Violência contra a mulher cobre o Brasil de vergonha, por Wadih Damous

Foto Depositphotos

Violência contra a mulher cobre o Brasil de vergonha

por Wadih Damous

O Dia Internacional da Mulher é uma data que homenageia todas as mulheres do planeta. Nada mais merecido. Seja na família, no local de trabalho, nas escolas e universidades, no bairro onde moramos, nos sindicatos, partidos políticos ou no círculo de amizades,  é dia de prestarmos reverência a essas guerreiras que, como dizia a saudosa amiga e lutadora destacada da causa da emancipação feminina, Heloneida Studart, “as mulheres carregam o país nas costas.”

Contudo, a dimensão de luta do 8 de março vem sendo realçada cada vez mais pelo movimento feminista e demais lutadoras sociais e políticas. E não é para menos. Segundo a Anistia Internacional, o Brasil é um dos países mais perigosos para se nascer mulher. A despeito de avanços institucionais inegáveis, como a Lei Maria da Penha, os dados estarrecedores da da violência contra a mulher teimam em crescer de forma exponencial.

Vamos aos números que cobrem a nação de vergonha : o Brasil é o 5º colocado no ranking mundial de assassinatos de mulheres, com 13 feminicídios por dia, entre os quais 50,3% são cometidos por familiares; entre 2003 e 2013, o número de mulheres negras assassinadas cresceu 54%. E mais : 527 mil estupros acontecem anualmente. 70% deles são cometidos por parentes, namorados, amigos ou conhecidos. E as vítimas são crianças ou adolescentes em 70% dos casos.

Junte-a a esse quadro de horror todo tipo de discriminação e preconceito de gênero e depararemos com uma dura realidade: vivemos em um país no qual a misoginia e a violência contra a mulher impactam negativamente no nosso estágio civilizatório e patamar de desenvolvimento humano. É forçoso reconhecer que o machismo e o sexismo, incentivados pela mídia monopolista e indústria do entretenimento, e que está presente nas relações familiares e na escola tradicional, são fenômenos tão perniciosos quanto enraizados na sociedade.

Não é por acaso que, com mais escolaridade que os homens, as mulheres ganham, no Brasil, 70% do recebido pelos homens; elas, que são 54% da população, ocupam apenas 10% das cadeiras do Congresso Nacional. Este cenário se repete nos cargos mais altos das empresas, nos poderes Executivo e Judiciário, enfim, em todos os órgãos públicos e privados. A luta por empoderamento e isonomia salarial, portanto, está no topo da agenda das entidades feministas.

No longínquo 1911, as funcionárias de uma fábrica, em Nova York, entraram em greve reivindicando a redução da jornada de trabalho de 16 para 10 horas diárias, equiparação salarial com os homens e melhor tratamento no local de trabalho. Depois de invadida pela polícia para reprimir a greve, a fábrica foi incendiada, causando a morte de 125 mulheres. O genial Marx é autor de uma definição antológica, segundo a qual a história só se repete como farsa ou tragédia. E no Brasil de 2018 são justamente as mulheres as mais prejudicadas pela contrarreforma trabalhista de Temer. 

Viva a luta das mulheres !

Wadih Damous é deputado federal (PT-RJ)

 

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vânia

- 2018-03-08 18:18:08

Não precisa ir "tão longe" naldo

Pode ler alguns comentários aqui mesmo neste blog. Neste e em outros posts. Hoje e sempre.

Vânia

- 2018-03-08 18:16:18

É mesmo?

A cada 10 minutos uma mulher é assassinada pelo parceiro ou ex-parceiro no mundo. Uma realidade aterradora que na América Latina, com uma taxa altíssima de feminicídios, é ainda mais grave. 

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/03/07/internacional/1520452960_137452.html

Diferentes países, um mesmo grito contra a desigualdade

Paulo Dantas

- 2018-03-08 15:22:30

O problema do Brasil ...

O problema do Brasil é a violência , a violência contra a mulher é só mais terrível um aspecto de uma sociedade violenta que tem uma polícia que não investiga.

 

naldo

- 2018-03-08 14:56:16

 Confesso que não gosto

 Confesso que não gosto destas datas comemorativas.....

 

dia das mães são todos os dias, assim como o dos pais, avós, mulheres.......

Até admito que é uma data para marcar posição e cobrar politicas avançadas,

Entretando, lendo comentários em um determinado portal chapa branca, acredito que deveriam instituir o milênio das mulheres, tal é o pensamento tacanho, rude, sexista e preconceituoso que emerge das cloacas de determinados acéfalos...... 

 

 

Antonio Carlos Silva - Brasil

- 2018-03-08 14:03:58

NÃO ESQUEÇAMOS AS QUE OPRIMEM !!

São milhões de brasileiras vítimas de todo tipo de opressão e violência, mas não podemos esquecer das que se tornaram célebres ao oprimirem :

Resultado de imagem para carmen lúcia

Resultado de imagem para delegada macarena cancellier

 

Resultado de imagem para raquel dodge prisão na primeira instancia

Resultado de imagem para janaina paschoal falando neto de dilma

Antonio Carlos Silva - Brasil

- 2018-03-08 13:44:00

JAMAIS ESQUECEREI !! NÃO PODEMOS ESQUECER !!

Mulheres que foram vítimas diretas (insultadas e golpeadas) dos manifestoches BANDIDOS e sua mídia ordinariamente corrupta e apátrida :

 

Resultado de imagem para marisa leticia hospital

Resultado de imagem para dilma

 

Resultado de imagem para mulher de mantega

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador