Marcha da Maconha vai ter ato de desobediência civil

Jornal GGN – Neste sábado (14), manifestantes vão às ruas de São Paulo pela legalização da maconha. Com o lema “fogo na bomba e paz na quebrada”, eles vão se reunir a partir das 14h no vão livre do MASP.

A intenção é questionar o preconceito e a hipocrisia da lei antidrogas, além da violência causada pela ilegalidade e a guerra ao tráfico. “ninguém é menos digno por fumar maconha”, dizem os organizadores em nota.

Para eles, desde que o STF garantiu o direito à manifestação, em 2011, o constrangimento em falar sobre o tema diminuiu. Mesmo assim, a organização sempre desencorajou que os manifestantes levassem a erva aos eventos e que fumassem no local.

Dessa vez, em ato de desobediência civil, todos são bem vindos a levar seus baseados. E no momento certo serão convidados a acendê-los, em ato que está sendo chamado de “maconhaço”, ou, como os organizadores definem “a realização coletiva, aberta, desavergonhada, respeitosa e altamente pacífica da liberdade de fumar”.

“Se insistimos em dizer que somente a legalização terminará com a guerra às drogas, também é bom destacar que não esperaremos por ela para decidir livremente sobre nossos corpos. Pelo contrário, também é decidindo livremente sobre eles, rejeitando a proibição e legalizando nós mesmos, que ajudamos a mudar as coisas”.

A Marcha terá blocos de diversas vertentes políticas, sociais e culturais, “refletindo a diversidade desse enorme universo de pessoas que defendem o fim da guerra e políticas de drogas mais justas e menos corruptas e violentas”.

https://www.youtube.com/watch?v=3YlZ2R2hBBE height:394

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Repressão violenta

    Podem ter certeza de que haverá uma repressão violenta e truculenta e os paricipantes serão espancados e impedidos de se manifestarem.

    Vivemos outros tempos, agora estamos em uma ditadura que vai rapidamente se tornar mais e mais violenta. Em São Paulo nem precisa, já temos um ditador local, um tirano de aldeia que já praticava essa política repressiva, agora apenas cairam os últimos fiapos da máscara de democracia que ainda restavam.

    Lembrem-se, vocês vivem em uma ditadura.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome