Quem está pensando o novo?

Ao longo dos últimos anos, tenho esbarrado com pessoas de diversas áreas pensando objetivamente o novo.

Na área de ciências sociais, institutos que, com os modernos sistemas de pesquisa, conseguem saber o que pensam os brasileiros, com muito mais rigor do que nossos primeiros intérpretes.

Em alguns Brasilianas, participaram jovens cientistas políticos com visões complexas sobre o novo mundo das redes, sobre a velocidade com que novos padrões de comportamento chegam às pessoas.

No Direito, tenho me encantado com jovens juristas, procuradores, trazendo visões inovadoras sobre direitos sociais, direito administrativo.

Na economia, a visibilidade maior é dos cabeças de planilha. Mas há uma nova geração com trabalhos interessantíssimos sobre desenvolvimentismo, câmbio, modelos de desenvolvimento e análises setoriais.

Nas ciências, jovens pesquisadores avançando em novos temas, como nanotecnologia, neurociência etc.

Em educação, ideias novíssimas (embora antigas) sobre novos modelos de ensino, fora do padrão das caixinhas de conteúdo de 50 minutos, que caracterizam as aulas.

Na discussão sobre cultura, urbanismo, metropolização, tecnologia social, uma enxurrada de novas ideias.

Que tal montarmos um mutirão para saber quem está pensando o novo?

Nesse primeiro post, vamos fazer a miscelânea, dicas de pessoas que estão pensando o novo nas diversas áreas. A partir dessas dicas, montaremos posts temáticos, para ampliar a busca.

Por “pensar o novo” não se pense apenas em pensadores novos, mas em alguns referenciais que há décadas pensam o novo, mas não tem espaço para difundir suas ideias.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome