certa...olha que você, por supuesto, não consegue parar de me responder...viciou no xacal??? rsrsrs

e no teu país(ou mundo da lua) energúmeno é ofensa que motiva processo? pois é...

 

Caramba!

Otra vez con este asunto, creí que se había terminado en otro tópico, mas ya que se trata de 'colocarle la culpa al otro', yo también tengo links que publicar, y no es uno, son dos:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/e-o-que-aumenta-o-conhecimento-aumenta-a-tristeza?page=2

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/e-o-que-aumenta-o-conhecimento-aumenta-a-tristeza?page=3

Apoyo lo que dice Xacal, porque ayer, día sábado, Vânia se utilizó de pseudo-sabiduría para ofenderme a mi y a otro Sr. hasta el cansancio, mejor dicho me quiso 'esnobar', y hasta me denominó como 'personaje falso".

Mi nombre este mismo, como participé ya antes en varias comunidades en internet, tengos grandes amigos, uno de ellos es Will, y por eso me dice "Clarita", también soy profesora y soy una persona mayor, ella (Vânia) también estaba muy incomodada porque escribo español, y realmente si escribo español, no lo hago para ofender a nadie, es un proyecto junto a algunos de mis alumnos, donde les demostramos a otros (que se puede), porque tenemos que comenzar a ENTEDERNOS, al final, son un montón de paises de habla hispana que son parte del Mercosur. Muchos brasileros viven allá y ellos también viven aquí. 

Mas, el motivo del recado aquí, no es hacerme la víctima, ni tampoco espero que se la 'cricifique'  Vânia, lo que pretendo es sólo DIALOGAR en PAZ!

Y realmente, Vânia, incomoda sobre manera a quien ha estudiado igual que tú, que otra persona que por determinadas palabras difíciles o textos, se "hace el sabido' para esnobar a los demás!

Abrazos! 

 

O soro da verdade.

Na minha curta experiência como policial civil, responsável desde o começo, tanto pela coordenação de operações de inteligência(escuta autorizadas), como rondas ostensivas, cumprmentos de mandados de busca e prisão(até em outros estados longínquos como AL e BA) e principalmente, o processamento de inquéritos policiais, aprendi, não sem muito esforço a identificar os chamados soros da verdade.

Claro que nem sempre funcionam, e em alguns casos, como os estelionatários, há a chance de dizerem meias verdades, o partes dela, para corroborar uma falsidade.

São gênios alguns 171 que conheci.

Me ensinaram muito, e muito mais sobre os soros da verdade deles: a vaidade.

Soro da verdade é o que alguns chama de sentimento, mas que a neurociência chama de ligações neuroquímicas que desatam emoções e comportamentos que seus portadores controlam mais ou menos, de acordo com o nível de satisfação(prazer) que estes comportamentos causem. Uma relação de causa e efeito.

Euforia por enganar alguém, estuprar, roubar, velocidade, etc.

Nas investigações nos interessa tirar estes sentimentos do controle do portador, do interrogado, pois é onde ele mais está vulnerável, e não na culpa ou auto-censura, como acreditam a maioria(daí por que a tortura funciona, mas às vezes te leva a confissões falsas por absoluta impossibilidade de controlar a dor - ATENÇÃO: NÃO COMPACTUO COM QUALQUER FORMA DE COAÇÃO FÍSICA OU MORAL, MAS ISTO NÃO AS EXTINGUE COMMO PRÁTICA CORRIQUEIRA OU "EFICAZ").

É o prazer.

A jogada é dar(ou simular) ao investigado a condição de reproduzir no interrogatório a sensação pelo que fez, jactando-se de seu sucesso!!!!

Pessoas como as eternas vítimas se comprazem de sua auto-piedade, que é uma auto-estima de sinal trocado, pois dizem-se eternamente fracas e incapazes de reação(e imploram atenção e socorro), mas continuam a:

se expor o que lhes agride;

usam sua condição para atacar a injustiça e não atacam a injustiça em si.

Isto porque, como paranoicos(e alguns são), se acham o centro de todo universo conhecido!!!

Ora, qual e melhor forma de uma pessoa como esta aí se llivrar de um "psicopata" como eu?

Estudar, pesquisar, pensar e me desmoralizar intectualmente, ou desistir e ignorar...mas por que não fazem?

O soro daa verdade explica.

 

Tudo é ilusão, como a deusa Maya, dos hindus.

Quem tiver paciência para pesquisar verá que no fundo é a mesma coisa que fala o Eclesiastes.

 

Nassif, o post ja se desvirtuou todo...  Ate pesquisei e colecionei ideias mas assim nao da pra escrever.

 

Colecionou? Não sobrou nenhuma sua que mereça destaque?