E a Argentina, heim?

Se a Argentina crescer 8% este ano, terá tido o mesmo desempenho do Brasil desde 1998, mesmo tendo sofrido uma queda de 20% no PIB quando desmoronou o modelo monetário de Domingo Cavallo.

Há quem tenda a imputar ao período pós-Cavallo e à moratória (inevitável) a queda do PIB. É a falácia da relação causa-efeito. Monta-se uma bomba relógio para explodir mais adiante. Depois, não se cuida de contar corretamente quem armou e quando armou a bomba.

Seria conveniente que os cabeças-de-planilha começassem a encontrar explicações sobre por quê a Argentina desobedeceu o manual, e deu certo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Não dá para acreditar, a

    Não dá para acreditar, a Argentina deu certo aonde? Inflação real de 29%, para viajar paga 35% de imosto cambial na passagem, para comprar dolares para viajar precisa de autorização da Receita Federal depois de examinada a declaração de imposto de renda, falta energia em Buenos Aires, os indices oficiais são todos maquiados e ninguem acredita neles, o tradicional turismo para as praias de Santa Catarina vai ser minimo este verão, a classe media não tem dinheiro para viajar, a Argentina não tem credito internacional algum, está fora do sistema financeiro global,

    só se salva prelas exportações de soja, a 3ª do mundo, depois dos EUA e Brasil e graças ao esforço dos agricultores argentinos, que estão em guerra com esse Governo incompetente, corrupto, arbitrario que está em conflito com os industriais, pecuaristas, classe media, multinacionais, militares, policia, União Europeia, EUA, exportadores brasileiros e com quem aparecer na frente da madame Cristina. Crescimento de 3,8%, como assim?

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome