Israel mata mais quatro na fronteira de Gaza

Desde o início da Grande Marcha do Retorno 126 palestinos já foram mortos nos protestos

do Ibraspal

Israel mata mais quatro na fronteira de Gaza; sete estão em estado grave

Por Lúcia Rodrigues

Pelo menos mais quatro palestinos foram mortos por soldados israelenses na fronteira da Faixa de Gaza, nesta sexta, 8, durante manifestação que marca as comemorações do Dia de Jerusalém. O protesto de hoje também ocorreu na Cisjordânia e pediu o fim do cerco a Gaza.

Um dos mortos é o adolescente Haytham Abu Jamal, de 14 anos, assassinado em Rafah. Imad Abu Darabi, de 21 anos, Ziad al Barim, 25 anos, engrossam a lista de óbitos. O nome da quarta vítima ainda não foi divulgado.

Segundo o Ministério da Saúde, mais de 600 pessoas ficaram feridas, sete delas em estado grave. Pelo menos cinco jornalistas foram feridos quando cobriam os protestos. Muhammad Al Baba levou um tiro na perna direita.

Israel já matou 126 palestinos e feriu mais de 13.600 desde o início dos protestos da Grande Marcha do Retorno, em 30 de março. A manifestação desta sexta é a primeira após o assassinato da enfermeira Razan Al-Najjar, 21 anos.

Há uma semana a jovem foi baleada por soldados sionistas quando atuava como paramédica no socorro aos manifestantes feridos. Palestinos informaram que ambulâncias estavam sendo atacadas por bombas de gás, em Khan Younis, lançadas por militares sionistas nesta sexta.

Com informações do Middle East Monitor, Arab 48 e Quds News

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Morreu algum judeu? Algum

    Morreu algum judeu? Algum judeu ficou ferido? Não? Então vira a página porque não haverá interesse internacional sobre isso.

  2.  
    Mas! Como é que pode? Logo

     

    Mas! Como é que pode? Logo o povo escolhido pelo Senhor? Então foi pra isso que o senhor enviou os Soviéticos para livrar, salvando esses caras, das garras dos criminosos Nazi-fascista alemão. É assim, massacrando e roubando as terras e propriedades dos palestinos, que eles se vingam dos nazistas, reproduzindo os mesmos métodos. Até os argumentos e justificativas pelo “espaço vital” reproduzem. PQP!

    Orlando 

  3. E mais uma vez “o povo
    E mais uma vez “o povo eleito” mostra que é a “única democracia” do Oriente médio….

    Suas “forças de defesa” reagem como sempre com moderação e gestos humanitários a quem contesta sua forma de tratar os verdadeiros donos da Palestina.

    Logicamente já vão começar aqui o mi-mi-mi de “anti-semitismo”, vitimização, perseguição, etc, etc…

    Ou seja, QUALQUER CRÍTICA, mesmo para assassinatos frios e covardes como os que repetidamente são cometidos contra civis na Palestina ocupada, são rapidamente contestados pelos agentes a serviço do Hasbará. Aguardem réplicas a este comentário…

    Como diz o ditado: “Se voce quer saber quem realmente está no poder, descubra quem você não pode criticar”…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome