Pistoleiros atacam acampamento Hugo Chavéz, em Marabá (PA)

no Blog do Paulo Fonteles Filho

Pistoleiros atacam acampamento Hugo Chavéz, em Marabá (PA)

Desde o último sábado (15), o acampamento Hugo Chávez, localizado no município de Marabá, região sudeste do Pará, vem sofrendo ataques violentos por parte de pistoleiros, com tiros em direção aos acampados, local que conta com a presença de muitas mulheres e crianças.

Informações vindas da região indicam que a ação da pistolagem, que iniciou às 23 hs de ontem, foi retomada às 13 hs deste domingo, 16. Duas caminhonetes, com vários homens armados, estão fechando as estradas de acesso ao acampamento, fazendo fuzilaria e atearam fogo ao redor onde estão dezenas de famílias de sem-terras e trabalhadores rurais.

Informações também dão conta que o Governo do Estado do Pará e o judiciário sabem das tensões e das provocações dos pistoleiros e fazendeiros mas nada fizeram para evitar a violência e o possível derramamento de sangue.

O acampamento Hugo Chavéz tem três anos de existência e fica distante 14 km de Marabá, na BR 155 que liga as cidades de Marabá a Redenção.

O conflito, que não é novo, mereceu reportagem do Brasil de Fato, leia https://www.brasildefato.com.br/2016/09/13/pistoleiros-ameacam-trabalhadores-rurais-em-acampamento-no-para/ 
    

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaristas abrem fogo contra Damares Alves

3 comentários

  1. O Brasil parece mesmo ter

    O Brasil parece mesmo ter virado um barril de pólvora, com gente morta pra todo lado, ou a sofrer um pavor imenso de conviver com as barbaridades frequentes.

    A situação dos presídios brasileiros já ultrapassou todos os limites da falta de responsabilidade de todos os governos e da justiça. São casos se sucedendo a outros, ora num estao, ora em um munícipio, com cadáveres expostos, gente morta por arma branca, enquanto os vitoriosos, que já cuidaram de decapitar suas vítimas fazem das cabeças uma bola de futebol. 

    Nem falar sobre a situação do RJ que só piora, enquanto os bandidos estão acompanhando as não-ações dos governos para tranquilizarem a população. Até quem ontem tinha seu emprego garantido como funcionário público, se encontra em estado de pré-miséria, carecendo de cestas básicas doadas por gente caridosa, sensível aos problemas do próximo. Um sucateamento generalizado de tudo, como da UERJ, que não teve sequer um número expressivo de candidatos ao vestibular do corrente ano, pela incerteza do porvir. Como se a Cidade Maravilhosa estivessse pra fechar as portas. 

    Pezão, se está doente, e se licencia, deixa em seu lugar o vice, que gozava de privilégios em Portugal, passeando, o que retrata bem a distância entre o povo e esses malandros, incopetentes não apaenas, mas sem coração. E o que esperar de Dornelles, um homem senil, que mal se aguenta em pé?

    E por que Temer, que é do mesmo partido desses pilantras, um preso, outro doente e outro senil, sequer um dia sai em defesa do RJ? Ao contrário, está sempre a cobrar mais uma dívida do estado com a União, ao mesmo tempo em que condiciona o governo estadual a implementar medidas antipáticas contra os funcionários, como aumentar a cota de contribuição da Previdência, entre tantas outras coisas horríveis.

    Por fim, a mesma irresponsabilidade que vemos por parte de políticos, responsáveis pelo uso do nosso dinheiro, também enxergamos entre os diversos ministros do STF, que não se pronunciam contra essa bandalheira. Lá se encontram dois ministros cariocas da gema.

    Será que o Brasil ainda tem jeito?

  2. E mais um massacre de sem
    E mais um massacre de sem terra, assim como já aconteceu em Pau D’arco e Eldorado dos Carajas, todos nesses governos Tucanos. E fica por isso mesmo.
    O governador Barata, dizia que Lei no Brasil e POTOCA.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome