EUA anuncia sobretaxa para importação de alumínio

Decisão atinge Brasil e outros 17 países, e foi tomada uma semana antes da visita de comitiva americana para assinatura de acordos comerciais

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A imposição de sobretaxa para as importações de alumínio pelos Estados Unidos pegou os produtores brasileiros de surpresa. O anúncio foi feito uma semana antes da assinatura de um acordo entre os dois países a respeito de medidas para facilitar o comércio.

As novas taxas variam entre 50% e 137%, de acordo com o exportador. Antes, a opção de sobretaxa era de 10% ou pela adoção de cotas de exportação, alternativa escolhida pelos produtores brasileiros. Os valores começaram a vigorar em 09 de outubro e são válidas para 18 países acusados de praticar dumping por produtores americanos.

“Assistimos com preocupação a escalada de restrições impostas pelos Estados Unidos aos seus parceiros comerciais. É um processo que começou com sanções à China e que vem recrudescendo desde então. A intenção anunciada de impor tarifas aos principais exportadores de chapas de alumínio – 18 países, entre eles o Brasil –, é algo nunca visto nas relações de comércio internacional”, diz a Abal (Associação Brasileira do Alumínio), em nota divulgada após o anúncio das medidas pelos norte-americanos.

“ABAL e suas associadas estão se defendendo nos fóruns adequados. A atitude de estipular taxas antes mesmo de concluída a investigação sobre uma suposta prática de dumping (fornecimento de produtos abaixo do preço de custo), prejudica enormemente o Brasil, uma vez que os EUA são o principal mercado comprador das nossas chapas de alumínio”, ressalta o comunicado.

Apenas em 2019, o Brasil enviou 31,5 mil toneladas de alumínio aos Estados Unidos, o equivalente a US$ 90,3 milhões. Entre janeiro e agosto de 2020, as exportações brasileiras somaram US$ 600 milhões, 5,9% a mais do que no mesmo período do ano anterior, enquanto o volume negociado subiu 42%, para 233,5 mil toneladas. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia também:  Governo federal pode descartar 6,8 milhões de testes contra covid-19

 

 

Leia Também
Secretário dos EUA diz que Brasil precisa reduzir comércio com a China
Governo zera imposto de importação de soja e milho
Bolsonaro cogita banir Huawei da disputa pela rede 5G, diz site
Pandemia impulsiona abertura de microempresas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. No caso do patropi, sobretaxas de importação pela matriz está bem de acordo com o sistema lambe-botas adotado pelo débil mental, mecânica que trará enormes prejuízos financeiros e destruirá anos de negociações diplomáticas efetivadas ao longo dos últimos anos.
    Nesta mesma linha, a aquisição de vacinas indica outro grande prejuízo a caminho, pois somente um estúpido da cabeça aos pés é capaz de ratificar um contrato como o firmado firmado com a Astra-Zeneca.
    Enquanto o retardado não quiser taxar os ricos, enquanto não encostar o dedo mindinho no mercado financeiro, enquanto não atrapalhar o programa de privatizações “modelo bacia das almas”, tá tudo certo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome