Chuvas na Bahia deixam 72 cidades em emergência, 18 mortos e 16 mil desabrigados

Elevação dos níveis dos rios deixa 37 cidades debaixo d’água e 19 mil desalojados. Tragédia mobiliza outros estados

nte da Bahia, tem algo dessa proporção. É algo realmente assustador”, disse governador Rui Costa — Isac Nobrega/ABR

da Rede Brasil Atual

Chuvas na Bahia deixam 72 cidades em emergência, 18 mortos e 16 mil desabrigados

Por Redação RBA

Publicado 27/12/2021 – 08h29

“Não me lembro se, na história recente da Bahia, tem algo dessa proporção. É algo realmente assustador”, disse governador Rui Costa — Isac Nobrega/ABR

São Paulo – O governo da Bahia incluiu neste domingo (26) 47 municípios na situação de emergência em razão das fortes chuvas Assim, o estado tem agora são 72 cidades nessa condição. A medida, anunciada pelo governador Rui Costa (PT) durante visita a Ilhéus, autorizada a mobilização de todos os órgãos estaduais para apoiar a ações de resposta ao desastre, e recuperação das cidades. Costa sobrevoou e visitou, neste domingo, municípios do sul baiano onde as chuvas se intensificaram desde a última quinta (23), como também Itabuna e Itajuípe.

De acordo com o governador, em um dia a região passou de 19 para 37 cidades engolidas pelas águas com a subida do nível dos rios. No sábado, foi instalada uma base de apoio em Ilhéus. A operação envolve vários órgãos federais e estaduais para socorro aos municípios afetados pelas enchentes. Rui Costa observou que, devido à distância, outros pontos serão criados em Itapetinga, Vitória da Conquista, Ipiaú e Santa Inês.

Uma força-tarefa com agentes de segurança pública está atuando na região. Ela é composta por bombeiros militares da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Norte, Maranhão, Paraíba, Sergipe, além das policias Militar da Bahia e da Rodoviária Federal (PRF). Vinte viaturas, 10 aeronaves, oito botes e um barco também foram mobilizados.

Pior momento

O governador afirmou acreditar que esta é a maior “tragédia” na história recente do Estado. Ele está em Ilhéus para a coordenação da resposta às chuvas. “Já tivemos tragédias localizadas, mas com essa dimensão, não me lembro”, afirmou, em nota. “É uma tragédia gigantesca. Não me lembro se, na história recente da Bahia, tem algo dessa proporção pela quantidade de cidades, de casas envolvidas. É algo realmente assustador, o número de casas, de ruas, de localidades completamente embaixo de água”, disse.

Até ontem, havia 19.580 pessoas consideradas desalojadas – que precisaram deixar suas casas e que não necessariamente precisam de abrigo – e 16.001, desabrigadas. Além disso, duas pessoas estavam desaparecidas.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) mantêm o alerta de risco de novas inundações e deslizamentos de terra na Bahia, devido ao acumulado de chuvas dos últimos dias e à previsão de novas precipitações.

Situação de alerta

De acordo com a integrante do Movimento Nacional de Trabalhadores por Direitos na Bahia (MTD), Léia Nascimento, a situação é de alerta máximo no estado. Residente do município de Jequié (BA), ela conta que todos os bairros já foram tomados pela água da chuva e o problema já se espalhou para outros pontos da cidade.

“Todos os bairros da cidade possuem pontos de alagamento. Todas as pessoas perderam suas casas e seus bens. O problema das chuvas afetou também a zona rural, com várias pontes da cidade interditadas. A barragem do município tá com a vazão máxima e abriu as comportas”, relatou ela, em entrevista ao jornalista Glauco Faria, da Rádio Brasil Atual, na manhã de hoje.

Léia acrescenta que já se sabia da possibilidade das chuvas se intensificarem no estado, mas a articulação com a população afetada começou ontem, após uma noção maior dos danos. “Estamos priorizando uma aproximação com as comunidades e intermediações com o poder público, como a possibilidade de cederem escolas e postos de saúde para famílias desabrigadas. Estamos criando de redes de solidariedade”, acrescentou.

A militante do MDT diz que as barragens localizadas no estado são preocupantes, colocando a população ainda mais em risco. “Houve o rompimento da barragem em Lafaiete Coutinho (BA), e temos uma também aqui em Jequié que já está cheia. A lógica de como é pensada essas barragens no Brasil é algo muito preocupante, principalmente para a população ribeirinha que está próxima desses locais.Lista de municípios considerados sob emergência na Bahia.”

Lista de municípios considerados sob emergência na Bahia

Alcobaça

Anagé

Angical

Arataca

Aurelino Leal

Barra do Choça

Belmonte

Belo Campo

Brejolândia

Caatiba

Caetanos

Camacan

Canavieiras

Caravelas

Coaraci

Cotegipe

Dário Meira

Encruzilhada

Eunápolis

Firmino Alves

Floresta Azul

Gandu

Governador Mangabeira

Guaratinga

Ibicaraí

Ibicuí

Ibipeba

Ibirapuã

Igrapiúna

Iguaí

Ilhéus

Ipiaú

Itabela

Itabuna

Itagimirim

Itaju do Colônia

Itamaraju

Itanhém

Itapé

Itapebi

Itapetinga

Itapitanga

Itaquara

Itororó

Jequié

Jucuruçu

Jussiape

Lafaiete Coutinho

Lajedão

Macarani

Manoel Vitorino

Marcionílio Souza

Medeiros Neto

Milagres

Mucuri

Nova Viçosa

Pau Brasil

Poções

Porto Seguro

Prado

Santa Cruz Cabrália

Santa Inês

Santanópolis

Sapeaçu

Teixeira de Freitas

Ubaíra

Ubatã

Uruçuca

Valença

Vereda

Vitória da Conquista

Wanderley

Com informações da Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador