Governo zera imposto de importação de soja e milho

Decisão foi anunciada neste sábado; medida busca conter a alta de preços, em um cenário onde desvalorização do real impulsiona as exportações

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia, anunciou neste sábado que a cota do imposto e importação para soja e milho será temporariamente zerada.

Segundo a Agência Brasil, a suspensão da cobrança de impostos de importação do soja, bem como do farelo e do óleo de soja, é válida até 15 de janeiro de 2021. No caso do milho, a alíquota está zerada até 31 de março do próximo ano.

Até então, a alíquota de importação era de 8% para grãos de soja; 6% para farelo de soja, e de 10% para óleo de soja. Para o milho, a redução foi de 8% para zero.

O objetivo de tais medidas é conter a alta dos preços no setor de alimentos – em setembro, a inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) chegou a 0,64%, a maior para o mês desde 2003.

De acordo com a Confederação Nacional da Agricultura (CNA), a soja em grãos, o farelo de soja e o milho estão entre os cinco principais produtos exportados pelo Brasil durante o mês de setembro, junto com o açúcar de cana em bruto e a carne bovina in natura. Somados, os cinco produtos representam mais da metade (55,4%) de toda a exportação nacional mensal – que foi 4,8% superior ao resultado do mesmo mês de 2019.

 

Leia Também
Bolsonaro diz que acabou com ‘pacotes de maldades’ contra agronegócio
Inflação dos mais pobres volta a subir em setembro
China suspende exportações da Minerva após encontrar coronavírus em carne
IPCA fecha setembro em 0,64%, maior resultado desde 2003

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Xadrez de Moro, Dallagnol e Bolsonaro, e a busca do inimigo externo, por Luis Nassif

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome