Xadrez da indústria de armas e o financiamento da direita, por Luis Nassif

Peça 1 – a indústria de armas e a direita

O jogo da indústria de segurança com o esquema Bolsonaro ficou nítido no primeiro dia após as eleições, quando o governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o segundo filho, Carlos Bolsonaro, anunciaram ida imediata a Israel para negociar a compra de drones assassinos (https://goo.gl/tK4XfK). A indústria de segurança de Israel tem uma longa tradição de corrupção com o Brasil, iniciada com a venda de equipamentos superfaturados para o governo Quercia,

Dois twitters dos inenarráveis irmãos Bolsonaro – Eduardo e Carlos – reforçam esse tema, que tem sido pouco abordado nas análises políticas: a parceria da indústria de armas com a ultradireita mundial. E mostram como os profissionais deitaram e rolaram em torno do suposto lobby dos Bolsonaro pela Taurus, empresa brasileira. O buraco era bem mais acima.

O primeiro twitter, de Eduardo, citando o irmão Carlos, a respeito das divisões da ultradireita com fabricantes de armas. Com a naturalidade de quem discute futebol, Carlos denuncia os “fanfarrões” que fazem propaganda da Taurus, mas usam Glock. Quando denunciados, o que fazem os fanfarrões? “Dizem que estamos dividindo a direita! O twitter é de 1o de novembro de 2017.

 
 

O segundo twitter, de 17 de janeiro de 2017, mostra o estreitamento de relações de Eduardo Bolsonaro, com a influente NRA, a Associação Nacional de Rifles dos Estados Unidos, quando se preparava para a campanha eleitoral.

 

 

 

De fato, no dia 11 de junho passado, Bolsonaro já mostrara que haviam frutificado suas relações com a NRA. Anunciou que, se eleito, acabaria com o monopólio da Taurus, alterando o artigo 190 do Decreto 3.665, de 2.000, sobre produtos controlados. Diz o decreto:  “o produto controlado que estiver sendo fabricado no país, por indústria considerada de valor estratégico pelo Exército, terá a importação negada ou restringida”.

No dia 10 de novembro de 2018, o site da America´s 1st Freedom, da NRA, dizia (https://goo.gl/F7mkKV):  “Tiremos o chapéu para Bolsonaro por ver a situação pelo que realmente é”.

Leia também:  Prazer em conhecê-los, disse Érebo, o novo patrono da inJustiça brasileira, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Um ano antes, em 2017, Jair e Eduardo Bolsonaro foram recebido com todas as regalias pela NRA, conforme reportagem da Bloomberg (https://goo.gl/KWcMhy):

“Enquanto estavam lá, eles experimentaram uma AK-47 e outras armas de assalto. Depois, Eduardo, vestindo uma camiseta “F — ISIS”, segurou cartuchos de grande calibre para a câmera e expressou consternação por eles poderem “ter um problema” se tentassem trazer a munição para o Brasil.”

Peça 2 – como funciona a NRA

Mas, afinal, o que vem a ser a NRA?

Foi fundada há 148 anos em, Nova York, por dois veteranos do Exército. Sua missão original seria “uma associação que representa apenas cidadãos individuais”.

Nos últimos anos, seu perfil se alterou radicalmente. Passou a ser bancada por fabricantes de armas de outros países, que exportam para os Estados Unidos; e fabricantes norte-americanos, que buscam novos mercados. De 2010 a 2016, as exportações de revólveres, rifles e espingardas para uso civil aumentaram 60%. Tornou-se o grande negóci da indústria de armas dos EUA e de seu lobby, a NRA.

E aí, a NRA passou a entrar em conflito com interesses nacionais. Em 2014, criticou o Departamento de Tesouro por incluir a Kalashnikov Concern, fabricante da AK-47, nas retaliações à Rússia pela invasão da Ucrânia.

Quando apareceram suas investidas na Austrália, Rússia e Brasil, passou a ser questionada pela imprensa norte-americana, sobre quais interesses representaria.

Lembrou-se que em março de 2.000, quando o governo Clinton anunciou um acordo histórico com a Smith & Wesson, para que incluísse dispositivos de segurança nas armas curtas – que não disparariam sem a impressão digital do proprietário – a NRA foi contra a estimulou a entrada, no país, da Beretta USA Corp, controlada pela italiana Beretta (https://goo.gl/KWcMhy).

Uma de suas ações mais ostensivas foi na divulgação da austríaca  Glock – a preferida dos Bolsonaro. A empresa produziu um vídeo para celebrar sua entrada nos EUA. No final, há uma mensagem de Wayne LaPierre, o presidente da NRA.

Leia também:  Bolsonaro: Quando o fogo é prisioneiro da fogueira, por Milton Hatoum

A reportagem da Bloomberg, sobre a internacionalização da NRA, lembrava que EUA e Brasil têm coisas em comum: ocupam o primeiro e o segundo lugar no número de cidadãos mortos a cada ano. E informava que Bolsonaro utilizava, na sua campanha, os mesmos argumentos da NRA.

29 de setembro de 2018, Brasil, Rio de Janeiro: Um defensor do candidato presidencial de extrema direita Bolsonaro está vestindo uma camiseta com sua foto em um comício.

Peça 3 – a crise do lobby

A vida da NRA começou a complicar este ano.

Em 2017, levantou US$ 312 milhões em contribuições dos fabricantes de armas, mas significou uma queda de 15% em relação a 2016. Mesmo assim, investiu US$ 55,6 milhões nas eleições, dos quais US$ 30 milhões em apoio a Donald Trump.

Quando explodiu o escândalo da interferência russa nas eleições norte-americanas, a agente russa Butina, em sua delação, informou que sua missão era encontrar americanos politicamente influentes infiltrando-se em uma “organização de defesa dos direitos das armas”. Justamente, a NRA.

O pior estava por vir  (https://goo.gl/rjPSdA).

A NRA foi alvo de uma campanha pesada do governador democrata de Nova York, Andrew Cuomo. A revelação das ligações com os russos ajudou a cortar os laços da NRA com a mídia norte-americana. Sem a retaguarda da mídia, e com o aumento das ações judiciais, as seguradoras passaram a ter receio de negociar com a NRA. O lobby vendia um seguro de responsabilidade civil para os associados, para cobrir atos de transgressão intencional. Mas constatou-se que usava uma apólice de seguro ilegal, o que lhe custou uma multa de US$ 7 milhões e aumentou o seu descrédito. Reguladores financeiros de NY investiram contra a NRA, espalhando o boicote pelo setor financeiro.

A reação da NRA foi um vídeo ameaçando a mídia tradicional. Mostra um homem destruindo uma televisão com uma marreta, em resposta às supostas notícias falsas. A apresentadora no canal da NRA usa uma camiseta com o slogan “Lágrimas Socialistas”. O vídeo foi visto 200 mil vezes.

Leia também:  Por fora, bela viola. Por dentro, pão bolorento, por Rita Almeida

Dois dias depois, aconteceu a tragédia na Flórida, com 17 alunos de uma escola secundária assassinados por um colega armado.

Associações contra as armas publicaram um anúncio de duas páginas no New York Times, denunciando 276 políticos financiados pela NRA. Ao lado, foto das crianças que deixaram a escola Marjory Stoneman Douglas durante o tiroteio. E as palavras de David Hogg, sobrevivente de 17 anos: “Nós somos as crianças. Vocês são os adultos … façam alguma coisa.

Shannon Watts, fundadora da Moms Demand Actions para Gun Sense explicou o anúncio: “A violência armada e sem sentido, devastadora e evitável. Todo legislador que não atua está permitindo que as matanças continuem”.

A reação da NRA veio através de seu líder, Wayne LaPierre, alertando contra uma “agenda socialista” por trás das campanhas contra o desarmamento. E dizendo que o direito às armas “é garantido por Deus a todos os americanos como direito de nascença” (https://goo.gl/QKwpaa).

Garantiu que as “elites” pretendem eliminar as armas “para que possam erradicar todas as liberdades individuais”.

Peça 4 – vá atrás do dinheiro

A decisão de Jair Bolsonaro, de revogar o estatuto do desarmamento, e escancarar o mercado para importações de armamentos, atende a todas as demandas da NRA.

E, assim como por lá, recorreu-se a toda sorte de notícias falsas, como na inacreditável entrevista de Onix Lorenzoni à Globonews, comparando acidentes com armas a liquidificadores, manipulando estatísticas, distorcendo conclusões. Ou na entrevista de Sérgio Moro, procurando legitimar as barbaridades do governo Bolsonaro, como um óbolo a ser pago à opinião pública para conseguir passar reformas condenadas pela opinião pública. Um autêntico circo romano, sangrento e irresponsável.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

22 comentários

  1. Além da abertura do mercado

    Além da abertura do mercado às importações de armas, bem fudamentada pelo post, está a última trincheira do grande capital, que se associa à máquina de guerra. A destruição da vida e a destruição criativa do capital.

  2. Brasil vai virar stand de

    Brasil vai virar stand de tiro pra enriquecer mais ainda os donos da indústrias de armas

    Chacinas, massacres, tiroteios, feminicídios, patricidios, fratricidios, suicidios etc etc, a intenção é estender a barbarie que já existe nas periferias pros grandes centros  urbanos e pro interior, principalmente áreas de disputa territorial e indigena

    O caos nos aguarda e o diabo sorri do alto de sua cadeira presidencial 

     

     

     

  3. Adesão à campanha do deep state?

    Vejam bem: “Quando explodiu o escândalo da interferência russa nas eleições norte-americanas, a agente russa Butina (…)”. A tal “interferência russa” está cada vez mais desacreditada, mesmo na mídia americana Clintólatra. Butina, no máximo, deveria ser referida como suposta agente russa. 

  4. Não consigo entender como um

    Não consigo entender como um Decreto pode revogar uma lei. Esse decreto que autoriza a posse das armas por qualquer cidadão é manifestamente inconstitucional, pois a revogação do estatuto do desarmamento depende de lei proveniente do Congresso Nacional. No entanto, tendo em vista que o presidente do STF é um energúmeno controlado pelos militares, não duvido de nada.

  5. Vai EMBRAER, indústria de
    Vai EMBRAER, indústria de construção, pré sal e vem um revólver 38, que mata tanto quanto um liquidificador, segundo o desgoverno da dinastia Bozo…

  6. Cuidado com o leão solto

    Muita choradeira  ..e por isso os progressistas NAMASTE vão continuar ajudando o BRASIL a descer a ladeira em direção a direita.

    CRITIQUEM com conteúdo, não de dizer por ouvir dizer.

    Esse decreto não mudou quase nada ..os poucos incautos que votaram no BOZO (a maioria foi por ignorância ou MALDADE MESMO), pensaram comprar gato e estão levando RATO de farda ..e é isso que deria ser explorado

    BOZO prometeu posse de fusil e PORTE  ..não vai entregar !!!!!

    Esta lei manteve a idade,o psicotécnico  ..relaxou a autorização,  o prazo e a qdade  ..e apertou no cofre e responsabilidade ..só

    A segurança que depende de POLÌCIA, justiça, presídio, ECONOMIA e cultura, pouco vai sentir seus efeitos  ..aqui continuaremos a matar o “torto e o direito” na casa de 60-70 mil ano.

    Enquanto isso Val, Queiroz e filha, Romano e todo um LARANJAL dos bozo-patas continuam dando suco  ..assim como o atentado MAL CONTADO ..e o salário de 75 mil mês do capitão reformado

    CUIDADO mesmo tem-se que ter com o desmonte dos programas sociais, dos DIREITOS CIVIS, das estatais monopolistas e LUCRATIVAS, da criminalização da esquerda..

    ..o RESTO (inclusive a ministra do Jesus que veste azul ao pé da goiabeira) é DISSIMULAÇÃO primária pra dar manchete e manter o o PALHAÇO do circo em evidência enquanto o leão esta solto devorando as pessoas.

     

     

     

  7. Cuidado com o leão solto

    Muita choradeira  ..e por isso os progressistas NAMASTE vão continuar ajudando o BRASIL a descer a ladeira em direção a direita.

    CRITIQUEM com conteúdo, não de dizer por ouvir dizer.

    Esse decreto não mudou quase nada ..os poucos incautos que votaram no BOZO (a maioria foi por ignorância ou MALDADE MESMO), pensaram comprar gato e estão levando RATO de farda ..e é isso que deria ser explorado

    BOZO prometeu posse de fusil e PORTE  ..não vai entregar !!!!!

    Esta lei manteve a idade,o psicotécnico  ..relaxou a autorização,  o prazo e a qdade  ..e apertou no cofre e responsabilidade ..só

    A segurança que depende de POLÌCIA, justiça, presídio, ECONOMIA e cultura, pouco vai sentir seus efeitos  ..aqui continuaremos a matar o “torto e o direito” na casa de 60-70 mil ano.

    Enquanto isso Val, Queiroz e filha, Romano e todo um LARANJAL dos bozo-patas continuam dando suco  ..assim como o atentado MAL CONTADO ..e o salário de 75 mil mês do capitão reformado

    CUIDADO mesmo tem-se que ter com o desmonte dos programas sociais, dos DIREITOS CIVIS, das estatais monopolistas e LUCRATIVAS, da criminalização da esquerda..

    ..o RESTO (inclusive a ministra do Jesus que veste azul ao pé da goiabeira) é DISSIMULAÇÃO primária pra dar manchete e manter o o PALHAÇO do circo em evidência enquanto o leão esta solto devorando as pessoas.

     

     

     

  8. XADREZ DAS ARMAS

    Bom dia

    Olha, vai ficando claro, e não demorou muito tempo, que a maioria dos eleitores desse nosso triste país elegeu um grupo de bandidos ! 

    Esse tipo de negociatas e interesses sujos é sinal do quem vem por aí. 

    E que não digam que o ex juiz e os generais são honestos e etc. Na verdade, são todos cúmplices.

    E assim, prosseguimos, a passos largos, para a abolição da Lei Áurea, do fim do estado laico, do voto feminino e outras “aberrações socialistas”.

    Um abraço a todos e vamos à luta.

    LULA LIVRE, aos poucos vai sendo esquecido.

     

    • Sobre o porquê de Lula continuar preso

      No post do jornalista e ex-delegado da PF Armando Coelho Neto de segunda-feira comentei que Fernando Henrique Cardoso participaria de um evento sobre a democracia na Maison da América Latina em Paris. No dia seguinto leio a seguinte mensagem sobre o assunto do Nelson Viana dos Santos.

      “Maria Luisa 

      Não sabia desse evento. Tomara que expliquem ao FHC que ele é uma figura lastimável que, devido a enorme arrogãncia, acredita que tem alguma relevância quando fala ou escreve seus patéticos artigos …. Ele deve viver numa espécie de mundo paralelo, onde as pessoas não tenham memória do que foi o período no qual ele foi presidente. 

      Como é a vida. E pensar que Lula fez campanha para essa pessoa !!! “

      Prezado Nelson, você acerta em cheio quando fala em “figura lastimavel e enorme arrogância” de FHC, porém ele estava entre amigos, gente que não sei porquê razão, visto que são intelectuais e conhecedores da historia social e politica da América do Sul, devotam credibilidade às desonestidades intelecutais de Fernando Henrique. A tal ponto de ainda elogiarem o livro Dependêndia e Desenvolvimento da AL, livro defasado e que ele mesmo renegou. Alain de Touraine chega a dizer num dado momento “o pequeno Enzo Faletto e o grande Fernando Henrique”. Em outro momento Touaraine elogia FHC por ter escrito o livro de memorias da presidência sem fazer publicamente nenhum questionamento. A conversa entre esses três senhores, velhos intelectuais burgueses, era qualquer coisa como “nos fazemos parte do supra-sumo do pensamento ocidental”. Eu concedo o termo intelectual para os pensadores Touraine e o arrogante Rouquié, porém quem tem um minino de discernimento ou conhecimento percebe que ha falhas na formação acadêmica de FHC, ele diz frases e não cita os autores ou diz não lembrar de quem é determinada citação e havia incorreções em sua fala nessa conferência. Inlcusive, demonstrou por momentos não ter segurança naquilo que explanava. 

      Sobre o atual momento brasileiro, grosso modo, Fernando Henrique fala que o Bolsonaro não tem conhecimento sobre nada e foi escolhido pela maioria da população por causa da pauta da corrupção e pelo enorme anti-petismo. Ele fala da corrupção generalizada no Brasil, diz que “a imprensa cobriu isso muito bem”, mas é como se ele não tivesse nada a ver com a corrupção e mal cita o PSDB. FHC faz um discurso aos seus amigos franceses como se tivesse sido um presidente preocupado com a questão social (em determinado momento conta que foi à uma favela no RJ e joga os problemas da favela naquele momento em cima do governo Dilma) e de que foi um presidente honesto. E isso basta. Não ha questionamentos. Também chegou de comparar Bolsonaro a Lula, dizendo textualmente “quando conheci o senhor Lula, ele era muito ignorante”, mas ele era mais esperto que Bolsonaro ( essa segunda parte ele disse algo mais ou menos nesse sentido). E esse é o unico momento a que ele se refere a Lula. Apos dizer que temos uma democracia ainda que em ‘desconstrução’, diz que os militares que fazem parte do governo de Bolsonaro são aposentados (subliminarmente como se esse fator pudesse tornar a situação menos grave), afirma que as instituições estão funcionando (ja ouvimos isso) e invoca seu ultimo livro no qual analisa a passagem de época que estamos vivenciando e afirma que conceitos como fascismo e comunismo não existem mais, são obsoletos. Mas não explica o que ele entende por fascismo e nem tampouco como evoluiu o fascismo do passado para isso que temos hoje em muitos paises. Repete varias vezes que Bolsonaro é de direita até que alguém na plateia grita “extrema direita” ao qual ele ignora. Abriram para perguntas ao final da jogadinha entre eles, porém apenas duas perguntas do publico puderam ser feitas e a jornalista Marcia Camargos se levantou e conseguiu “quase no tapa” pegar o microfone e fazer a pergunta sobre a questão da democracia no Brasil e o posicionamento de FHC no segunto turno da eleição presidencial. Antes de terminar a pergunta, Alain Rouquié autoritariamente disse à Marcia de se calar, mas ela terminou sua pergunta e quando começou a responder, FHC deu uma gaguejada, enrolou um tanto e emendou que as instituições fucionam, a imprensa fez a parte dela e que bem ou mal estamos ainda numa democracia. Sobre o segundo turno, afirma que é amigo do Haddad (cof cof cof), mas que não vota no PT e pronto. Problema dele. E como não podiamos fazer uma tréplica sobre essa questão que claramente vai muito além de um desejo pessoal; questão que envolve responsabilidade de homem publico, ficou por isso mesmo. Os intelectuais da mesa se calam. Aquela frase de Ricardo Sérgio de Oliveira pega num grampo durante as privatizações no governo FHC “Nos estamos agindo no limite da irresponsabilidade” é bem o tom de como age Fernando Henrique Cardoso em tudo o que não lhe traga bonus. Em outra parte das apresentações, Touaraine ou Rouquié, não lembro bem, cita os anos de exilio de FCH, como algo de grande importância politicamente. FHC nunca sofreu no exilio e hoje tem-se a informação não confirmada de que ele foi de certa forma operador no Brasil do governo americano, da propria CIA.  

      Como fazemos parte de movimentos sociais e politico, nos preparamos uma manifestação para lembrar a situação dramatica de Lula, a qual Alain Rouquié diretor da Casa da América Latina nos rechaçou novamente de forma autoritaria e tivemos que dicurtir com ele sobre o que é então democracia para ele, ja que assistimos a mais de duas horas de conferência caladas, ouvindo toda sorte de incorreção sobre a atualidade no Brasil e esperamos o final da conferência para manifestarmos. E nesse momento, felizmente, parte do publico aplaude e nos apoia.

      O que assisti foi uma pantomima numa casa que deveria ser pautada pela verdade e pela democracia. Eram três burgueses falando e pensando em nome da massa ignara, desconectados com a realidade politica no Brasil. Fernando Henrique Cardoso demonstra mais uma vez a pessoa irresponsavel que é face ao momento dificil que vive o Brasil, desonesto intelectualmente e preocupado de fato apenas com seu “legado na historia”. Fernando Henrique Cardoso mostra ser uma figura lastimavel da historia politica do Brasil.

      • ARMAS E FHC

        Prezada Maria Luisa                   

        Agradeço a gentileza de seu comentário e de seu esclarecimento sobre a palestra de FHC.

        Não sabia que ela aconteceria em Paris e felizmente uma pessoa isenta se apresenta para fazer um relato da mesma.

        Creio, em primeiro lugar, que FHC só pode mesmo proferir palestras em Paris  porque aqui ele seria logo interpelado e desmascarado sem clemência. Ninguém mais acredita no que fala esse ex-presidente e, a bem da verdade, sua capacidade de influenciar opiniões deve estar no nível ZERO. Ciro Gomes fala muita besteira (e se igualou a FHC no quesito omissão) mas disse algo certo sobre essa pessoa: “FHC já passou, mas ele ainda não sabe”.

        De acordo com o seu relato, a fala dele repete mais do mesmo: lugares-comuns, platitudes, imprecisão e, claro, desonestidade intelectual ao falar que as “instituições estão funcionando” e coisas parecidas.

        Li uma vez num texto do Nassif, que o sentimento maior de FHC era a inveja da popularidade de Lula, que mesmo depois de uma feroz campanha da mídia,  teve que ser preso para não voltar à presidência. Eu acrescentaria também o sentimento de frustração por não ter nascido na França e ser um sociólogo francês. E então ter que viver em nosso triste país. Ele fala como se tivéssemos esquecido o que foi o governo dele: a farra das privatizações, o controle da Procuradoria, o apagão, a compra da emenda da reeleição, o estelionato do câmbio, a quebradeira da indústria, a quebra do país por três vezes, sem jamais esquecer que ele chamou os aposentados de vagabundos. Claro que em Paris ele não iria mesmo mencionar nada disso!

        Para ele, ao contrário de seu mestre, o grande Florestan Fernandes, o povo é apenas uma categoria sociológica, que atrapalha porque não tem modos, não fala francês, passa fome, etc.  Não espanta, também, o silêncio sobre a corrupção do PSDB, que até aqui no Brasil já vai sendo esquecida…

        Bom obrigado pelo relato e aproveite a estada nessa cidade maravilhosa.

        Um abraço fraterno

        LULA LIVRE!

  9. MULTINACIONAIS A GANHAR DINHEIRO COM ELITE ANTICAPITALISTA

    Nossa Elite Esquerdopata AntiCapitalista, aquela que não consegue sobreviver com míseros 40 mil reais de salários de escravidão (não é mesmo Dona Luislinda?!) permitiram por insuperáveis 40 anos a Bandidolatria que importa armamentos sem pagar um único centavo de impostos. Somos o país com o 7.o ou 8.o maior arsenal civil do planeta. As Indústrias Internacionais não precisavam dar satisfações, nem pagar impostos, nem se responsabilizarem por suas armas que destroem o Brasil. Agora terão que ser responsáveis. Terão que pagar impostos. Terão que controlar seus estoques. O armamento vendido legalmente tem controle. Um Estado sem Controle nesta Cleptocracia Redemocratica Socializante Esquerdopata de Coxinhas e Mortadelas, que trouxe o país até esta desgraça, foi finalmente extinta. E as Elites que parasitavam o Estado Brasileiro não aceitam. E agora? Teremos que trabalhar? Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.  

  10. a loucura estende o seu

    a loucura estende o seu domínio sobre todas as coisas nesse paíos depois dessa era infame pós mensalão-2013-estado de exceção-conluio mídia-parte do mpf-judiciário….

     

  11. 4 armas e um liquidificador….

    Como eu não posso comprar nem uma arma, vou de liquidificador, mesmo.

    E seguindo a dica do Lorenzoni, vou investir nos papéis da Walita…..

    De agora em diante, corruptos, ladrões e assaltantes que se cuidem: podem ser “liquidificados”…

    Selva!

     

  12. O buraco é bem mais embaixo.

    Não há dúvidas que há uma excitação em torno da questão da posse das armas. Mas o tema precisa ser melhor tratado.

    Vamos tentar:

    – Há uma distância enorme entre o direito defendido pela NRA em solo dos EUA, e as condições históricas em que esses direitos foram construídos, com a situação brasileira.

    Como cópia mal feita da matriz, seja em aspectos do formato institucional do MP, seja na questão da mídia, seja na escalada do encarceramento, seja na adoção da militarização da segurança pública, o Brasil acaba por “importar” de forma totalmente equivocada tudo que os EUA vomitam.

    É aquilo que fhc copiou mal e porcamente em sua teoria do subdesenvolvimento, ou seja, por aqui os processos históricos tendem a defeitos próprios da inadequação e assimetria do capitalismo do centro para a periferia, até porque essas relações são estruturadas primeiro na hierarquia e subordinação dos interesses periféricos aos centrais, sempre!

    Por mais equivocado que seja, o direito às armas nos EUA é bem mais complexo e arraigado àquela cultura, e a própria necessidade do capitalismo de lá, afinal, aquele país esteve a frente de conflitos sangrentos desde sua formação como tal, seja no âmbito da sua gênese (Independência), seja no aspecto interno, já como um Estado soberano (Secessão), até nas diversas guerras imperialistas até hoje.

    Por tais razões, dentre outras, não poderia tratar seu cidadão como inapto ou estranho às armas e seu manuseio.

    No Brasil o monopólio dessa violência ficou híbrido.

    De um lado dizemos (legalmente) que só o Estado e seus agentes possuem essa outorga, de outro, os conflitos são privatizados ao número de 67 mil mortes violentas em 2017, conforme notícia do próprio blog hoje, a esmagadora maioria por armas de fogo.

    Então, a abordagem ou a suposta abordagem da NRA por aqui não é mais que peça de propaganda, explico:

    – Muito pouca gente tem grana para adquirir uma ou mais armas (preço médio entre 1.000,00/1.500,00 por um revólver calibre .38 de 2 polegadas), e muito menos pagar pelos exames de aptidão (psicológico e de tiro).

    Boa parte das armas é clandestina e assim permanecerá.

    E as afiliadas a NRA estão muito pouco preocupadas com essas vendas de varejo por aqui, ao contrário dos EUA, onde além das compras governamentais, o que puxa mesmo são as vendas no Wal Mart, por exemplo.

    Talvez as vendas de munições disparem, se forem afrouxadas as exigências e quantias para cada possuidor, mas não pesquisei sobre o tema.

    São as políticas (equivocadas) de segurança pública (guerras as drogas) que garantem (e já garantiam mesmo antes da ascensão do coiso, inclusive nos nossos governos do PT) a estabilidade dos fluxos de produção e compras dos governos, quer derretem boa parte de seus orçamentos na indústria do medo (segurança, armas, insumos, etc).

    Enquanto permanecerem as condições ambientais (guerra as drogas/militarização das polícias) as fábricas de armas locais e internacionais (COLT, SIG, etc) manterão seus lucros, seja no mercado formal, seja no mercado negro, sim porque se não faltam armas às polícias e aos bandidos, e como explicar esse excedente?

    ———————————————————————————————————————————————————–

     

    Sim, a TAURUS é uma arma de merda. Os problemas enfrentados pela polícia de SP e do RJ, com farta divulgação na rede mundial deixa claro o baixo padrão das armas oferecidas ao público nacional, embora a forja tenha fornecido seus modelos 24/7 calibre .40 ao FBI, senão me engano.

    ————————————————————————————————————————————————————-

    Há outra questão a ser abordada nesse tema:

    O verdadeiro lobby aqui foi dos ruralistas, justamente quem mais tem “necessidade” de possuir armas, e justamente onde os conflitos se dão nos arredores dos domicílios dos fazendeiros, abrindo a brecha jurídica para as “legítimas defesas” da posse da terra e dos fazendeiros, já que possuir armas em grande número ficou normal e mais fácil (legal).

    Outro ponto que não considerei e deveria ser estudado é:

     

    – Ora, se a lei posterior que altera os crimes e que for mais benéfica ao réu pode tornar seu crime impunível retroativamente, todo mundo que responde por posse de armas em quantidade maior a que era permitida ou que passar a se enquadrar nas novas exigências mais frouxas, mas que antes o incriminava, deverá ter seu processo suspenso/arquivado e/ou ser solto caso esteja preso.

    – Lembremos que o decreto é ato executivo revestido de força de lei, pois a lei das armas 10.826/03 é estatuto penal “em branco”,  isto é, enuncia um crime que precisa de um regulamento/norma/portaria (como no caso da lista da ANVISA sobre drogas legais e ilegais).

    Novamente, a lei atinge diretamente os grupos de interesse e da base de apoio do atual presidente: ruralistas, seguranças privadas, etc. e enfim, não se pode afirmar que tenham apoiado o presidente, as milícias.

  13. Pois é

    Até agora não caiu a ficha do Nassif…
    O que mudou com a eleição de Bolsonazi foi a intensificação do governo de oportunismo.
    É o caos ampliado.
    Veja o Ministério do Meio Ambiente: quantos convênios há? quais foram supensos, abrangendo que valores e quais tipos de atividades e serviços?

    Lembrando: criminalizam algumas das ONGs junto ao público ao mesmo tempo em que facilitam o caminho do dinheiro (de fora para dentro do país) para financiar ONGs…

  14. Sobre a associação criminosa e a família Bolsonaro

    Há muito tempo estamos denunciando o gigantesco plano de fascistização no Brasil. 

    Exatamente este post vem de encontro na rota deste processo, denunciando o mais grave processo que estamos e estaremos passando.

    http://dossieurutauhome.wordpress.com

  15. (  A  BÍBLIA SAGRADA ,

    (  A  BÍBLIA SAGRADA , CONSAGRA A HUMANIDADE HÁ SÉCULOS A FAZER O BEM AO PRÓXIMO ) . NÃO PRECISAMOS DE ARMAS / POIS HÁ PROTEÇÃO VEM DO ESPIRITO SANTO DE DEUS .

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome