Damares Alves pode ser investigada por ato antivacina e Disque 100 a negacionistas

Ministério de Damares colocou o canal Disque 100 à disposição de negacionistas e se posicionou contra obrigatoriedade da vacina

Damares Alves, ministra de Mulher, Família e Direitos Humanos. | Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil

Após nota técnica contra a vacina em crianças e o passaporte da vacina, escrita pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves pode ser investigada e processada pela Procuradoria.

O pedido partiu da bancada do PSOL na Câmara, que acionou o MPF-DF (Ministério Público Federal do Distrito Federal) para investigar Damares, na publicação da nota.

A pasta escreveu que se opõe à obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 em crianças e também do passaporte de vacina, mecanismo que restringe a locomoção e entrada de pessoas que não possuem as vacinas em estabelecimentos públicos e privados, e fronteiras.

Ainda, o Ministério de Damares colocou o canal Disque 100 – que é um meio para mulheres e pessoas denunciarem violações dos direitos humanos, como agressões, tortura, trabalho escravo, etc – à disposição de negacionistas e antivacinas para relatarem situações.

Escrita no último dia 19, a nota técnica foi assinada por secretários e um diretor do Ministério. Damares apoiou o documento e encaminhou a outras pastas no dia 21 de janeiro.

Os cinco foram denunciados pelo PSOL à Procuradoria do Distrito Federal.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

José Marques Mendes

- 2022-01-29 14:16:51

Com esta PGR? Ela pode matar, como o chefe dela, é nada acontece.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador