newsletter

Assinar

Como transformar uma boa relação diplomática em corrupção

Ao traduzir os relatórios do WikiLeaks, em que a Odebrecht e o ex-presidente Lula são citados, é possível constatar o real teor das informações
 
 
Jornal GGN - Desde que a investigação de seu envolvimento com o esquema de corrupção da Petrobras teve início, a Odebrecht passou a ser alvo das buscas de outros países onde a empresa tem capital. Nos Estados Unidos, a empreiteira chegou a ser monitorada pela diplomacia, em 2007, 2008 e 2009, quando foram apontadas suspeitas de irregularidades em obras da empreiteira no exterior. 
 
A informação foi divulgada pelo Estado de S. Paulo. De quatro casos usados de relatórios do WikiLeaks como exemplos, em apenas um aparece que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi importante para fechar acordo entre uma empresa angolana e a Odebrecht. Em outro, Lula é mencionado por ter apoiado a campanha de reeleição de Hugo Chavez, em evento de inauguração de obra da companhia na Venezuela. Sem alertar para as especificações, o lead da reportagem relaciona diretamente os possíveis esquemas de corrupção da companhia com uma suposta investida de Lula nas irregularidades.
 
"Telegramas confidenciais do Departamento de Estado norte-americano revelados pelo grupo WikiLeaks relatam ações da empresa brasileira e suas relações com governantes estrangeiros. Lula é citado em iniciativas para defender os interesses da Odebrecht no exterior", publica o jornal.
 
Ao abrir o documento intitulado "A Productive Visit By Lula", que em português significa "Uma visita produtiva de Lula", é possível constatar o real teor das informações referentes à Angola.
 
Trata-se de um relatório da visita do ex-presidente ao país, nos dias 17 e 18 de outubro de 2007. O encontro resultou em sete acordos de assistência técnica, a duplicação para US$ 2,3 bilhões da linha de crédito do Brasil para a Angola e o anúncio de um acordo de negociação para construir uma usina de etanol com a produção de cana. "O ex-presidente aproveitou a visita para agradecer a Angola pelo apoio contínuo nos esforços do Brasil para obter um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU", publicou o resumo do documento do WikiLeaks.
 
"Na frente da diplomacia, os dois países acordaram sobre discussões regulares e formais de questões bilaterais e reforço da cooperação entre as duas academias diplomáticas", completa o documento.
 
No trecho do artigo que cita "biocombustíveis e geração alternativa" está o que o Estadão considerou uma participação de Lula nas irregularidades da Odebrecht. "Apesar de não ser um acordo de governo-governo, a visita de [Lula] Silva ajudou a concluir um acordo entre a brasileira gigante da construção Odebrecht, a estatal petrolífera angolana Sonangal, e Damer, uma empresa angolana até então desconhecida, a construir uma usina de biocombustível na província de Malange. Os planos incluem a construção de uma usina capaz de produzir não apenas etanol para exportação, mas a geração de 140 megawatts de eletricidade por ano através da queima do bagaço. O bagaço e o etanol serão produzidos a partir da cana, uma nova cultura para a região. O projeto deverá gerar 2.000 novos empregos", é a citação.
 
 
O próprio jornal admite: "o papel de Lula não é colocado em questão" e afirma que a suspeita levantada pela diplomacia dos Estados Unidos refere-se, estritamente, à "parceria fechada pela Odebrecht", que resultou em 40% de participação para a construtora brasileira, 20% para a Sonangol e os restantes 40% para a Damer. Nada mais é levantado.
 
Por fim, no comentário adicionado pelo redator do relatório, Francisco Fernandez, aponta-se os benefícios para os dois países das relações comerciais entre Brasil e Angola. "A Angola vê o Brasil como um parceiro natural, e muitos dos principais homens de negócios de Angola, incluindo membros do clã do Santos [presidente angolano], supostamente têm interesses comerciais substanciais no Brasil. As grandes construtoras brasileiras também estão se beneficiado do crescimento da construção na Angola. Devido à sua história compartilhada e a linguagem comum, a vontade desses laços comerciais só tendem a se aprofundar. Os brasileiros também enxergam investimento na infra-estrutura angolana, especialmente para vinculá-la para o resto da SADC, como um sábio investimento e uma entrada potencial para eles e para o resto do mercado da África do Sul", diz o comentário.
 
 
O segundo documento em que Lula é citado é o apoio do ex-presidente à candidatura à reeleição de Hugo Chavez. O que teria "condenado" o ex-presidente, segundo o tratamento do jornal, é que a campanha pública ocorreu em evento de inauguração de uma ponte, construída pela Odebrecht e financiada pelo BNDES, na Venezuela.
 
No comentário, a embaixada americana comenta sobre as relações comerciais entre os dois países e restringe-se a dizer que o apoio de Lula a Chavez "poderia parecer um passo diplomático errado, mas realmente foi simplesmente um bom negócio". 
 
 
O que é questionado como suspeito no relatório é o valor da referida obra, que teria um custo 40% acima do orçamento. Também são apontadas irregularidades nos contratos, de que construções da Odebrecht no país latino ocorreram sem licitação.
 
"A relação entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a empreiteira Odebrecht e o governo da Venezuela também foi alvo de um exame por parte da diplomacia norte-americana", assim o Estadão tratou o caso à suposta interferência do ex-presidente nas irregularidades. Para estender o ato ilegal ao legal, o jornal integra as duas ações - a negociação diplomática de Lula em obras de empresas brasileiras no exterior, com o suposto superfaturamento da Odebrecht nas construções -, como se uma fosse dependente da outra. 

 

Média: 4.7 (10 votos)

Recomendamos para você

23 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Jô Meyer
Jô Meyer

A arte de achar cabelo em ovo

O pig, a oposição ao Brasil, ao governo da Presidenta Dilma Roussef, ao LULA e ao povo brasileiro criaram uma nova arte: a de achar cabelo em ovo.

Como contam com uma legião de pessoas que parecem estarem privadas de suas atividades racionais, pois não exercem a capacidade de constatar na realidade, o que está sendo mostrado nas mídias, então eles não têm uma preocupação em manter coerência em suas elocubrações, manipulações, omissões, julgamentos prévios ou com parâmetros distintos para o PT e para os partidos da OPOSIÇÃO AO BRASIL!

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Getúlio Trindade
Getúlio Trindade

O Surto O desejo

O Surto O desejo inescrupuloso de segmentos de direita e extrema direita, empresários estrangeiro e a mídia querendo a todo custo tirar a força um Governo democrático e popular.os procuradores da Suíça,em primeiro lugar precisam devolver todo o dinheiro que o seu país guardou de todas as roubalheirado mundo inteiro,o dinheiro que os nazista roubaram do povo aalemão,dos judeus, de todos os corruptos do mundo inteiro,dos mafiosos traficantes,todo dinheiro roubado fruto de corrupção,das ditaduras estão nos bancos suíços...A Suíça precisa passar a limpo tem um passado e um presente comprometedor, tem que passar a limpo tda a lavagem dos ricos magnatas e uns e outros....
,

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Valdeci Silva
Valdeci Silva

O presidente

Nunca tive dúvida com relação a honestidade do ex-presidente Lula e sua vontade de fazer o Brasil e as empresas brasileiras crescerem e serem notados lá fora. O que vemos agora são grupos de políticos ,jornalistas e uma gama de outros setores tentando derrubar  o prestígio do melhor presinte que o Brasil já teve.Mas, acredto que tudo vai ficar em pratos limpos.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

A "desconhecida " Damer ????

  Negócios em Africa, principalmente em paises do Bloco SADC* ( Comunidade para o Desenvolvimento da Africa Austral - 15 paises, o maior e menos corrupto é a Africa do Sul, já de lingua portuguesa: Angola e Moçambique ), são complicados e necessariamente adaptados a "cultura empresarial - governamental " destes locais, até os maiores financiadores da SADC, a UNião Européia sabe disto, e o país mais "desenvolto" na região, dificil de competir, é a China, o qual envia desde Presidentes, Ministros, militares, todos "caixeiros viajantes", que não medram em "presentear" pessoas influentes. ( até mesmo um Banco Africano Chinês fundaram, em : www.afdb.org/ )

    A Damer não faz mais parte deste negócio, a BIOCOM, pois transferiu sua participação para a Cochan Investimentos, aliás a Damer nem é mais "Damer", um braço grafico do poderoso grupo de midia angolano, conhecido pelo nome de Media Nova, um sustentaculo do governo Santos há anos, é até ligado - vejam só a ironia - ao Grupo brasileiro que vcs. tanto admiram, os Civita da ABRIL , tanto que editam a versão angolana da Exame, e leiam que matéria saiu recentemente na Exame-Luanda, sobre a Odebrecht, em www.exame.co.ao/odebrecht -i-30-anos-de-obra-feita/

     Cochan Investimentos: Em Angola ou se é amigo do Clã Santos, ou não se faz nada, e esta Cochan ( www.cochan.co/pt ), é mais uma das fartas empresas de investimentos que surgem do "nada" em varios paises africanos, e é comandada por um dos homens mais ricos do continente, rivaliza com a fortuna do Clã Santos, ao qual é tributário desde antes da Independencia, pois foi General Comandante de todas FFAA angolanas, o "fofo" para os intimos, "Dino" ou General Leopoldino Fragoso Nascimento.

      O interesse a época e ainda, dos Estados Unidos, na SADC, é relativo, pois somente tem influência em Botswana, Tanzania e parcialmente na Africa do Sul e Zambia, nos demais paises é "mal visto", e a preocupação americana na região, não é, nem nunca foi com o Brasil - que aliás, para alguns no Dept of State, em suas movimentações no sub-continente africano, poderiam auxilia-los, para o DeptState, o Brasil, não importa com Lula, Dilma, etc..., é Ocidente - o verdadeiro alvo dos Estados Unidos, em Africa, é o protagonismo chinês, já com "bases" em Moçambique e Namibia.

       * Para uma ligeira idéia de como as coisas funcionam na SADC , atualmente a presidência rotativa desta entidade, é exercida pelo Zimbabwe, na figura do DITADOR Robert Mugabe.

        Africa, SE Asiatico, Oriente Médio, o Golfo, não são locais para principiantes, jornalistas, advogados, filosofos, sociologos, mas locais onde os negócios, a politica e interesses geopoliticos, funcionam de forma diversa, como ingleses, americanos e europeus, sabem e agem há décadas na defesa e proteção de seus interesses, como atualmente, bons alunos chineses aprenderam e praticam.

         

Seu voto: Nenhum

junior50

imagem de oneide
oneide

O esquema visa transferir

O esquema visa transferir recursos do FAT, ou seja dos pobrres para a empreiteira que em contra partida financia o PT.

Lula, ou seja o PT. entrava com o BNDES, Odebrecht retornava com a propina.

Seu voto: Nenhum (28 votos)
imagem de Amig Darose
Amig Darose

Oneide, quando você diz PT,

Oneide, quando você diz PT, você se refere ao Partido ou à Portugal Telecom ?

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Viajando

Viajando na Maionesse.....#CunhaNaCadeia....ODEBRECHT é herdeira do ACM quando era Gov. do Estado e do FHC. Vá estudar um pouco por gentileza.

Seu voto: Nenhum (20 votos)
imagem de Cunha
Cunha

Como é que o PIG e a oposição

Como é que o PIG e a oposição fazem o possível e o impossível para destruir a economia do Brasil e não têm receio de, caso conseguissem derrubar o governo e assumir o poder, governar um país falido?

Resposta:  Porque, mesmo com o país falido, eles se enriquecem mais e mais. Basta lembrar o quanto eles ganharam no governo falido do FHC, tão falido que houve racionamento de energia elétrica, pedidos de empréstimos emergenciais ao FMI e desemprego nas alturas. 

Lembrem quanto ganharam os citados no livro Privataria Tucana ( a mídia também comprou muita coisa a preço de banana ), lembrem o Banestado, lembrem o Daniel Dantas, lembrem o PROER.

O PIG e a oposição não se lixam para o povo,  fazem do povo um lixo.

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

A oposição quer a

A oposição quer a presidência, mas antes de chegar ao poder decidiu destruir o Brasil e as empresas brasileiras.

O que a oposição pretende governar ninguém sabe.

 

Seu voto: Nenhum (21 votos)

Simples, internacionalizar a economia brasileira.

Os discursos na República do Paraná são claramente liberais, logo o programa e internacionalizar a economia brasileira.

Primeiro a construção civil (esta já está no papo). Depois vem as outras tais como:

Setor de Petróleo.

Setor Hidrelétrico.

Setor Metalúrgico 

Mineração e por fim 

Setor bancário.

Dez por cento de propina em cada setor tornam ricos os 260 aliados de Cunha, é muito dinheiro.

A agroindústria também entrará no pacote, mas será um processo mais lento porém irreversível.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Meu filho

 Não se trata de "internacionalizar" , é DAR , melhor ainda : Desistir, se entregar, abandonar, "deixar para lá ", reassumir a postura de colonia.

  E caro Ronaldo, o "maior alvo " , o MVT ( most value target ), de ambições de capitais externos, politicos e economicos, tem nome e origem na agroindustria, atende por Embrapa, todas elas, pois é estratégica, o Mundo se alimenta - comida, abastecimento, é uma arma de dominação, a arma de controle do futuro.

  Se já existem interesses em nossa engenharia pesada, tanto consultiva como operacional, estando atualmente, ambas em processo de destruição "processual imbecil", imagine o que pode ocorrer com a Embrapa, pode até esperar, vai ocorrer em breve - e tô cagando para os MPs -, pois tem gente interessada, externos, em reavaliar nossos contratos com paises africanos ( Gana por exemplo - cacau ),  e estes advogadinhos, vão encher o saco, tanto da Embrapa como do BNDES, e não dá, é impossivel explicar para estes "vestais bocós", a correlação entre plantações e pesquisas, em Africa com o nosso cerrado ( uma savana ), e nosso semi-arido.

    Cara, técnicos, sofrem.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

junior50

imagem de João de Paiva
João de Paiva

Subescrevo o comentário do

Subescrevo o comentário do Athos. A mídia comercial brasileira quer incriminar Lula, nem que seja apelando para os mais sórdidos expedientes. Até agora, todas as pseudo-denúncias contra ele só confirmaram a grandeza dos atos dele com presidente e como ex-presidente que defende empresas e investimentos brasileiros no exterior.

Seu voto: Nenhum (17 votos)
imagem de zuleica jorgensen
zuleica jorgensen

Então, amigo, vc não concorda

Então, amigo, vc não concorda com o Athos.

Ou você não entendeu a maldosa ironia no comentário dele?

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Jesus Cristinho
Jesus Cristinho

Os donos do Brasil andaram

Os donos do Brasil andaram fazendo suas estripulias pelo mundo afora.

Agora a Oderbrecht está sendo investigada em 3 países a saber:

1- Os EUA estão investigando a Brasken

2- Portugal está investigando lavagem de dinheiro.

3- A Suíça está investigando o uso de contas do seu país no pagamento de propina.

 

Isso vai acabar muito mal para a Oderbrecht e pro Marcelinho.

Vai levar muita gente junto com ele quando ele cair.

Está mesmo feia a coisa.

 

Oderbrecht virou o Titanic. Melhor abandonar esse navio o quanto antes.

Pobre Lula. Que amigo ele foi arrumar......

Seu voto: Nenhum (20 votos)
imagem de EFH
EFH

Angola um pais de extremos...

Angola, um país muito rico em hidrocarbonetos e diamantes mas com uma pobreza extrema e imensa.  Uma clássica cleptocracia africana bancada pelo petróleo, onde os governantes são riquíssimos e o povo não tem absolutamente nada, nada mesmo. Um pais onde a filha do eterno presidente é conhecida mundialmente como a mulher mais rica da África. Uma gênia dos negócios.A cabeça capitalista e mesquinha do Marcelo ODB é óbvia: Angola é um parque fantástico para negociatas sujas que levam a obras superfaturadas em dezenas de vezes, onde o dinheiro proveniente das riquezas naturais vaza para todos os lados, menos pro bem estar da cativante população local.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Pêlo em ovo!

Parem de procurar pelo em ovo!
A questão não é SE Lula defende os interesses da Odebrecht no exterior.
A questão é que isso não é crime e é louvável!
E sim, ele ganha muito dinheiro com isso!
E é pago em palestras!
Negar o óbvio, não ajuda!

Parabéns Lula! Vc abre portas para empresas brasileiras!
E ganha dinheiro com isso, okay. Quem não concorda, é comunista!
Veja é comunista!

Seu voto: Nenhum (20 votos)
imagem de Amig Darose
Amig Darose

Correção

Onde se lê "Empresas Brasileiras" leia-se "Odebretch"

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Não porque há outras! Mas o

Não porque há outras!

Mas o jornal só lista as do seu interesse para te passar EXATAMENTE esta idéia que vc passou, que é única.

Seu voto: Nenhum

Interessante é saber que os

Interessante é saber que os EUA também são SUPER ÉTICOS E DESINTERESSADOS!

 

Seu voto: Nenhum (9 votos)

"O que fazemos na vida, ecoa na ETERNIDADE!" (Máximus - Gladiador)

"Os dois mais importantes dias em sua vida são o dia em que você nasceu e o dia em que você descobrir o porquê... - M

A interminável novela entre PT X velha mídia

Fiz este pequeno apanhado Histórico dessa relação tão conturba entre a velha mídia oligopólica capitaneada pela Rede Globo e o PT de Dilma e Lula no Governo Federal e posto aqui. 

 Entender a velha mídia nesse duelo interminável com o PT é entender os caminhos possíveis do Brasil no futuro. E os caminhos traçados contra a possível candidatura Lula - três anos e meio antes da Eleição de 2018.  

A interminável novela entre PT X velha mídia

2018 está longe.

Hoje o importante é ter consciência do papel de destaque da velha mídia na formação da opinião pública brasileira.

Até antes das jornadas de junho de 2013 existia uma situação de equilíbrio entre as opiniões públicas possíveis. A opinião pública pró-Governo e a midiática duelavam e o Governo Federal detinha um patamar de popularidade capaz de neutralizar o partidarismo midiático e sua narrativa anti-petista.

Quem estiver com a memória em dia sabe que o Governo Federal e o PT até as jornadas de junho de 2013 faziam pesquisas diárias (os famosos “trackins”) para saber da popularidade e aprovação da Presidenta e do Governo dela. Havia a diária comemoração do fato dos bons e ótimos chegarem ao patamar da tranquilidade de 60% ou mais. O patamar negativo ficava em torno de 20%.

Naquele tempo se acreditava que não era preciso uma Lei de Médios, porque mesmo com todo o partidarismo oposicionista e a transmissão ininterrupta do Julgamento do Mensalão o Governo Federal e seus aliados tinham aprovação alta e a prova da minha afirmação é: a base aliada em 2012 teve quase 80% dos votos nas eleições municipais.

A Presidenta da ANJ (Associação Nacional de Jornais) havia dito dois anos antes que a Imprensa brasileira agia como um partido político pela fragilidade das oposições naquele tempo, isto era 2010. Lei de Médios só traria dor de cabeça, mexer com a Rede Globo & Cia. para quê? Se não rende votos, pensou o Presidente Lula. Após veio a máxima da Presidenta Dilma: o controle remoto!

Era o tempo das vacas gordas. O Mensalão não havia atingido o eleitor, a velha mídia não tinha a seu favor uma situação capaz de destruir a reputação do Governo Federal, sua base aliada e do PT. As realizações concretas suplantavam o alarmismo da velha mídia, que se desenhava como a oposição sem voto, porque não disputava Eleição.

O PT e o Governo Federal se sentiram seguros em não mexer com o oligopólio midiático, porque nesse jogo que é o que importa: PT X Velha Mídia, tinha dado PT por 3 vezes seguidas, mesmo com toda a força oposicionista do oligopólio midiático capitaneado pela Rede Globo. O PT acreditou que é só utilizar-se dos comerciais/propagandas nas revistas, jornais, TV e Rádio que se teria o contraponto ideal.

Então, se a velha mídia escondia sobre as obras inauguradas pelo Governo Federal elas apareciam nos comerciais da TV como, por exemplo, são os casos do navio petroleiro João Cândido, da inauguração de ponte incrível feita em Manaus sobre o Rio Negro, etc.

Nenhuma ação governamental se fez no sentido de aproveitar a popularidade e aprovação do Governo para mexer no vespeiro, que é o oposicionismo desenfreado e sem limites do verdadeiro partido de oposição, que o ex-deputado Federal do PT da Bahia Fernando Ferro apelidou de PIG (Partido da Imprensa Golpista) e a blogosfera viralizou. A velha mídia continuava a narrativa quase solitária do Brasil para os brasileiros.

Vieram, então, em 2013, as jornadas de junho e os 20 centavos. Surgia uma insatisfação social para além da inclusão social via consumo. Começou-se a se questionar se havia terminado o ciclo de inclusão dos brasileiros via consumo numa pactuação entre a burguesia e a classe trabalhadora proletária, pacto iniciado no primeiro mandato do ex-presidente Lula.

Quem se lembra dessa época sabe que num primeiro momento a velha mídia ficou contrária aos manifestantes do MPL (Movimento do Passe Livre) e os seus 20 centavos. Eram baderneiros segundo o Arnaldo Jabor. Viraram em 1 semana, idealistas e o próprio Jabor passou a defende-los. Ali se fez uma primeira inversão da curva ascendente da popularidade do Governo Petista.

Até novela se deixou de transmitir para se mostrar manifestações dos jovens do MPL e jovens cooptados posteriormente, cooptados pela velha mídia, nas grandes cidades do País; manifestações editadas nos seus propósitos, que aos poucos transformaram os 20 centavos em um embate contra a corrupção e tendo como culpado central único: o Governo Federal. Era a nossa Primavera Árabe!

Os Black Blocks e a turma da Sininho apareceram para dar um tempero para as manifestações bem ao gosto de uma narrativa binária: jovens esquerdistas eram radicais. Enquanto, jovens idealistas eram os cooptados da velha mídia e a narrativa da corrupção.

Jovens “idealistas” de classes média e média alta tradicionais, preferencialmente, anti-petistas de carteirinha, o protótipo dos jovens manifestantes do impeachment da Dilma em março e abril de 2015 e que o Jornalista Luciano Martins Costa apelidou de forma bem sucinta: os “midiotas”.

Nas jornadas de junho de 2013 se conseguiu diminuir a popularidade de Dilma e a aprovação do Governo Federal. Todo tipo de indignação de uma juventude sem uma consciência política apurada, muito mais idealista do que consciente de quem era o “grande inimigo” daquela juventude, foi televisionada e glamourizada e por dias e dias se construiu a primeira narrativa de que a população não estava satisfeita com o Governo Federal, Governo que semanas antes tinha aprovação alta.

O Governo Federal não tinha como se defender, para além, dos microfones do PIG, afinal esse Partido da Imprensa Golpista dominava em quase todo o Brasil e em todos os tipos de meios de informação a narrativa do País. Os lares brasileiros eram, ainda são, bem sabemos, viralizados pela notícia de que jovens brasileiros estavam cansados de tanta corrupção e desesperançados com seus futuros e que a juventude estava revoltada em uníssono contra o Governo Federal. Ah! Faltam Hospitais e Escolas! E os gastos da Copa! O não vai ter Copa viralizou. A PEC 137 apareceu nas passeatas, se tornou abaixo-assinado virtual dizendo que iria se tirar Poder de investigação do Ministério Público e o Congresso não a aprovou, teve apenas 9 votos favoráveis.

A velha mídia mostrou sua força e conseguia sua primeira vitória contra o PT. Não foi a vitória por nocaute, foi apenas por pontos e podemos dizer que os Juízes foram caseiros.

2014 veio e a partida entre PT X velha mídia se intensificou. Já não havia mais os “trackins diários” e os índices do Governo Dilma não lhe davam uma vantagem segura. Era uma bolsa de apostas pau a pau.

A velha mídia ou o PIG, como queiram, queria porque queria tirar o PT do Poder em outubro de 2014.

Surge como uma luva a Lava-Jato. Feita de encomenda para a vitória de Aécio Neves o candidato do PIG travestido da legenda que pode competir de verdade numa Eleição: o PSDB. Aécio era o bom-moço com pinta de galã, o novo Salvador da Pátria.

Tudo o que se falava em 2014 pré-Eleição tinha como foco a Lava-Jato e a “corrupção na Petrobrás” e, a partir, das “delações premiadas” de corruptos confessos vazadas para o PIG e que por 24 horas diárias incriminavam de corrupção o PT e seus correligionários se tentava associar cada delação vazada ilegalmente e sem apuração devida à candidatura da situação.

A regulação econômica da Mídia aparece na campanha Eleitoral de Dilma. A ousadia da proposta tem seu preço cobrado.

3 dias antes da Eleição vem a capa da Veja: Dilma e Lula sabiam de tudo! Era a última cartada. A vitória se pensava favas contadas.

Criou-se da Lava-Jato um ódio ao PT, à Dilma e ao Lula nas classes média e média alta incurável.

Mas, Aécio Neves com quase toda mídia do País ao seu lado e o Judiciário aliado e idolatrado de Curitiba pelos anti-petistas perdeu para a Presidenta Dilma.

Na comemoração da vitória de Dilma e do PT, já em seu discurso primeiro ouve-se: - o povo não é bobo, fora Rede Globo! A velha mídia ouviu o grito dos petistas: vindo do fundo d´alma e sentiu o baque, e se descontrolou ainda mais. Não adviria uma regulação econômica da Mídia de jeito nenhum, deve ter sido a ordem que partiu do PIG.

O PT e Dilma venceram a máquina oposicionista capitaneada pela Rede Globo, máquina que detém mais de 80% das possibilidades de informação que o brasileiro comum pode obter sobre o Brasil e o Mundo via meios de comunicação: TV, Rádio, Revista, Jornal, Internet e etc. Dilma vence novamente o candidato do PIG e quase sem nenhuma mídia a favor dela. Uma vitória inacreditável!

As classes médias e médias altas tradicionais, principalmente do Sudeste e Sul ficam inconformadas com a derrota e não aceitam a vitória da Presidenta Dilma. Na mesma semana da vitória parcelas extremistas do eleitorado de Aécio Neves já saem às ruas para protestar o resultado eleitoral, a extrema-direita mostra o seu rosto e Deputado sai de arma na cintura para protestar. Lobão vira o herói do anti-petismo.

O Governo Federal venceu e se calou. Mesmo que quisesse falar à Nação estaria restrito à rede nacional de TV e Rádio, mas não quis se habilitar a utilizar deste recurso. Praticamente, só a voz “zonza da derrota e raivosa” da velha mídia se fez ecoar no Brasil inteiro.

Inconformado com a derrota o PIG patrocinou, sem nenhuma cerimônia, tentativas de modificar o resultado das urnas e fez de tudo para desqualificar a vitória e atrapalhar a governabilidade da recém-eleita, desde apoiar a fala e ações golpistas do candidato perdedor que pedia até recontagem dos votos, incentivo à desaprovação das contas de campanha da Presidenta reeleita, passando pelo apoio quase irrestrito da Eleição de um Deputado com mais de 20 processos na Justiça para Presidente da Câmara dos Deputados e sabido achacador, até televisionar apoiadores do Golpe contra o resultado das urnas em manifestações na Avenida Paulista, onde até defensores da volta de uma Ditadura Militar ao Poder eram chamados de democratas, convivendo lado a lado de gente que se manifestou segurando faixas com símbolos da suástica nazista e de gente que tirou fotos com ex-militares do Regime de 64. O tema impeachment virou a ordem do dia para boa parte dos eleitores de Aécio. Era, segundo a narrativa global, manifestações de patriotas e democráticos. Uma confraternização de gente honesta e pacífica. Imaginam o pacifismo de grupos pedindo Ditadura Militar e empunhando a suástica nazista?

O Governo Federal, neste período, se viu em meio à necessidade de um plano econômico conservador e que prevê corte de gastos públicos para alcançar um superávit primário, o que deixou descontente, não só o eleitorado da oposição, mas parcela significativa de seu próprio eleitorado, que sonhava com uma guinada do Governo Federal para a Esquerda. E, hoje, parte do seu próprio eleitorado cativo de esquerda, diz que foi traído, por causa do Plano Econômico visto como conservador e neoliberal.

Um Congresso Conservador não aprovaria um plano diferente do proposto, certamente, assim, pensou o Governo Federal. E se fez o Plano Levy sem dialogar com o eleitorado da Presidenta.

E as popularidades de Dilma, do Governo Federal e do PT desabaram, segundo pesquisas, a despeito de serem pouco confiáveis os números absolutos pelo exagero da casa de apenas 10% de aprovação, pois, são pesquisas associadas/parceiras da velha mídia, a mesma que é 24 horas do dia oposição.

E aqui se pode afirmar:

A falta de preocupação em fomentar canais para o contraponto das informações veiculadas na velha mídia cobra o seu descuido em 2015. A Judith Brito e a oposição midiática tem seu auge.

O jogo se alterou. O PIG ou como queiram a velha mídia obtém mais força que o PT, apesar de não ter todo o crédito que pensam que tem perante a opinião pública. Ficou mais difícil para a situação disputar a opinião pública sem mídia.

E neste quadro atual a velha mídia se aproveita do seu monopólio da informação e deste enfraquecimento significativo do PT, do Governo Federal e da Presidenta Dilma para evitar que volte ao Poder o ex-presidente Lula e quem sabe, seu sonho, ela consiga finalmente emplacar: eleger seu candidato em 2018. Lula tornou-se o alvo principal a ser abatido pelo PIG para concretizar seu sonho.

Anda valendo tudo nessa busca. De tudo acusam Lula, sem provas, diga-se de passagem.

Porém, fica claro, não temos como evitar a situação de macarthismo contra o ex-presidente, porque a velha mídia hoje consegue ser mais capaz de interferir na opinião pública e no Judiciário do que o Governo Federal é capaz, através de ações concretas, de conseguir aprovação e apoio para além do noticiário de crise e caos que os meios de comunicação hegemônicos veiculam 24 horas por dia.

Imagina a dificuldade de recuperação da aprovação do Governo Federal e da popularidade da Presidenta Dilma sem mídia, sem coragem de enfrentar a velha mídia e sem condições de realizar uma Lei de Médios (ao menos a regulação econômica) numa situação de PIB negativo, frise-se que é um fenômeno mundial e escamoteado do noticiário daqui, e de inflação acima da meta estipulada pelo Copom. Imaginaram?

A velha mídia está dando as cartas, atualmente, tem mais força e menos pudor a cada dia.

Saberemos mais para frente se o Governo Federal age certo em não bater de frente com este oligopólio da informação e de se calar quase sempre. E se poderão recuperar sua popularidade: a Presidenta Dilma, e sua aprovação: o Governo Federal.

Saberemos ainda se não anda dando, a velha mídia, o passo maior que a perna e perdendo o bonde da História. 2018 está longe.

O PIG pode perder de novo? E se decretar verídico o ditado: “quem ri por último ri melhor”?

Qual o custo para o Brasil desta interminável novela entre PT X velha mídia? Sobreviveremos com poucos percalços sociais e econômicos até 2018?

Fiquemos atentos aos próximos capítulos desta interminável novela entre PT X velha mídia, mas sem pressa de querer o resultado para hoje, porque o jogo é imprevisível.

Afinal, tanto já se decretou o fim do PT, e ele venceu em 2014 novamente, e agora, afastada as forças para qualquer golpe, pelo que tudo indica, vide o Manifesto dos 9 governadores do Nordeste, ficará a Presidenta Dilma até 2018 no Poder, completando, o PT, 16 anos à frente do Governo Federal.

E o PT, certamente, pode novamente virar este jogo e colocar o pêndulo novamente para a Esquerda, pois em nada mudou a fala de Judith Brito, a oposição continua fragilizada e o verdadeiro partido de oposição ainda é o PIG.

Esta é a novela mais prolongada da História, não é verdade?

 

Seu voto: Nenhum

novos vazamentos da agência

novos vazamentos da agência de notícia extraofficial WIKI-NSA põe em dúvida o real teor das informações e dos elogios presidenciais em eventos internacionais...

famoso elogio público de Obama ao Lula: "Esse é o cara!" , à luz destes novos "vazamentos diplomáticos", pode ter entonces um outro significado político "positivo operante"...

 

Seu voto: Nenhum (10 votos)

"Não há segredo que o tempo não revele, Jean Racine - Britânico (1669)" - citação na abertura do livro Legado de Cinzas: Uma História da Cia, de Tim Weiner. 

imagem de Maria Rita
Maria Rita

Acho que foi a Teresa

Acho que foi a Teresa Cruvinel quem disse que a crise política estaria no início do fim, logo depois das revelações sobre Eduardo Cunha.  E, pelo enredo,agora ampliado com as intervenções de espionagens norte-americanas sobre a maior empresa brasileira, deve estar mesmo. Eles, os interventores e a oposição comprada, só não sabem como vai terminar. Começo a apostar que seremos dessa vez, um osso duro de roer. Não vamos aceitar passivamente mais uma desgraça dessa sobre nosso país. Eles não passarão. Ianques, vão cuidar dos seus podres, vão consertar o que fizeram no Iraque, na Síria. Só pensam no e$$$$$terco do diabo, como disse o papa Francisco.

Seu voto: Nenhum (12 votos)
imagem de Henrique O
Henrique O

O jornal ex-Província de S. Paulo é filo-estadunidense

Assim coimo Veja, Folha, Globo. Quintas colunas.

Seu voto: Nenhum (16 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.