Revista GGN

Assine

Política

A crise política após a Lista de Fachin - entrevista UlbraTV

Entrevista de Bruno Lima Rocha para o programa Conexão RS, Ulbra TV, Grande Porto Alegre. Realizada na segunda 17 de abril de 2017, aborda a crise política derivada da difusão da Lista de Fachin e a continuidade do governo ilegítimo. 

Leia mais »

A importância de matar o mito, por Alexis Prieto


Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Por Alexis Prieto

Comentário à publicação "O assalto ao poder e os Macunaímas do Supremo, por Luís Nassif"

Bastaria que o Robin Hood tivesse pegado algum dinheiro para enriquecimento próprio para que a história medieval que conhecemos fosse desacreditada, e para que muitos senhores ingleses pudessem dormir melhor nestes últimos 500 anos e os anos que virão.

Hoje, para a elite brasileira, é fundamental prender o Lula e matar o mito. Quanto menor e brega seja o delito, mais ordinário o Lula será apresentado perante a sociedade, como um batedor de carteira, um aproveitador de sobras, um catador de restos de banquetes, ou seja, delitos que o "povo" entende claramente como tais. O apartamento do Geddel na Bahia é perdoável para as elites, pois demonstra bom gosto e articulação, mas não assim aquele apartamento brega em Guarujá.

Pela cultura brasileira, o povão convive e tolera elites ricas, elegantes, articuladas e espertas, mas não perdoa ladrão de galinha dentro da sua comunidade. Assim também a “justiça”, como fez com aquela mulher que roubou um pote de manteiga em supermercado e ficou 6 meses na cadeia.

Leia mais »

Média: 4.4 (27 votos)

Lava Jato criminaliza lobby da Odebrecht, sem diferenciar doações legais ou não

Foto-montagem: Brasil247
 
Jornal GGN - A Operação Lava Jato segue na tentativa de criminalizar a relação entre a política e grandes empresas na atuação do mercado. Se, por um lado, o pagamento de propinas e de caixa dois foram descobertos como parte dessas negociatas, por outro, doações declaradas à Receita Federal também estão sendo apontadas pelos investigadores como práticas criminosas, como supostas compras de interesses no Congresso Nacional.
 
É neste contexto que os depoimentos de ex-executivos da Odebrecht ao Ministério Público Federal (MPF) saciam a tese dos investigadores ao narrar o lobby exercido pela companhia para a aprovação, por exemplo, de medidas legislativas e do Executivo, por meio da edição e aprovação de medidas provisórias.
 
Entre os trechos narrados, está o de Claudio Melo Filho, ex-diretor da Odebrecht, que contou que as contribuições para a campanha de 2014 do governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), eram uma "contrapartida para o forte apoio [de seu pai, o senador Renan Calheiros], na renovação dos contratos de energia", que chegou a culminar na edição da medida provisória.
Média: 3.4 (5 votos)

Haverá País?

Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada ...
 

 

Teoria da conspiração.

Assim era considerada a afirmação da filósofa Marilena Chauí, há cerca de um ano atrás. Ela dizia que o juiz Sérgio Moro teria sido treinado pela CIA. Aqui mesmo não foram poucos os que assim avaliaram esta afirmação à época.

Hoje esta teoria já se reveste de maior aceitação, pelo menos entre aqueles que gozam de um mínimo de independência de raciocínio, aqueles que de alguma forma estão descolados das teias da Rede Globo e seus penduricalhos.

Também por ocasião do golpe militar de 64, foram necessários mais de 30 anos para que a real e ativa participação dos Estados Unidos viesse a público.

Estou aqui a lançar a mais ampla teoria da conspiração, e que versa justamente sobre a participação dos Estados Unidos na teia que se forma sobre nosso país, sob o patrocínio da Rede Globo. Leia mais »

"Não está fora de cogitação um novo golpe", diz Comparato

Foto: Julia Leite

Por Deborah Melo

Na CartaCapital

O jurista Fábio Konder Comparato não nutre esperança em relação à crise política. A instrução dos processos a partir da lista de Luiz Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), vai demorar.

O governo, de pouca legitimidade, e o Congresso desmoralizado continuarão a aprovar reformas "inconstitucionais", salvo uma intervenção do Ministério Público ou da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os políticos buscarão formas de escapar das acusações. E mais: Comparato não descarta um novo golpe de Estado.

Leia mais »

Média: 4.3 (8 votos)

Janio: Fim da corrupção exige "esforço e civismo" que classe dominante é incapaz de fazer

 
Jornal GGN - Dizer que reforma política é solução para a corrupção desnudada por operações como a Lava Jato é "vender ou comprar ilusão". Na visão do jornalista Janio de Freitas, "mudar as regras da política é necessidade premente, mas com a plena noção de que é mudar o continente e não o conteúdo. A corrupção é feita por homens, não pelas regras da política." O fim da corrupção exige um "esfroço e civismo" que a classe dominante, de políticos a grandes meios de comunicação, não têm capacidade (ou interesse) de fazer. 
Média: 4.4 (13 votos)

Ausência de ideologia de câmbio e a base para a guinada à direita, por Bruno Lima Rocha

Ausência de ideologia de câmbio e a base para a guinada à direita

por Bruno Lima Rocha

É lugar comum ouvir em análises e expressões vindas de todas as camadas da esquerda e da centro-esquerda, algo como “quando este povo vai se levantar indignado”? Além do sentimento de revolta e frustração – totalmente compartilhado por este que escreve – a afirmação também traz elementos de certa condescendência com o governo deposto e algo da perigosa inocência politica. Neste breve texto, tento demonstrar como a categoria ideologia foi desprezada e, por óbvia consequência, a relação com o oligopólio da mídia – em especial com a empresa líder – foi reificada.   

Se levarmos em consideração os 13 anos de governo petista na Presidência, nos damos conta de que faltaram elementos fundamentais para um projeto de poder prolongado. Quando me refiro a projeção de uma vontade política, não significa perpetuar no Poder Executivo a este ou aquele partido, mas sim a construir condições de conquistas permanentes e não retorno. Não retornar para situações anteriores implica ir além de melhorias materiais – embora estas sejam fundamentais – mas também dar um significado ideológico para a base da sociedade.

Leia mais »

FHC culpa PT pelo "nós contra eles" e depois pede diálogo

Fotos: Ricardo Stuckert
 
Jornal GGN - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso diz em vídeo que será divulgado nas redes sociais nesta terça (11) que é preciso diálogo para acabar com esse clima de intolerância na política. Mas, antes, culpa o PT por ter criado o "nós contra eles".
 
"Veja no que deu essa tentativa no Brasil de jogar ‘nós contra eles’. Isso veio principalmente do pessoal do PT mas agora se generalizou", diz. "Acho que chegou o momento no Brasil que nós precisamos, não é fazer um acordão de cúpula, mas serenar os ânimos e ver o que é que interessa a todos como um conjunto, como um país, um povo", relata o Correio Braziliense.
Média: 1.6 (15 votos)

Video mostra Moro incomodado com questões sobre Aécio, vazamentos e abusos

 
Jornal GGN - "Como a Lava Jato consegue descobrir o maior esquema de corrupção do Brasil, mas não consegue controlar os vazamentos?"
 
Não foi "um equívoco" quebrar o sigilo do blogueiro Eduardo Guimarães, com a desculpa de que ele não é jornalista?
 
O senhor não se arrepende de tirar foto sorrindo ao lado de Aécio Neves (PSDB), dando "munição" àqueles que alegam que a Lava Jato é parcial e usada como instrumento político? O senhor não vê conflito ético nesse episódio?
 
O que acha da proposta de Rodrigo Janot para criminalizar a famosa carteirada (uso de cargo público para obter vantagem pessoal) e abuso de imprensa (exploração de meios de comunicação, por autoridades que atuam em investigações e julgamentos, para divulgar casos e antecipar juízo de culpa sobre o acusado/investigado)?
Média: 4.7 (28 votos)

Lula: a candidatura como saída democrática, por André Singer


Foto: Paulo Pinto e Ricardo Stuckert - Instituto Lula
 
Jornal GGN - Após a decisão do julgamento da chapa Dilma e Temer, a segunda decisão que os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terão que enfrentar é se Lula poderá se candidatar à Presidência em 2018. "Caso Lula possa candidatar-se, a recomposição do tecido democrático esgarçado pelo golpe parlamentar ganha densidade. Na hipótese contrária, a instabilidade tende a se prolongar, abrindo caminho para saídas autoritárias", analisa o cientista político André Singer, em sua coluna.
 
Nesse sentido, o resultado final de uma possível disputa pelo petista não é o mais importante. "Não importa, portanto, que Lula ganhe, e sim que consiga concorrer em igualdade de condições".
Média: 3.5 (8 votos)

Após manobra, indicado de Trump é aprovado novo juiz da Suprema Corte


Foto: The Independent

Da Agência Brasil com EFE

O Senado dos Estados Unidos confirmou nesta sexta-feira (7) Neil Gorsuch, o juiz indicado pelo presidente norte-americano Donald Trump, como novo magistrado da Suprema Corte para a vaga de Antonin Scalia, que morreu em fevereiro do ano passado. As informações são da Agência EFE.

Com 54 votos a favor e 45 contra, o Senado confirmou Gorsuch por maioria simples depois de mudar na quinta-feira as normas da Câmara Alta, que exigiam maioria de 60 votos para esse tipo de procedimento.

A confirmação fecha uma semana de intenso debate no Senado, onde a oposição democrata levou ao limite suas manobras de filibuster (fazer longos discursos) para adiar a chegada do juiz à Suprema Corte.

Leia mais »

Média: 2 (1 voto)

Moro diz que Lava Jato atua sem submissão porque opinião pública está ao seu lado

Foto: EFE
 
Jornal GGN - Em passagem pela Universidade Católica de Buenos Aires, Argentina, o juiz Sergio Moro disse que a chave para o sucesso da Lava Jato foi dar publicidade às ações da força-tarefa e contar com o apoio de "milhões que foram às ruas" protestar contra a corrupção. Isso, segundo Moro, permite que os procuradores, a Polícia Federal e a Justiça atuem com total independência, sem se submeterem a pressões.
 
Segundo reportagem do El País, Moro disse que uma das melhores coisas foi permitir que as audiências dos processos fossem gravadas e disponibilizadas ao público. Em geral, quem tem acesso privilegiado aos depoimentos colhidos pela Lava Jato é o Estadão. 
Média: 1.7 (12 votos)

Vizinho anti-PT ataca família da pesquisadora do Bolsa Família novamente

Atualizada às 16h20
 
 
Jornal GGN - O vizinho anti-PT da pesquisadora do Bolsa Família Walquíria Leão Rego voltou a atacar sua família novamente, agora com uma mensagem ameaçadora, dizendo que "comunista bom é comunista morto".
 
O episódio aconteceu no edifício onde Walquíria mora, em um bairro nobre de São Paulo - onde os panelaços costumavam ocorrer com frequência no final do governo Dilma Rousseff . O GGN teve acesso às imagens registradas pela câmera do elevador.
Média: 4.5 (16 votos)

Sobre linguiças e reformas de Temer, por Xico Sá

Imagem relacionada

Sugerido por Paul Moura

Em comentário ao post "Xadrez para entender a operação Carne Fraca"

Imperdível essa crônica do Xico Sá

Por Xico Sá

Minha crônica da semana. Um diálogo com o chanceler Otto von Bismarck sobre linguiças e as leis brasileiras. Boa leitura , beijos

No El País

O escândalo da carne mostra como os embutidos financiam as leis brasileiras
 
Diante do escândalo dos frigoríficos e das reformas propostas por um Congresso emporcalhado —com todo perdão aos suínos pelo uso recorrente da metáfora —, só nos resta lembrar o chanceler alemão Otto von Bismarck, ainda no século XIX: “Se o povo soubesse como são feitas as leis e as linguiças, não obedeceria as leis e nem comeria as linguiças”.
Média: 5 (6 votos)

Lawfare e a ascensão das tecnocracias jurídicas

Análise dos efeitos políticos da operação Lava Jato no Brasil e no continente. Bruno Lima Rocha é cientista politico e professor de relações internacionais.