Coronavírus: Confirmado primeiro caso e 20 mais sob suspeita, diz Ministério da Saúde

Agora, no Brasil, são 20 casos suspeitos, 11 em São Paulo e os demais na Paraíba, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Na outra ponta, 59 casos foram descartados.

Jornal GGN – O Ministério da Saúde confirmou oficialmente o primeiro caso de coronavírus no país. O paciente, um homem de 61 anos, esteve na Itália entre 9 e 21 de fevereiro e mora em São Paulo. Agora, no Brasil, são 20 casos suspeitos, 11 em São Paulo e os demais na Paraíba, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Na outra ponta, 59 casos foram descartados.

O país torna-se o primeiro país da América Latina com um caso confirmado de coronavírus, que já matou 2.708 pessoas no mundo. Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, disse que o governo vai analisar agora o comportamento da doença em um país como o Brasil e em pleno verão.

O ministro também disse não ser possível fechar fronteiras em um mundo globalizado. ‘Com certeza vamos passar por essa situação investindo em pesquisa, ciência e clareza de informações’, disse o ministro.

O paciente está em isolamento domiciliar. O ministro afirmou que o isolamento hospitalar poderia colocar outras pessoas em risco, e sua condição clínica permitiu essa opção. A quarentena dos brasileiros que voltaram da China foi feita pois era um outro quadro, já que se tratava de um grande grupo.

Os familiares e passageiros do avião estão sendo monitorados, conforme informação dada pelo ministro.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o período de incubação do vírus, ou seja, até que apareçam os sintomas, é de até 14 dias. O mais comum é que surjam entre 4 e 7 dias.

Para viagens ao exterior, o ministro apela para a ‘regra do bom senso’, isto é, se não for necessário, espere para ver como a epidemia se comporta. ‘Se tem sintomas, como febre e tosse, não viaje. Se viajou mesmo assim, informe as autoridades de saúde quando chegar. Se não tem sintomas e vem de áreas com casos de coronavírus e ainda não se passaram 14 dias da viagem, procure uma unidade de saúde’, são as recomendações da pasta.

Leia também:  França corre o risco de perder o controle do coronavírus: conselho de ciência

Com informações da Folha

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome