Documentário registra luta para tornar antiga sede do DOI-Codi em um memorial

O longa-metragem, produzido e lançado pelo Núcleo Memória, está disponível no Youtube. Assista

DOI-Codi. | Foto: Sergio Sade/Editora Abril/Memorial da Democracia

Jornal GGN – Na luta para que a história não seja esquecida, o Núcleo Memória lançou no início da noite desta sexta-feira (29) o documentário “O dia em que a Justiça entrou no DOI-Codi”, com direção de Camilo Tavares. O longa-metragem está disponível no Youtube

O filme registra a Audiência de Conciliação, considerada histórica na luta por Memória, Verdade e Justiça, convocada pelo juiz Dr. José Eduardo Cordeiro Rocha e realizada no último dia 9 de setembro nas próprias dependências da antiga sede paulista do Destacamentos de Operações de Informações – Centros de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), local tomado pelos fantasmas da tortura, que ficam entre a rua Tutóia e Tomás Carvalhal, na Zona Sul da capital.

:: APOIE O JORNALISMO CRÍTICO & INDEPENDENTE DO GGN. SAIBA MAIS AQUI ::

Esta audiência foi mais um avanço na discussão do processo que reivindica que a área de quatro prédios seja transferida da Secretaria de Segurança Pública para a Secretaria de Cultura do Estado, que deverá preservar os edifícios tombados e fazer um centro de memória às vítimas torturadas e até mortas no local.

O encontro teve a presença de representantes do Ministério Público Estadual, da Secretaria de Fazenda e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, representantes da Polícia Civil, além de vários ex-presos políticos, que foram entrevistados e figuram no filme, assim como representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP.

Assista:

LEIA TAMBÉM:

Avança ação para que a antiga sede do DOI-Codi em São Paulo se torne um memorial

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador