A Lava Jato e o fim de uma era política

A Operação Lava Jato caminha para ser um divisor de águas na história política do país, o desmonte definitivo de um modelo político, jurídico e econômico que vigorou nas últimas quatro décadas.

A partir da liberalização financeira dos anos 70, criou-se uma enorme zona cinzenta dos paraísos fiscais, juntando recursos dos crimes financeiros, do narcotráfico, do tráfico de pessoas e jogadores, da corrupção política, uma enorme teia de corrupção onde pontificavam bancos de investimentos, doleiros, fundos offshore.

***

Nesse período, desenvolveram-se várias formas de corrupção pública, das quais a mais tosca sempre foi a das licitações de obras e compras públicas. Golpes mais sofisticados foram aplicados na privatização, na manipulação de títulos públicos, nas informações privilegiadas sobre câmbio e taxas, nas operações esquenta-esfria do mercado de ações.

Criou-se um ecossistema em que todos os grupos políticos e de poder iam se abastecer. Mas as denúncias só ganhavam expressão quando utilizadas para propósitos políticos oportunistas, em um espetáculo amplo de hipocrisia.

***

A reação teve início nos países centrais, com as políticas de combate à lavagem de dinheiro e à corrupção corporativa.

Para se chegar à Lava Jato, houve uma verdadeira corrida de obstáculos, de operações que a precederam e foram abortadas por interesses incrustados nos diversos poderes – Executivo, Judiciário, Legislativo, partidos políticos e grupos de mídia.

A CPI dos Precatórios terminou em um grande arreglo, assim como a CPI do Banestado, a Satiagraha e a Castelos de Areia, por atingir políticos de todos os partidos, grupos empresariais poderosos e financistas em geral.

***

Leia também:  Advogado ameaçou acabar com carreira de Bretas se ele não arquivasse inquérito

O quadro pouco mudou com a mudança de governo Lula em 2003.

Grandes bancos de investimento continuaram ganhando nas suas jogadas nos leilões de títulos públicos, apostaram-se em novos campeões mundiais e a estratégia do PT foi colocar seus melhores operadores para os pactos com o submundo dos grandes grupos que, até então, abasteciam apenas o PSDB.

***

Se era imprescindível para a governabilidade, caberá aos historiadores futuramente dar o veredito.

O que importa é que a Operação Lava Jato encerra definitivamente o ciclo de impunidade do modelo político em vigor.

Nenhum partido hegemônico escapa dessa teia de corrupção. Não há espaço para manobras oportunistas. As principais lideranças do PSDB estão tão envolvidas quanto os operadores do PT. O advento das redes sociais acabou com a enorme blindagem que sempre mereceram dos grupos de mídia.

***

E aí se entra em paradoxos complexos.

Se for seletiva e se permitir jogadas oportunistas, a Lava Jato se desmoraliza.

Se levar a ferro e fogo as investigações, doa a quem doer, inviabiliza politicamente o país.

***

Não cabe aos procuradores e delegados definir os limites políticos da Lava Jato. É tarefa dos atores políticos oferecer as saídas para o maior impasse político em tempos democráticos da história do país.

E as saídas precisam vir na forma – urgente – de propostas de alterações radicais na legislação eleitoral, no Código Penal e na própria Constituição.

Que os deuses da sabedoria iluminem o Procurador Geral Rodrigo Janot e sua brava equipe envolvida com a Lava Jato. Se não permitir a repetição de jogadas políticas – como as que precederam as últimas eleições – têm em suas mãos a oportunidade, finalmente, de mudar o modelo político brasileiro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

89 comentários

  1. Seu senso de cautela ta

    Seu senso de cautela ta desregulado, Nassif,ja estava no post do “real politik” que tentava preparar o publico pra desmontagem da Satiagraha.

    Eu -entre muitas outras coisas que eu poderia elencar- preferia ver o Brasil cair aos pedacos politica e economicamente a ver o fim da Satiagraha que vi.

  2. É muito SE. E pelo nosso

    É muito SE. E pelo nosso histórico sempre se fica pelo caminho devido a algum dos SE.

  3. Muita gente teme que, se

    Muita gente teme que, se levado a ferro e fogo, sem jogadas políticas para beneficiar a ou b, a lava jato tenha o mesmo fim da operação mãos limpas na Itália = implodiu as velhas raposas que davam as cartas na política italiana desde o pós guerra e abriu caminho para o surgimento de Berlusconi – que faz parecer aqueles políticos antigos verdadeiros roosevels. Mas o Brasil tem que mudar. A corrupção nesse nível inviabiliza que o país de um verdadeiro salto de qualidade de vida para a população. 

  4. Samuel Wainer em seu livro
    Samuel Wainer em seu livro revela que na era jk rolava comissão nas empreiteiras, brasília foi toda feita assim. Pode colocar como origem no mínimo a morte de getúlio 1954 e a eleição de juscelino, ou investigue melhor porque certamente no estado novo também rolava corrupção.

  5. Samuel Wainer em seu livro
    Samuel Wainer em seu livro revela que na era jk rolava comissão nas empreiteiras, brasília foi toda feita assim. Pode colocar como origem no mínimo a morte de getúlio 1954 e a eleição de juscelino, ou investigue melhor porque certamente no estado novo também rolava corrupção.

  6. Financiamento publico de campanha

    A única solução é o fim dao financiamento privado de campanha e o financiamento publico de campanha de uma vez.

    Afora isso desmascarar Eduardocunha de uma vez. Aquilo lá é que é mensalão.

  7. .

    A preocupação de Nassif se deve sobretudo à insegurança gerada pela situação a que chegamos.

    Todos os lados envolvidos tentam, baseados na hipocrisia e na manipulação, salvar a própria cabeça e ao mesmo tempo cortar a cabeça do adversário. Em alguns momentos, quando as coisas escapam ao controle deles, tentam algum acordo de bastidores que convenha reciprocamente mas, por contrariar de alguma forma algum ou alguns dos demais envolvidos e por se tratar de uma imensa rede  de interesses, não conseguem estancar a “hemorragia”. Muito menos tendem a se conscientizar de que estão diante de um divisor de águas, de um quadro que exige uma limpeza geral para só assim haver um reinício. A quantidade acumulada exige um salto qualitativo. Eis a questão.

    O agravante é a forma como estão sendo dirigidas as tentativas de solução. Sempre há os que dedilham as marionetes e as marionetes dedilhadas.  As marionetes dos casos, principalmente encravadas no poder judiciário, têm se mostrado absolutamente inadequadas e despreparadas para encaminhar qualquer solução e aumentam o desgaste ampliando o acirramento político. O exemplo mais clássico destas figuras temos personificado em Gilmar Mendes, desgastado, desqualificado e provocando mais prejuízos que vantagens. Embora os que o dedilham já meditem se o mais indicado não seria descartá-lo terminantemente, ainda não ocorreu nada de concreto nesta direção, pelo menos aparentemente. Enquanto isso ele vai derrubando uma a uma as chances de recomposição.

    Os que manejam as marionetes também não perceberam a fulminante influência da internet, das redes alternativas ao main stream, formando opinião e decididamente se  fixando como bastião de resistência às manipulações e hipocrisias dos personagens.

    Por outro lado temos um partido de esquerda no poder, que cometeu erros táticos e estratégicos, mas cujo âmago continua intacto e limpo. Precisa colocar as coisas em pratos limpos, mas é acometido de um medo que o faz recuar, sem perceber que isto é a pior coisa que pode fazer de mal a si próprio. Um partido popular e com força suficiente para vencer uma eleição contra todo o poder midiático e anos de fogo cerrado dos inimigos, deveria se compenetrar de que nada há perder, somente terá a ganhar enfrentando os problemas de forma transparente, sem colocar nada ou ninguém embaixo do tapete. Sobretudo tem a ganhar o povo brasileiro, um ganho que deveria ser o objetivo de todos os partidos que se dizem ser seu representante. 

     

     

  8. Caro Nassif, o nó górdio é

    Caro Nassif, o nó górdio é tentar enxergar o que tem do outro lado das águas. Se penso à Itália, que nos anos 90 deu vida à operação Mani pulite, pondo fim a Primeira República e escancarando todo o sistema de corrupção democrata-cristão, fundado nos Segundo Pós-Guerra, esperava-se o início de uma nova era na gestão da coisa pública. Qual o que, o que viria depois, na Segunda República, seria Berlusconi, que não somente deu sobrevida ao antigo sistema, deu vida a um partido e a um sistema onde não é que a política se sujeita à lógica mafiosa, a política é a própria lógica mafiosa. É impressionante a capacidade destes mecanismos se reinventarem, tal como uma tilápia, que mesmo quando um açude seca, os seus alevinos se entranham na lama, esperando uma nova chuva.

  9. Caro Nassif e demais
    Os que

    Caro Nassif e demais

    Os que mais perdem nesse desmoronamento, jogam a culpa nos outros, de forma a fazerem uma reforma, para que tudo continue como antes.

    É uma cortina de fumaça.É preciso ir mais fundo, e mais longe na História.

    Saudações

     

  10. Quero, sinceramente, que os

    Quero, sinceramente, que os desdobramentos desse escândalo, tanto na área penal como polítiica, seja uma inflexão no histórico de oportunidades perdidas para isso. 

    Mas querer não é  poder. O mais provável é uma repetição dos tantos quantos episódios nos quais emergem prospecções do tipo ora arrolado e que vão ser desmentidas pela realidade nua e crua. Tenho lá minhas dúvidas se efetivamente dessa vez iremos passar o país a limpo.

    Resta torcer para que os voluntarismos se transformem em realidade e que não se concretize o mais provável, ou seja, sobrar unicamente para o PT e de resto continuar tudo dantes como no quartel  d’abrantes.  

    • Chego a pensar que o
      Chego a pensar que o autoengano é o esporte preferido do Nassif pois não é possível repetir sempre a manjadíssima cantilena com tantas previsoes malogradas.

      Num dia desses revirava sem querer o blog antigo e estava lá o mesmo otimismo eloqüente, exacerbado, incompatível com a cultura da omissão.

      Há intransponível dificuldade de entender a complexidade do jogo e necessidade de agentes e formulas para uma eventual alteração de suas regras.

      Os agentes são estes que vemos ou envolvidos, ou omissos ou simplesmente incapazes. Não os possuímos em numero e qualidade. São estadistas ineptos, vulgares, pretensiosos todavia.

      Seriam os responsáveis pela fórmula e conjunto de idéias e propostas. De fato, alterar o código penal.

      Neste campo profissionais políticos realmente talentosos montam uma grande estratégia, articulam, agregam, conclamam, definem passos…

      Onde estão esses caras?

      Se estou enganado, diga-me o nome de apenas um!

    • Não me desanime JB ! kkkk

      Não me desanime JB ! kkkk Quero ver o circo pegar fogo e não sobrar pedra s/ pedra, nem que a vaca tussa !! Quem sabe precisávamos ter uma mulher na presidência, que não almeje mais nada, além disso. Que comecemos tudo de novo ! Uma nova descoberta, talvez ! kkkkk Mas sem a caravela feita pelo FHC durante a comemoração dos 500 anos e q nem saiu do lugar, tão “pesada” estava. kkkk

  11. Honoráveis bandidos.

    Assim, como caminha a política nacional, logo prenderão D. Paulo Evaristo Arns e soltarão Fernandinho Beiramar, pois quem demitiu o delegado Protógenes Queiroz da PF e soltou Daniel Dantas, com 2 HC canguru, pode fazer mais e pior. O país do PSDB é o país da Ditadura Militar. Não me contaram, eu vi os coxinhas em frente ao MASP brandindo pela volta dos milicos. Este é o país onde sonegadores bradam contra a corrupção, assassinos e torturadords têm seus nomes em hospitais e escolas públicas, onde a vergonha na cara evaporou-se como as águas do Sistema Cantareira.

  12. Sabe-se que há crimes por

    Sabe-se que há crimes por ação e por omissão. Deixar de fazer, ou, intencionalmente fazer mal feito, são os rastros perceptíveis que as enxurradas do tempo não apagarão esses escândalos que permanecem vivos debaixo do tapete. Precisamos da moralidade do poder judiciário e do poder legislativo – hoje sujeito aos tribunais de contas – para que, a do executivo se restabeleça. Ou melhor, se estabeleça. Do PIG, sócio e cúmplice pouca coisa vai mudar. Até porque age em conformidade com as estratégias das elites secretas, ora em polvorosa, e preocupadas com as substituições necessárias ao tempo em que centra fogo no partido dos Patos. Nossas esperanças estão nas mãos de imorais. De ontem e de hoje. Hoje mais corporativos ainda e se posgraduando naquela famosa escolinha “Canguru”. 

  13. Uma manobra arriscada da oposição PSDB

    Certamente o PSDB contava com a derrota do PT para manter o processo de denúncia seletiva, e controlar a ira dos aliados envolvidos, mas com a vitória do PT os desdobramentos da operação Lava Jato são impressíveis.

    A operação Lava Jato foi tiro no pé, é uma fonte que secou, o que vai diminuir consideravelmente a arrecadação nas próximas  campanhas eleitorais da oposição PSDB, mais um tiro no pé.

    Evidentemente o cenário de 2018 com Lula na disputa eleitoral levou ao desespero a oposição PSDB, cortando na própria carne para tentar derrotar o PT nas eleições de 2014.

    Novamente como no caso da disputa envolvendo Roseana Sarney em 2002, foi mobilizado setores da Polícia Federal ligados ao PSDB, sacrificando setores aliados, mas desta vez  para tentar derrotar o PT.

    Caso não ocorra nenhum tipo de acordo, e os envolvidos sejam condenados e presos, certamente o PSDB sairá esfacelado,  perdendo uma importante fonte de recursos.

    O troco pode vir dobrado, do mesmo modo quando José Sarney assumiu a presidência do senado em 2009, e atuou nitidamente contra a candidatura de José Serra.

    No momento em que a fase investigativa terminar a PF deixa o processo apenas com o ministério público, o que pode impedir o controle do processo pela oposição PSDB, tornando o processo impressível.

     

  14. Presidenta Dilma

     

    Por tudo isto é que a Presidente Dilma está sendo “enfraquecida” diariamente, podendo até ser vítima de um impeachment. O Aécio se transformou num Leão da “democracia”, juntamente com um dos mais culpados de todos, que é o Sr. FHC e sua “privataria tucana” e a contribuição do “mui leal” Gilmar Mendes, dentre outros tantos.

    Presidente, não desista e não permita que  “desistam” desta operação e das demais que foram trancadas pelo” bem do país”. Aí sim, a senhora entrará para a história não só do Brasil, mas mundial. CORAGEM , sei que não lhe falta, como tem demonstrado, e é o que precisamos em meio a tanta covardia. O mesmo para o PGR , Dr. Janot, Teori e Lewandowsk. E o Dias Toffoli que se perca da história junto com seu Gurú.

    • Está tudo, a rigor, por conta

      Está tudo, a rigor, por conta do aparato judicial e do MPF.  Por mais que se louve o empenho do PGR (a bem da verdade, um pouco tardio) na validação da Lava Jato, é forçoso admitir que a operação corre sério risco de anulação mais à frente,  por conta de vazamentos seletivos de depoimentos sigilosos, da atuação partidária de agentes envolvidos e até mesmo de medidas “heterodoxas” determinadas pelo Juiz encarregado, já questionadas por diversos juristas.

      Não tenho a menor dúvida quanto à seriedade e determinação da Presidente Dilma. Porém, levar este caso às últimas consequências,  “doa a quem doer”, não é mais de sua alçada. Mas, se este processo, como tantos outros, “morrer” nas instâncias superiores do judiciário, a impunidade lhe será debitada. Por um desconhecimento generalizado das atribuições dos três poderes, o Chefe do Executivo é sempre cobrado por ações que não são de sua competência.  E a mídia não faz a menor questão de esclarecer. Ao contrário. Aproveita-se desse fato pra golpear o governo.

      • Discurso contraditório

        Vazamentos seletivos não causam nulidades, pois não interferem no exercício do contraditório e da ampla defesa no sentido de que não têm o poder de alterar o status do processo, do que já foi apurado e do que foi praticado pelos réus. O que existe no processo não muda porque alguém vazou partes dele.

        Sobre a suposta “atuação partidária de agentes envolvidos”, bem, isso quem está dizendo é você. É manjadíssima a estratégia dos acusados de alegarem perseguição política e quererem que os fatos apurados sejam desconsiderados. O ônus da prova cabe, neste caso, a quem alega a tal perseguição política. Essa linha de defesa aponta para o que já foi feito no mensalão. No entanto, as coisas agora são muito diferentes, com um conjunto probatório muito mais consistente quanto às intenções dolosas de quem armou o esquema de corrupção na Petrobrás. Essa alegação, portanto, não terá a menor força diante da contundência das provas.

        Sobre as tais “medidas heterodoxas” do juiz federal que conduz o processo , não sei quais seriam. Para mim, isso é discurso de advogado de defesa que está tentando defender os seus clientes de qualquer forma, inclusive sofismando, a exemplo do advogado Toron, que disse que as prisões preventivas estavam sendo usadas para “extorquir confissões”. Aliás, o alcance dessa alegação nem de longe tem o poder de anular o processo. No máximo, revoga a prisão preventiva. O processo, as provas, etc, continuam válidos e sustentarão tranquilamente condenações.

        O Governo Dilma tem outras preocupações em relação à Operação Lava Jato e elas não passam por ser acusado de ser o responsável pela eventual impunidade decorrente de nulidades processuais, consequência de um “desconhecimento generalizado das atribuições dos três poderes”. As preocupações são outras, muito diferentes, principalmente a de ser atingido fortemente pelas investigações. E isso, caso aconteça de forma lastreada em provas, certamente não terá absolutamente nada a ver com “desconhecimento generalizado das atribuições dos três poderes”.

    • “Dilma, a presidenta”.

      Como defender Dilma Lenita, se ela não teve competência junto com Lula para enxergar um palmo adiante do nariz? Ou são muito burros ou são ladões envolvidos com todo esse esquema. É inadmissível nesse momento agirmos como se estivéssemos com um tapa-olhos, sinto muito. 

      • Ah1 Elias, como é fácil falar

        Ap Elias, como é fácil falar ! Vc, por acaso conhece a estrutura administrativa da Petrobrás ? E em sua opinião os governos anteriores tb tinham tapa-olhos? incluindo todos, até o Lula. Como não viram? A presidenta já tinha despachado o Paulo Costa da Petrobrás e agora está permitindo e dando força para que as investigações prossigam. Vc já tinha visto esses grandões das empreiteiras sendo indiciados em algum governo? Quem parece ter tapa-olhos é vc, me desculpe. Arrume outro argumento, pq o seu não está c/ nada.

      • Administração de estatais

        Nada sei quanto à administração da Petrobras, especificamente. Mas, por ter trabalhado mais de 20 anos em empresa estatal, posso garantir que acontece uma imensa quantidade de coisas que não chega ao Conselho de Administração, nem à Presidência. As Diretorias são lotadas por indicação política, mesmo se os Diretores forem funcionários de carreira. Dificilmente eles formam um time com objetivo comum e confiança no e do Presidente da empresa. O Conselho de Administração conhece a empresa pelo que lê nos relatórios, elaborados por essas mesmas Diretorias. A formação de panelinhas e ocultação de erros e malfeitos é espantosa, as intrigas entre puxadas de tapete dominam muitas decisões. Por essa experiência, acredito que é perfeitamente possível que os superiores soubessem que havia algo acontecendo, sem saber exatamente o que. E tanto isso é verdade que mandaram investigar. Pela minha experiência, dizer que Graça Foster, Dilma, Lula, FHC e outros no topo da hierarquia “não tinham como não saber” é desconhecimento total de como funciona o fluxo de informação nas empresas.

  15. Abrimos as janelas, estamos respirando…

    Infelizmente a sabedoria convencional, a midia que confunde, a falta de consciência política e incapacidade de reflexão não abrem espaço para o salto de qualidade na gestão pública, tampouco em empresas privadas. A falsa meritocracia, as corporações conduzindo o mundo e a ausência de vivência histórica da juventude (o desconhecimento do conceito de Nação) tornam esta causa, magnificamente relatada, mais dificil. Parabens Nassif, a volatilidade do capital financeiro e sua junção com os dinheiros de evasão fiscal / de drogas / de financiamento à midia de massa e outros serão combatidos com transparência, sistema politíco forte – executivo, judiciario e legislativo – e obviamente os canais de comunicação independentes.

     

  16. “Que os deuses da sabedoria

    “Que os deuses da sabedoria iluminem o Procurador Geral Rodrigo Janot e sua brava equipe envolvida com a Lava Jato.”

     

    Você mesmo disse em outra notícia aqui que Janot piscou. Isso para mim já mostra que a opção ir a fundo, doa a quem doer não vai ser a opção preferencial.

  17. Reforma política

    A Lava Jato só levará ao fim de uma era política se ficar claro para a população todas as implicações políticas dos fatos revelados na operação, Daí virá o apoio para reforma política e, com ela, as soluções para os paradoxos apontados no post. Neste sentido, as declarações demagógicas de Janot  tipo “roubaram o orgulho dos brasileiros” e “era uma escola do crime” não ajudam em nada.

  18. Nassif que os deuses do Olimpo te leia

    mas para que isso realmente aconteça e não vire uma grande pizza com a anulação dos inquéritos por vícios de origem, o Juiz Moro e os Delegados da PF do Paraná deveriam ser afastados e impedidos de operarem na Lava Jato, todos com antecidentes sobejamente conhecidos de vínculos deles e de parentes com o PSDB..vai sair algumas migalhas para os pintos (nós, o povo) e a vida segue..sem repatriação dos bilhões de dólares do Banestado via cc5, de outros bilhões de dólares da farra que foi a privatização, do dinheiro da Saúde desviado pela Máfia das Ambulâncias com Serra dentro, do descalabro dos Governos Paulistas e Mineiros, etc etc..”tudo muda para ficar como está” Lampedusa

  19. Do final da ditadura até a

    Do final da ditadura até a metade dos anos 90 a política brasileira funcionou razoavelmente bem.

    Foi no governo FHC que o financiamento de empresas foi permitido, fazia parte do plano do PFL de ficar 20 anos no poder, ACM pretendia eleger seu filho (Luís Eduardo Magalhâes) para suceder os tucanos.

    Ao mesmo tempo sindicatos e ONGs foram proibidos de doar dinheiro nas eleições (com a financeirização da economia não ia conseguir competir mesmo com as corporações), o principal motivo pelo STF ter declarado prática inconstitucional.

    A história nunca perdoará FHC, ele podia escolher: Lula, Brizola, Arraes. Mas optou pelo atraso (PFL).

  20. Divisor de águas.

    Não tenho esperança que a operação lava-jato seja algum divisor de águas neste país, Outras opirações já mostraram esta cara e foram esvasiadas em ambientes políticos e judiciários. Recente, foi assim no mensalao quando se reduziu a atenção dos agentes públicos a um pequeno grupo de infratores e deixando de analisar os recursos privados envolvidos e feitos correlatos envolvendo o PSDB no esquema, Foi assim no caso Banestado onde se encotraram Moro e Yussef. Foi asim na operação Castelo de Areia onde participou a firma Camargo Correa , que ora revisita tribunais nesta operação. Os vazamentos seletivos pré-eleitorais e a participação da imprensa PiG demonstram pouca rsponsabilidade na condução desta operação.

  21. time que esta ganhando nao se mexe

    é, fica parecendo que o delegado foi o culpado por todos aqueles erros.

    De toda maneira, podemos reclamar episódios mais recentes, tal como as manifestações de 2013, para realizar que o que falta mesmo é o engajamento popular na forma de pressão da sociedade.

    Nada será tao eficiente como o tempo para remover da política essa velha prática perpetuada pelos falcões do legislativo. No fim do tempo, todos morremos, eles inclusive. Já saíram ACMs, agora os Sarneys, e vai chegar a hora em que a população irá raspar a todos numa só tacada, e isso sim pode reiniciar um novo ciclo na história, ainda que a estrutura contaminada permaneça instalada nos meandros do poder. Crises de corrupção nesse nível, só tem sido resolvidas, ao longo da vida, com derrama de sangue. A diferença é que nessas horas, o sangue é dos envolvidos, já que a população vem derramando o seu diariamente.

  22. Estamos diante da transição

    Estamos diante da transição democrática no país. Livros como Príncipe da Privataria e Operação Banqueiro, sem falar no Privataria Tucana e O Dinheiro Sujo da Corrupção, contam histórias sobre estes paraísos fiscais e sua enorme serventia a corrupção, não só a brasileira.

     

    Enfim, vamos torcer mesmo para que as investigações não tomem colorações partidárias e investiguem a fundo este clientelismo em nosso sistema politico que infelizmente não é invenção recente, mas esteira por onde passou boa parte da história política do Brasil. 

  23. financiamento público de

    financiamento público de campanha.

    uma necessidade cada vez mais clara, mas que depende do

    sempre obscuro   congresso  nacional conservador de seus

    próprios interesses, vinculados a uma grande mídia golpista

    ancorada paradoxalmente na corrupção.

  24. “A Operação Lava Jato caminha

    “A Operação Lava Jato caminha para ser um divisor de águas na história política do país, o desmonte definitivo de um modelo político, jurídico e econômico que vigorou nas últimas quatro décadas.”

    Nassif, tudo bem, pode acontecer o desmonte definitivo de um modelo político, juridico e econômico; isto é um diagnóstico total.

    Mas, em tese, a Operação Lava Jato é apenas uma plástica no corpo da Petrobras; o DNA do esquema que produz o dinheiro do Brasil (todo dinheiro que não trabalha é corrupção) ficará envolto numa moldura de proteção no topo do sistema econômico. 

    Com a eminência do “desmonte definitivo de um modelo político”, é superfluo salientar como reconstruiremos o país? 

    Falta o conceito de Tese espacial para projeção permanente da política, juridicamente segura, ou seja: uma mola real para economia; em que o modelo de gestão estruturante processa o tipo matemático de ingresso de dinheiro na economia: “valor do trabalho” continuamente num sistema em si (lugar de petição de princípios). Estaremos, potencialmente, diante de procedimentos que fazem a coordenação documental dos fatores de conjunto do valor, com as consequências práticas de uma organização social e de centralização da origem do dinheiro puro e simples.

    Ressalto isso para mostrar cientificamente que, além do conhecimento imediato que se necessita para investigar a alternativa do dinheiro falso em todos os níveis, é possível alternar um país auto-suficiente em dinheiro verdadeiro.

    Querem minha ajuda?

    • A única certeza é que os criminosos devem ser punidos

      Ninguém pode concordar em deixar de puni-los sob a desculpa de evitar o surgimento de um “Berlusconi” brasileiro. Se surgir um “Berlusconi”, ele também deverá ser punido se cometer crimes e assim sucessivamente. Não consigo entender como se pode defender algo diferente disso.

      • Nem eu, meu caro. E essa de

        Nem eu, meu caro. E essa de apresentar o Berlusconi como bicho papão para evitar que se limpem as mãos é de uma infelicidade – para usar um termo educado – acachapante.

    • Nira e Alessandre, vocês têm
      Nira e Alessandre, vocês têm razão, mas me parece que em nenhum momento defendi que os eventos sejam mutuamente exclusivos. Apenas pensei alto…

      Vamos limpar e cuidar para que não aconteça de “mudarmos tudo para não mudarmos nada”.

      A quem interessa a destruição da Petrobras? A meu ver acachapante é a ingenuidade de achar que “varrer” a corrupção é o objetivo disto tudo. A plutocracia está a frente, manobrando e conduzindo este processo. Sofrerá perdas, mas serão baixas de guerra. O que importa é a sobrevivência hoje para amanhã continuar tudo como sempre esteve. Vai haver uma acomodação com esta freada, mas nada que retire o sono de quem comanda este processo. Por enquanto somente nós estamos perdendo o sono, preocupados.

      Um comentário aqui mesmo nos lembrava de nossa esperança quando houve o soluço com a saída do Collor. Ora, ele saiu porque se mostrou independente demais. Sejamos realistas.

  25. Santa ingenuidade

    Desde quando alguém quer realmente acabar com a corrupção ? O que querem é acabar com o PT. Mesmo que quisessem, não existe essa história de mudar um país a partir de uma operação, seja ela de que magnitude for. Isto é um processo social que leva muito tempo e, no caso do ser humano, jamais termina.

  26. Mais embaixo

    Não foi dito que o submundo descrito na matéria abasteceu o PMDB e seus caciques desde o governo Sarney, passando pelo governo do PSDB e chegando ao governo do PT. Transparece, também, tendenciosa a diferenciação que inclui no esquema “as principais lideranças do PSDB” e somente “os operadores do PT”. Acrescente, por questão de honestidade jornalística, a “as principais lideranças do PT”, algumas delas, inclusive, cumprindo pena por outros delitos. Diga-se, penas por demais brandas essas da nossa legislação. 

    • É que vc lê, mas não entende

      É que vc lê, mas não entende (ou não quer entender). Do PT cuida a mídia fajuta, do PSDB cuidamos nós, pois ele tb precisa ser cuidado, ora bolas !

  27. Panos Quentes para o PT?

    A lei foi feita para ser aplicada doa a quem doer, principalmente porque se trata, no caso, da supremacia do interesse público. A expressão “a ferro e fogo […] pode inviabilizar[…]” parece pretender amenizar as coisas para o atual governo do PT. DURA LEX SED LEX. É a ferro e fogo sim, nos exatos termos da lei. Essa conversa de governabilidade é coisa de quem está no poder e se recusa a ser questionado.

  28. Gostei dessa parte:
    “E aí se

    Gostei dessa parte:

    “E aí se entra em paradoxos complexos.

    Se for seletiva e se permitir jogadas oportunistas, a Lava Jato se desmoraliza.

    Se levar a ferro e fogo as investigações, doa a quem doer, inviabiliza politicamente o país.”

     

    Cabe ao PT, portanto, se imolar no altar do nacionalismo e cidadania, pelo nobre propósito de fazer o Brasil avançar, sem inviabilizar o futuro.

    Daqui a 100 anos os historiadores reconhecerão o gesto, alçando-o ao mesmo patamar do sucídio de Getúlio Vargas.

    Seu sacrifício não terá sido em vão.

    Terá a Dilma e o PT estatura política, despreendimento e amor ao Brasil para aceitar o seu destino sem incendiar o país?

     

     

     

     

     

     

  29. Os bandidos da Veja e da

    Os bandidos da Veja e da Globo nem sequer mencionam qualquer coisa que ligue o PSDB com a operação Lava Jato.

    Não passam nem perto de minimamente supor que a tucanada de algum modo recebeu financiamento ilícito das empreiteiras denunciadas na Lava Jato. Só publicam aquilo que macula o PT. E é só. Que se f… a imparcialidade e a isenção. Que se f… que o PSDB, do mesmo modo que o PT, se sujou e agiu do mesmíssimo modo. Que se f… que há indícios de financiamentos dessa natureza para todos os lados, para todos os gostos.

    É gozado que a isenção parte justamente de jornalistas que são acusados de ser simpatizantes do PT… e é o que se vê por aqui: em nenhum momento Nassif poupou os caciques do PT da história. Não tapou o sol com a peneira.

    Agora, vai tentar exigir o mesmo dos “calunistas” e de Veja e da Globo…

    Nâo creio que o PSDB seja o pior “player” nessa história toda. Pode até ser que pinte como o maior corrupto. Só que eu identifico maior sujidade exatamente por parte da imprensa. Como sempre golpista, mercenária, partidária e caluniadora. Não basta querer denunciar a corrupção. O pior é isentar, minimizar e abafar outros casos igualmente dignos de ser expostos como se nunca tivessem existido.

    • Folha

      Engraçado mesmo, de rir até rolar. Hoje a FSP descobriu que o Callor tb recebeu propina, assim como a governadora Roseana. Pularam a época do FHC ! Pobre FSP, vai terminar como a veja, uma imprensa de esgoto. É assim que ele brinda e blinda seus eleitores de muita sujeira,

  30. E quanto a nós, meros eleitores!

    Concordo plenamente que vivemos um momento emblemático. É agora ou nunca! Concordo que a presidenta Dilma ficará na História se colaborar para que haja uma investigação “de cabo a rabo”, mas primeiro ela precisa lavar a alma e cortar o cordão umbilical com o Lula, pois se continuar como sua fiel discipula continuará fazendo de conta que seu governo foi o que mais investigou e puniu e que fez a sua parte. Não fez. Mentiu. Vá-se contar para um idiota que chefiando um conselho de administração de uma das maiores empresas do mundo, poderia ignorar a roubalheira que acontecia lá dentro. A sua amiga Graça também, faz “graça” ao se fazer de ingênua. Mas o que mais me preocupa é que num momento tão importante e problemático como este que vivemos, os inocentes eleitores, condicionados por sua filiação partidária, tentam tirar o c. de seu partido da reta, ou alegar crimes passados, cometidos por outros. Precisamos de uma limpeza geral! Não me veham com essa palhaçada de “governabilidade”. Nós, eleitores, temos que gritar mais alto. Uma limpeza estará sendo feita por gente de respeito e plenamente confiável, sem proteger nenhum figurão, e isso criará condições para um novo tempo. Tempo de recuperar não só a credibilidade da classe política e das instituições, mas principalmente de nosso pais no cenário internacional. Punam-se todos, começando pelos doutores honoris-causa ! Eu duvido muito, mas sonhar é preciso!

  31. Como prefácio de uma nova

    Como prefácio de uma nova Era, o ex-manda-chuva do Supremo precisa devolver o processo da OAB.

  32. Competir e ganhar

    Fazem parte do capitalismo, como o fizeram no comunismo, e outros sistemas econômicos através da História. Vários fatores concorrem para o resultado final da equação. Qualidade, preços, garantias, enfim, centenas de valores, e um a mais: o prêmio dado ao agente decisor, que dependendo do tamanho de seu poder, pode abrir mão de todos os demais, e partir para o abraço de várias gerações de familiares e amigos que o seguirão.

    No Brasil, mais, em outros lugares do planeta, hoje em dia, olha-se complacentemente para isso na iniciativa privada, enquanto se desvia olhares reprovadores, quando não assépticos, às empresas e instituições públicas, seus gestores e paus-mandados políticos.

    Não pesquisarei para dizer quantas operações, como a Lava Jato, foram feitas pela Polícia Federal nos últimos anos. Garanto que muitas, mesma garantia que aplico a seus resultados.

    Numa Federação de Corporações, juridicamente bem amparada, o poder econômico assim assegura sua capacidade de reprodução, e faz de um rodízio de políticos pouco importantes para eles, leões de chácara de seus interesses finaceiros, inclusive na mídia

  33. Não dá para entender esta

    Não dá para entender esta afirmação :

    Se levar a ferro e fogo as investigações, doa a quem doer, inviabiliza politicamente o país.

    Isso me parece uma condenação do país. Uma triste condenação a ser eternamente governado por políticos corruptos.

    Mais que isso, me parece que condena a todos os brasileiros que não se corrompem, que não se locupletam, enfim, que são honestos, a serem governados pelos que se corrompem, se locupletam e que são desonestos.

    Espero que eu tenha entendido errado, mas se for isso mesmo, o que sobra ?

    O que sobra de uma sociedade que teme encarar sua realidade e resolver seus problemas estruturais ?

    Será que seremos condenados a viver numa sociedade que teme a honestidade ?

     

     

    • Eu tb não entendi o alcance dessa afirmação

      Ficou parecendo uma sugestão de que as investigações não podem ir a fundo e punir todos os culpados, dada a dimensão dos envolvidos com a corrupção. Se isso acontecer, supostamente inviabilizará politicamente o país.

      Para não inviabilizar, vamos concordar em limitar as investigações e deixar criminosos livres, impunes? E depois disso? A sociedade vira refém desse estado de coisas, pois sempre irão dizer: “não pode ir além com as investigações, caso contrário, inviabilizará politicamente o país”. É a desculpa que os ladrões precisam para cada vez mais armar esquemas de corrupção, com a agravante de que o argumento autoriza que cada vez mais pessoas se envolvam, pois isso garante a impunidade em nome de uma suposta viabilidade política do país. Ou seja, é institucionalizar a corrupção, considerá-la parte integrante da governabilidade, de modo que tolerá-la significa viabilizar politicamente o país.

      Ficou parecendo isso, o que é obviamente inaceitável. É jogar na lata do lixo todos os princípios constitucionais que fundam o nosso Estado Democrático de Direito.

      • Bem, vou fazer um

        Bem, vou fazer um mea-culpa.

        Relendo agora o texto mais atentamente, inclusive com a chamado do título prenunciando o fim de uma era política, me parece que o Nassif não condena a inviabilização política do país.

        Ao contrário, pelo remate da matéria, afirmando que os procuradores não devem estabelecer limites nem entrar em jogadas políticas, me pareceu agora que o Nassif propõe que justamente dessa inviabilização do atual sistema, venha a nascer um novo sistema representativo, e que os responsáveis pela modelação desse novo sistema sejam justamente aqueles que sobreviverem ao caos.

        Se for isso, é o que eu penso também. 

         

  34. Será que muda?

    As forças hegemônicas no Brasil, mídia, empreiteiras, ministério público, polícia federal trabalham para que tudo permaneça como sempre foi. São os fatos, a policia federal só vaza o que incrimina o PT e a base aliada, o juiz responsável pelo caso idem e o ministério público assiste tudo calado. Até agora tem sido assim. Veja o caso do Metrô de São Paulo, ninguém sita politicos e tudo bem! Não sei se vai ser dessa vez que o Brasil vai mudar. E com certeza não será o último escândalo de corrupção no Brasil. Torço para que as redes sociais constranjam os poderosos e as coisas se encaminhem para uma verdadeira mudança.

  35. Não aguento mais essa papagaiada

    Não sejamosingenuos tem ate a CIA interessada nisso. Já começou . O tal do mendonça, parente do Mendonça da TV CUltura, denunciando O PT, Duque, Vaccari. Uma piada.Falando serio: nãoaguento mais essa ficção. Politica agora virou novela.

    O que fazer? Não é mais possivel essa porcariada todo dia.

    • Calma… calma…

      Tenhamos calma Laura. Minha bolinha de cristal tá me cochichando o seguinte:

      A cota de “delatores premiados” que só citam o PT está quase no final…Vão começar a surgir, nas tais listas sob segredo de justiça que a PF “sem querer” vaza para o JN, nomes de figuras bicudas da política e não ligadas ao “partido mais corrupto do Brasil”…Nesse momento vão começar a aparecer as tais teorias de “denúncias sem sustentação adequada”…Bonner começa a fazer biquinho… estrelas bicudas terão amplo espaço para apresentação de suas versões… do tipo… tudo começou em 2003…É nesse momento que o “justiceiro” do momento, Moro, vai ser chamado na chinfra pra encerrar as investigações e o MPF vai sentar calmamente em cima de toda a papelada… assim como faz até hoje com o afair Daniel Dantas – Banestado.

      • Exatamente isso.

        Por estar próximo o Natal, o Nassif está enxergando papais noéis e renas que não existem. Tudo não passará novamente de manobra do partido do PMP, como sempre foi!

  36. ?????????????

    “Se levar a ferro e fogo as investigações, doa a quem doer, inviabiliza politicamente o país.”

    Desculpa Nassif, mas parece uma frase típica do Jornal Nacional ou Folha; enquanto as prisões e cassaçõe só atingem o PT tá tudo numa nice, mas se abranger e pegar gente do… PSDB… por ex…. corremos o risco de uma crise política institucional, uma inviabilidade de negociação política de todos os pactos que temos que fazer?

    Juro, não entendi esse teu ponto de vista.

  37. Dilma e o PT deve exigir a punição de todos os corruptos…

    “Se levar a ferro e fogo as investigações, doa a quem doer, inviabiliza politicamente o país.”

    A punição não inviabilizara o BRASIL. Dilma e o PT devem exigir a punição de todos os culpados e apos fazer as reformas que o país necessita a fim de acabar com essa pratica que roba o povo a seculos.

  38. Dilma e o PT deve exigir a punição de todos os corruptos…

    “Se levar a ferro e fogo as investigações, doa a quem doer, inviabiliza politicamente o país.”

    A punição não inviabilizara o BRASIL. Dilma e o PT devem exigir a punição de todos os culpados e apos fazer as reformas que o país necessita a fim de acabar com essa pratica que roba o povo a seculos.

  39. Temos sempre alguém tentando

    Temos sempre alguém tentando aparecer, criticando o Nassif, escondendo-se atrás da defesa do PT.

    Poderia ter informado porque aquilo que o Nassif condenou como ameça ao país não foi entendido como um avanço para o debate:

    “A partir da liberalização financeira dos anos 70, criou-se uma enorme zona cinzenta dos paraísos fiscais, juntando recursos dos crimes financeiros, do narcotráfico, do tráfico de pessoas e jogadores, da corrupção política, uma enorme teia de corrupção onde pontificavam bancos de investimentos, doleiros, fundos offshore.”

     

  40. Punição necessária, sob pena de consagrar o “jeitinho”

    Não se pode deixar de ter como uma das saídas para o que o post chama de “maior impasse político em tempos democráticos da história do país” a punição de TODOS os envolvidos no esquema de corrupção que a Operação Lava Jato conseguir detectar. Essa punição não inviabilizará politicamente o país. Pode até mesmo criar um cenário positivo. O país não se resume politicamente a quem comete crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, associação criminosa, evasão fiscal e de divisas, etc, visando a se enriquecer ou a financiar campanhas eleitorais.

    Fora isso, é “jeitinho”, complacência ou condescendência com corruptos e criminosos em geral. Não entendi o que exatamente se quis dizer com “Se levar a ferro e fogo as investigações, doa a quem doer, inviabiliza politicamente o país”. O fato de muitas pessoas (empresários, diretores de construtoras, políticos, doleiros etc) serem capturadas pelas investigações não pode ser usado como motivo para limitá-las e não ir a fundo. Esse é um compromisso inarredável assumido, como princípio, pelas instituições que constituem o Estado Democrático de Direito brasileiro.

    Não creio que o aprofundamento das investigações inviabilizará politicamente o país. Se acontecer um grande impacto, é apenas mais um motivo para seguir em frente e mudar tudo o que está errado, começando pela punição de todos os culpados, sem exceções. Ninguém pode estar acima da lei. Os crimes cometidos devem ser punidos como previsto em lei. Não se pode sequer cogitar algo diferente disso. Não dá para ignorar os crimes cometidos e quem os cometeu. Sinalizar para mudanças na legislação para tentar evitar o que aconteceu não pode servir de caminho para acobertar os culpados pelos crimes que já foram cometidos. Essa ideia deve ser afastada de plano.

  41. lava jato

    Se for levar ao pé da letra “doa a quem doer”, “não ficar pedra sobre pedra”, teria que parar tudo, como disse um juiz, e reanalisar todos os contratos que estão rolando. Como ele próprio ponderou, isso paralisaria o país. E se políticos de todas as cores estão envolvidos, investigar todos paralisaria o Congresso. Das duas, uma: ou varrem muita coisa pra debaixo do tapete e satisfazem a opinião pública e a mídia com o restante ou o Executivo e o Congresso atuam de forma resolutiva, fazendo as reformas necessárias para romper com a corrupção sistêmica. Não precisa esperar o fim das investigações. Isso certamente aprofundaria a democracia e daria uma satisfação assertiva para a população. Mas com o congresso conservador e com o executivo ainda vai-não-vai, não sei o que vai ser. 

  42. Entrou na chuva…

    … é pra se molhar!  Todo cidadão politicamente consciente sabe que o  mundo político, principalmente o capitalista-neoliberal, é pra lá de suspeito, quem entra tem que fazer as regras de quem já estão dentro, e assim segue a impunidade e a roubalheira sem limites, tudo combinado; a pergunta que todos nos fizemos todo esse tempo foi: Como combater isso? Como acabar com essa corrupção toda? Se colocarmos  todos os partidos no mesmo barco e afundalo, o que parece que muitos do Blog segue essa linha, vamos realmente inutilizar a única operação que realmente está investingando corrupção na história do Brasil, não quero dizer que o PT saia limpo dessa história; pois para realizar o que para muitos de nós era quase impossível ou até improvavel, pois corrupção parece correr em nossas veias de tanto normal em nosso dia-dia, que para combater essa prática, é necessário entrar no campo, senão jamais seria possível saber onde está sua raíz; e eu acho que o PT faz a sua parte para acabar com essa mazela, tanto que é odiado e a cada eleição está sozinho, posso até dizer que o PT sabotou o modelo político corrupto brasileiro.

  43. Resolvi escrever sobre o tema,

    meia dúzia de palavras, talvez porque está chovendo sem parar aqui em Belo Horizonte.

    Salve-se Quem Puder

    Tenho ficado longe da escritura opinativa-analítica sobre acontecimentos políticos e sociais no Brasil. Pratiquei por algum tempo, na solidão deste blog, porque tinha certa garra para cumprir, na sombra e no silêncio, este exercício político. Mas creio que perdi essas garras, ou naturalmente elas têm se afiado para outras guerras. O querer muda, e a responsabilidade também. Sou menos atada ao entorno, e mais severa comigo mesma. Mas hoje, ao ler matérias sobre a Petrobras e a operação Lava Jato, me veio em mente a desproporcionalidade no trato dos fatos, por parte do poder Judiciário e da mídia tradicional. Trabalhar com a desproporção é o tempero fundamental, senão principal, que compõe a destruição do alvo em questão. Nenhum monstro é criado sem a desproporção. Senão ele não seria um monstro, evidentemente, e teria, como acontece comumente, apenas duas caras. Mas a falta de medida em cada porção é o ponto da armação da notícia ou da condena, que ficam então desprovidas do repasse correto limpo seco da informação  e do julgamento, respectivamente – talvez não caiba no jornalismo a fatia nobre da serenidade, e se visualizamos as últimas posturas do Judiciário, a serenidade está de fora a sentar e esperar. Agora, a Petrobras está sendo jogada no fosso de ambas as despropoções. Não se sabe como sairá daí. Deve-se esperar para ver como seguirá a distribuição das doses políticas da investigação. E dessas decisões políticas nas mãos do Judiciário, passar-se-á ao trato político da mídia tradicional. Clama-se por boa vontade com o país. Mas, enquanto isso, ao redor e além da Petrobras, há a cultura de corrupção típica e nata, ora grosseira, ora elaborada, que permeia todos os chãos do Brasil, desenhando os conhecidos passos dessa cultura hipócrita e salvadora da pátria verde-amarelo.   

  44. Simples e perfeita análise a

    Simples e perfeita análise a do Nassif, acredito que se esteja bem próximo de definir e fixar até um nome para esta era de corrupção de fundo neobeliral, para que possamos inscrevê-la adequadamente na História do Brasil, como se deu com a era do coronelismo e outras eras. Mas entrando na observação mais elementar do cenário, vemos que o Congresso dá fortes mostras de querer majoritariamente resistir a mudanças efetivas e de, ao contrário disso, tentar fortalecer os alicerces da era descrita por Nassif, que agora dá sinais visíveis de entrar em fase de espasmos terminais. Prova desta reação do Congresso é a firme determinação de boa parte dos congressistas em querer eleger para presidente da Câmara, na próxima legislatura, um dos mais representativos líderes destes já velhos tempos de degradação política, ou seja, o deputado Eduardo Cunha. Observamos que até a bancada do PSDB, que diz combater veementemente os sintomas daquela era, já sem qualqure sinal de pejo promete apoio à candidatura daquele deputado, desde que ele se comprometa a vestir a camisa do vulgar radicalismo contra o Governo. A batalha por novos tempos não pode ser subestimada dentro do Congresso. Muitos deputados, que se elegem sob o signo de uma época em que vencer a eleição significa para eles ganhar o bilhete maior da loteria, e como futuros milionários são saudados por seus vizinhos, seus amigos e até seus próprios conformados eleitores, acham que têm o legítimo direito de enriquecer às custas do poder de tramóia que lhe confere o mandato e não vão se conformar com a novidade de algum regime de trabalho duro e vencimentos modestos. Será para eles uma total decepção. Vai ser duro fazer uma reeducação alimentar com estas vítimas voluntárias do pecado da gula, mas a justiça e o ministério público poderão, sim, operar este milagre. A palavra imperativa do Procurador Geral mudou todo o aspecto da Lava Jato,  que até então parecia fortemente uma armação política de cunho nítido e provado como oposicionista. Esperanças renascem de repente.

  45. Aguardemos a soberana corte americana…Francis forever!

    A Lava Jato e o fim de uma era política

    está tudo muito bem está tudo muito bom

    lava jato não é ainda o fim do mundo

    é somente fim da era dos políticos

    acabou a era da política como tal.

    no fim, muito barulho por nada!

    e, depois… lavou tá limpo!

    pero si,

    [ e… o retrato nas paredes…

    seu spectrum exala ares podres…

    onde guardar escondido a p. do retrato? ]

    como, hoje, diria lenin ao zé dirceu:

    que fazer? o que vamos fazer?!?!!

    [ saiu do controle… surtou…]

     

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=PNmEsxUNACo%5D

    O que será que me dá
    Que me pole por dentro, será que me dá
    Que brota à flor da pele, será que me dá
    E que me sobe às faces e me faz corar
    E que me salta aos olhos a me atraiçoar
    E que me aperta o peito e me faz confessar
    O que não tem mais jeito de dissimular
    E que nem é direito ninguém recusar
    E que me faz mendigo, me faz suplicar
    O que não tem medida, nem nunca terá
    O que não tem remédio, nem nunca terá
    O que não tem receita

    O que será que será
    Que dá dentro da gente e que não devia
    Que desacata a gente, que é revelia
    Que é feito uma aguardente que não sacia
    Que é feito estar doente de uma folia
    Que nem dez mandamentos vão conciliar
    Nem todos os ungüentos vão aliviar
    Nem todos os quebrantos, toda alquimia
    Que nem todos os santos, será que será
    O que não tem descanso, nem nunca terá
    O que não tem cansaço, nem nunca terá
    O que não tem limite

    O que será que me dá
    Que me queima por dentro, será que me dá
    Que me perturba o sono, será que me dá
    Que todos os tremores me vêm agitar
    Que todos os ardores me vêm atiçar
    Que todos os suores me vêm encharcar
    Que todos os meus nervos estão a rogar
    Que todos os meus órgãos estão a clamar
    E uma aflição medonha me faz implorar
    O que não tem vergonha, nem nunca terá
    O que não tem governo, nem nunca terá
    O que não tem juízo

    Link: http://www.vagalume.com.br/chico-buarque/o-que-sera-a-flor-da-pele.html#ixzz3Lm53H1zU

     

  46. Não olhem o país pelos

    Não olhem o país pelos economistas, partidos políticos ou ações de governos. O presente que planeja o futuro depende de como interpretamos a realidade no passado – A nossa realidade retardatária.

    Onde podemos imaginar o começo da transformação da realidade e, através da medição da sua realidade externa, encontraremos um valor comum da natureza na natureza externa; que está ao redor do homem, em meio ao mundo exterior do espaço, ao dispor do nosso mundo físico? 

    Dependiamos de um ponto de apoio no espaço exterior para que a realidade retardatária fosse engendrada e refletisse o processo de divisão da sociedade no tempo. Um materialismo histórico inacessível à ciência da época – A metafísica.

    A necessidade de contar a história da humanidade, então, fez com que a realidade fosse um produto de ficção, trazendo o universo da unidade de valor de todas as sociedades para dentro de um sistema financeiro corrupto entre EUA e os bancos de investimento; e a captação do valor externo da riqueza (capitalismo), junto aos governos que não tinham outra saída para o desafio de realizar o desenvolvimento econômico se tornou um negócio de mercado: A alienação da riqueza para os especuladores do futuro.

    Fiz a descoberta do valor no mundo real para as nações se libertarem do jugo criado pelo universo paralelo dos fenômenos inventados pelos economistas do mercado: O valor (métrico) que representa a natureza da realidade conectada num sistema simultâneo ao mundo (internet), o qual permite planejar a produção sobre a meta final. Mas, este resultado (valor) para a política monetária é visto mais como uma ameaça ao poder hegemônico do que um processo sistemático da realidade com o futuro previsível.

     

  47. Atonitos, estupefatos,

    Atonitos, estupefatos, desorientados. Esse eh o preco que petistas roxos (ou fanaticos) estao a pagar pela sua fe. Governos nao prestam, essa eh a licao que democraticamente devemos aprender. Deixem de ser bobos e acreditar em conspiracoes ridiculas. Por incrivel que pareca, ainda existem os que escrevem que o mensalao nao existiu. Tontos, chegaram afazer vaquinha para pagar multas que a justica impos. Algo semelhante a desestalinizacao das mentes estah ocorreendo neste pais.

  48. Corrupção
    AVISO AOS CORRUPTOS PÉS DE CHINELO
    14/12/2014 22p5 – Atualizado em 15/12/2014 00p6
    ‘Não me assusto com mais nada’, diz ministro-chefe da CGU
    Jorge Hage, que pediu demissão nesta semana, investigou o desvio de dinheiro público por 10 anos. Ele falou com exclusividade ao Fantástico.
    A corrupção causa males em todos os níveis e em todos os tamanhos. Não importa que ela seja de bilhões ou que ela seja alguns milhares lá na ponta, em uma prefeitura onde nós costumamos fiscalizar. Mata porque impede que funcione o serviço de saúde, porque impede que funcione o equipamento no hospital lá da pequena cidade, porque tira merenda da boca das crianças. Essa pequena corrupção, nós também atuamos nela. Atuamos em todas as pontas dentro das possibilidades que temos. Que esse bandido de colarinho branco, quem sabe amanhã ele pode acordar 6h com a PF na porta dele.” ressalta.
    Fonte: FANTÁSTICO.
    ///
    Corruptos pés de chinelo, atentem para este trecho da entrevista:
    ” Mata porque impede que funcione o serviço de saúde, porque impede que funcione o equipamento no hospital lá da pequena cidade, porque tira merenda da boca das crianças. Essa pequena corrupção, nós também atuamos nela.”
    MATA PORQUE TIRA MERENDA DA BOCA DAS CRIANÇAS.
    Numa peuena cidade maranhense, Anajatuba, 14 foram para o xadrez por FURTO DA MERENDA ESCOLAR.
    Certamente já recorreram, estão soltos, mangando dos contribuintes, afrontando o MP e furtando mais.
    É PRECISO QUE OS CORRUPTOS AGUARDEM O RESULTADO DOS RECURSOS NA CADEIA!
    Nos EUA é assim. Por que não no Brasil?
    ///
    QUANDO SERÃO JULGADOS 0OS RECURSOS SAL GROSSO NO RIO GRANDE DO NORTE?

  49. ACHO CADA VEZ MAIS RIDÍCULA A

    ACHO CADA VEZ MAIS RIDÍCULA A OPERAÇÃO LAVA JATO.

    CADÊ O DINHEIRO DAS NAÇÕES?

    PARE PARA PENSAR: TEORICAMENTE O MODO MARGINAL DA SOCIEDADE SE DEVE A CORRUPÇÃO DO DINHEIRO QUE É CENTRALIZADO EM ALGUM LUGAR DO MUNDO SEM AS CAUSAS DO TEMPO E ESPAÇO DAS NAÇÕES.

    ACONTECEU QUE UM AGENTE DO SISTEMA DE CORRUPÇÃO DO DINHEIRO OFICIAL (CHAMADO DOLEIRO) DENUNCIOU OS SEUS COMPARSAS POR CAUSA DE DELAÇÃO PREMIADA. POR OUTRO LADO, NÃO ERA PARA SE DELATAR A CUMPLICIDADE DA CIÊNCIA DA ECONOMIA EM OCULTAR A FALTA DE INTERESSE PARA CERTIFICAR O DINHEIRO NACIONAL? – QUANDO AS POTENCIALIDADES EM QUE A AÇÃO HUMANA SE ASSOCIA A CADA DIA DE OPERAÇÕES SOBRE O VALOR PÚBLICO QUE É MATEMÁTICA PURA, MAS LHE DÁ A VIDA DOS FENÔMENOS – PARA INFLAR UMA TECNOLOGIA QUALQUER E MULTIPLICAR O SEU CAPITAL – AFRONTANDO A MORAL E A VERDADE DO POVO. 

    PORTANTO, AS INVESTIGAÇÕES SOBRE CORRUPÇÃO DO DINHEIRO VÃO PRECISAR EVOLUIR PARA A FONTE DA MOEDA DIGITAL. DAÍ, O MUNDO FICA PEQUENO E REAL;  E A PF NÃO TERÁ QUE IR  AOS BANCOS DA SUÍÇA PARA REPATRIAR O DINHEIRO DA CORRUPÇÃO INICIAL.

    DESDE JÁ PEÇO AOS ECONOMISTAS PARA NÃO SE OFENDEREM COM A CRITICA QUE FAÇO A ILEGALIDADE PROFISSIONAL EM QUE, MESMO SENDO  ESTUDADA A CORRUPÇÃO QUE CRIA O DINHEIRO NEOLIBERAL, OPTAM PELA FRAUDE DA CONVERSIBILIDADE DO CÂMBIO ESTRANGEIRO – A TROCA PELA PRODUÇÃO NACIONAL – NA QUAL OS BANCOS EVITAM CARACTERIZAR UM ÚNICO FATOR QUE MOSTRE SUA POSSE CORRUPTA PARA  FUNDAMENTAR A PROPRIEDADE DA ACUMULAÇÃO DA SOCIEDADE; E OS MESMOS BANCOS SE REINVENTAM COM INDICADORES ESPECULATIVOS PARA NÃO LHE CONFERIRMOS A VIOLAÇÃO DOS MÉRITOS DA REPRODUÇÃO SOCIAL.

  50. Sim, mas tá difícil, pois os tucanos estão sendo poupados

    Sabe-se que a Odebrechet foi excluida do processo para poupar Aécio Neves e tucanos de bico grande….Assim não dá…

    Fora isso, o que queremos é que o combate à corrupção se amplie e que as Instituições ajam de forma republicana, ou seja, que não poupem tucanos e que, desta forma, essa luta vire tradição. O que não pode ocorrer é que os verdadeiramente corruptos e poderosos, como ocorreu noutros casos, como a Sarthiagraha, sejam poupados. É isso que nos aponta a história: Casos que comprometiam bilionários e amigos da mídia foram engavetado, o Judiciário se encarregou de anular os processos.  Há um forte aparato midiático-penal que envolve as Instituições para que um partido, no caso o PSDB, não tenha seus membros levados às raias da Justiça,  casos que envolvem desvios de bilhões de reais cheguem às raias da Justiça, sendo o exemplo mais recente é o do “trensalão”  tucano, o esquema que desviou mais de 11 bilhões de reais dos cofres públicos de SP mas que só veio à tona pq estourou na Suiça, sendo aqui engavetado pelo procurador do MPF, Rodrigo de Grandis, o qual foi chamados a prestar contas no Conselho Nacional do Ministério Público, deve receber uma pena leve, tipo uma advertência, e tudo bem.Leia maishttp://www.lexometro.blogspot.com.br/ 

  51. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome