newsletter

Assinar

WikiLeaks: a política externa de Serra

Wikileaks: Serra alinharia política externa com EUA

Por Bruno de Pierro
Da Agência Dinheiro Vivo 

Em um encontro com o subsecretário para assuntos do hemisfério ocidental do governo americano, Arturo Valenzuela, em 18 de dezembro de 2009, José Serra disse que, caso fosse eleito, desenvolveria uma política externa mais alinhada com os Estados Unidos, depois de criticar a crescente corrupção e radicalização no PT. Os principais pontos da conversa de 90 minutos foram relatados em telegrama vazado esta semana pelo Wikileaks a blogs brasileiros.

Conforme conta o Valenzuela, Serra disse que o Brasil estava atingindo níveis anteriormente invisíveis de corrupção, com o PT e seus aliados da coalizão, por meio do uso crescente dos gastos públicos para construir uma máquina política para as eleições de 2010.

SerrSerra também criticou a política internacional do governo Lula, afirmando que, caso fosse eleito, direcionaria o país para um viés mais internacionalista. Citou, como falha de Lula, o caso de Honduras, culpando o governo brasileiro e o presidente hondurenho deposto Manuel Zelaya de impedirem uma resolução.

O candidato derrotado também destacou seu compromisso com o Estado da Califórnia em relação a assuntos ligados à questão climática, como exemplo de oportunidade para trabalhar em conjunto com o governo norte-americano. "Entretanto, Serra criticou as tarifas dos Estados Unidos sobre o etanol brasileiro importado", destacou Valenzuela.

Serra também avisou que as referências do governo americano a uma "relação especial" com Lula não agradam a todos os setores do Brasil, e que poderiam ser manipulados pelo PT. 

Média: 3.9 (7 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+61 comentários

"Vou fazer uma política externa mais internacionalista". Eita eufemismo cara de pau.

O que ele quis dizer para o embaixador é que a "corrupção petista" vai dar lugar a uma "corrupção tucana" com um gosto especial por dollares de grandes corporações americanas

É que nem aquele agenciador de turismo sexual que chega para o gringo perguntando: "Do you like the mulatas?"

No caso em questão, ele perguntará aos americanos: "Do you like the pré-sal?"

 

Juliano Santos

O que o Serra disse ou consta que disse é um AMONTOADO DE ASNEIRAS que não tem nenhuma conexão com a realidade geopolitica atual, tambem precisa explicar aonde foi essa reunião e como foi parar no Wikeleaks, quem enviou o cabo para quem? O Secretario Valenzuela eviou para ele mesmo? Os cabos vazados pelo Wikeleaks até agoora disponiveis são de Embaixadores PARA o Departasmento de Estado. Esse é o que? Tampouco tem qualquer comentario pelo Secretario Arturo Vlenzuela, vai ver porque foi tanta besteira ouvida que ele nem tinha o que comentar.

 

Luis Nassif,

O dia que o Wikileaks passar uma novidade eu vou cair para trás.

De todo modo há sempre uma informação ou outra que se pode checar com a realidade. Segundo José Serra, a corrupção foi máxima em 2010 o ano em que o crescimento econômico foi máximo. Parece que se tem que torcer para que a corrupção aumente. Aliás, a análise sobre corrupção, é um dos motivos de escrever em blogs. Sempre tive a pretensão em desmistificar teses que eu considero sem nenhuma fundamentação e se espraiam pela cultura de um povo. Relembro algumas teses que eu desde a década de 80 venho combatendo por considerá-las totalmente sem sentido. Diziam antigamente que com a carga tributária que o Brasil possuía, o país não podia crescer. Eu refutava dizendo que tínhamos que aumentar a carga tributária. Diziam também que o grau de informalidade da economia brasileira a impedia de crescer, eu respondia dizendo que a informalidade reduz de ano para ano, mas que ela tem também efeitos benéficos na economia, pois permite que a população mais carente possa comprar por preços mais baratos produtos que se tributados ficariam bastante caros. Às vezes em vez de informalidade, fala-se em sonegação, mas a grosso modo os dois termos desconsiderados os aspectos jurídicos do termo sonegação são a mesma coisa.

Também acusam a tributação na folha de pagamento como inviabilizadora do crescimento econômico ou do aumento da geração do emprego. Os últimos anos da nossa economia constituem uma refutação a essa tese.

Há outras opiniões que não chegam a constituir em teses, mas que para mim nunca fizeram sentido. Por exemplo, acusar governos de neoliberais. Na questão das relações de trabalho, penso que há alguma razão de se acusar um governo de neoliberal, mas é um ponto específico que se deve restringir a dizer que o governo privilegia o interesse do empregador. Penso que é equivocado acusar um governo assim como um governo neoliberal porque dá a impressão de que seja possível o neoliberalismo.

Há idéias também canhestras como a que diz que o atraso do Brasil se deve ao patrimonialismo. Patrimonialismo que foi uma idéia desenvolvida por Max Weber no final do séc. XIX, mas que dada o desenvolvimento da contabilidade pública no Brasil é termo totalmente desvinculado da realidade.

Outro termo sem sentido é o termo globalização. Há o significado marxista da globalização como um espraiamento e intensificação do capitalismo. Nesse sentido, não tenho pretensão de contestar o uso do termo. Só que não é nesse sentido que se usa o termo, pois dá-se a ele um sentido temporal quando na verdade trata-se de um processo que vem com o advento do capitalismo cujos primórdios e seu ponto original nem é possível precisar. Aliás, mesmo no significado marxista, o espraiamento e intensificação do capitalismo vem acompanhado de um fortalecimento do Estado pelo aumento da carga tributária. É claro que o Estado é imprescindível ao capitalismo, mas esse fortalecimento do Estado com fulcro do aumento da carga tributária é uma espécie de retroalimentação que o destrói (O germe que o alimenta é o mesmo que o destrói).

É, portanto, com total descrença que eu vejo a acusação de que com o grau de corrupção que assola o Brasil o país não vai para frente. E tomo por ingênuos ou por pessoas de má-fé as pessoas que dizem que a corrupção no Brasil aumenta. É claro que tenho dificuldade em catalogar alguém como Ivan Moraes que sempre fala do aumento da corrupção no Poder Judiciário, pois sei que ele não é de má-fé nem ingênuo, mas talvez ele seja uma exceção que comprova a minha regra.

Bem, quando as pessoas dizem que com corrupção o país não pode crescer, eu costumo lembrar do Japão que na década de 70 quando apresentava alto índice de crescimento econômico foi assolado com acusações de corrupção culminando com o escândalo da Lockheed (Do final da década de 50 até os anos 70 culminando com a prisão em 27/07/1976 do ex-primeiro-ministro Kakuei Tanaka), mas que depois quando a corrupção acabou deixou de crescer. E agora com a eleição de Barack Obama, ocorreu-me um outro exemplo. Chicago era uma das grandes cidades dos Estados Unidos na época dos gângsteres, mas com a campanha maciça que contra eles moveram os implacáveis, Chicago praticamente desapareceu do mapa americano. Agora, a cidade voltou à crista da onda e com ela parece que também voltou a corrupção como a escolha do senador que substituiria Barack Obama parece demonstrar.

Clever Mendes de Oliveira

BH, 09/03/2011

 

Luis Nassif,

Em meu comentário acima de quarta-feira, 09/03/2011 às 22:09 aqui para este post "WikiLeaks: a política externa de Serra" de quarta-feira, 09/03/2011 às 16:05 montado a partir da noticia de Bruno de Pierro da Agência Dinheiro Vivo intitulada "Wikileaks: Serra alinharia política externa com EUA", eu fiz referências a uma série de mitos que se divulgam sobre o Brasil, ora dizendo que o Brasil os possui e isso seria causa dos nossos problemas ora dizendo que nos faltam e do mesmo modo isso seria a causa dos nossos problemas.

Em meu comentário acima, eu discuti mais a corrupção, mas mencionei entre outros fatores que se transformaram em verdadeiros mitos causadores dos nossos atrasos e imperfeições, a nossa carga tributária, o grau de informalidade da economia brasileira, o nível elevado da sonegação, o imenso tamanho do Estado, a elevada tributação da folha de pagamento, o atraso no processo de globalização (No meu comentário referi mais à falta de sentido do termo globalização) etc. Todos eles para mim falsos. É claro que não fiz uma lista exaustiva. Com tempo disponível haveria muitos outros itens para mencionar.

Recentemente li no Twitter de Alon Feuerwerker uma referência a um artigo da Reuters. A chamada era assim: “Analysis: Brazil's Rousseff seen ducking economic reforms” http://t.co/gu0jBKu (via @reuters). Pesquisando lá hoje a data é 11/03/2011 às 10:59.

Reproduzo no original os dois trechos a seguir pois eles são bem específicos e demonstrativos da cantilena que se faz contra determinados aspectos da nossa legislação:

“Brazilian President Dilma Rousseff is backing away from a reform agenda that the business community, the IMF and others say is needed to spur investment and sustained growth in Latin America's largest economy.”

E logo após:

“That has led it to water down or delay legislation that would, among other things, simplify the unwieldy tax system, reform the oil royalty structure and tighten oversight of the country's massive mining industry.”

Além do link que já constava do trecho que eu transcrevi da chamada no Twitter de Alon Feuerwerker, deixo o link original a seguir:

http://www.reuters.com/article/2011/03/04/us-brazil-politics-idUSTRE7234D620110304

Em razão da chamada no Twitter de Alon Feuerwerker encontrei um outro texto também do mesmo teor saído na revista The Economist e originário de São Paulo, sendo que no original o título dizia:

“Brazil's labour laws - Employer, beware - An archaic labour code penalises businesses and workers alike”

O endereço da reportagem é:

http://www.economist.com/node/18332906

É isso, um outro mito que é bastante difundido pelos setores que mais se identificam com os interesses dos poderosos é o que atribui nossas mazelas à nossa legislação trabalhista.

Clever Mendes de Oliveira

BH, 14/03/2011

 

Estava claro a quem cada candidato queria o seu governo aliado. E o povo decidiu que não queria ser como os americanos. Assim como, decidiu pelo que não iria fazer cortes no orçamento, quem deveria ser menos corrupto, etc, etc,

 

No final da campanha esse infeliz terminava discurso declamando trecho do nosso hino nacional (que soava caricato). A mim ele nunca enganou. Agora surge a constatação vazada pelo Wikileaks: ele pretendia o alinhamento com os EUA. Além do seu posicionamento de entrega do pré-sal. E ainda dizia pra todo mundo que era competente e o mais preparado.

 

grande novidade !

 

Devasso! Você não se envergonha, Serra, de se oferecer e nos oferecer tão desavergonhadamente aos EUA? O ponteiro do capachômetro do Serra bateu no mil. Mas, Deus é grande e o povo é sábio e nos livrou desse colonizado desavergonhado oferecido.

 

"Serra disse que o Brasil estava atingindo níveis anteriormente invisíveis de corrupção, com o PT e seus aliados da coalizão."

Na época de FHC a corrupção era invisível. Será que foi isso que ele quis dizer? Anteriormente invisível, atualmente anabolizada de forma artificial pela atuação vergonhosa dos meios de comunicação. É vero...

 

Os EUA só invadiu o iraque porque Sadam Hussein invadiu o KwAit e incendiaram os poços de petróleo e Gás

 

Um pouco mais sobre Serra, porém em outro assunto, a sua briga fraticida com Geraldo Alckimin pelo controloe do PSDB de SP. Retirado do Escrevinhador de Rodrigo Vianna.

Alckmin x Serra: vídeo mostra que guerra está feia também na área de Segurança

Peço a atenção dos leitores para mais um capítulo da guerra entre os tucanos de São Paulo (sobre a disputa entre os “cosmopolitas” e os “caipiras”, já escrevi aqui).

Primeiro, algumas informações de fundo (na sequência trarei uma novidade factual, na forma de um vídeo que circula pela internet desde terça à noite). O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antônio Ferreira Pinto, é dos poucos remanescentes da equipe de Serra que foram mantidos por Alckmin. Como se sabe, Serra e Alckmin travam uma batalha surda pelo controle do PSDB paulista. 

 


Ele é homem de Serra, mantido a contragosto por Alckmin...

Na época em que Alckmin montava seu gabinete, jornal paulista vazou a informação (plantada sabe-se lá com que interesses, mas podemos imaginar) de que a saída de Ferreira Pinto significaria a vitória da “banda podre” da polícia paulista. A reportagem saiu na “Folha” (o jornal costuma estar à disposição para as manobras de Serra), e foi assinada por Mario Cesar Carvalho. Guardem esse nome.

 

Depois disso, Alckmin ficou de mãos amarradas: se tirasse Ferreira Pinto, ganharia a pecha de beneficiar a “banda podre”. Se mantivesse Ferreira Pinto, teria cedido a pressões e manobras de um homem nomeado pelo antecessor Serra.

Alckmin optou pela segunda decisão. Mas mandou um recado a Ferreira Pinto (e a Serra), nomeando para a Secretaria de Transportes Saulo Abreu de Castro. Saulo era o homem forte da Segurança na gestão anterior de Alckmin como governador (2003/2006).  É como se Alckmin dissesse a Ferreira Pinto (e, indiretamente, a Serra): você ganhou o primeiro “round”, mas a qualquer momento o fantasma de Saulo pode avançar sobre a Segurança de novo!

Pois bem. Na última semana de fevereiro, Ferreira Pinto foi bombardeado. Lembram-se da imagem da escrivã humilhada por uma equipe da Corregedoria de Polícia? Assessores de Ferreira Pinto dizem, em off, que o vídeo pode ter partido da turma de Saulo – interessado em desgastar o atual titular da Segurança.

Ferreira Pinto foi para o contra-ataque. Como?

No último dia 1 de março, o jornal “Folha de S, Paulo”, em boa reportagem de Mario Cesar Carvalho (!), trouxe a informação de que um assessor da secretaria de Segurança recebia grana como consultor “vendendo” informaçõe sigilosas para particulares. O nome do assessor: Tulio Kahn. Quem nomeou Túlio para o cargo, no mandato anterior de Alckmin? Saulo de Castro.

Parece complicado esse emaranhado, mas é importante prestar atenção:  Saulo(=Tulio Khan)=Alckmin X Ferreira Pinto (=Serra). 

 


O jornalista, de branco, e o secretário

Ontem, começou a circular um vídeo que mostra o secretario de Segurança Ferreira Pinto (aquele, nomeado por Serra, e mantido por Alckmin) circulando por um shopping de São Paulo. A imagem é do dia 25 de fevereiro (4 dias antes da reportagem da “Folha” ser publicada). Ferreira Pinto circula, com um envelope na mão, até que chega um homem, de jaqueta branca. Quem é esse homem? O jornalista Mario Cesar Carvalho.

 

Assistam o vídeo bem aqui ao lado, na janela de imagens do Escrevinhador.

A imagem mostra que o jornalista eo secretário andam juntos até um café, sentam numa mesa e conversam.

Qual a conclusão de quem acompanha essa área de Segurança? O secretário Fereira Pinto é que teria sido a fonte da “Folha”. Ou seja: Ferreira Pinto forneceu munição contra Tulio Khan, para atingir Saulo (o rival dele, que pode ocupar a secretaria de Segurança).

Hoje, jornalistas perguntaram a Ferreira Pinto se ele de fato se encontrou com o repórter da “Folha” no shopping. O secretário admitiu o encontro, mas não revelou o que havia no envelope, nem deu mais detalhes.

Antes que se façam insinuações feias, ninguém imagina que o envelope contivesse pagamento ou dinheiro. Nada disso. Imagina-se que continha informação que o Mario Cesar deve ter utilizado na reportagem.

O jornalsta da “Folha” não falou sobre o caso. E seu fosse ele não falaria. É o princípio básico do sigilo da fonte. Mario Cesar não fez nada de errado, ao contrário. O jornalista estava atrás de uma informação. Normalmente, é quando os políticos brigam que as informações circulam.

O incrível é outra coisa: um secretário vazar para o jornal informação que, no fim e ao cabo, atinge o próprio governo em que ele trabalha!

Mais um indcativo de como as relações enre os tucanos estão envenenadas.

Por último, algumas observações adcionais…

Por que um secretário se encontraria com um jornalista num shopping, e não no gabinete na secretaria? Talvez, para evitar que assesores vissem o jornalista, e depois contassem a Tulio Khan. 

O vídeo que compromete Ferreira Pinto vazou na internet num blog do Vale do Paraíba  (base política de Alckmin); o titular do blog chama-se João Alkimin (!!!!).

É o estilo de Geraldo Alckmin. Deu o troco usando um blog do interior, para fritar Ferreira Pinto em fogo brando. Nada de escândalo. O que interessa é apagar – aos poucos e sem fazer marola – os vestígios do serrismo no governo paulista.

Eles se amam. E olhe que 2014 ainda está longe. Mas no meio do caminho há 2012.

Mais informações você encontra:

- no “Flit Paralisante“;

- ou no “Cabeça de Bacalhau“.

Leia outros textos de Plenos Poderes

 

Antonio Patriota é casado com uma americana e já deixou claríssimo que aquelas patacoadas ufanistas do sofrível ministro Celso Amorim e do incompetentíssimo Marco Aurelio Garcia são passado. O Brasil voltou a se alinhar aos EUA. A visita de Obama no final de março é prova de que nosso país inverteu o jogo e passou a pensar de forma mais inteligente no que se refere a sua política externa. Acho que passaremos a condenar os movimentos racistas e beligerantes do louco e paranóico Ahmadinejad. Também acredito que os assassinos ditadores da família Castro deverão ter um trattamento muito mais duro por parte da chancelaria brasileira.

Isto é um grande avanço de nossa política externa e não significa, em absoluto, subserviência aos EUA. Ao contrário, é um amplo sinal de perspicácia e sabedoria dos mentores de nossa atual política externa, que devem sempre se opor a regimes ditatoriais, bárbaros e corruptos. Em suma, Serra estava certo.

 

 

 

 

 

Cara, tu saiu de onde? Vai ser reacionário assim lá na FOX News... acho que é uma mistura de reacionário com ignorante, pois o Chanceler Amorim foi considerado como um personagem relevante a nível mundial. Não foi na torcida do Corinthians ala PTista não! Isso é desconhecimento de causa aliada com uma má - fé reacionária. Vai estudar e ler um pouco...

 

É o mestre Hariovaldo Almeida Prado em missão secreta. E Viva Sâo Serapião.

 

"sofrível ministro Celso Amorim e do incompetentíssimo Marco Aurelio Garcia":

Nao, nunca ouvi falar de nenhum dos dois.

Voce tem algum argumento ou link de suporte pra isso, eh porque eram de Lula, ou eh so falar pelo rabo mesmo?  Aqui nao eh casa da sogra.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Marcelo,

Enumere prá nós quantas vezes o Ahmadinejad invadiu algum país, promoveu ditaduras, apoiou golpes de estado, bombardeou populações civis, subornou militares e praticou mil e uma falhas. O louco é o outro, os EEUU.

Sobre o Antonio Patriota já escrevi aqui que ele parece um almofadinha criado pela vovó, agora, com sua afirmação, o conceito dele diminuiu mais ainda. Ele é o almofadinha, criado pela vovó que dorme com o inimigo.

 

Pois é Sr. Marcelo, será mesmo bom ficarmos mais alinhados?Olhe aí a lista deINVASÕES AMERICANAS NO MUNDOOrganizado por Alberto da Silva Jones (professor da UFSC):

Entre as várias INVASÕES das forças armadas dos Estados Unidos fizeram nos séculos XIX, XX e XXI, podemos citar:1846 - 1848 - MÉXICO - Por causa da anexação, pelos EUA, da República do Texas1890 - ARGENTINA - Tropas americanas desembarcam em Buenos Aires para defender interesses econômicos americanos.1891 - CHILE - Fuzileiros Navais esmagam forças rebeldes nacionalistas.1891 - HAITI - Tropas americanas debelam a revolta de operários negros na ilha de Navassa, reclamada pelos EUA.1893 - HAWAI - Marinha enviada para suprimir o reinado independente anexar o Hawaí aos EUA.1894 - NICARÁGUA - Tropas ocupam Bluefields, cidade do mar do Caribe, durante um mês.1894 - 1895 - CHINA - Marinha, Exército e Fuzileiros desembarcam no país durante a guerra sino-japonesa.1894 - 1896 - COREIA - Tropas permanecem em Seul durante a guerra.1895 - PANAMÁ - Tropas desembarcam no porto de Corinto, província Colombiana.1898 - 1900 - CHINA - Tropas dos Estados Unidos ocupam a China durante a Rebelião Boxer.1898 - 1910 - FILIPINAS - As Filipinas lutam pela independência do país, dominado pelos EUA (Massacres realizados por tropas americanas em Balangica, Samar, Filipinas - 27/09/1901 e Bud Bagsak, Sulu, Filipinas 11/15/1913) - 600.000 filipinos mortos.1898 - 1902 - CUBA - Tropas sitiaram Cuba durante a guerra hispano-americana.1898 - Presente - PORTO RICO - Tropas sitiaram Porto Rico na guerra hispano-americana, hoje 'Estado Livre Associado' dos Estados Unidos.1898 - ILHA DE GUAM - Marinha americana desembarca na ilha e a mantêm como base naval até hoje.1898 - ESPANHA - Guerra Hispano-Americana - Desencadeada pela misteriosa explosão do encouraçado Maine, em 15 de fevereiro, na Baía de Havana. Esta guerra marca o surgimento dos EUA como potência capitalista e militar mundial.1898 - NICARÁGUA - Fuzileiros Navais invadem o porto de San Juan del Sur.1899 - ILHA DE SAMOA - Tropas desembarcam e invadem a Ilha em consequência de conflito pela sucessão do trono de Samoa.1899 - NICARÁGUA - Tropas desembarcam no porto de Bluefields e invadem a Nicarágua (2ª vez).1901 - 1914 - PANAMÁ - Marinha apóia a revolução quando o Panamá reclamou independência da Colômbia; tropas americanas ocupam o canal em 1901, quando teve início sua construção.1903 - HONDURAS - Fuzileiros Navais americanos desembarcam em Honduras e intervêm na revolução do povo hondurenho.1903 - 1904 - REPÚBLICA DOMINICANA - Tropas norte americanas atacaram e invadiram o território dominicano para proteger interesses do capital americano durante a revolução.1904 - 1905 - COREIA - Fuzileiros Navais dos Estados Unidos desembarcaram no território coreano durante a guerra russo-japonesa.1906 - 1909 - CUBA -Tropas dos Estados Unidos invadem Cuba e lutam contra o povo cubano durante período de eleições.1907 - NICARÁGUA - Tropas americanas invadem e impõem a criação de um protetorado, sobre o território livre da Nicarágua.1907 - HONDURAS - Fuzileiros Navais americanos desembarcam e ocupam Honduras durante a guerra de Honduras com a Nicarágua.1908 - PANAMÁ - Fuzileiros Navais dos Estados Unidos invadem o Panamá durante período de eleições.1910 - NICARÁGUA - Fuzileiros navais norte americanos desembarcam e invadem pela 3ª vez Bluefields e Corinto, na Nicarágua.1911 - HONDURAS - Tropas americanas enviadas para proteger interesses americanos durante a guerra civil, invadem Honduras.1911 - 1941 - CHINA - Forças do exército e marinha dos Estados Unidos invadem mais uma vez a China durante período de lutas internas repetidas.1912 - CUBA - Tropas americanas invadem Cuba com a desculpa de proteger interesses americanos em Havana.1912 - PANAMÁ - Fuzileiros navais americanos invadem novamente o Panamá e ocupam o país durante eleições presidenciais.1912 - HONDURAS - Tropas norte americanas mais uma vez invadem Honduras para proteger interesses do capital americano.1912 - 1933 - NICARÁGUA - Tropas dos Estados Unidos com a desculpa de combaterem guerrilheiros invadem e ocupam o país durante 20 anos.1913 - MÉXICO - Fuzileiros da Marinha americana invadem o México com a desculpa de evacuar cidadãos americanos durante a revolução.1913 - MÉXICO - Durante a Revolução mexicana, os Estados Unidos bloqueiam as fronteiras mexicanas em apoio aos revolucionários.1914 - 1918 - PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL - Os EUA entram no conflito em 6 de abril de 1917 declarando guerra à Alemanha. As perdas americanas chegaram a 114 mil homens.1914 - REPÚBLICA DOMINICANA - Fuzileiros navais da Marinha dos Estados invadem o solo dominicano e interferem na revolução do povo dominicano em Santo Domingo.1914 - 1918 - MÉXICO - Marinha e exército dos Estados Unidos invadem o território mexicano e interferem na luta contra nacionalistas.1915 - 1934 - HAITI - Tropas americanas desembarcam no Haiti, em 28 de julho, e transformam o país numa colônia americana, permanecendo lá durante 19 anos.1916 - 1924 - REPÚBLICA DOMINICANA - Os EUA invadem e estabelecem um governo militar na República Dominicana, em 29 de novembro, ocupando o país durante oito anos.1917 - 1933 - CUBA - Tropas americanas desembarcam em Cuba, e transformam o país num protetorado econômico americano, permanecendo essa ocupação por 16 anos.1918 - 1922 - RÚSSIA - Marinha e tropas americanas enviadas para combater a revolução Bolchevista. O Exército realizou cinco desembarques, sendo derrotado pelos russos em todos eles.1919 - HONDURAS - Fuzileiros norte americanos desembarcam e invadem mais uma vez o país durante eleições, colocando no poder um governo a seu serviço.1918 - IUGOSLÁVIA - Tropas dos Estados Unidos invadem a Iugoslávia e intervêm ao lado da Itália contra os sérvios na Dalmácia.1920 - GUATEMALA - Tropas americanas invadem e ocupam o país durante greve operária do povo da Guatemala.1922 - TURQUIA - Tropas norte americanas invadem e combatem nacionalistas turcos em Smirna.1922 - 1927 - CHINA - Marinha e Exército americano mais uma vez invadem a China durante revolta nacionalista.1924 - 1925 - HONDURAS - Tropas dos Estados Unidos desembarcam e invadem Honduras duas vezes durante eleição nacional.1925 - PANAMÁ - Tropas americanas invadem o Panamá para debelar greve geral dos trabalhadores panamenhos.1927 - 1934 - CHINA - Mil fuzileiros americanos desembarcam na China durante a guerra civil local e permanecem durante sete anos, ocupando o território chinês.1932 - EL SALVADOR - Navios de Guerra dos Estados Unidos são deslocados durante a revolução das Forças do Movimento de Libertação Nacional - FMLN - comandadas por Marti.1939 - 1945 - SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - Os EUA declaram guerra ao Japão em 8 de dezembro de 1941 e depois a Alemanha e Itália, invadindo o Norte da África, a Ásia e a Europa, culminando com o lançamento das bombas atômicas sobre as cidades desmilitarizadas de Iroshima e Nagasaki.1946 - IRà- Marinha americana ameaça usar artefatos nucleares contra tropas soviéticas caso as mesmas não abandonem a fronteira norte do Irã.1946 - IUGOSLÁVIA - Presença da marinha americana ameaçando invadir a zona costeira da Iugoslávia em resposta a um avião espião dos Estados Unidos abatido pelos soviéticos.1947 - 1949 - GRÉCIA - Operação de invasão de Comandos dos EUA garantem vitória da extrema direita nas "eleições" do povo grego.1947 - VENEZUELA - Em um acordo feito com militares locais, os EUA invadem e derrubam o presidente eleito Rómulo Gallegos, como castigo por ter aumentado o preço do petróleo exportado, colocando um ditador no poder.1948 - 1949 - CHINA - Fuzileiros americanos invadem pela ultima vez o território chinês para evacuar cidadãos americanos antes da vitória comunista.1950 - PORTO RICO - Comandos militares dos Estados Unidos ajudam a esmagar a revolução pela independência de Porto Rico, em Ponce.1951 - 1953 - COREIA - Início do conflito entre a República Democrática da Coreia (Norte) e República da Coreia (Sul), na qual cerca de 3 milhões de pessoas morreram. Os Estados Unidos são um dos principais protagonistas da invasão usando como pano de fundo a recém criada Nações Unidas, ao lado dos sul-coreanos. A guerra termina em julho de 1953 sem vencedores e com dois estados polarizados: comunistas ao norte e um governo pró-americano no sul. Os EUA perderam 33 mil homens e mantém até hoje base militar e aero-naval na Coreia do Sul.1954 - GUATEMALA - Comandos americanos, sob controle da CIA, derrubam o presidente Arbenz, democraticamente eleito, e impõem uma ditadura militar no país. Jacobo Arbenz havia nacionalizado a empresa United Fruit e impulsionado a Reforma Agrária.1956 - EGITO - O presidente Nasser nacionaliza o canal de Suez. Tropas americanas se envolvem durante os combates no Canal de Suez sustentados pela Sexta Frota dos EUA. As forças egípcias obrigam a coalizão franco-israelense-britânica, a retirar-se do canal.1958 - LÍBANO - Forças da Marinha americana invadem apóiam o exército de ocupação do Líbano durante sua guerra civil.1958 - PANAMÁ - Tropas dos Estados Unidos invadem e combatem manifestantes nacionalistas panamenhos.1961 - 1975 - VIETNà- Aliados ao sul-vietnamitas, o governo americano invade o Vietnã e tenta impedir, sem sucesso, a formação de um estado comunista, unindo o sul e o norte do país. Inicialmente a participação americana se restringe a ajuda econômica e militar (conselheiros e material bélico). Em agosto de 1964, o congresso americano autoriza o presidente a lançar os EUA em guerra. Os Estados Unidos deixam de ser simples consultores do exército do Vietnã do Sul e entram num conflito traumático, que afetaria toda a política militar dali para frente. A morte de quase 60 mil jovens americanos e a humilhação imposta pela derrota do Sul em 1975, dois anos depois da retirada dos Estados Unidos, moldou a estratégia futura de evitar guerras que impusessem um custo muito alto de vidas americanas e nas quais houvesse inimigos difíceis de derrotar de forma convencional, como os vietcongues e suas táticas de guerrilhas.1962 - LAOS - Militares americanos invadem e ocupam o Laos durante guerra civil contra guerrilhas do Pathet Lao.1964 - PANAMÁ - Militares americanos invadiram mais uma vez o Panamá e mataram 20 estudantes, ao reprimirem a manifestação em que os jovens queriam trocar, na zona do canal, a bandeira americana pela bandeira e seu país.1965 - 1966 - REPÚBLICA DOMINICANA - Trinta mil fuzileiros e pára-quedistas norte americanos desembarcaram na capital do país São Domingo para impedir a nacionalistas panamenhos de chegarem ao poder. A CIA conduz Joaquín Balaguer à presidência, consumando um golpe de estado que depôs o presidente eleito Juan Bosch. O país já fora ocupado pelos americanos de 1916 a 1924.1966 - 1967 - GUATEMALA - Boinas Verdes e marines americanos invadem o país para combater movimento revolucionário contrario aos interesses econômicos do capital americano.1969 - 1975 - CAMBOJA - Militares americanos enviados depois que a Guerra do Vietnã invadem e ocupam o Camboja.1971 - 1975 - LAOS - EUA dirigem a invasão sul-vietnamita bombardeando o território do vizinho Laos, justificando que o país apoiava o povo vietnamita em sua luta contra a invasão americana.1975 - CAMBOJA - 28 marines americanos são mortos na tentativa de resgatar a tripulação do petroleiro estadunidense Mayaquez.1980 - IRà- Na inauguração do estado islâmico formado pelo Aiatolá Khomeini, estudantes que haviam participado da Revolução Islâmica do Irã ocuparam a embaixada americana em Teerã e fizeram 60 reféns. O governo americano preparou uma operação militar surpresa para executar o resgate, frustrada por tempestades de areia e falhas em equipamentos. Em meio à frustrada operação, oito militares americanos morreram no choque entre um helicóptero e um avião. Os reféns só seriam libertados um ano depois do seqüestro, o que enfraqueceu o então presidente Jimmy Carter e elegeu Ronald Reagan, que conseguiu aprovar o maior orçamento militar em época de paz até então.*1982 - 1984 - LÍBANO - Os Estados Unidos invadiram o Líbano e se envolveram nos conflitos do Líbano logo após a invasão do país por Israel - e acabaram envolvidos na guerra civil que dividiu o país. Em 1980, os americanos supervisionaram a retirada da Organização pela Libertação da Palestina de Beirute. Na segunda intervenção, 1.800 soldados integraram uma força conjunta de vários países, que deveriam restaurar a ordem após o massacre de refugiados palestinos por libaneses aliados a Israel. O custo para os americanos foi a morte 241 fuzileiros navais, quando os libaneses explodiram um carro bomba perto de um quartel das forças americanas.1983 - 1984 - ILHA DE GRANADA - Após um bloqueio econômico de quatro anos a CIA coordena esforços que resultam no assassinato do 1º Ministro Maurice Bishop. Seguindo a política de intervenção externa de Ronald Reagan, os Estados Unidos invadiram a ilha caribenha de Granada alegando prestar proteção a 600 estudantes americanos que estavam no país, as tropas eliminaram a influência de Cuba e da União Soviética sobre a política da ilha.1983 - 1989 - HONDURAS - Tropas americanas enviadas para construir bases em regiões próximas à fronteira, invadem o Honduras1986 - BOLÍVIA - Exército americano invade o território boliviano na justificativa de auxiliar tropas bolivianas em incursões nas áreas de cocaína.1989 - ILHAS VIRGENS - Tropas americanas desembarcam e invadem as ilhas durante revolta do povo do país contra o governo pró-americano.1989 - PANAMÁ - Batizada de Operação Causa Justa, a intervenção americana no Panamá foi provavelmente a maior batida policial de todos os tempos: 27 mil soldados ocuparam a ilha para prender o presidente panamenho, Manuel Noriega, antigo ditador aliado do governo americano. Os Estados Unidos justificaram a operação como sendo fundamental para proteger o Canal do Panamá, defender 35 mil americanos que viviam no país, promover a democracia e interromper o tráfico de drogas, que teria em Noriega seu líder na América Central. O ex-presidente cumpre prisão perpétua nos Estados Unidos.1990 - LIBÉRIA - Tropas americanas invadem a Libéria justificando a evacuação de estrangeiros durante guerra civil.1990 - 1991 - IRAQUE - Após a invasão do Iraque ao Kuwait, em 2 de agosto de 1990, os Estados Unidos com o apoio de seus aliados da Otan, decidem impor um embargo econômico ao país, seguido de uma coalizão anti-Iraque (reunindo além dos países europeus membros da Otan, o Egito e outros países árabes) que ganhou o título de "Operação Tempestade no Deserto". As hostilidades começaram em 16 de janeiro de 1991, um dia depois do fim do prazo dado ao Iraque para retirar tropas do Kuwait. Para expulsar as forças iraquianas do Kuwait, o então presidente George Bush destacou mais de 500 mil soldados americanos para a Guerra do Golfo.1990 - 1991 - ARÁBIA SAUDITA - Tropas americanas destacadas para ocupar a Arábia Saudita que era base militar na guerra contra Iraque.1992 - 1994 - SOMÁLIA - Tropas americanas, num total de 25 mil soldados, invadem a Somália como parte de uma missão da ONU para distribuir mantimentos para a população esfomeada. Em dezembro, forças militares norte-americanas (comando Delta e Rangers) chegam a Somália para intervir numa guerra entre as facções do então presidente Ali Mahdi Muhammad e tropas do general rebelde Farah Aidib. Sofrem uma fragorosa derrota militar nas ruas da capital do país.1993 - IRAQUE - No início do governo Clinton, é lançado um ataque contra instalações militares iraquianas, em retaliação a um suposto atentado, não concretizado, contra o ex-presidente Bush, em visita ao Kuwait.1994 - 1999 - HAITI - Enviadas pelo presidente Bill Clinton, tropas americanas ocuparam o Haiti na justificativa de devolver o poder ao presidente eleito Jean-Betrand Aristide, derrubado por um golpe, mas o que a operação visava era evitar que o conflito interno provocasse uma onda de refugiados haitianos nos Estados Unidos.1996 - 1997 - ZAIRE (EX REPÚBLICA DO CONGO) - Fuzileiros Navais americanos são enviados para invadir a área dos campos de refugiados Hutus onde a revolução congolesa "Marines evacuam civis" iniciou.1997 - LIBÉRIA - Tropas dos Estados Unidos invadem a Libéria justificando a necessidade de evacuar estrangeiros durante guerra civil sob fogo dos rebeldes.1997 - ALBÂNIA - Tropas americanas invadem a Albânia para evacuarem estrangeiros.2000 - COLÔMBIA - Marines e "assessores especiais" dos EUA iniciam o Plano Colômbia, que inclui o bombardeamento da floresta com um fungo transgênico fusarium axyporum (o "gás verde").2001 - AFEGANISTÃO - Os EUA bombardeiam várias cidades afegãs, em resposta ao ataque terrorista ao World Trade Center em 11 de setembro de 2001. Invadem depois o Afeganistão onde estão até hoje.2003 - IRAQUE - Sob a alegação de Saddam Hussein esconder armas de destruição e financiar terroristas, os EUA iniciam intensos ataques ao Iraque. É batizada pelos EUA de "Operação Liberdade do Iraque" e por Saddam de "A Última Batalha", a guerra começa com o apoio apenas da Grã-Bretanha, sem o endosso da ONU e sob protestos de manifestantes e de governos no mundo inteiro. As forças invasoras americanas até hoje estão no território iraquiano, onde a violência aumentou mais do que nunca.Na América Latina, África e Ásia, os Estados Unidos invadiam países ou para depor governos democraticamente eleitos pelo povo, ou para dar apoio a ditaduras criadas e montadas pelos Estados Unidos, tudo em nome da "democracia" (deles).

 

Vice poderia tambem aproveitar o embalo e relator com minucias as invasões de paises  pela FRANÇA, pela RUSSIA, pela ALEMANHA, pela ESPANHA, pelo JAPÃO,  pela HOLANDA, que tal heim?

 

Flagra do AA com o Obama:

P.s.: O AA é o dependurado,heim?

Obama & AA.
 

"As vezes é preciso ARRANCAR o coração do peito para manter-se VIVO."

A História (escrita pelos americanos) justifica isso tudo com a máxima Calvinista do "Destino Manifesto" que, apoiado pelo "Big Stick", recortou a geopolítica do planeta de modo a reforçar, nos humanos, a vontade divina.

 

Eh muito facil listar simplesmente sem citar os fatos.

Por exemplo o Kuwait, a primeira invasao foi porque o Iraque invadiu e anexou o Kuwait ...

Na China foi para buscar os americanos antes da revolucao socialista ...

e por ai vai ...

Alguns a Historia vai dizer que foi acertada, outras, que foi um erro estrategico.

 

Esqueceu os inumeros golpes de estado promovido pelos EUA, atraves da CIA, promovendo ditaduras em toda a America Latina, Oriente Médio e Asia. Estes golpes interromperam o progresso  e matou milhares de oposicionistas no Chile, Brasil, Argentina, Irã, Tailândia e muitos mais.

 

A lista de crimes destes bandidos é imensa.

Vejo que não estão incluidos o financiamento, assessoria, etreinamento dos militares sulamericanos que promoveram as ditaduras da América do Sul.

O mundo jamais terá paz enquanto os EEUU forem superpotência.

 

Cara

Conhecia algumas dessas sacanagens dos EEUU, mas não a lista completa.

Isto é bom de ser divulgado e relembrado a cada trimestre para que ninguém, ninguém tenha a menor dúvida de como se fêz e se faz a democracia americana: bom para eles e péssimo para os demais.

E ainda existem pessoas que querem que o país seja novamente "tutelado" e dirigido pelos EEUU e que o Brasil tenha um alinhamento incondicional com os americanos.

Só não entendo porque que pessoas que assim pensam não se  mudam para osd EEUU e passem a lá viver.

 

Parabens Amigo, deu a resposta certa. Fez a "barba", o "cabelo" e o "bigode" do pseudo neo-liberal, demo-tucano, Marcelo Alencar, aliás um "bonito" nome. O Brizola deve estar se moendo na "cova".

 

Fez barba, cabelo, bigode e depilação íntima!

 

Tudo que você fala é ultrapassado. Uma montanha de bobagens de quem nada sabe sobre a atual diplomacia americana. Você menciona casos que ocorreram há 200 anos. O mundo mudou. O Brasil mudou. De uma ditadura tornou-se um país democrático. Mas alguns elementos pré-históricos não mudaram. Por exemplo, Ahmadinajad e Fidel Castro. Leia mais e mude seus conceitos da era jurássica.

 

Não adianta querer negar o passado só porque ele insiste em desmentir a fantasia que você quer nos vender. Mas não nego que os EUA mudaram... só que foi para pior.

 

Sr. Marcelo

Ora bolas , "distinto" !

Tenha respeito pelo mínimo de inteligência do pessoal  do Blog !

Claro que defendemos até a morte o seu direito de dizer as sandices como as proferidas acima ! Mas tenha a santa paciência !

Dizer , por ex. , que a invasão criminosa do Iraque , ou mesmo a vergonha do Vietnam , são coisas da política externa americana de 200 anos atrás é dose para elefante desmamado ! Ou cinismo !

Sabe gente , a democracia é linda , mas é duro aguentar certas "coisas" postadas aqui , ainda mais quando não têm o mínimo sentido , base em fatos concretos , ou veracidade .

 

"Uma montanha de bobagens de quem nada sabe sobre a atual diplomacia americana":

Verdade purissima.

Se nao constar a palavra "cagada" nao eh diplomacia americana.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

O EUA apoia qualquer ditador desde que geopolíticamente lhe interesse. A Tunísia, o Egito, a Líbia, enfim, todo o oriente médio. O povo na mêrda e EUA acomodando e apoiando.

A China comunista que não respeita os direitos humanos e os EUA apoiando a transferência de emprêsas e emprêgos, tudo numa boa.

  

 

É inacreditavel. A TURQUIA é uma democracia há 80 anos, ficou neutra na Segunda Guerra, sua teses cai por terra.

 

Andre Araujo (quarta-feira, 09/03/2011 às 22:37),
Como são mesmo aqueles versos de Carlos Drumond de Andrade em Quadrilha? Ou perguntando de outra forma, como é mesmo que a Turquia entrou na história?
Clever Mendes de Oliveira
BH, 09/03/2011

 

Vi essa lista outro dia. Fiquei pasma, não sabia que tinham sido tantas invasões.

 

Ainda bem que as urnas enterraram o sonho de sinhozinho Serra de retornar com a senzala no Brasil após seu tutor FHC, ter legado um atraso de 8 anos ao país!

Por conta da bola dividida da Marina e da campanha sórdida do PIG contra Dilma, Serra chegou a sonhar com o retrato oficial da faixa verde amarela no peito espalhada pelo Brasil afora!

Ainda bem que pesadelos como esse, as entregas da Petrobrax, Nossa caixa ou a P-36 afundando,são paginas viradas!

 

Vulgo politica das calças arriadas, amplamente empreendida por FHC e Malan.

Houvesse KY caso Serra tivesse vencido.

 

 

Esse sujeito seria uma desgraça muito mais danosa ao Brasil que o entreguista Fernandinho, digo, FHC, o puxa-saco. Não se iludam com essa corja que detesta o próprio país, são vendilhões da pátria. São uns infelizes entregustas e traidores.  são capazes de doarem a própria mãe para bajular os gringos, esperando receber um afago e um resto da mesa dos seus donos. E, olhe que, até gosto de cachorros.

Orlando

 

Pode revisar todas as declarações do Serra durante a última campanha eleitoral, quando se tratava de política internacional, todas as suas posições refletiam exatamente as mesmas posições da diplomacia dos EUA.

Serra defendia diretamente os interesses dos EUA, e tentava travestir o discurso como se fosse do interesse do Brasil.

Era vergonhoso ver e ouvir o Serra degradando a imagem, a tradicional postura de décadas do  Itamaraty, e qualquer interesse nacional em função das necessidades de um país extrangeiro.

Agora o wikeleaks vem apenas confirma a articulação SERRA e EUA, e em proveito de quem será?

Serra queria reeditar aqui a política de relações carnais do Menem com os EUA, só não avisou quem seria o ativo e quem seria o passivo nestas relações. 

 

Pelo menos Serra tem o mérito da gratidão. Quem foi que o recebeu e ainda deu-lhe um "diproma" de economista foram seus irmãozinhos do norte, quando ele foi ecorraçado do Chile.

Difícil é entender como isto aconteceu, porque os exilados ou fugidos (como FHC) do Brasil foram, em sua maioria, para a Europa.

Sei não! Mas a história do Celmo se parece muito com a história do cabo Anserra...

 

Kid Prado

Melquiades,

Sou daqueles que acreditam que Serra foi evacuado e não escorraçado. Os estadunidenes tem o hábito de evacuar seus soldados e agentes.

 

Ignorando todas as toloscas que se seguem:

"José Serra disse que, caso fosse eleito, desenvolveria uma política externa mais alinhada com os Estados Unidos"

O Brasil NUNCA se "desalinhou" dos EUA.  Foi o contrario:  depois que o acordo previamente discutido em privado e em publico com o Iran estava assinado os Estados Unidos mudaram de ideia.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Porque não tem alagamento em Tóquio!!!!Anualmente uns 25 tufões assolam o território japonês.
Desses, dois ou três atingem Tóquio em cheio, com chuvas fortíssimas durante várias horas ou até um dia inteiro.
Mas nem por isso ocorrem enchentes ou alagamentos na cidade.
Por que será? Veja as explicações abaixo.
 
Subterrâneos de Tóquio O subsolo de Tóquio alberga uma fantástica infraestrutura cujo aspecto se assemelha ao cenário de um jogo de computador ou a um templo de uma civilização remota. Cinco poços de 32 m de diâmetro por 65 m de profundidade interligados por 64 Km de túneis formam um colossal sistema de drenagem de águas pluviais destinado a impedir a inundação da cidade durante a época das chuvas.

A dimensão deste complexo subterrâneo desafia toda a imaginação.  É uma obra de engenharia sofisticadíssima realizada em betão, situada 50 m abaixo do solo, fato extraordinário num país constantemente sujeito a abalos sísmicos e onde quase todas as infraestruturas são aéreas.  A sua função é não apenas acumular as águas pluviais como também evacuá-las em direção a um rio, caso seja necessário. Para isso dispõe de 14.000 HP de turbinas capazes de bombear cerca de 200 t de água por segundo para o exterior.          Conclusão: Não existe problema insolúvel. Basta querer enfrentá-lo.
Para esse nível de tecnologia, as "enchentezinhas" de São Paulo, Rio, etc. são tiradas de letra.Além disso, outra arma poderosa, utilizada em Tóquio contra as enchentes, é a boa educação dos moradores que não jogam lixo na rua.  

 

O Serra autorizaria aos EUA instalar  bases militares aqui na amazonia, no oeste e contro nordedeste. Do sudeste mandava colocar uma base de míssil apontada para o Aécio, menos em São Paulo que é o quintal dos Tucanos.

 

E Rambo/Silvester Stalone lideraria as forças especiais, os boinas verdes, os marines, etc e tal na ocupação dos morros cariocas.

 

Essa o Wikileaks não precisava vazar não. ESTAVA NA CARA!

E sua real intenção era voltar ao dirigismo pelo Tio Sam.

Serra adoooora NOVA IORK...só faz conta em dólares (americanos) e aposta naquela moeda como o melhor investimento.

VADE RETRO!

 

Teríamos "O Retorno de Buana".

Os capatazes voltariam a sorrir.

 

João, você está sabotando este blog?

 

Outra coisa: Tem gente aqui que PEDE POR GENOCÍDIOS E NÃO É DELETADO.

 

O botao denunciar está disponível.

 

Eu denunciei. E falei dele com você por mensagem na época. É o Rebolla. Ponho aqui o link.

http://www.advivo.com.br/node/362780

Aí está. É realmente mais grave usar calão em relação a uma pessoa tão absolutamente repulsiva como o Serra do que pedir por mais uma Cruzada?