Revista GGN

Assine

O mensalão e a justiça brasileira, à luz do Caso Dreyfuss; por Rpv

Ref.: Caso Dreyfuss em Terrae Brasilis; por Jeová Barros Júnior

O grande mérito da AP 470 foi o desnudamento da justiça brasileira. Deixou às claras sua forma de atuação. Nada de neutralidade, técnica, respeito aos autos, a letra da lei e ao devido processo. Somente a vontade do juiz. Política pura. Partidária, inclusive. Maquiavel na veia.

Não era assim antes da AP 470. Afinal, foi com base na autonomia do judiciário que GM concedeu dois HC “cangurus” para libertar Daniel Dantas e outro para Roger Abdelmassih fugir do Brasil. Foi o respeito a um dos mais caros princípios jurídicos, a presunção da inocência, que fez Marco Aurelio libertar Cacciola (seu vizinho no Rio) para ele visitar o principado de Mônaco.

Na AP 470 JB prendeu o passaporte de Dirceu para ele não ir ao enterro de Chavez.

Depois da AP 470 passou a valer a pressão da mídia, ops, “das ruas”. Os valores mais caros da justiça dissiparam-se. Imparcialidade, autonomia e técnica, dão lugar aos “anseios da sociedade”, a “subjetividade das leis”, ao “contexto que envolve as provas dos autos”. O que era técnica virou política. Simples assim.

E isso prova duas coisas.

Primeiro, que nunca existiu esse poder judiciário soberano pairando sobre os demais e imune as “mazelas” políticas. Um poder que seria comandado por senhores de toga preta, sóbrios, sábios e zelosos guardiães dos princípios e regras que garantem a realização da verdadeira justiça.

Revela-se um poder tão POLÍTICO quanto os demais, com seus vícios e virtudes. Não é técnico, não é autônomo, não é imparcial. Nunca foi. É uma instituição social como qualquer outra.

Um segredo guardado a sete chaves pelo conservadorismo brasileiro. Ao perder o poder executivo obrigam-se a revelá-lo. Pressionando-o politicamente, quando diziam ser completamente imune a isso.

Por fim, a AP 470 também mostrou àqueles que clamavam por uma justiça mais sensível aos problemas sociais, o quão perigosa pode ser.

Mostrou ainda àqueles que criticavam sua morosidade e seus infinitos recursos, o quão importante eles são, especialmente quando se encarna o calvário dos réus.

Sem votos
5 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Carlos Dias
Carlos Dias

O que falta para pedir o impedimento do Joaquim Barbosa?

Me corrijam onde eu estiver com alguma informação errada.

1) Acolheu esse monstrengo jurídico fabricado pelo quadrilheiro da PGR, sr Fernandes (que por pura sordidez incluiu 40 nomes pseudo-correlacionados para criar o monstrengo bem ao sabor da mídia. Midia essa que achou no termo idiota "mensalão" um filão de ouro pra satanizar um partido e sua militância. Criminoso, portanto)

2) Negou o duplo grau aos réus que não tinham foro no stf. Negou um direito constitucional. Isso é grave.

3) Escondeu provas encerrando-as em processos que correm em segredo de justiça (por ele mesmo decretado). Criminoso, portanto. Lembrando que muitos tolos andam dizendo aos 4 ventos que Dirceu deve ir preso pois os "criminosos de poder" são capazes de esconder provas... Isso não vale pro JB? Ele é o protótipo do criminoso de poder que escondeu provas. Pior! Escondeu provas que potencialmente absolveriam os réus... Não creio haver algma contuta mais torpe e repugnante.

4) abriu empresa fake para comprar imóvel fora do pais (indecoroso, no mínimo)

5) Emprega métodos truculentos na condução do julgamento e abusa de adjetivos pejorativos contra os réus, desrespeitando impunemente os princípios basilares dos direitos humanos. Ferindo descaradamente a honra e a dignidade dos acusados. Atenta contra os colegas de magistratura com ofensas caluniosas.

6) Emprega na condução do julgamento, sob sua presidẽncia, além da truculencia e deboche, uma explícita agenda em associação com a mídia e grupos que excercem fortes pressões políticas. Motivado por ambições estranhas, torna a Justiça refém de abutres e atira o STF em instabilidade perigosa para a República  (indecoroso e criminoso. Em que pese que seus atos aparentam intencionalidade e sincronia)

7) formatou o processo de modo a dificultar a defesa que teve ínfimos minutos para sequer expor as provas.

Era hora do Senado intervir nisso. Os insanos que agora comemoram e escarnecem não percebem o tamanho do perigo em que estão mergulhando. talvez estejam pensando que após o serviço sujo poderão descartar os JBs da vida... Não é bem assim... É bem comum o feitiço se voltar contra o feiticeiro.. Aí será tarde demais.

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Severino Fernandes
Severino Fernandes

  Pois é: são esses juízes

 

Pois é: são esses juízes que falam é ética, decência e moral. O sr. Gilmar Mendes que concedeu dois HCs relâmpago para o banqueiro Daniel Dantas e ajudou "indiretamente" a facilitar a fuga do médico estuprador Roger Abdelmassih. E o sr. Marco Aurélio de Mello, que facilitou a vida para o banqueiro condenado Salvatore Cacciolla, que acabou saindo da cadeia para tirar umas férias no Principado de Mônaco.São esses juízes que falam em decência e em não permitir impunidade ou uma justiça injusta. (quá, quá, quá...) E que por isso querem mandar para a cadeia (sem prova alguma de coisa alguma) políticos do PT enredados na lorota do "mensalão" (na verdade "mentirão"). Porque o PT tem que ser justiciado por ter inventado a corrupção e ser o único partido corrupto do país. (rs...)Depois querem que levemos a sério esse julgamento teatral e circense, que mais se assemelha a uma ópera bufa, sob a batuta da mídia direitista e reaça. Algo que os só as hienas cínicas da direita tupiniquim e os tolos e desinformados (inocentes úteis) é que levam a sério.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Severino Fernandes
Severino Fernandes

  Pois é: são esses juízes

 

Pois é: são esses juízes que falam é ética, decência e moral. O sr. Gilmar Mendes que concedeu dois HCs relâmpago para o banqueiro Daniel Dantas e ajudou "indiretamente" a facilitar a fuga do médico estuprador Roger Abdelmassih. E o sr. Marco Aurélio de Mello, que facilitou a vida para o banqueiro condenado Salvatore Cacciolla, que acabou saindo da cadeia para tirar umas férias no Principado de Mônaco.São esses juízes que falam em decência e em não permitir impunidade ou uma justiça injusta. (quá, quá, quá...) E que por isso querem mandar para a cadeia (sem prova alguma de coisa alguma) políticos do PT enredados na lorota do "mensalão" (na verdade "mentirão"). Porque o PT tem que ser justiciado por ter inventado a corrupção e ser o único partido corrupto do país. (rs...)Depois querem que levemos a sério esse julgamento teatral e circense, que mais se assemelha a uma ópera bufa, sob a batuta da mídia direitista e reaça. Algo que os só as hienas cínicas da direita tupiniquim e os tolos e desinformados (inocentes úteis) é que levam a sério.

Seu voto: Nenhum
imagem de zuleica jorgensen
zuleica jorgensen

Excelente texto. Esclarece e

Excelente texto.

Esclarece e desfaz a magia que envolve os ministros do STF,  supostamente sóbrios, sábios, zelosos dos princípios que regem a atividade.

Nessa irrealidade caíram Lula e Dilma, em algumas indicações para o Excelso. Mas a corte é política e assim deve ser considerada. E seres políticos, como sabemos, têm lado e expressam essa escolha também em suas decisões, por mais "técnicos" que se considerem.

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de C. Acácio
C. Acácio

Duas gemas da lavra da Casa

Duas gemas da lavra da Casa Grande , a formação nas academias militares e a doutrinação ideológica dos juízes . É hora de resgatá-las , lapidá-las e devolvê-las ao dono . O povo brasileiro...

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.