A réplica de Pedro Caetano à composição de Dorival Caymmi

Dorival Caymmi e Pedro Caetano

Por Laura Macedo

Os compositores a chamada “Velha Guarda” tinham o hábito de diante de uma determinada composição, responder com outra. Esse o caso de Pedro Caetano, quando Dorival Caymmi lançou “O que é que a baiana tem”, atacando de “O que é que tem?”.

 

 

O que é que a baiana tem” (Dorival Caymmi) # Carmen Miranda e Dorival Caymmi. Disco Odeon (11710-A) / Matriz (6023). Gravação (27/2/1939) / Lançamento (abril/1939).

 

 

Pedro Caetano, Joel de Almeida e Dircinha Batista

 

O que é que tem?” (Pedro Caetano/Joel de Almeida) # Dircinha Batista e Bohemios da Cidade. Disco Odeon (11743-A) / Matriz (6117). Gravação (2/6/1939) / Lançamento (julho/1939).

 

 

 

 

 

 

A jovem cantora/compositora Antonia Adnet está lançando o terceiro disco da carreira – “Tem + Boogie Woogie no Samba“.

 

A produção coube a Antonia juntamente com o pai e grande músico Mário Adnet. Os elegantes arranjos valorizam uma seleção cuidadosa, com ótimas surpresas, descobertas no rico baú de preciosidades do nosso cancioneiro. Um exemplo é “O que é que tem?”, parceria de Pedro Caetano e Joel de Almeida, com letra que valoriza a mulher carioca, feita como resposta a “O que é que a baiana tem?” de Dorival Caymmi. Antonia divide a interpretação da música citada com a amiga e, também, cantora/compositora – Roberta Sá. Uma delícia!

 

O que é que tem?” (Pedro Caetano/Joel de Almeida) # Antonia Adnet com participação de Roberta Sá. Álbum – “Tem + Boogie Woogie no Samba”. Selo Biscoito Fino, 2015.

 

 

 

 

************

Fontes:

– Fotomontagem: Laura Macedo.

– Portal Cultura Brasil – Música Popular Brasileira.

– Revista Carioca (nº 194 / P. 44 /1939).

– Site YouTube / Canais: “luciano hortencio” / “Gilberto Alves Gonçalves” / “Biscoito fino”.

************

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 comentários

    • Fã do Pedro Caetano

      Vânia,

      Sou fã do compositor Pedro Caetano. No ano do seu Centenário de nascimento registrei minha homenagem a esse excelente compositor. Pena que os áudios DivShare (que usava na época não estejam mais funcionado). Estou, gradativamente, substituindo os referidos áudios. Mesmo assim vou deixar o link do referido post com a promessa de enviá-lo com todos os áudios funcionando. Homenagem AQUI.

      Uma das minhas preferidas é:

      “Nova ilusão” (Pedro Caetano/Claudionor Cruz) # Zélia Ducan (voz), Marco Pereira (violão), Hamilton de Holanda (bandolim), Gabriel Grossi (gaita), Márcio Bahia (pandeiro).

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=uTV7u4PdnDs%5D

      A jovem Antonia Adnet promete. Outra do disco novo.

      “Boogie Woogie na favela” (Denis Brean) # Antonia Adnet. Álbum – “Tem + Boogie Woogie no Samba”. Selo Biscoito Fino, 2015.

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=Bh70NnfKOzg%5D

      Beijos

       

  1. Condecoração

    Laura,

    vou encaminhar uma petição ao nosso prefeito. Você merece uma condecoração pelo que faz, neste post, à cultura carioca, ao prazer que é carregar esta leveza, esta suavidade, este bem viver dos cariocas e que tua peça tão singelamente representa e evidencia.

    Vou fazer campanha para que você e Gregório venham ao Rio para uma condecoração e, claro, uma visita. Terei o maior prazer de receber vocês e apresentá-los, caso ainda não conheçam, ao que o Rio tem de melhor: a camaradagem, suavidade e alegria dos cariocas, além dessa brisa e sol “abençoados por Deus e bonitos por natureza”.

    Que canção bonita. Eu não conhecia e sequer imaginava uma “resposta” à obra prima do Dorival.

    Musicalmente rendeu bem, mas convenhamos, não há porque comparar duas belezas. Uma beleza é uma beleza, única. Ponto.

    Bacana. Obrigada pela oportunidade de ouvir esta belezura.

    Beijo da Anna!

    • A desligada rsrsrs

      Querida Anna!

      A “desligada” agora que viu seu excelente comentário. Fiquei super emocionada com a possível “condecoração” rsrsrsrs.

      Amo o Rio de Janeiro!! Já estive aí várias vezes acompanhando Gregório nos encontros do BB (Banco de Brasil) e também com minha mãe (quando era viva) e sozinha participando do Sarau do Nassif, em 2010.

      Planejei ir ao Rio neste ano, mas não deu. Farei tudo para ir em 2016. Com certeza quero conhecê-la ao vivo e a cores.

      Super beijos.

      • Não há quem seja mais do que eu …

        Laura,

        distração não é desatenção ou pouco caso. Eu bem sei … rsrs.

        Às vezes comento já depois do “movimento inicial” do post. Ou volto às postagens dias depois, então nem sempre o autor chega a ver meus comentários. Gosto de ir deixando coisas, mensagens, minhas impressões pelo caminho. Um dia, a pessoa volta lá, como aconteceu com você, e encontra algo novo… Quem cria, gosta de saber que houve uma apreciação genuína. Quando eu não gosto, sequer comento.

        Quem sabe num próximo sarau do Nassif possamos nos conhecer pessoalmente. Eu estive no que aconteceu no Rio este ano, mas não conhecia ninguém, tinha acabado de aportar por aqui. Fiquei quietinha por lá, só ouvindo aquele som maravilhoso.

        Beijo para você também e mais uma vez: o Rio agradece!   🙂

  2. Desligada coisa nenhuma!

    Desligada coisa nenhuma! Desligado sou eu, que só agora curti este post. Falar nos mestres Dorival e Pedro Caetano é desnecessário, mas louvar o comentário da Anna Dutra é imprescindível. Adorei o comentário! Eis um encontro certo para quando formos ao Rio. 

    Beijos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome