Revista GGN

Assine

Joaquim Barbosa tenta incriminar advogado que o enfrentou

Joaquim Barbosa não é uma pessoa confiável. É capaz de qualquer subterfúgio para defender suas posições. Até armar uma acusação improvável contra o advogado Luiz Pacheco - que cobrou dele a colocação na pauta de recurso sobre a prisão domiciliar de José Genoíno.

O desempenho do advogado no plenário do STF foi firme e perfeitamente normal. Existem as gravações para comprovar. Conversei com ele logo após o incidente e estava em pleno domínio de suas faculdades mentais.

Barbosa é capaz de manipular provas para defender suas teses. Que se tome cuidado para impedir uma armação  para cima do advogado.

O caso da tentativa de escuta do Palácio do Planalto pelo Ministerio Público do Distrito Federal casa-se com decisão recente sua - de prorrogar a prisão fechada de réus devido a uma suposta denúncia anônima cujo autor não quis se identificar. Em dois casos a mesma jogada do off. Agora, um segurança em off incrimina o advogado.

Digo aqui: o presidente do STF Joaquim Barbosa é um manipulador! E já deu provas sobejas disso.

A primeira manipulação ostensiva de Barbosa ocorreu no julgamento do senador e ex-governador de Rondônia Valdir Raupp.

De acordo com seu relatório, Raupp teria desviado recursos do Banco Mundial. Seu relato convenceu cinco Ministros que o acompanharam no recebimento da denúncia.

Coube a Gilmar Mendes identificar a falha no relatório. Um ordenador de despesas do estado havia lançado mão de recursos do convênio para cobrir uma situação momentânea de falta de caixa. Assim que soube, o governador abriu inquérito e mandou devolver os recursos aos cofres do Estado.

Informados dos novos dados, alguns Ministros decidiram mudar seu voto. Barbosa requereu então vista do processo para impedir que um colega - em véspera de aposentadoria - pudesse modificar seu voto.
 
Uma segunda manipulação aconteceu no chamado mensalão do PSDB. Barbosa apresentou um documento que teria sido assinado por Eduardo Azeredo. Para fundamentar a denúncia, sustentou que a defesa sequer rebatera o seu conteúdo. Era blefe. O advogado de Azeredo, José Gerardo Grossi, explicou que não rebatera porque o documento sequer fazia parte da denúncia.
 
A última de Barbosa agora é se valer dos seguranças do STF para acusar o advogado Luiz Fernando Pacheco de estar embrigado.
 
Repito: quando se trata de defender suas teses, Joaquim Barbosa é um manipulador. Ele já ultrapassou todos os limites da decência jurídica.
 

Segurança diz que advogado expulso do STF estava 'embriagado'

Assessoria do STF divulgou documento interno com relato de segurança.
Luiz Pacheco chamou documento de 'ridículo' e afirmou que não bebe.

 

Mariana Oliveiira Do G1, em Brasília

 
 
 
 

A assessoria do Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou na noite desta quarta-feira (11) relatório interno sobre a retirada do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) do advogado do ex-deputado José Genoino, no qual um segurança do tribunal informou a seu superior que o defensor estava "visivelmente embriagado". No mesmo relatório, outro agente de segurança diz ter ouvido o advogado afirma que "se tivesse uma arma, daria um tiro na cara do presidente" – leia a íntegra do relatório ao final deste texto.

Ridículo. Repudio veementemente até porque, como todos que me conhecem sabem, não bebo, rigidamente não bebo. E desafio quem quer que seja a demonstrar o contrário. Fiz o que fiz na maior sobriedade e faria de novo quando e onde se mostre a tirania. Joaquim Barbosa, ainda que sóbrio, vive num porre seco."
Luiz Fernando Pacheco, advogado do ex-deputado José Genoino

Procurado pelo G1 após a divulgação do relatório, o advogado Luiz Fernando Pacheco classificou de "ridículo" o relatório e negou que estivesse embriagado e disse que falou "na maior sobriedade". "Faria de novo", disse.

"Ridículo. Repudio veementemente até porque, como todos que me conhecem sabem, não bebo, rigidamente não bebo. E desafio quem quer que seja a demonstrar o contrário. Fiz o que fiz na maior sobriedade e faria de novo quando e onde se mostre a tirania. Joaquim Barbosa, ainda que sóbrio, vive num porre seco", declarou.

No início da sessão desta quarta, Barbosa mandou que seguranças retirassem Luiz Fernando Pacheco do plenário. Minutos antes, o criminalista, que comanda a defesa de Genoino, havia interrompido um julgamento para pedir que o Supremo discutisse recurso que pede que seu cliente deixe o presídio da Papuda, em Brasília, e volte para a prisão domiciliar. Após a discussão no plenário, o advogado foi retirado do local pelos seguranças.

O advogado Luiz Fernando Pacheco, que comanda a defesa do ex-deputado José Genoino (PT-SP), foi retirado do plenário do STF por ordem de Joaquim Barbosa (Foto: Mariana Oliveira / G1)
O advogado Luiz Fernando Pacheco, que comanda
a defesa do ex-deputado José Genoino (PT-SP), foi
retirado do plenário do STF por ordem de Joaquim
Barbosa (Foto: Mariana Oliveira / G1)

No relatório, o agente de segurança diz que, após ordem do presidente do Supremo, pediu que o advogado se retirasse, mas ele negou.

"Como o advogado, visivelmente embriagado, alterou o tom de voz de maneira desrespeitosa, o Presidente, suspendendo a Sessão, ordenou sua imediata retirada do Plenário. Com a equipe de segurança já postada ao redor do advogado, solicitei que ele se contivesse e se retirasse. Como se negou, a equipe de segurança, usando o princípio de uso moderado da força, retirou o advogado que, mesmo assim, insistia em pronunciar palavras agressivas ao sr. presidente."

O agente afirma ainda que outro segurança ouviu, fora do tribunal, o advogado ameaçar Joaquim Barbosa. "Informo ainda que, segundo depoimento do agente de segurança que participou da ação de retirada do advogado, já fora do Tribunal ele, visivelmente transtornado, teria dito que se tivesse uma arma, daria um tiro na cara do presidente."

Manifestações fora do plenário
Na saída do plenário, após ser retirado pelos seguranças, o advogado afirmou que Barbosa não coloca  o recurso em pauta e que "sonega ao réu a jurisdição".

 

"Não traz em pauta o processo porque sabe que será vencido. Então, a nossa manifestação hoje foi nesse sentido. No sentido de que ele traga ao plenário o agravo para que o Supremo Tribunal Federal, e não só a sua figura nefasta, julgue se José Genoino deve morrer na cadeia ou se pode cumprir prisão domiciliar."

O advogado disse que o presidente do Supremo usou de "truculência" para retirá-lo do plenário. "Ele com toda a sua truculência mandou me retirar do Supremo Tribunal Federal. Recebo isso com honra. Cada pedra lançada a mim por esse homem eu recebo como uma medalha."

Barbosa aponta 'ameaças'
Em nota, Joaquim Barbosa afirmou que o advogado de José Genoino agiu de "modo violento" e fez "ameaças" a ele.

"O Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, considerou lamentável o episódio ocorrido no início da sessão plenária desta quarta-feira, quando o advogado Dr. Luiz Fernando Pacheco interrompeu abruptamente o julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade para exigir que fosse imediatamente julgado recurso por ele interposto e concluso para julgamento no fim da semana passada. Agindo de modo violento e dirigindo ameaças contra o Chefe do Poder Judiciário, o advogado adotou atitude nunca vista anteriormente em sessão deste Supremo Tribunal Federal", afirmou a nota.

Íntegra
Veja a íntegra do relatório feito pelo agente de segurança do Supremo:

Senhor chefe da Seção de Segurança Pessoal de Dignitários

Reporto-me a Vossa Senhoria a fim de informar a ocorrência de incidente hoje, por ocasião da abertura da Seção Plenária.

O ocorrido se deu quando o Dr. Luiz Fernando As e Souza Pacheco, assomou à tribuna solicitando questão de ordem.

Como o advogado, visivelmente embriagado, alterou o tom de voz de maneira desrespeitosa, o Presidente, suspendendo a Sessão, ordenou sua imediata retirada do Plenário.

Com a equipe de segurança já postada ao redor do advogado, solicitei que ele se contivesse e se retirasse. Como se negou, a equipe de segurança, usando o princípio de uso moderado da força, retirou o advogado que, mesmo assim, insistia em pronunciar palavras agressivas ao Sr. presidente.

Com o incidente equacionado, o Sr. Presidente reiniciou a Sessão.

Informo ainda que, segundo depoimento do agente segurança que participou da ação de retirada do advogado, já fora do Tribunal ele, visivelmente transtornado, teria dito que “se tivesse uma arma, daria um tiro na cara do presidente”.

Cabe ainda detalhar o procedimento da equipe de segurança que seguiu todos os critérios a serem adotados em situações típicas, principalmente com o uso moderado da força, retirando o advogado sem atropelos e maiores alardes.

Quanto ao mais, me coloco a vossa disposição para maiores esclarecimentos.

Depoente – Servidor da Secretaria de Segurança do Supremo Tribunal Federal

 

Média: 5 (17 votos)
104 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Veri
Veri

JB tenta incriminar advogado

Integra, com legendas, da fala de Luiz Fernando Pacheco na sessão do STF.  https://vimeo.com/98330665 

Seu voto: Nenhum

O agente de segurança também

O agente de segurança também é anônimo? Ele não se indentifica no seu depoimento, Assina apenas servidor da secretaria de segurança do STF. Por que motivo um agente de segurança do tribunal se manteria anônimo em uma denúncia do próprio STF. É um documento oficial, quem o produz tem que ter nome, sobrenome, matrícula.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Gilson lopes da Silva
Gilson lopes da Silva

JB

          O cargo ocupado parece ser maior do que o seu ocupoante, daí o DELÍRIO.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

A quem falta ele afrontar ?

Decidido a sair, porem com alarde, dada a sua necessidade de está sempre em evidência, o (ainda) Pres. do STF, não perdeu a oportunidade de afrontar agora à sua própria categoria, desta vez tentando desconstruir a carreira intocável de seriedade do advogado Luiz Fernando Pacheco, simplesmente pelo fato do advogado está a serviço(legal e legítimo) do Jose Genoíno.

A arbitrariedade de mandar a segurança do tribunal, retirar o defensor à fôrça, sem sequer consultar seus pares, que já seria um afronta ímpar, ainda foi seguida da determinação, de que a assessoria do STF, divulgasse um ridículo e mentiroso relatório, no qual um dos agentes de seguranças(bastante parecidos com aqueles "gorilas" dos tempos da ditadura)teria percebido, que o advogado estaria embriagado, o que não procede, pelo fato conhecido, dele não beber nada alcoólico.

Ele não vai sair da ativa, sem antes desmoralizar a Justiça, e na esteira desta desmoralização, levar de arrastão a OAB.

Seu voto: Nenhum

O preço da liberdade, é a eterna vigilancia.

imagem de Maria izabel L Silva
Maria izabel L Silva

Tem que se ajoelhar

É. O advogado foi desrespeitoso, inconveniente e inconsequente. Ele deveria ter se ajoelhado, e de cabeça baixa, deveria ter dito, "ó grande senhor do judiciário, adorado e abençoado,  humildemente nós rogamos e apelamos para sua infinita bondade, o cumprimento da lei e os direitos do condenado, que esta em vossas  sagradas mãos, hosana nas alturas, etc, etc ..." Se assim fosse, não teria sido expulso.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

No início do relatório oficial se percebe a mentira. Observem.

Relatório Oficial da Segurança:

 

"O ocorrido se deu quando o Dr. Luiz Fernando As e Souza Pacheco, assomou à tribuna solicitando questão de ordem.

Como o advogado, visivelmente embriagado, alterou o tom de voz de maneira desrespeitosa, o Presidente, suspendendo a Sessão, ordenou sua imediata retirada do Plenário
" (destaques meus)

Reparem, o relato sob a suposta embriaguês se refere ao momento em que o advogado está NA TRIBUNA, não foi depois. Agora, todos podem ver o vídeo e dizer na SINCERIDADE SUAS CONSCIÊNCIAS (quem tiver ombridade de fazer isso). Pelo vídeo, onde se pode auferir QUE NA TRIBUNA o advogado aparece VISIVELMENTE EMBRIAGADO?

O video e as falas são claras. Não havia nada que pudesse indicar que o advogado estivesse embriagado na tribuna.

Queria que esse segurança explicasse onde raios notou que o advogado, NA TRIBUNA (volto a repetir) estivesse VISIVELMENTE embrigado, enquanto milhões de pessoas que podem ver o vídeo não conseguem vislumbrar o que apenas ele percebeu.

Podem notar o relato da suposta embriagues que o segurança fez foi no momento em que o advogado estava na Tribuna e que, segundo ele O TOM DE VOZ (quá! quá! quá!) desrespeitoso fez o Presidente suspender a Sessão.

Só esse segurança VIU uma visível embriagues do advogado na Tribuna. Esse detalhe é fundamental.

Seu voto: Nenhum

"E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria" 1 Coríntios 13:2

Com o relatório oficial se pode fazer acareação.

 

Bem, como o relatório oficial, faz menção a suposta embriagues "VISIVEL", do advogado NA TRIBUNA, e não depois num ato onde ele segurança pudesse estar só com o advogado, agora se pode fazer uma acareação entre as demais (DEZENAS ou quase uma centena) pessoas (de ministros que participavam da sessão) e de pessoas que assistiam a sessão, para ver quantas também perceberam, o que, aparentemente, só este segurança percebeu. Quantas pessoas no plenário irão confirmar que o advogado estava "VISIVELMENTE" embriagado NA TRIBUNA?

Pelo jeito o relatório que TALVEZ tenha sido "encomendado", às pressas, pecou nesse "detalhezinho". Pior tem o vídeo para demonstrar a postura do advogado NA TRIBUNA.

Será que vão pedir uma acareação? Eu pediria.

Seu voto: Nenhum

"E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria" 1 Coríntios 13:2

imagem de José Carlos Damaceno
José Carlos Damaceno

Nem na ditadura vi coisa

Nem na ditadura vi coisa parecida mas infelizmente é assim que a grande imprensa aliada de um certo opositor quer, e o poder da imprensa é gigantesco principalmente num pais como o Brasil onde as pessoas torcem para este ou aquele sem se preocuparem se isso é certo ou errado, meu velho pai que na sua vam ignorancia já dizia existem trez coisas que devemos temer (a imprensa a policia e a justiça,) justiça???????????

Seu voto: Nenhum (2 votos)

O Só Zé dque deu depoimento

O Só Zé dque deu depoimento falso poderia ate ser DEMITIDO!

Seu voto: Nenhum

"O que fazemos na vida, ecoa na ETERNIDADE!" (Máximus - Gladiador)

"Os dois mais importantes dias em sua vida são o dia em que você nasceu e o dia em que você descobrir o porquê... - M

Joaquim Barbosa desceu o

Joaquim Barbosa desceu o último degrau da infâmia ao querer justificar seu delito de abuso de autoridade imputando injúrias ao advogado. 

Já foi para o lixo da história. Com todas as honras e méritos. 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de MAAR
MAAR

ENFRENTAMENTO DA TIRANIA

Creio que seja tempo de manter a visão clara e perseverar no enfrentamento da tirania através dos meios adequados. Uma primeira inciativa que parece recomendável, é que a OAB dirija uma carta pública aos Excelentíssimos Ministros da Suprema Corte, para solicitar dos Pretórios Excelsos o urgente apoio à questão de ordem absurdamente denegada pela presidência do STF, relativa à prioridade do julgamento do recurso que trata do imperativo direito a prisão domiciliar decorrente de problemas de saúde do preso político José Genuíno. Tal iniciativa tem como fundamentos tanto a defesa da legislação em vigor, no que tange à prioridade processual expressamente determinada pela lei, quanto a defesa do cogente respeito aos princípios constitucionais elementares, referentes à garantia da vida e da dignidade humana, bem como à garantia da tutela judicial e do devido processo legal. A carta pública aqui sugerida pode ser inicialmente assinada pela direção da OAB, em razão da urgente necessidade de priorizar a preservação da vida, nos moldes pleiteados no recurso abusivamente procrastinado pelo presidente do STF, mas poderá a seguir ser subscrita por todos as pessoas fiéis aos princípios constitucionais básicos. E, a meu ver, a sugerida missiva deve ressaltar que o silêncio dos Pretórios Excelsos diante do abuso praticado pelo presidente da Suprema Corte é incompatÍvel com o compromisso de zelar pelo respeito à Constituição Federal, além de destacar que o julgamento maior será realizado pelas gerações futuras, à luz dos fatos e da História. Por outro lado, parece desejável que a OAB providencie um encaminhamento judicial específico, como por exemplo um Mandado de Segurança no STF, para requerer o afastamento de Joaquim Barbosa por quebra de decoro, em face da ditatorial afronta às prerrogativas da advocacia, legalmente asseguradas, e da decorrente violação deliberada de princípios constitucionais elementares. Ademais, vale lembrar que o digníssimo advogado abusivamente constrangido ontem pelo presidente do STF pode e deve ajuizar ações cíveis e penais para cobrar responsabilidades de tantos quanto tenham vindo a público caluniar sua pessoa, tanto no que se refere às infundadas acusações de conduta irregular na malsinada sessão do tribunal, quanto no que tange às inverÍdicas alegações de embriaguez. E, neste sentido, devem ser processadas não apenas as autoridades e demais pessoas físicas praticantes dos delitos já referidos, quanto as empresas de mídia envolvidas.

Seu voto: Nenhum
imagem de MAAR
MAAR

No final, leia-se: "mas

No final, leia-se: "mas também as empresas de mídia envolvidas".

Seu voto: Nenhum
imagem de Renato Arthur
Renato Arthur

A tese doBarbosa

Tenho para mim que o Sr Barbosa sempre teve profunda indignação com o judiciário Brasileiro, por sua postura submissa aos interesses do capital e dos poderosos.  Como não podia denunciar tal situação, armou um ardil. Desmoralizar o STF e a justiça. Demonstrou ao vivo e a cores como se pode condenar sem prova, como a maioria dos seus pares se acovardavam , como a Mídia  é na verdade o maior poder  da nação e  como ela pode  julgar e condenar e que o clamor por  justiça dos deserdados  jamais será atendida . O que ele fez foi levantar o pano e desmoralizar o mágico (justiça) e mostrar as claras como as coisa acontecem nesse país.  O judiciário que está tendo um pesadelo acordado ,  verá que  no seu último ato é de demonstrar que, sendo  acobertado pelos poderosos, pode-se fazer de tudo nesse país  que fez que nada lhe   acontece , como já foi demonstrado no golpe de 64.

Seu voto: Nenhum
imagem de Dulce (Madame X)
Dulce (Madame X)

Barbosa "gosta de

Barbosa "gosta de datas"...não me surprenderia que HOJE, estréia do Brasil no mundial...mandasse prender o advogado de Genoino.

Pode? Bem...não pode..."E daí?" ;/

Um insano PODE TUDO!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Fred Cal
Fred Cal

O engodo!

O Advogado, em todos os momentos, se mostrou desrespeitoso, inconsequente e inconveniente. Demonstrou que seu interesse seria meramente promover um espetáculo e  aparecer na mídia e assim se projetar as custas de seu ato pernicioso contra ao presidente do STF e a corte presente. O presidente do STF foi paciente e complacente demais. Depois do "vou te pegar" o presidente deveria ter mandado esse mal exemplo para a cadeia!!

Seu voto: Nenhum (14 votos)

Exame de sangue

Dr. Pacheco, que esta mensagem chegue ao senhor. Faça um exame imediatamente para atestar a sobriedade, adote as medidas cabíveis contra o JB Assas e toda a equipe de segurança do Supremo. Tenha isto em mãos para desmentir a grande mídia. Saudações, e parabéns pela hombridade ao defender os interesses do cliente!

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Calvin
Calvin

Eu vi outra coisa

Vi no vídeo o advogado dizer que "ia pegar" Joaquim Barbosa. Ele até respondeu: "Sei, me pegar...".

 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

E como seu ouvido nunca foi

E como seu ouvido nunca foi seletivo, ouviu o advogado completar: vou pegar por abuso de poder. 

Seu voto: Nenhum (14 votos)

E um juiz de STF

Chamar um advogado em exercicio do seu dever de "ANTA" Já viu algo assim Nassif? Não é a total desmoralização do Barbosa?

Seu voto: Nenhum (3 votos)

A Galinha sem Cabeça

Quando eu ainda era um pirralho, me escondia apavorado debaixo da mesa da cozinha quando o meu pai, aos sabados, aparecia com um machadinho na mão com a finalidade de fazer com que uma galinha ficasse uma cabeça menor. Num deste sabados, crente que o horror já tinha terminado, me levantei antes da hora, só para ver a galinha, já sem cabeça, passar a correr o jardim todo, num zig-zag impressionante, até morrer de vez, quando se chocou contra uma parede. Estou me lembrando desta cena agora, não sei porque.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Maria Rita
Maria Rita

Toma, Globo, a sua criação, o

Toma, Globo, a sua criação, o seu Frankstein! Toma que o filho  é seu!

Seu voto: Nenhum (4 votos)

JB demonstra uma ingenuidade

 

JB demonstra uma ingenuidade colossal. Ele realmente acredita que uma suposta ilegalidade cometida pelo seu adversário justifica o crime de mera conduta que ele cometeu diante das câmeras de TV? 

 

Onde está o rigor Penal desproporcional que JB aplicou em relação aos réus do mensalão petista? Quando se trata de sua augusta pessoa, JB acredita que nenhum rigor Penal é necessário?

 

Falta ao presidente do STF um pouco de coerência e muito bom senso. A régua penal com a qual ele mede os outros é qualitativamente diferente da que ele usa para medir a si próprio. Falta-lhe a capacidade humana da empatia, de ver um pouco de si no outro e um pouco do outro em si mesmo. Este distanciamento paranóico que JB parece nutrir em relação a todos os demais é a fonte de todo o mal. 

 

De Julio César a Hitler, passando por Napoleão, todos os líderes sanguinários tiveram esta falha de caráter fundamental que JB demonstra: a de se julgarem superiores aos outros homens. E a incapacidade de admitir que cada sujeito vê a realidade a partir de uma posição externa distinta da dos demais, sendo todos parte da mesma realidade e devendo coexistir apesar de suas diferenças. JB absolutiza sua posição. A defesa do réu e o direito do advogado defendê-lo significam nada diante dele porque só o ponto de vista dele deve imperar. Se um homem com esta índole chega ao poder político e comanda exércitos a única coisa que se pode esperar é o massacre sanguinário de todos que dele discordem.

 

 

 

Seu voto: Nenhum
imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

Um canalha precisa de outros.

O depoimento do segurança do STF mostra a que ponto pode chegar o puxa saquismo, a bajulação explícita, a falta de caráter e o vale tudo para subir na vida. Barbosa, depois do dia 30, vai visitar seus demônios, que são muitos. Mas esse segurança, lá permanecerá. Deve ser demitido a bem do serviço público, por mentir, caluniar, difamar em documento oficial dirigido a sua chefia. Um canalha precisa de outros para prosperar. A demissão por justa causa desse cafajeste público deve servir de exemplo para que todos os bajuladores do serviço público, verdadeiros escudos da canalhice de seus mentores, saibam que poderão ser pegos na próxima esquina, em casos de vilania grotesca como essa.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de edson s
edson s

Se ele não o fizer, está na

Se ele não o fizer, está na rua! Que ponto que se chegou, uma mentira deslavada para encobrir atos de puro autoritarirmso e junto a complacência da mídia. 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de joaldro dalla costa
joaldro dalla costa

quem tem medo de

quem tem medo de AUTORITARISMO é quem DEVE. 

Se o barbosa resolver fechar mais alguns, tem meu apoio.. se quiser fechar a OAB, tem meu apoio tambem...

precisamos de AUTORIDADE, respeito , e nao corporativismo,,

 

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Heil

Heil Barbosa!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

"Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma".  Joseph Pulitzer

O bêbado e a feia!

Essa alegação de que o advogado estava embriagado me faz lembrar a piada do bêbado e da feia. Bêbado: - Sua feia! Feia: - Seu bêbedo! Bêbado: - É, mas amanhã “estou” são!

Essa alegação de que o advogado estava bêbado se revela, no contexto, como uma questão periférica, secundária, sem qualquer relevância para uma análise da intervenção dele em plenário. Sendo verdade, ele pode ser penalizado por ato diverso.

Por exemplo, o bêbado (e ainda dirigindo com carteira e documento do carro “vencidos”) pode muito bem não ser o responsável por determinado acidente de trânsito. Basta que o católico praticante, ou evangélico fervoroso, tementes a Deus e abstêmios, dirijam na contramão de direção em via de mão única e venham se chocar frontalmente com ele! 

Seu voto: Nenhum
imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

Eu vi o video. Engracadinho,

Eu vi o video.

Engracadinho, eu pensando que sou o ultimo biscoito do jarro por bolar um oraculo que so da respostas certas em varias e varias familias matematicas, e Barbosa inventa um...  Visivelmente Embriagado Invisivel ! ! !

Seu voto: Nenhum (2 votos)

O ADVOGADO E O JUIZ : uma relação, às vezes, tempestuosa.

O advogado e o juiz: uma relação, às vezes, tempestuosa.

Ivan Mercêdo de Andrade Moreira

Embora muitos juízes achem (muitos tem até certeza) que são superiores hierarquicamente aos advogados e, pior, embora inúmeros advogados se sintam, equivocadamente, subordinados ou inferiores aos magistrados, essa não é a verdade.

Na realidade inexiste qualquer relação de subordinação entre advogados e juízes.

É o que se pode depreender do que diz o art. 133, da Constituição Federal:

“O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei.”.

E, também, pelo disposto na Lei 8906/94 (Estatuto da Advocacia), mais precisamente no seu

art. 2º. (O advogado é indispensável à administração da justiça),

parágrafo 1º., (no seu ministério privado, o advogado presta serviço público e exerce função social),

parágrafo terceiro, (no exercício da profissão, o advogado é inviolável por seus atos e manifestações, nos limites desta lei), no seu

artigo 6º., (Não há hierarquia nem subordinação entre advogados, magistrados e membros do Ministério Público, devendo todos tratar-se com consideração e respeito recíprocos) e no seu

art. 7º. (São Direitos do advogado),

incisos I (exercer, com liberdade, a profissão em todo o território nacional) e

XI (reclamar, verbalmente ou por escrito, perante qualquer juízo, tribunal ou autoridade, contra a inobservância de preceito de lei, regulamento ou regimento) e no seu

parágrafo 2º. (o advogado tem imunidade profissional, não constituindo injúria, difamação puníveis qualquer manifestação de sua parte, no exercício de sua atividade, em juízo ou fora dele, sem prejuízo das sanções disciplinares perante a OAB, pelos excessos que cometer).

Não é difícil entender que o advogado deve tratar o Juiz com respeito e consideração, mas não pode e não deve se curvar diante de caprichos, de ilegalidades, de imposições absurdas ou de falta de educação.

Cabe ao advogado defender o interesse de seu cliente contra tudo e contra todos, de forma elegante e educada, mas também de forma veemente e incisiva, muito embora essa atitude possa gerar “caras feias” ou desagrado de alguns.

Ambos deveriam, sempre, tratar-se mutuamente com respeito e consideração, cientes da inexistência de qualquer subordinação ao outro.

O problema é que muitas vezes esta relação se “azeda” por aquilo que já ouvi chamarem de “enfermidades de ego”, que fazem com que um se esqueça de que é impossível a sua existência isolada e que estas funções não subsistem de forma única.

E, dentre as “enfermidades de ego”, a mais conhecida é a relatada pelo Min. Marco Aurélio de Mello, em entrevista à Folha de São Paulo, em 31.05.2003

“É preciso que os integrantes da magistratura compreendam que somos servidores públicos e que devemos contas ao contribuinte. Às vezes temos colegas acometidos daquela doença conhecida no jargão forense como juizite. São colegas que se sentem reizinhos. Não queremos semideuses no Judiciário nem poderíamos pretender isso".

Assim, fica um recado aos advogados: tratem a todos, juízes, promotores, serventuários e aos colegas de profissão com respeito, consideração, elegância, clareza e distinção, mas reclamem, exijam e cobrem tratamento igual.  

Os advogados podem, devem e, mais, tem a obrigação de serem incisivos, veementes, enérgicos e intensos na defesa dos interesses de seus clientes.

Este artigo foi escrito em 19 de julho de 2011

http://www.mercedo.com.br/Artigos//Artigo-3/

Ivan Mercêdo de Andrade Moreira é Sócio Fundador do escritório Ivan Mercêdo Moreira Sociedade de Advogados

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ouso pensar porque ouso pensar que ouso pensar.

 

Caro Nassif e demais JB

Caro Nassif e demais

JB mostrou toda sua verve furiática, anti-PT, de forma,  a lembrar os caçadores de bruxas do Salém, com inveja.

Nero sentir-se-ia, infantil. Mas, JB, é apenas a ponta desse iceberg. A mídia já saiu em sua defesa. 

E os demais ministros? Todos se calaram?! Ninguém falou nada? Ficaram quietos?

Se foi isso, temos ali, 11 Patifes, 11 Cretinos.  

De novo, denúncias "anônimas" vieram para salvar JB.

Saudações

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de autonomo
autonomo

Espero que não aconteça o

Espero que não aconteça o mesmo com a seleção no final da copa.

Mas o Brasil esteve a um decimo de segundo de se livrar para sempre desse louco desvairado.

Por muito pouco não ficou absolutamente explicito a nação que seus atos são frutos de uma doença mental.

Poucos notaram, mas revejam o video.

Ele quase soltou o que seria o absurdo total, o surrealismo virando real.

Ele diz aos gritos:

"Segurança tirem essa .... daqui".

A merda quase saiu.

Salvaria o pais de um louco.

Teria que ser retirado em camisa de força.

Caso contrario, todos nos, igual ao conto "Alienista" de Machado de Assis, deveriamos nos trancar em algum manicomio.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de PauloBR
PauloBR

A 1'27

Não foi "quase". A 1'27 do vídeo, Barbosa se refere ao advogado como "essa anta". Impeachment!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Joaquim Barbosa é uma pessoa

Joaquim Barbosa é uma pessoa totalmente desequilibrada e incapaz de presidir o cargo que ocupa.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Daniel Américo
Daniel Américo

Cuidado

Cuidado Nassif, Noblat foi processado com muito menos e uma causa contra um mesmo que 'ex-ministro do STF' ainda é coisa dura de se vencer.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Essa criatura, presidente do

Essa criatura, presidente do STF, é um perigo para o país....para nossa democracia e para o nosso direito....isso já foi demonstrado inúmeras vezes, através do seu destempero, seus arroubos e sua total falta de educação para com os seus pares e com o povo brasileiro. O que mais podemos falar desse que se auto proclamou o Rei Sol ?  é um acinte que este senhor, que já demonstrou várias vezes não ter condições nenhum de desempenhar o cargo que ocupa, permanecer intocado até o presente momento.  `Paira sobre ele dúvidas sérias....mas até o presente momento as casas se calam....por quê?  A OAB também foi conivente com esse senhor......só agora repudia suas ações.....deu asa para um descontrolado de índole pra lá de duvidosa. E pensar que ainda temos pseudos brasileiros que o querem como presidente...... e aí fica constado  o mal que nossos meios de comunicação fazem ao país. 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Quando o bode vai se retirar

Quando o bode vai se retirar da sala? Isso é urgente!!

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Juliano Santos

A infeliz frese de Barbosa

"A República não pertence a vossa excelência e nem a sua grei [partido]"

Joaquim Barbosa, registrado pela folha

 

A frase de Barbosa diz muito e comprava, se necessário ainda fosse, que o atual presidente conduziu um processo de forma parcial e partidarizada. Motivos:

1) Não há nada no fato a vincular o advogado ao partido de seu cliente. Se vínculo existe, nåo há impedimento legal nem ético.

2) Se Barbosa manifesta publicamente contrariedade por suposta aproximação do advogado a uma alegada grei, é o presidente do Supremo partidarizando e se colocando claramente em posição oposta, portanto manifesto posicionamento parcial e político.

3) Podemos inferir pela frase que Barbosa chamou a si a posse da República e de sua própria grei, o que demonstra que sua atuação foi marcada por interesses particulares.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Mauro Giller
Mauro Giller

O Advogado estava desrespeitando o Joaquim Barbosa

Vendo o video aqui com toda a imparcialidade, vejo um advogado que não deixava o presidente do STF
falar, visivelmente exaltado o Sr. Pacheco, foi levantando o tom de voz, interrompeu o assunto que estava em pauta, mania de muitos brasileiros que não respeitam quando outros estão tratando de outro assunto, se metem e interrompem do nada.Ainda mais para exigir que um réu já condenado transito em julgado por corrupção e encarcerado seja devolvido à sociedade ou regime de prisão domiciliar. Agora na real, quem abusou lá foi o advogado!, pois o Ministro disse já de início que o assunto estava na pauta. Advogados de políticos corruptos são os maiores manipuladores que existem.

O Barbosa foi decente, teve uma enorme paciência com o sujeito e teve que fazer o correto:

Expulsar o advogado que exagerou no "blue Label" antes de entrar no local.

Teve que lembra-lo que não é ele o advogado, quem faz a pauta.

Teve que lembrar que ele como advogado não pode dizer ao presidente do STF o que fazer

E ainda tem gente que acha que o JB é um tirano. O advogado visivelmente mereceu o que teve.

Interrompeu uma sessão em curso com um assunto de menor importância, não deixou o ministro falar por

três vezes, foi impertinente e invasivo. e subiu o tom e continuou insistindo mesmo após ser cortado o audio

Olha me desculpem viu, eu faria o mesmo no lugar do JB. O Cara forçou demais a situação. 

E duvido que o segurança foi orientado pelo JB no seu depoimento, não iria colocar seu emprego em risco, e o JB  não iria se meter nisso a um mês da sua aposentadoria.

Após isso o sujeito ainda falou que ia pegar o ministro e na saída disse que se tivesse uma arma daria um tiro nele.

Pacheco deixou o plenário protestando: "Eu pegarei Vossa Excelência também... por abuso de autoridade. (...) Isso é abuso de autoridade! Isso é abuso de autoridade", ao que Barbosa rebateu: "Quem está abusando de autoridade é Vossa Excelência. A República não pertence à Vossa Excelência e nem a sua grei 

Dá-lhe Barbosão!  OAB = Vergonha!

Corrupção= Crime Hediondo e inafiançavel Já!!!!!




 



 


 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Enio Marcio de Abreu e Sousa
Enio Marcio de Abreu e Sousa

Concordo plenamente Mauro e

Concordo plenamente Mauro e faço das suas palavras as minhas tambem

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Vergonha alheia.

Vergonha alheia.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Ques as forças maiores me livrem de linchar o devido processo legal

Alienação

Post leviano e  típico de quem não enxerga um palmo diante do nariz. Deveria, ao menos, atentar para o que disse o ministro Marco Aurélio de Mello ( que não é nem nunca foi simpatizante da grei do PT):

 

11/06/2014 17h16 - Atualizado em 11/06/2014 17h16

Marco Aurélio diz que retirar defesa de Genoino do plenário foi 'péssimo'Para ministro, advogado chegou ao 'extremo' ao falar sem ter autorização.
Para ele, advogado deve defender cliente 'sem receio de desagradar', 

Mariana Oliveira Do G1, em Brasília

 

 

"Achei péssimo. Nada surge sem uma causa e deve haver uma causa. E a causa, aponto como não haver ainda o presidente trazido os agravos [recursos] à mesa. [...] Foi ruim em termos de estado democrático de direito. O regime é essencialmente democrático e advogado tem, pelo estatuto da advocacia, o direito à palavra",

Seu voto: Nenhum (1 voto)

"Viver significa lutar."

Sêneca

Em post é fácil.

"Expulsar o advogado que exagerou no "blue Label" antes de entrar no local".

Então o advogado estava bêbado?

Gostaria de ver você afirmar isso em juízo.

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Ouso pensar porque ouso pensar que ouso pensar.

 

imagem de Carlos Dias
Carlos Dias

Troll coxinha revoltado detected!!

Nassif, na boa, pára de censurar quando ataco esses babacas trolladores.. Essa semana voce ja me bloqueou várias..

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Mauricio Salles
Mauricio Salles

Diplomatas do silêncio

Se eu fosse Ministro do Supremo anunciaria a minha retirada da sessão em protesto contra o ato de presidente do STF em desrespeito ao advogado de defesa. Era o mínimo que poderia ser feito.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

O pior foi o canalha e

O pior foi o canalha e jornalista já condenado a prisão pela justiça, (o Boechat da Band), dizer que o JB estava certo em expulsar o advogado do STF (pois o advogado teria "invadido" o tribunal).

Se realmente houvesse justiça neste país, este elemento, (o Boechat) ), estaria cumprindo pena na Papuda e não apenas pagando "cestas básicas" para poder continuar  cometendo crimes reiteradamente no tal Jornal da Band.

Um absurdo total.

Seu voto: Nenhum (16 votos)

Errou Barbosa

O advogado estava no exercício das suas prerrogativas legais. Estava requerendo oralmente, no plenário do STF, ao presidente da sessão, no caso, o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, que o agravo regimental fosse colocado em pauta para julgamento, num caso de reú preso que requer prisão domiciliar por motivo de doença, recurso que demanda prestação jurisdicional de urgência.

Não cabia, de modo algum, cassar a palavra do advogado, muito menos ordenar que os seguranças retirassem o advogado do plenário.

Atentou gravemente contra as prerrogativas da advocacia o presidente do STF. Errou feio e ainda fez chacota, quando disse que o advogado e sua grei não eram donos da República.

Pergunta-se: E Barbosa é dono da República? Não me parece que seja.

Concordo com o advogado e solidarizo-me com ele.

  Art. 7º São direitos do advogado:

(...)

  XI - reclamar, verbalmente ou por escrito, perante qualquer juízo, tribunal ou autoridade, contra a inobservância de preceito de lei, regulamento ou regimento;

 XII - falar, sentado ou em pé, em juízo, tribunal ou órgão de deliberação coletiva da Administração Pública ou do Poder Legislativo;

(...)

Seu voto: Nenhum (1 voto)

"É relativamente fácil suportar a injustiça. O mais difícil é suportar a justiça." Henry Louis Mencken.

imagem de hbcwb
hbcwb

Joca malvadeza se sentiu ameaçado!

Joca malvadeza sentiu que corria risco de vida, pares do advogado no ambiente estavam com suas pastas repletas de papéis, poderia o advogado se apoderar de uma folha e confeccionar uma bolinha de papel, esta arma já foi utilizada contra o Cerra e segundo ele foi quase letal.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

E ai Barbosa, vai engavetar?

É só o advogado fazer um teste de alcoometria e anexar ao processo contra JB, junto com o depoimento apócrifo do segurança...

Seu voto: Nenhum (7 votos)

e quanto ao relatório do agente de segurança...

nada de anormal para JB, provavelmente, considerando-se o que já aconteceu de pior em pleno julgamento

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Nassif, É do presidente da

Nassif,

É do presidente da suprema corte que estamos falando?  Ou é de um déspota lunático que acredita ser a  própria ENCARNAÇÃO da justiça?!

Seu voto: Nenhum (10 votos)

Marcelo Macêdo

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.