Revista GGN

Assine

governo Temer

Para sindicato, PDV do governo federal está “fadado ao fracasso”

meirelles_dyogo_-_valter_campanato_abr.jpg
 
Foto: Valter Campanato
 
Jornal GGN - Anunciado ontem (24) pelo Ministério do Planejamento, o programa de demissão voluntária (PDV) para servidores do Executivo federal está “fadado ao fracasso”, afirma a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef).
 
Válter Cézar Dias Figueiredo, diretor da Confederação, criticou o plano do governo Temer e afirmou que a Condsef orientará os servidores a não aderirem ao PDV. A entidade diz que há uma carência de funcionários públicos que está afetando a eficácia de políticas públicas, notadamente nas áreas da educação, saúde e segurança. 
 
Para Figueiredo, o governo se contradiz, já que afirma que está promovendo reformas para a geração de empregos e é o “primeiro a promover o desemprego”. O diretor sindical lembra que uma iniciativa semelhante foi adotada no governo de Fernando Henrique Cardoso e que a adesão foi baixa. 

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Temer vai garantindo folga para absolvição da denúncia na Câmara


Foto: Marcos Corrêa/PR/Fotos Públicas
 
Jornal GGN - A vitória de Michel Temer na Câmara dos Deputados já está quase garantida, segundo interlocutores e aliados do mandatário na Casa. Em placares realizados pelo Estadão e pela Folha de S. Paulo, são pelo menos 186 votos a favor do envio da denúncia contra o presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo menos 94 contra.
 
Ao todo, são necessários 342 votos de deputados para que Temer possa ser processado pelo Supremo, o que ainda é um cenário aparentemente inconclusivo. Sabe-se, por outro lado, que o mandatário mobiliza as lideranças e alianças que têm para que parlamentares não retrocedam do apoio e garantam a sua absolvição direta.
 
Segundo o Painel da Folha desta quarta-feira (26), o próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se apresentava como um dos principais beneficiários da eventual queda de Temer e mostrava sinais de dissidências frente ao contexto de fidelidade absoluta ao governo atual, admite a vitória.
Sem votos

Governo Temer abrirá PDV para servidores do Executivo

palacio_do_planalto_leandro_neumann_ciuffo_0.jpg
 
Foto: Leandro Neumann
 
Jornal GGN - Com a possibilidade de não conseguir cumprir a meta fiscal previsto para este ano - e que levou ao aumento dos impostos sobre combustíveis - o governo federal lançará um programa de demissão voluntária (PDV) de servidores do Executivo.
 
Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento, estima que poderão ser economizados em torno de R$ 1 bilhão anuais com o PDV. É esperado que ao menos 5 mil servidores entrem no programa, cerca de 1% do total de funcionários. 
 
O Ministério do Planejamento também disse que a proposta via incluir a possibilidade de redução da jornada de trabalho de 8 horas por dia e 40 horas por semana para 6 ou 4 horas diárias e 30 ou 20 horas semanais, com remuneração proporcional. 

Leia mais »

Média: 1.8 (5 votos)

Governo tenta comprar fazenda para ajudar amigo de Temer

fazenda-michel-temer.jpg

Foto: Reprodução

Jornal GGN - Desde junho deste ano, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) deu início a uma negociação para comprar a fazenda do coronel reforma João Baptista Lima Filho, amigo do presidente Michel Temer, em Duartina, no interior de São Paulo.

Os investigadores da Operação Lava jato apontam o coronel Lima como o mais antigo operador de propinas de Temer. A compra da propriedade serviria para atender aos manifestantes que ocuparam a fazenda, mas um procurador da República crê que existam indícios de improbidade administrativa e tráfico de influência. 
 
A fazenda Esmeralda foi ocupada em maio deste ano e também nesta terça-feira (25). De acordo com o El País, o Incra comunicou o interesse em comprar o imóvel em ofício, solicitando à Justiça a autorização de uma avaliação do governo na propriedade para formalizar uma proposta.

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Reprovação de Temer continua aumentando e chega a 94%

temer-_beto_barata_pr_1.jpg
 
Foto: Beto Barata/PR
 
Jornal GGN - Pesquisa realizada pela Ipsos e divulgada nesta terça-feira (25) mostra que a reprovação do presidente Michel Temer (PMDB) continua crescendo e agora chega a 94%. Além disso, em julho, a avaliação do governo federal chegou ao seu pior nível desde 2003. 
 
Segundo a pesquisa Pulso Brasil, 95% dos entrevistados acreditam que o país está no rumo errado. Para os analistas do instituto, o levantamento mostra que os efeitos da crise política e da delação premiada de Joesley Batista, da JBS, ainda se mantêm. 
 
Para Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos, o aumento dos impostos e dos combustíveis devem fazer com que a desaprovação a Temer continue alta nos próximos meses. 
 
Dentro da pesquisa, o ranking Barômetro Político analisa a popularidade de 33 nomes, entre personalidades e políticos. Temer aparece com a maior desaprovação (94%), seguido pelo ex-deputado Eduardo Cunha (93%) e pelo senador Aécio Neves (90%). Renan Calheiros e Dilma Rousseff aparecem empatados com 80%.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Movimentos sociais bloqueiam acesso para Base de Alcântara

alcantara_mst.jpg
 
Foto: MST
 
Jornal GGN - Em um dia marcado por protestos e ocupações do MST, representantes de movimentos sociais bloquearam o acesso ao Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Os militantes defendem a soberania brasileira e protestam contra a entrega da base para os Estados Unidos.
 
De acordo com o MST, cerca de 400 pessoas de diversas entidades e movimentos do país fecharam os acessos da base para denunciar a retomada dos acordos com os Estados Unidos, que pedem a entrega do centro de lançamento de foguetes.
 
Os movimentos afirmam que o presidente Michel Temer adota uma “política de entreguismo”, com o aprofundamento de privatizações e outras ações que atacam a soberania nacional.

Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)

A luta de classes e o aprofundamento da crise econômica, por Marcio Pochmann

temer_-_beto_barata_pr_2_2.jpg

Foto: Beto Barata/PR

Da Rede Brasil Atual

 
Política de austeridade do governo Temer enfraquece a classe trabalhadora e não garante a sustentação dos lucros pelo desenvolvimento do sistema produtivo
 
por Marcio Pochmann
 
O Brasil segue governado por aqueles que já morreram. Ao invés de cometer erros novos, os governos insistem na repetição dos mesmos equívocos do passado. Exemplo disso pode ser encontrado na predominância da interpretação da crise que abala a economia nacional e orienta a ação do governo Temer.
 
Como se sabe, o país vive uma longa fase de estagnação de sua renda per capita. Entre 1981 e 2016, o rendimento médio do brasileiro subiu 0,6% como média anual, ao contrário de 4,4% no período de 1945 a 1980.
 
Embora interrompida brevemente nos governos liderados pelo PT, a explicação predominante aceita pelos midiáticos analistas econômicos e ministros da Fazenda de plantão desde os anos neoliberais iniciados em 1990 tem sido a de que a queda na taxa de exploração capitalista da força de trabalho resulta na desaceleração dos ganhos de produtividade. Isso porque a elevação na massa de rendimento do trabalho termina por esmagar os lucros empresariais, desincentivando os investimentos produtivos.
Leia mais »
Média: 4.3 (6 votos)

Pública Central do Servidor é resposta à reorganização da sociedade moderna, diz dirigente

 
Jornal GGN - A Pública Central dos Servidores enviou ao GGN uma nota do presidente Nilton Paixão defendendo a institutição de reportagem do Poder 360, republicada aqui. A matéria dizia que, na visão das seis maiores centrais sindicais (entre elas, CUT e Força Sindical), o governo Temer está manobrando para mudar as regras voltadas para o setor e permitir a criação de uma nova central específica para servidores públicos, com o intuito de esvaziar protestos e greves e enfraquecer as demais entidades. Segundo as centrais tradicionais, é preciso juntar sindicatos de pelo menos 5 setores da economia para se tornar uma central sindical.
 
A nota da Pública Central, por outro lado, defende a legitimidade da instituição e demonstra o conflito de interesses. Na visão de Paixão, nenhuma dessas centrais já estabelecidas representam os interesses dos servidores públicos. Além disso, ele explicou que a Pública Central dos Servidores tampouco é uma criação do governo Temer, já que existe há dois anos.
 
Leia, abaixo, a nota na íntegra.
Média: 5 (1 voto)

Cúpula do Mercosul: Movimentos desmascaram Temer e pedem Diretas

Central de Movimentos Populares realizou protesto nos arredores da reunião do Mercosul (Foto: CMP/ Cadu Bazilevski)Central de Movimentos Populares realizou protesto nos arredores da reunião do Mercosul

do Vermelho

Cúpula do Mercosul: Movimentos desmascaram Temer e pedem Diretas

Manifestantes e membros de diversos movimentos populares brasileiros marcaram presença durante a reunião de cúpula do Mercosul, realizada nesta semana em Mendoza, na Argentina, e pediram a convocação de eleições diretas, denunciando o golpe no Brasil. No encontro, a presidência do bloco passou das mãos do presidente argentino, Mauricio Macri, para as do brasileiro Michel Temer.

Na última sexta-feira (21/07), os manifestantes se reuniram nos arredores do Hotel Intercontinental. Coordenada pela CMP (Central dos Movimentos Populares), a caravana brasileira, que contou ainda com representantes de forças políticas como a Juventude do PT de São Paulo, Movimento de Luta por Moradia e Levante Popular da Juventude, saiu de São Paulo na terça-feira (18/07), percorrendo mais de 3.000 quilômetros. Leia mais »

Média: 3.2 (6 votos)

BNDES é autorizado a comprar ações de empresa de saneamento do Rio de Janeiro

pezao_rabello_andre_telles_-_governo_do_rio_de_janeiro.jpg
 
Foto: André Telles/Governo do RJ
 
Jornal GGN - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi autorizado pelo presidente Michel Temer a comprar ações da empresa de saneamento do Rio de Janeiro, a Cedae. As ações serão compradas pelo valor de R$ 3 bilhões e o objetivo é socorrer as finanças do governo do RJ.
 
A medida ainda vai ser analisada pelo BNDES, como o governo fluminense e com a própria empresa de saneamento antes de ser aprovada. O ministro Moreira Franco vai se reunir com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e a diretoria do banco para debater a proposta. 
 
A ideia é que, através da BNDESPar, o banco compras as ações da Cedae e depois finalize a privatização da empresa. A aquisição acionária serviria como uma antecipação de fundos para que governo do RJ pague os salários de servidores e fornecedores. 

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

Após Temer elevar tributo, Skaf ressuscita pato da Fiesp

patao_paulista_ayrton_vignola_fiesp_0.jpg
 
Foto: Ayrton Vignola/Fiesp
 
Jornal GGN - Após o anúncio da elevação do Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), que incidem na gasolina, diesel e etanol, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) decidiu ressucitar seu pato inflável para reclamar da alta dos impostos.
 
Inicialmente, o pato fazia parte da campanha ‘Não vou pagar o pato’, que protestava contra o aumento dos tributos. Depois, acabou se tornando um dos grandes símbolos das manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff.
 
Depois de algum tempo escondido, o pato volta a dar as caras na sede da Fiesp, no número 1313 da Avenida Paulista. Ontem (21), Paulo Skaf, presidente da entidade, afirmou que estava “indignado” com o aumento dos tributos. Ele também afirmou que a elevação dos impostos deve piorar a crise econômica.

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

Cientistas e pesquisadores realizam ato pelas Diretas Já na UFMG

diretasja_lula_marques_agpt.jpg
 
Foto: Lula Marques/AGPT
 
Jornal GGN - Nesta quinta-feira (20), cientistas e pesquisadores realizam em ato político pedindo pela realização de eleições diretas, durante o 5º Salão Nacional de Divulgação Científica, na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).O ato também é contra as reformas Trabalhista e Previdenciária.
 
Na abertura do evento, Tamara Naiz, presidenta da Associação Nacional de Pós Graduandos (ANPG), disse que as diretas já são a saída para crise enfrentada atualmente pelo país. “Esse governo só faz o que faz porque não teve que colocar seu projeto sob o crivo do voto popular. Se tivessem feito ele teria sido derrotado, como aconteceu em 2014”, afirmou. 
 
A Campanha Cientistas e Pesquisadores por Diretas Já será lançada  junto com um manifesto com conta com a assinatura de mais de duzentos pesquisadores. 

Leia mais »

Média: 4 (4 votos)

Pesquisa científica tem queda histórica no orçamento e sofre com desmonte de Temer

pesquisa_cientifica_-_cecilia_bastos_usp_imagens.jpg

Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Da Rede Brasil Atual

 
Diretor do Andes, Epitácio Macário conta que verba destinada para o setor caiu a menos da metade do que era em 2010. "Estamos regredindo a um patamar inferior ao que era nos anos 90", afirma

De acordo com o diretor do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) Epitácio Macário, a pesquisa nacional sofre com problemas orçamentários e o desmonte do setor traz um "prejuízo incalculável" para a população. Em entrevista à Rádio Brasil Atual, Epitácio diz que o Brasil está regredindo décadas.

"O orçamento federal destinado para o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações é menos da metade do que tínhamos em 2010. Na área de ciência e tecnologia estamos regredindo a um patamar muito inferior ao que era nos anos 90, pela falta de recursos", afirma o pesquisador.

Leia mais »
Sem votos

Para descongelar gastos, Temer pode aumentar impostos sobre combustíveis

temer_-_beto_barata_pr_2_1.jpg
 
Foto: Beto Barata/PR
 
Jornal GGN - Com a falta de recursos afetando a emissão de passaportes, os trabalhos da Polícia Rodoviária e até a Força Nacional, o presidente Michel Temer cogita permitir o aumento de impostos sobre combustíveis. 
 
O governo tem de lidar com uma forte frustração de receitas e agora calcula que seria necessário elevar em R$ 0,10 por litro de gasolina e diesel para arrecadar R$ 4 bilhões, que seriam utilizados para liberar algumas despesas que estão sob contingenciamento. 
 
O aumento iria incidir sobre a alíquota do PIS e Cofins, entrando em valor automaticamente. A princípio, o governo pensou em aumentar a Cide, que também é cobrada sobre os combustíveis. Neste caso, porém, seria preciso esperar três meses e dividir o valor com cidades e Estados. 

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Brasil vai de referência a patinho feio das políticas ambientais

desmatamento2_eduardo_santos_creative_commons.jpg

Foto: Eduardo Santos/Creative Commons

Da Rede Brasil Atual

 
Plano Nacional de Regularização Fundiária, sancionado por Temer, permite a legalização ampla de áreas públicas invadidas na Amazônia e retira exigências ambientais para a regularização fundiária
 
por Maurício Thuswohl

 Um dos pilares sobre o qual se sustentou o crescimento do prestígio do Brasil no cenário diplomático internacional desde 2003, as políticas de preservação da biodiversidade, de criação de Unidades de Conservação e, sobretudo, de redução do desmatamento na Amazônia não fazem mais parte do cardápio do governo brasileiro. O detalhe é que este importante fato da realidade nacional, que não chega a ser uma novidade para os brasileiros mais atentos, começa a despertar indignação também no cenário político global. 

Se antes pareciam ofuscados pela repercussão internacional das crises política e econômica que atingem o Brasil desde que teve início o processo de afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República, os retrocessos ambientais na Amazônia já não são mais segredo. Isso ficou comprovado pela saia justa em que se viu o presidente Michel Temer nas suas passagens pela Noruega, onde fez visita oficial no final de junho, e pela Alemanha, onde participou na semana passada da reunião de cúpula do G20

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)