Revista GGN

Assine

Xadrez da reação da política e do início do fim do ciclo Lava Jato

 

Cena 1 – o quadro político atual

Têm-se um presidente, Michel Temer, com 5% de aprovação e com viés de baixa, apresentado a toda Nação como chefe de uma organização corrupta, que há vinte anos chantageia presidentes eleitos. Têm-se, também, o Congresso mais corrupto da história, ambos unidos para enfiar goela abaixo do povo reformas profundamente antissociais.

Além disso, um governo que não tem um plano de voo para recuperar a economia, reeditando práticas da ditadura, de manipulação de índices (https://goo.gl/lZG9Ud) .

Sem a menor sensibilidade política, Temer alardeia não ter popularidade, mas ter o Congresso na mão.

Monte a equação:

Governo corrupto, com 5% de aprovação + Congresso corrupto + reforma da Previdência com 90% de desaprovação + declarações de desprezo pelo eleitor = Xn

Onde

X = nível de agitação popular

n = a gradação dessa agitação

O X1 foi o quebra-quebra da policia civil no recinto da Câmara.

Qual será o X2? Invasão do Congresso pela turba? Cerco ao Supremo? A própria segurança do Planalto aderindo às manifestações?

Como reagirá a opinião pública vendo uma súcia desmontando o Bolsa Família, o Ciência Sem Fronteiras, o Luz para Todos e, ao mesmo tempo, fazendo negócios ilimitados nos Ministérios e no Congresso?

Esse repúdio a Temer, às reformas e à inação da política econômica está se estendendo para vários setores da sociedade organizada. Hoje, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que deu pleno endosso ao golpe, emitiu uma nota conjunta com a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) condenando a maneira como está se dando a reforma da Previdência.


 

Espera-se que estendam seu olhar misericordioso sobre a parcela não organizada da sociedade, os muito vulneráveis amparados pela seguridade social.

Cena 2 – a volta do pêndulo da política

O desgaste irreversível do esquema Temer está promovendo uma mudança no pêndulo da política.

Divulgada ontem, a pesquisa Vox-CUT (https://goo.gl/wUZ9Kr) explica em parte esses movimentos. E também a nova ofensiva da Globo contra Lula.

A pesquisa assustou pelos dados imediatos: Lula venceria no primeiro turno, seja qual for a composição de adversários.

Mas é mais significativa pelas informações adicionais.

Há sinais nítidos de que o movimento atual, em direção a Lula, não se arrefecerá mesmo com a nova onda da Globo. Aumentou para 66% (em dezembro era 58%), o percentual dos entrevistados que acham que Lula cometeu erros, mas fez muito mais coisas boas pelo povo e pelo Brasil. E caiu de 34% para 28% os que acham que ele errou muito mais do que acertou. Entre os eleitores radicalmente anti-petistas, Lula consegue 8% de aprovação, mais do que qualquer candidato individualmente, embora seja natural a dispersão entre os diversos candidatos da direita.

Volta-se de modo irreversível, segundo avaliação de Marcos Coimbra, do Vox Populi, ao velho leito do rio: um terço do eleitorado de esquerda, um terço anti-PT e um terço no centro. E há sinais nítidos de que os centristas caminham em direção a Lula. Tudo isso pela absoluta falta de legitimidade e de projetos do esquema Temer e do grupo de tecnocratas que assumiu a área econômica.

O que se pretende sem um projeto político minimamente viável? Tirar pela segunda vez o direito ao voto nas eleições de 2018, com a inabilitação de Lula? Ou começar a se pensar em um pacto que envolva um cenário de respeito às eleições?

Cena 3 – o retorno para o centro

Há sinais de que a elite empresarial paulista começa, finalmente, a se dar conta dos riscos embutidos nessa demonização da política e no desmonte social.

Ontem, o mais influente – e discreto – dos líderes empresariais, Roberto Setúbal, no seu discurso de despedida da presidência do banco Itaú, falou sobre a importância de se reabilitar a função política e as diferenças fundamentais entre o gestor e o político (https://goo.gl/N0yoPB) . “Política é para políticos. Não dá para imaginar que um gestor competente vai solucionar os problemas do Brasil”, disse ele.

Há outros sinais no ar.

Associações empresariais influentes, como a ABDIB (Associação Brasileira da Indústria de Base) e a Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas) já se deram conta da destruição imposta ao país. Institutos influentes, como o IEDI (Instituto de Estudos de Desenvolvimento Industrial) voltaram ao leito da indústria, depois da gestão desastrosa de Pedro Passos. E em breve se tornará mais explícita a reação dos associados da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) em relação a um presidente aventureiro e irresponsável.

Estão se dando conta de que a destituição de uma presidente legitimamente eleita – mesmo com todos seus erros – e a tentativa de destruição de um partido político, desequilibraram todo o sistema político institucional do país, eliminaram os amortecedores para a Lava Jato, permitindo a maior destruição de riqueza da história. E abrem espaço para que um poder maior se apresente. Vestindo coturnos.

Enfim, começa a nascer uma consciência de que a radicalização levará a uma situação insustentável. O que significa que o ciclo Lava Jato bateu no teto e começa a refluir. A incógnita é o ritmo em que se dará essa volta à racionalidade, sem soar como perdão aos corruptos.

São os primeiros indícios, por enquanto. A ojeriza em relação a Dilma, que se apossou do empresariado, ainda é um obstáculo relevante para as propostas de pacto nacional.

E há os grupos de interesse para manter o status quo penal.

Cena 4 – os fatores de resistência: o MPF

O primeiro grande fator de resistência é a própria Lava Jato e a Procuradoria Geral da República. No início, não se bicavam. Depois, quando o PGR Rodrigo Janot abandonou definitivamente o barco de Dilma Rousseff, se deu conta que precisava da Lava Jato para preservar sua influência na PGR. Hoje, a Lava Jato conduz e Janot é conduzido. Mas ambos tocam a mesma partitura.

Como cada PGR tem o poder de indicar uma boa quantidade de procuradores para cargos de confiança, a mudança do Procurador Geral significaria a substituição de toda a equipe. Cria-se uma solidariedade em torno de interesses do grupo, que acaba alimentando a radicalização e contaminando toda ação da PGR.

Na medida em que pressentem o fim do ciclo, observa-se a perda de rumo nítida, cujo ponto de ruptura foi a vingança do juiz Sérgio Moro contra o blogueiro Eduardo Guimarães.

Ontem, quase com certeza a PGR vazou para o Estadão os tais inquéritos sigilosos do Ministro Facchin. Depois, virão as delações da OAS e Andrade Gutierrez, a de Antônio Palocci. Hoje, a notícia do pedido de prisão de Cláudia Cruz visando pressionar o marido Eduardo Cunha a abrir o bico.

Não tenho a menor simpatia por Cunha, acompanho e denuncio sua história de corrupção desde o governo Collor, sou alvo de três ações judiciais dele. Mas, convenhamos, o método empregado pela Lava Jato é o mesmo dos torturadores. Aceitar essa atitude é convalidar a posição do TRF4 e do inacreditável Ministro Luís Roberto Barroso, hoje o principal apologista do obscurantismo penal e da ofensiva contra o Estado de Direito 

O problema é que cada vazamento produz um estrondo que é abafado, no decorrer da semana, por outros fatos, dentro da rapidez que caracteriza esses tempos de jornalismo online. Então há a necessidade de produzir cada vez mais fatos, comprometendo cada vez mais a imagem do MPF e abreviando o ciclo punitivo.

Após a bomba atômica irresponsável dos inquéritos vazados da tal lista de Janot, tudo o que vier depois é track.

Por outro lado, a irresponsabilidade de Janot nos vazamentos deu coragem para o Senado acelerar a aprovação do projeto de lei contra os abusos do Judiciário. E de autoria de um senador, Roberto Requião, imune a ameaças e chantagens.

A reação dos procuradores da Lava Jato, insuflando a opinião pública contra o Senado, é típica desses ianques na corte das celebridades, que não conseguem pensar estrategicamente o dia seguinte, limitando-se a descarregar automaticamente o trabuco em qualquer vulto que passe na porta do saloon.

Sua ação contra o Senado é uma desmoralização não do Senado, mas dos órgãos superiores do próprio Ministério Público, expondo de maneira ostensiva a falta de instrumentos internos de controle tanto do Conselho Superior do MPF quanto do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público). O MPF cindiu-se em vários coletivos atuando autonomamente, sem nenhuma forma de controle interno.

 Que corporação resiste a uma indisciplina dessa grandeza? Em algum momento, os conselhos superiores terão que interromper essa escalada irresponsável de Janot. Cada demonstração de força, cada vazamento é um prego a mais no caixão da autonomia do MPF.

A atual geração de procuradores já carregará, para sempre, a mancha de ter sido responsável por um estupro da Constituição. Arrisca-se a ser responsabilizada, no futuro, pelo fim da autonomia do Ministério Público.

De qualquer modo, a aprovação da Lei Anti-Abuso colocará um pouco de ordem na gafieira, obrigando juízes e procuradores a falar apenas nos autos.

Peça 5 – os fatores de resistência: a rede Globo

esultado de imagem para Capas de Veja

O fator de resistência maior, no entanto, continua sendo a Globo.

Na mídia, Veja e Folha, mesmo mantendo a postura agressiva com o PT, começam a emergir do pesadelo em que se meteram, quando aboliram qualquer veleidade de princípios jornalísticos para exercitar o pior jornalismo de esgoto que o país testemunhou desde os anos 50. Até a Época refluiu na competição por escândalos com a Veja.

Nesses anos todos, a Globo emergiu como a maior vencedora, conduzida pelo talento – reconheça-se – de Ali Kamel. Esqueçam Noblat, Merval, Mirian e bancada da Globonews. A orquestra é comandada com mão de ferro por Kamel, que impõe a partitura, o andamento, o espaço para o solo de cada um, errando muito pouco no período.

Escrevi certa vez que a Globo era a maior não apenas pelo tamanho, mas pela visão estratégica.

Nesses anos de chumbo, o trabalho sujo era realizado preferencialmente pela Veja e Folha, um pouco pelo Estadão. A Globo limitava-se a repercutir no Jornal Nacional, preservando não a isenção, mas ao menos a qualidade jornalística.

Enquanto todos os grupos jornalísticos experimentavam profundo desgaste, e se esfalfavam disputando o mesmo público de ultradireita, perdendo o leitor mais qualificado, sem a menor visão de estratégia comercial – como a da Folha nos anos 80, jogando no contra-fluxo – a Globo se apropriou de fatias cada vez maiores do bolo publicitário e se tornou, de longe, a maior influência jornalística, inclusive no meio dos leitores mais qualificados.

A grande incógnita é saber o que ela quer. Levar o país a uma situação insustentável? Convalidar a parceria cada vez mais estreita entre a Lava Jato e movimentos de ultra-direita, como o MBL (Movimento Brasil Livre)? Expor ainda mais seus superpoderes? À medida em que Abril, Folha e Estado definham, aumenta exponencialmente a sensação do poder absoluto do grupo.

Para onde a Globo for, ela arrastará parte do Ministério Público e alguns Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), como Luís Roberto Barroso, cuja visão de mundo tem a profundidade de um programa de debates entre jornalistas da Globonews.

Até o momento, ela continua firmemente empenhada no jornalismo de guerra.

Peça 6– fora Temer!

O primeiro passo para um ensaio de reconciliação, que permita eleições livres em 2018, e a diluição da guerra fratricida atual, será a saída do esquema Temer do poder.

Qualquer coisa é melhor, um governo de transição, um sucessor anódino ou ativo. A manutenção da camarilha de Temer, a esta altura, é irresponsabilidade geral.

No período do impeachment, o Supremo recusou-se a analisar o mérito da posse, alegando que não havia o chamado periculum in mora, os riscos advindos de uma decisão tardia.

Agora se tem um quadro nítido, não apenas de um governo não eleito impondo uma agenda rejeitada pela maioria dos eleitores, mas um assalto escancarado ao país, sendo abertamente negociado no Congresso e nas estatais e um país partido ao meio, jogando fora o grande legado político das últimas décadas, que foi a incorporação dos movimentos sociais ao quadro institucional.

Há duas maneiras de extirpar o estigma Temer.

Uma delas seria o Supremo acolher a manifestação de José Eduardo Cardoso, incluindo a admissão de Temer na entrevista à TV Bandeirantes, de que a abertura do processo de impeachment foi um ato de vingança de Eduardo Cunha.

A segunda, o julgamento pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Em vez de pressionar para aprovar medidas que colocam fogo no país, se poderia aproveitar a fragilidade do Congresso para objetivos mais nobres do que as possíveis chantagens da PGR com sua lista infinita e poder de escolher quem será processado. Por exemplo, impor a reforma política.

No pé do post há duas entrevistas importantes sobre o tema, com Aldo Arantes, do Comitê de Mobilização pela Reforma Política, e o procurador da República Augusto Aras, especialista no tema.

Os pontos centrais da reforma são:

  1. A instituição de barreiras de entrada, para impedir a proliferação de aventureiros.
  2. Regras claras de democratização dos partidos, acabando com as comissões provisórias, que controlam a maioria absoluta dos diretórios municipais.
  3. Proibição de coligações proporcionais e de comercialização do tempo de televisão.
  4. Só então, instituir a lista fechada.

Peça 7 – o pacto Lula-FHC

O passo seguinte será a definição de alguma forma de acordo entre Lula e Fernando Henrique Cardoso.

Lula terá o desafio de reunificar parte das esquerdas e movimentos sociais. FHC, o desafio de desarmar a direita e, principalmente, de abrir os olhos da TV Globo para a boca de jacaré que está se abrindo na opinião pública.

A parte mais aguerrida do PT foi afastada com o mensalão. Os templários do PSDB – Serra, Aécio, Aloysio -, com a Lava Jato.

Esse movimento de aproximação é previsível, mas ainda não se deu. A Folha prestou um desserviço supondo um pacto que ainda não houve.

Hoje, em Lisboa, FHC deu um passo graúdo, ao defender a legitimidade do voto como fator essencial de recuperação da credibilidade da política.

É um início tênue, mas um sinal sólido de que está se chegando ao fundo do poço. E o país só reage quando confrontado com o precipício.

 

 

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 4.7 (45 votos)
104 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Pela Reforma Urgente do

Pela Reforma Urgente do Capítulo IV, Seçãi I, Do Ministério Público da Constituição Federal (arts. 127 a 130) e pela reintrodução do texto da Constituição democrática de 1946 que lhes garantia suficientemente a permanência e independência funcional necessárias ao mister desenvolvido.

Dentre os eqúivocos da CF atual quanto ao MP podemos assinalar:

1 - tese corporativa e retórica emplacada

2 - criação do que se acostumou chamar de um "monstro" (Sepúlveda Pertence, PRG - na ocasião da constituinte - foi o autor do capítulo concernente no (confuso, extenso e cansativo) AntreProjeto Afonso Arino

3 - origem de um MP com poderes único no mundo democrático onde o governo, representando a vontade popular, decide as prioridades de ação do Ministério Público.

"A responsabilidade da decisão é do político. Cabe ao funcionário público executá-la. O político responde publicamente por essa decisão, o funcionário público, não" (Fábio Kerche. Pesquisador da Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, e autor de Virtude e Limites: Autonomia e Atribuições do Ministério Público no Brasil :Edusp. Hoje em artigo no site Brasil 247).

4 - simetria injustificável com a Magistratura

5 - descaso com à Defensoria Pública, Procuradorias, Advocacia e Delegados de Polícia

6 - d . escontrole admiinistrativos, governamentais, poíticos, democráticos e, consequente, politização da justiça abrindo fendas e brechas na imprescindível imparcialidade do Juiz

****

Tudo isso deu causa a que a Lava Jato (politizada) permitisse a "maior destruição de riqueza da história", o maior "assalto escancarado ao país" e, ainda, lançou "fora o grande legado político das últimas décadas, que foi a incorporação dos movimentos sociais ao quadro institucional". Deu-se, indubitavelmente, o maior ataque à Soberania Nacional de toda a nossa história, antiga e recente.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

>> Cada demonstração de

>> Cada demonstração de força, cada vazamento é um prego a mais no caixão da autonomia do MPF. A atual geração de procuradores já carregará, para sempre, a mancha de ter sido responsável por um estupro da Constituição. Arrisca-se a ser responsabilizada, no futuro, pelo fim da autonomia do Ministério Público.

*

Nassif,

Como tenho comentado na minha cobertura das eleições da França (primeiro turno no domingo... com empate técnico... quádruplo!! :-O ), também houve lawfare nítido - para quem tem quantidade minima de neuronios para sair da narrativa da grande mídia local.

Contra tres candidatos:

- François Fillon (direita tradicional);

- Marine Le Pen (extrema direita); e

- Sarkozy (ainda na fase de pre-candidatura).

Uma parceria Judiciário/mídia tentou implodir as candidaturas.

Tentavam eleger Emmanuel Macron.

Domingo saberemos o desenlace final.

*

Mas, para mim, as raposas da politica francesa entenderam bem o recado.

Creio que caso quem chegue ao poder - ao fim e ao cabo - seja Fillon, seja Le Pen, (ou até o muito vivo Melénchon!) investirá contra o uso politico-midiático de processos e investigaçoes para detonar candidaturas que "nao podem chegar" à eleiçao.

Seja por inabilitaçao, seja pela destruiçao deliberada das intençoes de voto com o massacre midiático ~novelizado~ em capítulos.

Pelo que vi do debate, ainda muito prematuro, aqui há, por um lado, a proposta de uma "imunidade temporária" judicial para os candidatos a contar de um certo tempo para a eleiçao (digamos, "6 meses"...); e, por outro, uma legislação punindo abusos de juizes e procuradores, caso fique comprovado o uso leviano e a instrumentalizaçao politica de seus poderes.

Note que as duas pre-propostas nao sao excludentes!

*

Mais detalhes:

http://www.romulusbr.com/2017/04/alerta-na-franca-e-brasil-quando-midia.html

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

E olha o resultado da caçada:

http://www.romulusbr.com/2017/04/delacoes-contra-lula-e-seu-impacto_20.html

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de andre rs t
andre rs t

12 razões para Sergio Moro

12 razões para Sergio Moro ser impedido de julgar Lula


Confira 12 motivos claros pelos quais o juiz Sergio Moro deve ser impedido de conduzir o processo contra o ex-presidente Lula

 

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/02/razoes-sergio-moro-impedido-julgar-lula.html

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O Programa Farmácia Popular...

"Como reagirá a opinião pública vendo uma súcia desmontando o Bolsa Família, o Ciência Sem Fronteiras, o Luz para Todos e,..."

Nassif!

Reagirá apenas com a incredulidade e a dor estampadas no rosto, como vi ontem no jornal local da Record ao entrevistar pessoas que utilizam o Programa Farmácia Popular diante da notícia que o mesmo acabava de ser extinto pelo Governo Temer para economizar em torno de 80 milhões anuais com aluguéis, pessoal que será demitido etc., segundo nota do Ministério da Saúde.

Confesso que fiquei estarrecido com a reportagem porque foi de doer o coração ver as pessoas usuárias contínuas dos medicamentos vendidos nessas farmácias a preços realmente baratos atônitas com a infame notícia.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Conrado
Conrado

Caro Nassif, muito obrigado

Caro Nassif, muito obrigado por partilhar conosco, seus leitores, suas análises sobre a conjuntura pollítica e econômica nacional, além de suas reflexões sobre mídia brasileira atual. Você faz um trabalho admirável. Que bom que podemos contar com você. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Danilo Jorge Vieira
Danilo Jorge Vieira

O redesenho do sistema e a hipocrisia

Excelente análise de Nassif, como de hábito. Uma divergência que tenho diz respeito ao viés, digamos assim, um tanto otimista.

Estamos verificando, de modo claro e inquestionável, reformas que vão modificando estruturalmente o sistema institucional que condiciona a reprodução da relações de produção do país. O exame que tínhamos dessa transformação inicialmente, de que se tratava de um retorno à agenda dos anos 1990, foi superado e mostrou-se absurdamente ingênuo. Em verdade, estamos em uma rápida trajetória de retorno ao início do século, em um período pré-keynesiano de extração institucional neoclássico e aristocrático. Principais características desse padrão institucional regulatório da reprodução das relações de produção: primazia das finanças e do rentismo; desregulação dos mercados, em especial do mercado de trabalho; orientação a favor da sustentação e ampliação da propensão à poupança consolidada da sociedade, dentre outros elementos. Todas essas características constitutivas implicam na concepção que dominara por mais de um século as convenções e, mais do que isso, entraram em colapso no bojo da crise de 1929, do nazi-facismo e de duas guerras que devastaram o core do sistema capitalista mundial e o refizeram em outras bases.

De fato, o Brasil atualmente se redesenha sob a liderança do grande capital em operação no país  (do qual essa criatura desprezível e venal nominada Roberto Setúbal é representativo) para restabelecer esse mundo perdido. E nessa subescalada, a reforma constitucional que limitou os gastos primários da União pode ser considerada a principal peça, a mãe de todas as reformas subsequentes, que promovem os ajustamentos necessários nas demais engrenagens do aparato que regula a reprodução das relações de produção. Reformas da Previdência, da CLT e as novas regras de terceirização são reformas importantes, mas de encaixe.

A pergunta relevante, então, é saber se esse processo será detido e revertido. O Golpe foi feito para implentá-las. A sociedade não está atenta para essas mudanças, porque é intencionalmente manipulada pela Globo. Assim, no algoritmo de Nassif, as variáveis X e N equivalem a zero. Levará um tempo, longo, na minha visão, para que X e N tornem-se números positivos superiores a uma unidade. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Eliel Geraldo
Eliel Geraldo

Xadrez da reação da política e do início do fim do ciclo Lava Ja

Luiz Nassif, faz um overwiew, uma visão geral do que está acontecendo na política e possíveis cenários, dá gosto de ler suas matérias e a linguagem jornalística. E no xadrez do golpe é mais fácil sacrificar os peões, o povo brasileiro.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de dja
dja

a velha mídia à frente e a solução não-mágica

JÁ FOI DITO AQUI

A velha mídia tem os maiores gurus de psicologia de massas da história, porquanto, de que vale a discussão 'fora temer' se o jornalismo 'status quo' já engembra o sucessor do MT, e mais o sucessor do sucessor em 2018?

Por isso, acredito ser tardio a dedicação de forças para a deposição do presidente mais impopular do Brasil de todos os tempos. Também, é notório a manobra persuasória da velha mídia em pós-reformas antipovo, contemplar o NJ ou um 'out sider'.

INSISTO NA TESE

O TSE segue o termômetro dos justiceiros/mídia/ibope para cassar o MT. Por essa probabilidade, a velha mídia segue duas vertentes para inviabilizar o poder das esquerdas:

1. conceito de terra arrasada pós-adm do MT, inviabilizando um progresso caso o eleito seja um esquerdista;

2. conceito de flexibilizar as reformas pós-adm do MT, viabilizando a popularidade de um 'outside' no poder.

SOLUÇÃO NÃO-MÁGICA

A princípio, costurar um acordo breve para colocar um presidente parlamentar 'tipo talabarte' para segurar o povo do fundo do poço que pode ser ainda mais profundo;

Eleições 2018, investimento em divulgação dos votos de congressistas golpistas e pré postos, principalmente via redes virtuais. (sem a maioria no parlamento a esquerda cai em 2019).

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Marcos K
Marcos K

Continuo achando que o Nassif

Continuo achando que o Nassif é otimista demais, porque:

1. Claro está que a nossa tal "zelite" empresarial é extremamente obtusa. Impressiona a maneira como não soube reconhecer os sinais do desastre representado pela demonização de Lula e do PT. Atribuo isso ao preconceito natural dessa gente e aos anos de doutrinação neoliberal que recebem de institutos empresariais que pipocam por aí. Impressiona o egoísmo, a burrice e o despreparo político dessa gente;

2. O setor financeiro capturou o setor produtivo. Não creio que vá faltar dinheiro para corromper as pessoas dos postos chaves do governo;

3. A Globo manda e desmanda nessa joça. As pessoas negam, mas reproduzem as sensações e impressões emitidas pelo Jornal Nacional. Claro está que a Globo pouco se importa com o país, uma vez que ela tem suas raízes fincadas no Grupo Time-Life e obedece ao comando central nos EUA;

4. O povão mal entende o que está acontecendo, acredita na Globo e já foi pro abatedouro sem se dar conta;

Reação? Não acredito, tal o nível de estupidificação das pessoas. Mas acho que muita coisa vai depender da Greve Geral do dia 28 e do depoimento de Lula no dia 3/05. Se houver grandes mobilizações há possibilidade de haver refluxo, caso contrário o país já era.

Mas uma coisa eu sei: quanto mais a coisa a avança mais clara fica a real "alma" do brasileiros. E não é nada daquilo que nos ensinam os livros de antropologia e sociologia.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Xadrez da reação da política e do início do fim do ciclo Lava Ja

aproxima-se a hora da verdade.

por um lado, a Lava Jato & Associados arma seu bote fatal contra a Jararaca. do outro, os patos (São Paulo Ltda.) e marrecos (PT Quatrocentão) movem desajeitadamente as peças do xadrez do golpe em busca da impossível saída de uma crise por eles mesmos gerada.

conseguir-se-á enfim o Pacto à La Brasil? como num idílico The End hollywwodiano, FHC e Lula viverão felizes para sempre?

o Lulismo marchará em direção ao bunker fascista para impedir quer “o cara” seja encarcerado nas masmorras da Guantánamo de Curitiba? ou continuarão manifestando sua idolatria apenas pela web? enfrentarão as bombas de efeito moral, spray de pimenta e o gás lacrimogêneo com Paz, Amor e muita conciliação?

ou todos enfim se reconciliarão com a realidade, aceitando que o Brasil tal qual o conhecíamos está morto, e só nos cabe enfrentar o desafio de juntos construirmos um outro Brasil?

.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

7 cenas, 7 comentários

Esse Xadrez merece ser comentado cena a cena, né?

Cena 1

Temer se agarra ao apoio do Congresso porque ele sabe que a sua presidência é o ápice do sistema de governo que saiu da intervenção sarneyzística na Constituição de 1988: um presidencialismo capenga e com um impeachment que se transformou em uma moção de censura informal.
(Aliás, comparem com a África do Sul, cujo presidencialismo é, digamos, uma versão bem-feita do preconizado na Constituição de 1988. Na Wikipedia em inglês: https://en.wikipedia.org/wiki/President_of_South_Africa#Electoral_system )

Então ele não precisa do povo, porque ele sabe que não depende do povo, depende apenas da capacidade de abrir o feirão de cargos aos congressistas. Ele não vai se preocupar se, por exemplo, o desemprego voltou a subir em março, ou se a recuperação econômica só existe nas viagens astrais do Henrique Meirelles e da GloboNews, porque a preocupação dele (e de Eliseu Padilha, de Moreira Franco...) é o varejão das indicações políticas, é os ministérios com porteira fechada (campo fértil pra construção de caixas 2).

Temer vai ver sua popularidade cair a zero e não vai estar nem aí enquanto estiver bem protegido. E, qualquer coisa, ele se torna um presidente refugiado no Jaburu, sem sair até pra ir despachar no Planalto, enquanto o país arde em chamas.

Cena 2

A pesquisa Ibope-Estadão de hoje foi absolutamente destruidora, a única notícia boa pro golpismo foi que a candidatura do Bolsonaro começou a desidratar a partir do momento em que o Dória e o Huck começaram a corrida rumo a ser o Berlusconi brasileiro.

Bom, tem a postergação das eleições "até conseguir inabilitar o Lula", mas isso todo mundo já entendeu como objetivo de grande parte do golpismo. O golpismo, seja ele judicial/midiático ou parlamentar, não vai pra uma eleição correndo o risco de ver um Lula eleito no primeiro turno e puxando uma agenda de reforma constitucional que não interessa.

Cena 3

Agora que a desindustrialização do Brasil se completou, fica claro que não há como manter um país do tamanho do Brasil apenas exportando soja e minério de ferro in natura, mesmo que você jogue as leis trabalhistas no lixo na esperança de atrair (o que ainda sobra de) setores econômicos intensivos em mão-de-obra e de baixa remuneração (não acho que vá).

E não por acaso o Roberto Setúbal foi o primeiro a se manifestar: o Itaú está na linha de frente de quebradeira bancária na primeira grande crise cambial em uma economia primário-exportadora.

Cena 4

O MPF, vamos lembrar aqui, é parte e líder da tentativa em curso das corporações estatais de darem um golpe dentro do golpe e assumirem o poder numa democracia tutelada.

Por outro lado, encontraram um adversário formidável e suficientemente kamikaze para tocar e galvanizar o Parlamento em torno da Lei de Abuso de Autoridade, coisa que eles não esperavam. Então partiram pro que eles sabem que funciona: o jogralzinho-jardim-de-infância milimetricamente talhado para circular nos facebooks e whatsapps da vida.

O risco? Com a lista fechada e seus penduricalhos, o Congresso perder qualquer medo de reação do eleitorado e aprovar a lei. Aí será o início do fim do MPF como conhecemos.
(E, espero, o início do fim da maneira que o Estado contrata pessoal para suas carreiras estratégicas hoje em dia; é necessário que os concursos públicos não beneficiem quem tem apoio financeiro para virar concurseiro em tempo integral.)

Cena 5

Grupo Globo vai ser um problema que a reconstrução do Brasil terá que finalmente deixar de fingir que não existe.
Ou melhor, como desmontar o Grupo Globo e evitar que surjam outros Grupos Globo no futuro.

Cena 6

Qualquer presidente que venha após Temer VAI TER QUE convocar uma Constituinte.

Cena 7

FHC tem um ego do tamanho de uma galáxia. Uma disputa Dória vs Huck no PSDB significa que ele, FHC, vai ser escanteado. E, para FHC, nada dói mais que a irrelevância e o esquecimento. Então ele PRECISA ser avalista de um pacto político de volta a uma normalidade pra continuar a ser um prócer com voz ativa no PSDB e na direita.

Agora... acho, mas só acho, que ele não vai conseguir.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Stefan Zweig disse que o Brasil é o país do futuro.

Já a elite brasileira quer que o Brasil seja o país do passado.

E o Brasil vai se transformando no país do futuro do pretérito.

Serio Nassif ?

Em geral gosto de suas analises...  mas dessa vez acho que voce esta meio nas nuvems. Pacto Lula-FHC !!!? Lula com 80% dos votos, FHC com popularidade negativa... voce vem me falar em pacto de Lula com FHC. Se liga cara...

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Junior 5 Estrelas
Junior 5 Estrelas

 Encontro-me afastado das

 
Encontro-me afastado das redes sociais,especialmente desse Blog,onde me permitiu desenvolver e apresentar o melhor de mim.Meus erros,e meus acertos.O universo do desencanto com o apodrecimento do Pais,levando de roldo todas as suas Instituições,levaram-me ao mais profundo desencantamento.Apesar de tudo, permaneço inarredavel aos meus permanentes ideiais.Em nome deles,abraço Luis Nassif,o Moreno de Poços de Caldas,o maior e mais brilhante jornalista de sua geração. Sem timidez,é o unico jornalista que ainda consegue me emocionar.Para ele,meu mais afetuoso abraço,afirmando-lhe peremptoriamente,que o texto que ele escreveu sai das paginas vibrantes do seu Blog,e passa a ser parte indelevel da nossa historia. 

Seu voto: Nenhum

Não há mais espaço para

Não há mais espaço para análises acadêmicas teóricas, mesmo com a profundidade que Nassif fundamenta seus artigos.

O fato é que o governo Temer é um enorme sucesso sob o ponto de vista prático.

Para se chegar a esta conclusão é suficiente se perguntar qual o objetivo do grupo que ascende ao poder.

Ficou claro, até para os apoiadores​ mais ingênuos do impeachment de Dilma, que a função para a colocação de Temer na Presidência da República era exatamente fazer o que ele tem feito.

Não fosse a preguiça da nação em ler, saberia, e registrado lá está, que o memorando "Ponte para o Futuro" estabelece de forma límpida cada uma das "maldades" que estão sendo feitas pelo governo.

O sucesso do governo Temer é tamanho que consegue aprovar na casa do povo - o legislativo - cada um dos itens que destroem a seguridade social e trabalhista
do país.

O respeito ao governo Temer é tamanho que o STF e o PGR não ousam questionar o atual presidente.

O sucesso do seu governo é tão grande que a mídia majoritária aplaude de pé os atos governamentais.

Os atos de governo parecem tão justos e corretos que sequer a venda de grande parte do patrimônio da Petrobras está sendo questionado pelas instituições e nem sequer pelos próprios sindicatos dá classe trabalhadora da petroleira; a então fortíssima FUPE quedada de quatro, inerte.

O governo Temer surfa com tanta liderança que, mesmo o seu nome sendo incluído em várias das delações, ainda assim, ele fou condecorado pelo exército, recentemente, juntamente com o juiz da própria "lava Jato" que, pelo próprio processo, sabe do seu envolvimento com o crime.

Faltou o povo?
Esqueçam o povo, e para entender o que isso quer dizer basta analisar cada um dos movimentos realizados pelas instituições do país que antecedem a vitória de Dilma nas últimas eleições até o desfecho do impeachment. O povo é mero acessório descartável.

O que mais é liderança neste país do faz de contas, das decisões de camarote, do patíbulo para a "Senzala" e guilhotina nas mãos da "Casa Grande", navegando em sentido inverso das correntes evolucionárias escritas na história?

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Marcos K
Marcos K

Análise mais do que lúcida.

Análise mais do que lúcida.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Perfeito!

Perfeito!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de j.marcelo
j.marcelo

Apoio agora a lavajato e

Apoio agora a lavajato e MPF,pq foram pra cima de tucanos,besta quem acredita em "refluxo das elites",oh estão com dó do país,da esquerda",ACORDEM, Nassif não gosta,mas tem q ser nós contra eles,eles romperam com td e a esquerda?Não rompe com nada!?Só apanha!Aí fica "dormindo no barulho da direita!Cadê a ousadia?Logo agora q está ficando favorável aos progressistas,vem essa conversa mole!
OBS:EM PROTESTO VOU FICAR DUAS SEMANAS SEM POSTAR AQUI(Será q aguento?)

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Na França tb cortarão asas de juizes e procuradores midiaticos:

>> Cada demonstração de força, cada vazamento é um prego a mais no caixão da autonomia do MPF. A atual geração de procuradores já carregará, para sempre, a mancha de ter sido responsável por um estupro da Constituição. Arrisca-se a ser responsabilizada, no futuro, pelo fim da autonomia do Ministério Público.

*

Nassif,

Como tenho comentado na minha cobertura das eleições da França (primeiro turno no domingo... com empate técnico... quádruplo!! :-O ), também houve lawfare nítido - para quem tem quantidade minima de neuronios para sair da narrativa da grande mídia local.

Contra tres candidatos:

- François Fillon (direita tradicional);

- Marine Le Pen (extrema direita); e

- Sarkozy (ainda na fase de pre-candidatura).

Uma parceria Judiciário/mídia tentou implodir as candidaturas.

Tentavam eleger Emmanuel Macron.

Domingo saberemos o desenlace final.

*

Mas, para mim, as raposas da politica francesa entenderam bem o recado.

Creio que caso quem chegue ao poder - ao fim e ao cabo - seja Fillon, seja Le Pen, (ou até o muito vivo Melénchon!) investirá contra o uso politico-midiático de processos e investigaçoes para detonar candidaturas que "nao podem chegar" à eleiçao.

Seja por inabilitaçao, seja pela destruiçao deliberada das intençoes de voto com o massacre midiático ~novelizado~ em capítulos.

Pelo que vi do debate, ainda muito prematuro, aqui há, por um lado, a proposta de uma "imunidade temporária" judicial para os candidatos a contar de um certo tempo para a eleiçao (digamos, "6 meses"...); e, por outro, uma legislação punindo abusos de juizes e procuradores, caso fique comprovado o uso leviano e a instrumentalizaçao politica de seus poderes.

Note que as duas pre-propostas nao sao excludentes!

*

Mais detalhes:

http://www.romulusbr.com/2017/04/alerta-na-franca-e-brasil-quando-midia.html

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Excelente análise.

Mas FHC é pouco confiável.
Está ganhando tempo, esperando pra ver o que acontece com Lula. Não pensa no país.
Enquanto isso posa de estadista.
Mudou rapidamente o discurso. Um dia estava assinando livros e pisando em Dirceu. No outro, com seu nome na "lista", não falava mais grosso.
Seus planos eram outros. A esta altura, pensou, estaria com a esquerda batida nas eleições, Golpe em Dilma finalizado, governo interino implementando as medidas impopulares e PSDB pronto para correr pro abraço em 2018.
Só não combinou com os astros o momento da conjunção.
Nunca pensei que iria gostar tanto da Odebrecht.
 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Lauri Guerra
Lauri Guerra

Desde de antes de colocar

Desde de antes de colocar suas "nádegas indevidas" na cadeira que Jânio Quadros desinfectou, soube de fonte muito séria que FHC era o homem da social-democracia americana no Brasil - Brizola era o homem da social-democracia européia e seus adjacentes. Traduzindo, através do National Endowment for Democracy (NED), o braço que a CIA controla no partido democrata americano, projetaram FHC e aglutinaram em torno dele como o cavaleiro dos interesses do neoliberalismo operacionalizados pela CIA e adjacências (outras agências de espionagem americanas, inglesas, israelenses, sauditas, alemãs, etc)

Seu voto: Nenhum

Quem está na mão de quem?

Continuo vendo uma câmara completamente guiada pelo judiciário, que é guiado por alguém que por sua vez guia a rede Globo. Afinal de contas em dois dias diferentes termos uma votação contra a urgência e outra a favor da urgência da reforma trabalhista é muito suspeito.  A rede Globo, passa uma serie falando da corrupção na ditadura, faz campanha para um outsider ( Hulk ou Doria), e faz uma campanha destrutiva contra Lula. E uma campanha também destrutiva contra a Oderbrecht. Tudo dentro da hipocrisia padrão Globo. Afinal sonegadores monstros que são , e participantes de inumeras falcatruas que os beneficiaram, junto com uma chantagem constante que fazem devido ao poder  de exposição, me aparecem os hipocritas ( fantasiados de jornalistas, ancorando programas e afundando a economia do país.) Mas mantenho a pergunta do Nassif, além de si mesmo, que interesses defende a rede Globo.  Um país destroçado e sem rumo  não deveria favorecer nem mesmo a rede Globo. Mas fica a pergunta:   quem ela está defendendo.

Os deputados estão entre a cruz e a caldeirinha. Temem a reforma da previdência, mas solicitam pegadinhas e falsas notícias, para encontrar uma justificativa para o voto. Temem as urnas e as ruas, mas continuam fiéis a quem os comanda. A reforma trabalhista ainda não explodiu, mas a da previdência sim.  Sabem que não podem continuar com Temer, mas já fizeram compromissos demais. Procuram desesperadamente a porta de saída, mas não sabem para onde ir. Podem neste meio tempo comprometer o Brasil ainda mais.

No momento temos um senado e camara, sem saber para onde ir. Os ratos querem fugir do navio, mas o navio não está no porto. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Fabio !
Fabio !

A GLOBO mata ou morre

A situação da Globo é irreversível . 

Foram tantas difamações , ameaças , um bando de telejornalistas escrotos gritando mentiras noite e dia , tudo isso initerruptamente durante 13 anos , que a situação dela é a mesma de um desses chefes do PCC que cometeu tantas atrocidades e agora , mesmo arrependido , sabe que não adianta se penitenciar . Se o pegarem de jeito , lhe arrebentam. Então , só resta lutar até o fim , é matar ou morrer . 

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Pacto com FHC?

Tenho muitas dúúvidas de sequer pensar na possibilidade de um pacto com FHC.

Ele não é confiável, Nassif.

Melhor seria Lula tentar fazer um pacto com a parcela das instituições da sociedade civil que não enraram com tudo no golpismo, e com as que eventualmente perceberam a furada que foi colocar essa súcia no poder.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Leonidas Mendes Filho
Leonidas Mendes Filho

Pacto Político

Nassif...

nenhum pacto político será possível sem a destituição imediata e inadiável dos atuais ministros/as do STF e da exoneração dos moleques fascistóides do MP e da Justiça Federal.

No caso do STF, é preciso pensar seriamente em sua extinção! Talvez, com sua substituição por uma Corte Constituicional com poderes limitados (extremamente limitados), membros com mandatos previamente definidos e proibidos de estarem atuando como atores da Globo! (Onde encontraíamos esses? Nos curso do IDP?)

 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

A globo é um antro de

A globo é um antro de mafiosos. A visão estratégica dela e extorquir políticos,, juizes e quem mais seja para deixá-los de joelhos e facilitar o seu caminho na rapinagem dos cofres públicos. 

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Eu acho que a ameaça de

Eu acho que a ameaça de prisão da Cláudia Cruz foi por causa da votação de ontem. O Cunha deve ter ficado ensandecido.  Percebam como vários mudaram seus votos. 

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de André STK
André STK

(Sem título)

Seu voto: Nenhum (6 votos)

acordo

Concordo com quase tudo. Só não com algo que inclua fegacê. Acordo com fegacê é criar problema maior pela frente. E perder a pureza. Porque esse fegacê não vale nada e vai trair na primeira oportunidade. É um pavão nada mysterioso que só engana pseudo catedrático. Esse traira vai trazer a globo junto, na sua sombra no primeiro momento, para depois cumprir as ordens dali emanadas. Além do que ajudou muitíssimo no golpe contra a democracia. Canalha e dissimulado!

Em 2038 vote: ÇERRA45, vice fegacê....viiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiixe! 

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Álvaro Noites
Álvaro Noites

Por causa de "pactos"

Por causa de "pactos" anteriorers (alô alô anistia), ainda somos vulneráveis a Golpes de Estado praticado por uma cambada de aventureiros.

Não há mais espaço para pactos.

Faz-se necessária uma conciliação, é verdade, mas que a mesma~não exclua a punição à todos os agentes e respónsáveis pelo Golpe, incluindo políticos, mídia, empresários e rentistas, e fundamentalmente, ativistas encastelados no Judiciário e demais orgãos públicos.

Não vejo com otimismo conciliação sem que seja feita qualquer coisa punitiva contra Janot, Moro e os Dallagnóis, aecistas da PF, empresários que financiaram o golpe, a Rede Globo, entreguistas que estão nomeados hoje nas nossas estatais, os MBLs da vida e os políticos que fazem parte da camarilha do Temer e os mercadores do Congresso Nacional.

Faz-se muito necessária uma lei específica para a Lawfare.

Seu voto: Nenhum
imagem de Antonio de Carvalho
Antonio de Carvalho

Peça 5 – os fatores de resistência: a rede Globo

Fico pensando se não poderíamos acrescentar mais um fator explicativo para a persistência desse comportamento do grupo globo: ele poderia estar sendo achacado por autoridades que detem informações advindas da operação zelotes e do panamá papers. Em parte, a globo pode estar acuada pelo poder que algumas instituições investigativas teriam de usar esses elemento contra a emissora, caso ela resolvesse mudar de rumo e caminhar para um grande pacto com o sistema político (que sempre a protegeu). Mas não tenho qualquer informação sobre isso, mera desconfiança.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Marcelo33
Marcelo33

Cena 1-Como reagirá a opinião

Cena 1-Como reagirá a opinião pública vendo uma súcia desmontando o Bolsa Família, o Ciência Sem Fronteiras, o Luz para Todos e, ao mesmo tempo, fazendo negócios ilimitados nos Ministérios e no Congresso? Alguns vão dormir, outros vão criticar, mas a crítica fica muito Áquem da crítica a Dilma. Ninguém vai mover um milimetro contra. E muitos estão aplaudindo. A própria OAB que pediu desesperadamente a cabeça de dilma critica, mas tb não critica muito, por que ela é a favor dese governo e só é contra em coisinhas pontuais. Cena 2 - O que se pretende sem um projeto político minimamente viável? Tirar pela segunda vez o direito ao voto nas eleições de 2018, com a inabilitação de Lula? Ou começar a se pensar em um pacto que envolva um cenário de respeito às eleições? Vão impedir Lula e fazer tudo para eleger o joão trabalhador. A candidata da "esquerda" será a tartaruga sem casco e sem caratér. Vão obrigar a esquerda a votar nessa bosta. Ciro não tem votos. Cena 3 - A incógnita é o ritmo em que se dará essa volta à racionalidade, sem soar como perdão aos corruptos. Será lento o suficiente para que o estrago seja irreversível por décadas e décadas. Se duvidar, por mais de um século.  Pré-Sal ??? tchau !!! Cena 6 - Acho fácil Temer sair. Acho impossível é que suas medidas sejam desfeitas !!! E acolher pedido do CArdozo ?? Impossível !!! A propósito, Cardozo é um que merece uam forca também !!! Cena 7 - PActo entre FHC e Lula não seria um pacto, mas uma rendição negociada. Lula não vai para a cadeia em troca de manter os contratos lesivos de Temer, de manter a PEC e toda a política de FHC escrita a fogo na constituição, de manter FHC feliz e aposentado e de não sair candidato, abrindo caminho para os tucanos continuarem no poder. É uma espécie de assalto. Me dÊ tudo e não vá para a cadeia.

Seu voto: Nenhum
imagem de Eduardo Outro
Eduardo Outro

O que nunca entendi nem vou

O que nunca entendi nem vou entender é como inúmeras pessoas e entidades embarcaram no golpe. "Elite" empresarial de quase todos os ramos; idem religiosa de diversos credos; militares; judiciário; intelectualidade, lista enorme ! " Ah ! quem assumiu o poder são os corruptos e quem apoiou tinha interesses" !  Não, não vou fazer julgamento moral !  Fosse apenas isso teríamos a possibilidade do "rouba mas faz", para mim melhor, muuuuito melhor do que tudo o que estamos presenciando, um gritante "ROUBA E NÃO FAZ" !  Nem a côrte imperial era tão incompetente ! Os midiotas do MBL e quejandos terem caído no engodo vá lá, pode-se alegar em defesa que mal conheciam os temeres e seus ministros, mas a "Elite" ? Disposta a golpear com qualquer um ?  Não falo de corrupcão, isso é, ou deveria ser,  com a polícia e o judiciário, falo de INCOMPETÊNCIA. E por falar em incompetência, não aceito isso como motivo para tirar uma presidenta eleita. Tivesse sido um golpe militar ( não que seria defensável) ainda poderíamos dizer (impropriamente) que veio para garantir uma estabilidade (que não estava sendo ameacada). Mas um golpe civil, "democrático" (todas as instituicões funcionando), judiciário ? Onde as "Elites" estavam com a cabeca ? Tem Elite mais incompetente do que a nossa ? Confesso que eu ignorava isso. Não age com a cabeca, só quando o bolso á atingido, como estão percebendo agora, todos perdendo e tentando encontrar o possível caminho de volta. Talvez um dia aprendam que uma presidenta ou presidente incompetentes são retirados com voto, mas de todos, numa eleicão agendada. Não "por uma assembléia de bandidos presidida por um bandido". E comparar a incompetente Dilma com presidentes incompetentes anteriores... não tem comparacão !

Seu voto: Nenhum (1 voto)

A imagem da degradação de nosso pais

Como puderam permitir a uma figura tão rude, partidarizada, golpista, egóica e lesa-pátria como Moro fazer o que fez: os prejuizos à nossa economia estao na casa das centenas de bilhões de reais, fora a destuição total da imagem do pais e do povo brasileiro perante o mundo, uma situação que fez com que os brasileiros fossem vistos de forma otimista e positiva quando se encontravam fora do pais, isso graças ao empenho de Lula, essa grande chance desprezada por uma burguesia sovina e golpita, aliás, tudo o que Moro encarna...

Seu voto: Nenhum (8 votos)

 

...spin

 

 

imagem de O. Lima Duartte
O. Lima Duartte

Eu concordo que a situação do

Eu concordo que a situação do país vinha mal no governo anterior. O problema é que continua aquem. De fato o mais louvável, nesse momento, é reflexão e um plano de ação entre todos os líderes políticos. O revanchismo acirrado estagna o país todo e afeta a todos. E tem muito petista criticando a atuação dos nossos parceiros dos USA, mas seu carro é chevrolet, fuma marlboro com isqueiro zip, veste jeans lewis, pagou para falar inglês, curte rock, prefere produtos GE, é fã de filmes norte amercanos, adora uma macdonalds, só abastece esso, prefere cerveja budweiser ou miller e é viciado em coca cola. Bom feriadão a todos.

Seu voto: Nenhum (11 votos)
imagem de Ugo
Ugo

troll demente e analfabeto

E muito ruim nas estatísticas.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de André élebê
André élebê

  Duarttttte, o seu

  Duarttttte, o seu comentário é uma miscelânea de pensamentos.

  Tirando meia dúzia de três, ninguém critica os EUA por fabricarem produtos X ou Y, mas por TRAVAREM ou mesmo SABOTAREM o nosso desenvolvimento, para não falar de nossa Democracia. Será que você consegue entender algo tão básico?

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Quem disse que o FHC tem interesse em algum pacto?

Quem disse que o FHC tem interesse em algum pacto? A política implementada pelo golpista Michel Temer é rigorosamente a mesma concebida pelo próprio FHC e o PSDB. O desmonte do Estado e a agenda neoliberal são os objetivos maiores dessa coalizão golpista.

O Lula só tem a perder numa eventual conciliação com esses traidores. O que o Lula deveria estar fazendo era liderando o povo para derrubar o governo golpista.

Sinceramente, o Lula é muito manso. Por isso, sou contra ele se candidatar em 2018 para propor uma conciliação com os golpistas. Não há clima para esse tipo de política cínica e hipócrita. O momento agora é construir um projeto nacional sem a interferência dessas oligarquias arcaicas que aprisionam o país ao atraso representada pelo PMDB e o PSDB.

O FHC não é nem um pouco confiável. É o típico traidor oportunista. Deve ser tratado como inimigo. Ele não tem nada a oferecer.

É nessas horas que vejo em Ciro Gomes a melhor resposta para a atual conjuntura. Tenho certeza que o ex-ministro da integração nacional não ia perder tempo com FHC e muito menos com o PSDB.

Chega de conciliação!

Ciro 2018!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Marcelo33
Marcelo33

Ciro não tem votos. Ciro

Ciro não tem votos. Ciro consegue ter menos votos que um sujeito escroque e raso como Bolsonaro ou do que a Tartaruga sem caráter  e sem casco.

Ciro quer moleza.

Ciro quer ser eleito com os  votos de Lula.

Ciro apoia o Udenismo e a Lava-Jato se for para tacar Lula na cadeia para ver se votam nele.

Ciro não quer conquistar os eleitores. Ciro quer ser votado como medida desesperada. 

Lula é frouxo ?? É. Mas o que esperar de Ciro se elegendo por um partido que apoiou o golpe e que apoiou  TODAS as medidas lesa-pátrias de Temer !!!

Quero ver ciro governando com a PEC do Teto. E como ele vai conseguir derrubâ-la se o partido dele foi a favor.

Como Ciro vai rasgar contratos do pré-sal que seu partido apoiu a entrega ???

Quem vai ser o líder de Ciro no Senado ??? Lasier Martins ?? O da CBS ???

Ciro lutou porcamente contra o golpe. Apoia o estado de exceção desde que este o proporcione votos.

A agenda neoliberal foi integralmente apoiada pelo PDT. PDT é o mais fiel aliado de Temer. No senado, Vota tudo a favor dele em troca de nada !!! ATÉ O PMDB faz mais oposição a Mishell do que o PDT. 

 

 

Seu voto: Nenhum
imagem de WELINTON NAVEIRA E SILVA
WELINTON NAVEIRA E SILVA

A destruição golpista

 

...”Têm-se um presidente, Michel Temer, com 5% de aprovação e com viés de baixa, apresentado a toda Nação como chefe de uma organização corrupta, que há vinte anos chantageia presidentes eleitos. Têm-se, também, o Congresso mais corrupto da história, ambos unidos para enfiar goela abaixo do povo reformas profundamente antissociais.”...

...”Há sinais de que a elite empresarial paulista começa, finalmente, a se dar conta dos riscos embutidos nessa demonização da política e no desmonte social.”...

...”Associações empresariais influentes, como a ABDIB (Associação Brasileira da Indústria de Base) e a Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas) já se deram conta da destruição imposta ao país.”...

As inquestionáveis sinalizações acima, somadas as incontáveis outras mais, indicam o estado de aprofundada decadência econômica, política, social e moral do governo golpista.  

Por conta da afoita desonestidade entreguista dos golpistas, em velocidades nunca vistas, o povo está acordando, desnorteado e temeroso diante do brutal desemprego. A certeza de arranjar um bom emprego dos tempos dos governos Lula/PT e de Dilma/PT, deixou de existir. Ficou na saudade.

Como se esse pesadelo já não bastasse para deixar os trabalhadores, os pais de famílias e os jovens que estão se formando, apavorados e sem dormir - o povo - alienado e despolitizado, já está percebendo as traiçoeiras investidas golpistas visando rápida destruição de seus direitos trabalhistas e sociais. Duramente conquistados em várias décadas de muitas lutas, para serem suprimidos, de um dia para o outro por um governo golpista – simplesmente -  buscando acrescentar mais mecanismos de acumulação de riquezas em mãos das já abastadas elites bancárias e empresariais. Tudo, com descarado apoio do Congresso e da Justiça. A confiança, foi para o espaço.

Fora Temer!

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

As doutrinações

Há alguns anos atrás li uma matéria sobre a doutrinação dos americanos aos latinos onde falavam que o grande mal da corrupção na américa latina eram o executivo/legislativo gerenciarem e possuirem todo o poder e dinheiro no país o que obrigava as empresas a entrar em algum esquema de propinas para oferecerem seus serviços

O mote pra acabar com a corrupção no país seria simples: passar todo o gerencimento dos recursos públicos pra iniciativa privada (não haveria mais razão para comprar políticos) e deixar o mercado auto-ajustar o país

A ingenuidade do pensamento não me chamou a atenção na época, mas vendo todos os fatos recentes acredito que o judiciário brasileiro tenha comprado a idéia, isso explicaria muita coisa, incluisve o silêncio sobre a dilapidação do patrimônio público, a começar pela petrobrás e as reformas da previdência e trabalhista, cujos serviços passarão a ser realizados também por empresas (aposentadorias privadas e terceirizados)

Como o Congresso se parece com um bando de ratos prontos a saltar para o mar para salvarem seus próprios rabos, a ideologia do entreguismo parece ser a mais condizente com a opinião do judiciário brasileiro, que domina o Congresso e a presidência, portanto, com a eleição de Lula esse projeto afundaria, e por isso o empenho da Globo (globo overseas investment bv) e do judiciário pra manter o ritmo das reformas e do repasse do patrimônio dos brasileiros à iniciativa privada e a demonização da iniciativa Lula para 2018

O que não deixa de ser uma forma de corrupção mais elevada, porque o privado compra algo inestimável do público por uma ninharia e não deixa quase nada em troca no país, principalmente as multinacionais, contribuindo em muito pra nossa mexicanização...

 

 

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/09/1812830-temer-anuncia-conce...

http://www.esquerdadiario.com.br/Wikileaks-EUA-criou-curso-para-treinar-...

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-38172725

http://www.jb.com.br/pais/noticias/2017/01/10/brasil-e-o-pais-mais-espio...

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/203590/OCDE-corrup%C3%A7%C3%A3o-e...

https://www.conversaafiada.com.br/abc-do-caf/globo-overseas-investment-bv

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/02/vale-registra-prej...

http://www.poder360.com.br/economia/carf-livra-itau-de-pagar-r-25-bilhoe...

http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2017/03/23/terceirizacao-e-r...

http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2015/06/2018elites-sempre-fiz...

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de jossimar
jossimar

"Qual será o X2? Invasão do

"Qual será o X2? Invasão do Congresso pela turba? Cerco ao Supremo? A própria segurança do Planalto aderindo às manifestações?"

Se o brasileiro não fosse um tremendo de um bunda mole ignorante o pau já tinha quebrado e estes golpistas da lava rato, PF, MPF mídia e federações empresariais já estariam todos na ponta de uma corda. 

Pelo bundamolismo temos o que merecemos: F _ _ _ O.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Quem vier depois e quer reverter as barbeiragens

nas quais há, hã, "compradores" do patrimônio nacional, pode perfeitamente anular essas negociatas, com um argumento simples: estes negócios são nulos e sem direito a indenização alguma porque uma das partes é bandida.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Marcelo33
Marcelo33

Infelizmente, duvido que Lula

Infelizmente, duvido que Lula seja homem para isso.

Teve oportunidade para desfazer o legado de FHC e não odesfez.

Taí a LEi Kandir, e a Vale que não me deixam mentir...

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Carlos_Henrique
Carlos_Henrique

Refém

A Globo também é refém do golpe.

Lembram, no início da lava jato, o estouro das investigações da CBF e FIFA ?

Ali a Globo entendeu o recado: dar suporte aos cruzados da moralidade.

Custe o que custar.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Bresser-Pereira

 texto

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de janio q
janio q

Presentes

São só presentes ....e o salário ó

Seu voto: Nenhum

Não sei se o FHC faria tal

Não sei se o FHC faria tal gesto, que seria de uma grandeza que jamais demonstrou. Na democracia tal qual era antes do golpe, o PSDB não retomaria o governo tão cedo.

O eleitorado tucano está na elite da burocracia estatal, este é o "colégio eleitoral" que elege tucano. Nem que seja por eliminação. Vão inabilitando daqui e dali até sobrar só Dória e os decorativos, entre eles a Marina e a idiota da Luciana Genro

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Juliano Santos

Ah, Nassif, brincadeira!

Você ainda acredita que a "opinião pública" vai reclamar do fim de Bolsa Família, de Ciência sem Fronteiras, de Luz para Todos? Até parece que você não sabe que a opinião maciça dos coxinhas que promoveram e sustentam o Golpe é que Bolsa Família é bolsa-esmola, é compra de voto de vagabundo. Ciência sem Fronteiras é dinheiro público pra comunistinha universitário passear no exterior e Luz pra Todos é programa pra pobre do interior, eles que se explodam. Veja o caso de São Paulo, a Coxinholândia: se o Dória fizer fila pra dar na cara do povo é aplaudido, Haddad fez as ciclovias e foi escorraçado.

O quebra-quebra no Congresso ontem foi localizado, foi uma demonstração de força das polícias, que conseguiram o que queriam, um alívio pra categoria na reforma da previdência. E só. No Serviço Público a reforma é tratada com no máximo piadinhas do tipo "meu enterro vai sair da repartição!", mas ninguém esboça a menor reação ou indignação. Estão todos satisfeitos, se esse é o preço a pagar pro delenda PT, então eles pagam com alegria.

Indignação com a corrupção era só com o PT. Tirado o PT, qualquer um pode fazer o que quiser que ninguém liga...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Primeiramente: FORA TEMER! E pra encerrar: FORA TEMER!

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.