Volume de investimentos no Brasil cai 15,9% em janeiro, diz Ipea

Indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) acumula retração de 1,3% no período de 12 meses; comparativo com 2020 aponta crescimento de 6,1%

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Os investimentos realizados no Brasil caíram 15,9% no mês de janeiro em comparação com dezembro de 2020 (série com ajuste sazonal), segundo o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) medido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O trimestre móvel terminado em janeiro registrou alta de 23,5%.

Na comparação com o ano anterior, a FBCF atingiu um patamar 6,1% superior ao verificado em janeiro de 2020, enquanto o total acumulado em doze meses mostra que a taxa de crescimento dos investimentos passou de -0,8% para -1,3%.

Segundo o Ipea, os dados de janeiro foram afetados pela alta base de comparação, em virtude do forte crescimento no último mês do ano passado, explicado pelo alto volume importado de plataformas de petróleo e outros bens de capital de apoio à prospecção e extração de petróleo e gás natural.

Na comparação com o ajuste sazonal, o consumo aparente de máquinas e equipamentos (que é a produção nacional destinada ao mercado interno acrescida das importações) caiu 37,1% em janeiro. Apesar desse resultado, o trimestre móvel registrou alta de 53%.

Enquanto a produção nacional de máquinas e equipamentos ficou praticamente estável, com um pequeno recuo de 0,3% em janeiro, a importação cedeu 40,5% no mesmo período. No acumulado em doze meses, a demanda interna por máquinas e equipamentos apresentou retração de 3,2%.

Os investimentos em construção civil recuaram 0,2% em janeiro, na série dessazonalizada, interrompendo uma sequência de oito altas na margem. Com isso, o segmento registrou um avanço de 2,4% no trimestre móvel, embora ainda apresente baixa de 1,3% em doze meses.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora