“Privadão” é instalado em SP para alertar avanço de mancha de poluição

Na ocasião, foi lançada a Frente Parlamentar Ambientalista pela Defesa das Águas e do Saneamento do Estado de São Paulo

Privadão no Congresso Nacional Março/ 2018
Da Fundação SOS Mata Atlântica
A Fundação SOS Mata Atlântica apresenta hoje (11), às 10h, a instalação “Privadão“, um vaso sanitário gigante, de 12 metros de altura, em frente à Assembleia Legislativa do Estado de São Pauo (Alesp). A ação chama a atenção para a falta de saneamento básico no Estado.
Em setembro, a organização divulgou novos dados da mancha de poluição do maior rio paulista com um alerta: em 2018, houve um aumento de 33,6% do trecho morto do Tietê em relação ao ano anterior (122 km), atingindo agora 163 km. Além disso, a pesquisa de opinião pública Segurança Hídrica“ do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) e Datafolha, divulgada no início de outubro, revelou o tema saneamento básico como terceiro item mais citado em lista de prioridades para a população em que o poder público deveria investir.
Para Malu Ribeiro, coordenadora da causa Água Limpa da Fundação SOS Mata Atlântica, as metas propostas pelo governo paulista só surtirão efeito com transparência. “Ao falar em saneamento, estamos tratando de algo crucial para a vida humana. Sendo assim, qualquer ação governamental pela despoluição de rios precisa contar com o engajamento da sociedade e, sobretudo, do comprometimento de todos com a gestão integrada da água”. A ação da ONG pretende alertar também para a importância da participação social na tomada de decisão e acesso à informação para o tema saneamento.
A ação acontecerá paralelamente ao lançamento da Frente Parlamentar Ambientalista pela Defesa das Águas e do Saneamento do Estado de São Paulo. A iniciativa consistirá num canal de participação da sociedade para o aprimoramento das políticas socioambientais e para a superação dos atuais problemas de degradação ambiental, bem como um espaço para maior articulação entre parlamentares para esta causa. O evento acontece no auditório Franco Montoro, na Alesp.
Coordenada pela deputada estadual Marina Helou (REDE-SP), a Frente contará com a participação da Bancada Ativista (PSOL-SP), Márcia Lia (PT-SP), Reinaldo Alguz (PV-SP), Ricardo Mellão (NOVO-SP) e Sergio Victor (NOVO-SP). A iniciativa ainda contará com a parceria de organizações da sociedade civil, como Aliança pela Água, Articulação Mais Floresta PRA São Paulo, Ecofalante, Fundação SOS Mata Atlântica, Iniciativa Verde, Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) e Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Vídeo: Movimento negro, candidatura coletiva e feminismo para os 99%, com Paula Nunes

2 comentários

  1. A hipocrisia não tem limites. A mesma ONG (Não governamental?) que fez contrato milionário com o Governo do Estado de SP, para dizer que as águas do Rio Tiête estão menos poluídas. É mamata para todos lados.

  2. no minimo estranha relação da SOS MAtlantica com os 12 anos de Governo paulista, tema ver com recebimento de verbas para seus projetos a ONG deve ser no minimo independente

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome