A Lava Jato e o PT, por Wanderley Guilherme dos Santos

O roubo e as relações ilegítimas entre agentes privados e públicos não são novidade, mas a entrada do PT como sócio sim. O partido candidatou-se ao suicídio e a caça ao intruso foi imediata
 
 
A novidade política da Operação Lava Jato é a revelação de que o Partido dos Trabalhadores cedeu à tentação de patrocinar e se beneficiar das relações espúrias entre interesses de grupos privados e iniciativas públicas. Faz parte da história intestina de todas as sociedades acumulativas o vírus da predação, do suborno, do saque, da extorsão e da violência em busca de vantagens além dos méritos competitivos.
 
O Império inglês foi assim construído, incluindo associações clandestinas com piratas e corsários, no século XVIII, e escândalos internos sem fim desde o XIX; a riqueza das cidades hanseáticas e italianas que financiaram os jardins artísticos do Renascimento, seus pintores, arquitetos e escultores, essa riqueza foi obtida mediante fraude e corrupção de bandidos inescrupulosos e violentos, organizados em poderosas companhias de negócios. A grande arte flamenga e espanhola é rebento da generosa dissipação de recursos de ladrões e assassinos em versão marqueteira de mecenas. O extraordinário progresso material norte-americano a partir de meados do XIX colocou na galeria cívica do país os “robber barons”, sabidos e consabidos corruptos, genocidas, paradigmas das administrações libertinas e extorsivas das grandes cidades contemporâneas como Chicago, Nova York, Los Angeles ou Kansas City, sempre com a cobertura midiática de campanhas moralizadoras.
 
As fraudes eleitorais são discutidas tão abertamente quanto o financiamento de campanha e não é segredo que a vitória democrata de John Kennedy contra Richard Nixon nada teve de católica (acobertada pela patranha midiática de que Nixon perdeu por causa do último debate na televisão), com os Republicanos dando troco na roubalheira da Flórida que deu a vitória a Bush Junior sobre Al Gore. Tudo supervisionado pelas autoridades eleitorais. Ninguém chia, trata-se de assunto exclusivo entre eles: dos roubos econômicos aos roubos eleitorais. O vírus está lá, agora protegido nos portfólios do sistema financeiro mundial.
 
A história recente do Brasil não fica a dever. A começar pelas obras marcantes da ditadura, de onde brotaram progresso material, liquidação física dos opositores e mágicos milionários, de sucesso inexplicável. Da tolerância democrática de José Sarney restou a criminosa entrega da propriedade pública das comunicações a um prático monopólio de golpistas centenários, corruptor de jornalistas, escritores, artistas, políticos. O monopólio das comunicações é atualmente o único poder irresponsável no País, exercido com brutalidade e a ele se curvam os demais, inclusive o poder judiciário. Fonte de corrupção permanente, manteve como assunto inter pares os escândalos financeiros do governo Fenando Henrique Cardoso, as trapaças das privatizações e a meteórica transformação de bancários em banqueiros, tendo o BNDES como rampa de lançamento. Assim como guarda no porão do noticiário a ser mobilizado, caso necessário, os rastilhos da política tucana em Minas Gerais e em São Paulo. Todos, juízes, ministros, políticos, procuradores, cantores, atrizes, narradores de futebol, são todos terceirizados do Sistema Globo de Comunicação.
 
Nesse País, por surpreendentes acasos, todas as investigações envolvendo os companheiros da boa mesa, pecaram por vícios de origem e devidamente esquecidas. Menos a Lava Jato, que segue aparentemente de acordo com as rigorosas regras judiciais, de que dá testemunho o Ministro Teori Zavaski. Qual é a novidade?
 
A novidade não é o roubo nem as relações ilegítimas entre agentes privados e públicos. Todos os consultores, projetistas, jornalistas, escritórios de advocacia econômica, todos que fingem ultraje ao pudor sempre foram não só cientes como, no todo ou em parte, beneficiados pelo sistema virótico da sociedade acumulativa brasileira. Enriqueceram e vivem como parasitas do sistema nacional de corrupção. A novidade é que o Partido dos Trabalhadores entrou como sócio, apresentando como cacife os milhões de votos daqueles que nunca foram objeto de atenção. Candidatou-se ao suicídio.
A caça ao intruso foi imediata. A cada política em benefício dos miseráveis, mais se acentuava a perseguição ao novo jogador, insistindo em reclamar parte do botim tradicional da economia brasileira. A penetração do PT na associação das elites predadoras era encoberta pelo compromisso real de muitos de seus quadros com o destino dos carentes. E assim como os grandes capitães de indústria, pelo mundo a fora, os nossos também cobraram uma exploração extra, uma vantagem desmerecida, uma nova conta na Suiça em troca dos empregos criados, da produção aumentada, do salário menos vil. Mas assim também como os operadores tradicionais, os petistas se entregaram à sedução da sociedade acumulativa: o roubo com perspectiva de impunidade.
 
A Lava Jato revelou a tragédia da vitória do capitalismo sobre a liderança dos trabalhadores. Os grandes empresários e as grandes empresas, ao fim e ao cabo, vão se safar, com os acordos de leniência e as delações premiadas, reservas que fazem parte de suas mochilas de sobrevivência. Serão nossos “robber barons” do futuro. Não assim a destroçada elite petista, à qual não resta senão acrescentar o opróbrio da traição à vergonha da confissão.
 
A vítima ensanguentada dessa caçada é o eleitorado petista. Muito além dos militantes, todos aqueles que saudaram e apoiaram a trajetória de crescimento de um partido que, claramente, era o deles. Os que suportaram os preconceitos, que resistiram às pressões e difamações e que viam nas políticas sociais o cumprimento de promessas nunca realizadas. Esses estão hoje expostos à brutalidade dos reacionários e fascistas, ao escárnio, aos xingamentos e ofensas. O eleitorado petista não é criminoso, criminosos são os fascistas que os perseguem nas ruas, nos lugares públicos, sem que as autoridades responsáveis tenham a decência de garantir-lhes a inocência.
 
Presidente Dilma Rousseff: é de sua responsabilidade e de seu Ministro da Justiça sair desse palácio de burocratas e meliantes suspeitos e garantir, e fazer governadores e prefeitos garantirem, por atos enérgicos, a integridade física e moral dos milhões de brasileiros inocentes que acreditaram na sinceridade dos membros do seu Partido. Os ladrões estão no seu Partido, não entre os eleitores que a elegeram.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

38 comentários

  1. Puxa! eu não sabia que o PT e

    Puxa! eu não sabia que o PT e seus Acusados já haviam sido julgados e condenados. Não sabia que as provas tinham deixado de ser sigilosas e os inquéritos estavam abertos as vistas de todos. Não sabia, também, que as delações haviam sido comprovadas e provadas (sem domínio do fato, ok?), mostrando o PT todo lambuzado… Agradeço ao Wanderley Guilherme dos Santos (um homem de esquerda – deve ser chegado do Cardozo) por abrir meus olhos com esse artigo.

     

    • Provavelmente os atos

      Provavelmente os atos  ilícitos eram tão claros e descarados que  os que estavam mais perto não precisam sequer de provas …

      • Como atos ilícitos podem ser

        Como atos ilícitos podem ser tão claros e descarados e ninguém conseguir provar? Segundo a douta ministra do STF foi sem provas mesmo que Dirceu foi condenado. Então a coisa não era tão descarada assim. A Lava Jato precisa de delação para poder investigar porque nada é tão claro declarado como você pensa. E mesmo quando a coisa é provada, se não for por meios legais, ninguém deve ser condenado, foi o que decidiu o STF na Satiagraha. Se os fins não justificam os meios para o PT porque justificariam para a justiça?

  2. O corajoso caminho da verdade

    Alguns políticos do PT que erraram devem, no seu conjunto, se apresentar em declaração premiada e acabar com tudo isso de uma vez, levando junto toda a podridão da política de parte de todos os outros partidos. Isso liberaria o Governo e deixaria em Xeque-Mate centenas de corruptos.

    Parte do PT, a parte que errou, deverá juntar uma delegação e bater a porta do Juiz Moro, com o discurso do tipo: quer mesmo esclarecer tudo o que acontece de corrupção e caixa 2 no Brasil depois da redemocratização? De punho em alto.

    • E decerto tu podes mandar a

      E decerto tu podes mandar a lista da tua investigação para o juiz Moro.

      Tal qual o porf. Vaderley, falta um detalhe das acusações descabeladas: fatos e nomes.

      Os únicos fatos até agora é que o PT é o único partido no qual uma pessoa corre o risco de ser condenada sem provas ou por crimes que não existiram.

  3. Arrasador
    Arrasador , corajoso e pungente artigo desse grande brasieiro que desnuda com requintado rigor a hipocrisia histórica do mundo em que vivemos , com a ampla miséria espiritual (não tem nada a ver com religião ) que cabe a cada um de nós humanos , mesmo nas nossas melhores intenções .
    E desgraçadamente , o PT aí se igualou aos miseraveis de sempre !
    Cabe aos eleitores que acreditaram nas propostas sociais do partido buscar um resgate da sua essência e não a tentação de comungar com aqueles que sempre exploraram e se serviram criminosamente da sociedade e neste momento se arvoram seus defensores de plantão .

  4. O erro do PT foi, antes de
    O erro do PT foi, antes de chegar ao poder (“a UDN de macacao”, que dizia Brizola), achar que ao chegar la uma parte de seus quadros e a base fisiologica do Congresso nao iriam inevitavelmente ceder a algo tao humano como a corrupcao. Nem sei se ela foi tao grande: numeros absolutos sao enganosos e mais ainda a parciaidade da grande imprensa. Combater a corrupcao eh preciso, mas sem novas doses de moralismo. Wanderley precisa esfriar a cabeca.

    Alias, todos precisamos. A hora eh de defender a democracia, combater a escandalizacao seletiva, julgar os suspeitos com isencao, punir os culpados e enfrentar a luta politica de sempre. Distribuir renda nunca foi tarefa facil.

  5. O professor

    O professor Wanderley foi assalador em sua argumentação. Estimado professor, desde já lhe adianto, é mais fácil o Asa de Arapiraca ser campeão do mundo de clubes do que a Dilma e seu medíocre ministro da justiça tomarem qualquer atitude frente à tudo isso (investigações seletiva e combater a propagação do ódio e da intolerância) que ai está.

  6. Com todo o respeito a

    Com todo o respeito a Wanderley Guilherme dos Santos, que escreve com experiência e conhecimento de causa, mas essa técnica de parecer imparcial, adotando a máxima “uma no cravo, outra na ferradura” é inoportuna e NADA contribui para o momento de crise institucional (não se trata apenas de crise política, como o articulista, estudiosos, jornalistas, cientistas sociais, analistas e outros intelectuais nos querem fazer acreditar). 

    A questão objetiva é a seguinte: entre aqueles que, por meio de golpe de Estado, tentam tomar o poder há melhor alternativa que o PT? Todas as evidências indicam que não. Portanto, não há QUALQUER justificativa para o golpe.

  7. O que é isso, professor? Está

    O que é isso, professor? Está ecoando a “drástica mudança de opinião” do Dennis Heiderich? O PT é muito maior do que, digamos, às vezes pensamos que ele é.

  8. Nassif
    Só falta agora

    Nassif

    Só falta agora pregarem o suicidio coletivo.

    Porque será que o Mino permitiu isso heim Nassif.

    Até Carta esta embarcando na patomima.

    Bincadeira.

  9. Para variar Wanderley

    Para variar Wanderley Guilherme dos Santos fala muito. Esse autor, filósofo que seja nunca foi do PT e sequer simpatizante. De repente pega carona na esquerda burra, para se fazer de escandalizado com tudo o que o PT SUPOSTAMENTE FEZ. Não existe qq prova na Lava Jato que qualifique o PT como participante de qq esquema na Petrobrás ou em qq outro lugar. Existe sim o bla bla interminavel dos delatores premiados e remunerados (com % percentuais do que ajudaram a roubar) que ainda não produziram uma prova se quer.

    Eu me deparava com artigos desse sujeito e sempre os achei meio esquisitos, como se estivesse sempre se preparando para dar algum bote que não vinha. Agora veio. Atacar o PT mais um sem provas, sem nada. Atacar para se mostrar, puro exibicionismo de um intelectual nem tão bom assim. Olhem para mim diz ele como seu bacana e digno de confiança eu também ataco o PT. Olha só. Sujeito lamentavel. 

    Nunca o considerei confiavel como pensador, muito menos agora.

  10. Gosto dos artigos do

    Gosto dos artigos do Wanderley, mas neste ele deu uma generalizada. Existem dirigentes petistas alvo de investigações, alguns poucos já condenados num processo complicado, e a grande maioria não responder sequer processo e nem enriqueceram ilicitamente. Não sei precisar o número, mas creio que pouquissimos dirigentes petistas enriqueceram ilicitamentel

    Creio que o problema é mais estrutural, não pessoal, e tem a ver com os financiamentos milionários e empresariais de campanha. Aí reside o cerne da questão.

  11. “A novidade política da

    “A novidade política da Operação Lava Jato é a revelação de que o Partido dos Trabalhadores cedeu à tentação de patrocinar e se beneficiar das relações espúrias entre interesses de grupos privados e iniciativas públicas.” – Não sou e nunca fui filiada ao PT, não tenho procuração deste partido para o defender, eu era brizolista e depois lulista, voto neste partido porque sei que apesar algumas poucas figuras terem decepcionado, está claro para mim que ainda é o melhor partido que temos neste País. Sempre gostei dos artigos do Wanderley Guilherme, porém sinto muito que ele tenha colocado no mesmo balaio todo o Partido dos Trabalhadores como se algumas poucas figuras representassem todo o partido, como se todos eles tivessem se beneficiado das relações espúrias. Sei bem separar as coisas, pois acho que até no PSDB e no DEM onde creio existir o maior número de corruptos por metro quadrado, tem gente honesta, poucas, mas tem.

  12. [    O roubo e as relações

    [    O roubo e as relações ilegítimas entre agentes privados e públicos não são novidade, mas a entrada do PT como sócio sim. O partido candidatou-se ao suicídio e a caça ao intruso foi imediata]    Pirmeiro, deveria provar como  é possível subir num pau sujo de b* sem se sujar, que conseguir poder e dinheiro no Brasil é tal qual, com raras execeções. Além disso, os envolvidos com algum desvio de conduta não é nem 0,0001% de todos os filiados , o que torna absurdo caracterizar como obra do PT

  13. O PT, infelizmente, acabou

    Análise definitiva sobre a tragédia atual brasileira.

    O vírus da corrupção, infelizmente, penetrou fundo na cultura política petista. O fato da maioria dos militantes estar fora da mira da Justiça diz muito pouco sobre o grau de adesão e comprometimento da imensa maioria dos dirigentes partidários em todas as instâncias e em todo o país com essa falta de vergonha e de caráter. Evidente que tem ainda muita gente séria e honesta  que não aderiu a esse método generalizado de fazer política – mas esses, a essa altura, pouco contam na medida que no imaginário popular o PT ético e honesto acabou. 

    • O PT, infelizmente, acabou.
      Deve-se duvidar muito dessas pessoas – que se revelam (até) bem intencionadas – que dizem que o PT acabou, que o PT vai acabar.

      Por que nunca disseram: com essa formação golpista, tipo UDN, o PSDB vai acabar. Ou o DEM vai acabar, pois herdou os mesmos erros e a mesma repugnância de seu antecessor PFL.

      Por que o PT?

      Eu respondo. Trata-se de vontade daqueles de evitar um contendor na disputa pelo Poder no Brasil.

      Antes, a burguesia fazia dois partidos, de ideologias semelhantes, e disputavam o Poder entre si. Quem ganhasse dividia o botim entre si e estamos conversados.

      Foi assim por 500 anos.

      Não é mais e não será mais para sempre, porque haverá sempre o partido dos trabalhadores, que não se dobrará à pressão burguesa.

      Podem falar mal da gente como falam hoje.

      A Marta Suplicy, senhora burguesa que habitou muito tempo o PT, onde foi prefeita, deputada federal e senadora (e até ministra!!), resolveu sair do partido com uma previsão: o PT vai acabar.

      Explica-se: Marta deseja que o PT acabe, porque assim não terá com quem disputar a Prefeitura de São Paulo.

      Hoje, o único partido preparado para barrar a sua intenção é o PT, com Fernando Adad, que está fazendo uma ótima administração.

      Reconheça-se: Marta foi uma boa prefeita em São Paulo, mas há muito tempo e muitos eleitores nem lembram mais dela.
      Finalizando: em pesquisas periódicas feitas por um instituto sempre colocam o PT como o partido mais querido no Brasil, o partido que mais defende o país, que mais defende os brasileiros.

      E atenção para mais essa. O número de filiados no PT está aumentando, mesmo sob fogo da imprensa e dos deputados golpistas e daqueles que dizem que o PT acabou ou vai acabar.

    • O que é ser ético e honesto?

      O que é ser ético e honesto? É se aposentar pelos Tribunais e ir defender criminosos que acusava nesses mesmos Tribunais?

      Cobram dos adversários ideológicos, que vistam o pijama de um “sério” funcionário publico aposentado, quando  eles lhes caçaram o direito a aposentadoria.

      São as acusaçoes desses hipócritas, em um Julgamento totalmente irregular, que você abraça a teoria do acusador?

      De que lado você está nesse mundão da hipocrisia?

  14. Talvez ele esteja se sentindo

    Talvez ele esteja se sentindo incomodado e arrependido por ter apoiado o PT; nesse caso, deveria ele se confessar como tal. Talvez ele tenha sido atacado por alguém, como foram os ex-ministros Padilha e Mantega. Não é fácil ser xingado de algo que você não é. Eu já fui e não gostei, claro. Nem por isso vou me deixar definir pelos outros.

    Nada do que falei acima serve de desculpa para alguém que se diz intelectual escrever algo assim. Que se cobre de Dilma ânimo e disposição para a luta política, além da econômica, é justo, porque o cargo dela não é gerencial e sim político. Tem que estar disposto a isso quem ocupa a cadeira que ela ocupa. Logo, ela tem que estar ao lado dos seus eleitores porque nós votamos num projeto de país, não exatamente na pessoa dela, embora isso conte também.

    Quanto aos acusados do PT, o intelectual deveria saber que ninguém é obrigado a confessar e a produzir provas contra si mesmo, não importa a ideologia que tenha. Parece até que o autor defende a ideia de que os fins moralistas da justiça justificam os meios ilegais de prisão e coerção. O intelectual parece não atentar para o fato de que a Lava Jato está federalizando práticas ilegais e violentas que ocorrem diuturnamente nas delegacias desse país, onde pessoas são presas sem investigação e sem julgamento por tempo indeterminado, como afirma o próprio CNJ. Essa é a realidade de 40% dos presos no Brasil, diz o Conselho. A Lava Jato e o intelectual estão legitimando a supressão de direitos para todos, essa é a novidade, pois antes isso só ocorria com os pobres. É isso que defende o Prof .Wanderley?

    Eu nunca vi escrito em lugar algum que Paulo Roberto Costa, Barusco, Cerveró, Duque e empreiteiros fossem filiados ao PT. Eu não sou filiada ao PT, mas sou eleitora e militante. Caso eu venha a cometer um crime, será culpa do PT? O caso Dirceu ainda está por se provar, e pode ser que nunca venha a ser provado, mas ele será condenado, eu acho. Mas para dar credibilidade a tudo, ele deveria confessar? Tal como faziam na ditadura? O Professor parece acreditar mais no sistema judicial do que no sistema político; é um direito dele como cidadão. Como intelectual, deveria ter mais cuidado, principalmente num momento em que a política está encurralada. 

    Ninguém tem o direito de xingar, caluniar ou difamar eleitores petistas por causa da corrupção. Não admitirei que isso aconteça comigo, confesse Dirceu ou não. Nenhum eleitor do PT deve ter vergonha do seu voto, pelo contrário, deve defendê-lo. Ninguém, nem o Professor, tem o direito de chamar o PT de partido corrupto. Se as instituições forem tomadas pelas pessoas, aí tá mal. Então poderemos chamar a Igreja Católica de Igreja pedófila, o Judiciário de gangue togada (aliás, alguém disse isso), etc. E quanto ao PT que tirou o país do mapa da fome, é chamado de quê? E quanto ao PT que reduziu a desigualdade social no país, é chamado de quê? E quanto ao PT que age contra a corrupção, é chamado de quê? E quanto ao PT da agricultura familiar, é chamado de quê? E quanto ao PT que conferiu mais credibilidade externa ao país por ter aumentado os mecanismos de controle e transparência, é chamado de quê? Essas são minhas pautas, não a corrupção. A corrupção é pauta dos corruptos, como a mídia cartelizada e muitos políticos do PSDB; a corrupção é pauta dos fascistas e dos hipócritas.

     Ao fim e ao cabo, o Professor parece mais acuado do que Dilma. 

    • Arthemísia, teus comentários

      Arthemísia, teus comentários muitas vezes são melhores do que os artigos a que se referem. Mais do que comentar, sugiro que escrevas e postes artigos no blog. Parabéns!

  15. Entre aspas

    “Todos, juízes, ministros, políticos, procuradores, cantores, atrizes, narradores de futebol, são todos terceirizados do Sistema Globo de Comunicação.”

    A generalização talvez esteja… exagerada; contudo, em essência, eu concordo. Mormente no que se refere à lúcida colocação supra.

  16. Jamais, probabilidade ZERO,

    Jamais, probabilidade ZERO, algum dia me arrepender das minhas opções políticas-ideológicas, particularmente os votos dados ao Partido dos Trabalhadores, mesmo que, raciocinando por absurdo, se prove hoje que todos os seus líderes e prepostos são, ou foram, desonestos.

    Apoiei, e continuo apoiando, uma proposta. Não pessoas ou mesmo partido. Meu compromisso sempre foi, é e será com o ser humano, com a humanidade. Se no caminho atravessar partidos, ideologias ou lideranças será apenas contingencialmente, jamais necessariamente.

    Confesso que nesses últimos ando com o astral mais baixo que diferencial de sapo. Aliaram-se para me deixar capiongo a conjuntura política emprenhada de hipocrisia e o que parece ser inevitável: o indiciamento do grande líder que foi José Dirceu. Há pouco li que seu irmão já admitiu ter recebido recursos do esquema. 

    De qualquer modo, mesmo pessimista ainda espero e torço que ele não tenha, enfim, sucumbido às tentações da cupidez que levam inexoravelmente ao embotamento moral. 

    De cabeça, lembro agora a belo e sublime poema do ativista político e guerrilheiro ALEX POLARI exarado no prefácio do livro OS CARBONÁRIOS-memórias das guerrilhas perdidas, de Alfredo Syrkis:

    Nossa geração teve pouco tempo,

    mas começou pelo fim

    ah! moça, como foi bela nossa procura

    mesmo com tanta ilusão perdida

    quebrada,

    mesmo com tanto caco de sonho

    onde até hoje

    a gente se corta

  17. Análise cruel, mas são os fatos!
    Mais uma vez o professor Wanderley, apresenta uma análise profunda dos descaminhos que tomou conta do partido que foi o sonho e esperança de milhões de brasileiros! Muito triste tudo terminar assim.

  18. Que artigo de M?r?a!

    Presunçao de inocência até a culpa ser provada foi pras cucuias. Fala dos terceirizados do sistema Globo, mas compra o discurso deles. Nojento.

  19. [ O Império inglês foi assim

    [ O Império inglês foi assim construído, incluindo associações clandestinas com piratas e corsários, no século XVIII, e escândalos internos sem fim desde o XIX; a riqueza das cidades hanseáticas e italianas que financiaram os jardins artísticos do Renascimento, seus pintores, arquitetos e escultores, essa riqueza foi obtida mediante fraude e corrupção de bandidos inescrupulosos e violentos, organizados em poderosas companhias de negócios[   Esse o   estágio  básico que todo que quiser ser grande nação tem passar, devendo demorar uns 200 anos para sair disto

  20. Falou em limpeza política,

    Falou em limpeza política, conte com os intelectuais “limpinhos”. Acusar sem provas é a rotina, afinal, levaram décadas acreditando que a tal operação Mãos Limpas foi tremedamente educativa para o povo italiano e que transformou aquele país em um lugar onde a ética e a Justiça são primorosos.

    Cadê o filtro e espírito crítico dessa turma? Engoliu aquela balela e reproduziu sem ligar nenhum desconfiometro, mesmo com o fenomeno Bellusconi como resultado. Enquanto na França, a intelectualidade estava comprometida na luta pelo exilio dos condenados naqueles tribunais de excessão. Por aqui, a nossa intelectualidade  reproduzia o mesmo discurso da Folha, Globo, e ainda continuam reproduzindo.

  21. Wanderley, 
    O PT não é igual

    Wanderley, 

    O PT não é igual aos outros.

    A não ser que você acredite mesmo que a “honestidade” no seu sentido mais popular – a qualidade de quem não rouba dinheiro – é a virtude maior que define uma pessoa ou um político. Ser honesto é bom, mas veja, o Slim é honesto, o Buffet também, o Soros idem. Ao menos nos padrões assentados nas sociedades humanas: não se tem notícia ter sido, algum dos citados, alvo de processo judicial e de prisão.

    Por outro lado a corrupção tem inúmeras formas de existir: um político que troca aquilo que prometeu ao eleitor pelo controle de um cargo ou setor da administração pública é um corrupto; o pastor evangélico que arrecada dinheiro dos fieis para construir a “obra de Deus” e jamais poderá ser cobrado por sua promessa, também é um corrupto; uma pessoa que se filia a um partido político, constrói uma carreira pública, e depois seja pelo que for se desfilia e não devolve o mandato conquistado, também é corrupta. 

    Há pessoas corruptas no PT? A resposta é, obviamente, sim. Por várias razões, não só por ter-se associado a um “clube” de aproveitadores, como você insinua.

    Há corruptos petistas que defendem, por exemplo, a venda da Petrobrás para a Chevron; há corruptos no PT que, tendo poder para agir, nada fazem quando o partido é atacado por bombas; há corruptos no PT que se calam diante dos ataques mais grotescos e imorais de que são objeto seus dirigentes e militantes.

    Há corruptos no PT que se filiaram e se desfiliaram, e depois voltaram, e sairam novamente, porque não têm nenhum compromisso com os projetos do partido para o país, mas apenas com seus próprios interesses. Há até aqueles que até se filiaram ao partido opositor e conquistaram vitórias eleitorais.

    Mas o desvio de dinheiro, o roubo, o interesse próprio, nunca foram o propósito final do partido. Ao contrário de muitas das siglas existentes hoje no país. O PT tinha e tem um projeto de país, fincado na redução da desigualdade, no desenvolvimento para todos, na atuação altiva e independente no cenário internacional. O PT sempre acreditou no Brasil e em momento algum traiu seu projeto. Tivesse feito isso e se poderia dizer que se corrompeu.

    Aos que traem os propósitos do partido, resta a exclusão; aos que roubam os cofres públicos, resta o julgamento e a condenação, se for o caso.

    O resto é histeria coletiva alavancada pelos inimigos.

     

  22. Comentário ao Texto de Wanderley Guilherme dos Santos

    “Toda dor pode ser suportada se sobre ela puder ser contada uma história” (Hannah Arendt)

    Sei que todos estamos aflitos com toda essa barafunda, mas não posso concordar com a conclusão de Wanderley Guilherme dos Santos de que o Partido dos Trabalhadores não só tenha se beneficiado “das relações espúrias entre interesses de grupos privados e iniciativas públicas”, mas, para piorar, ainda “tenha cedido à tentação de PATROCINAR essa esculhambação histórica da “predação, do suborno, do saque, da extorsão e da violência” de que temos notícia desde que os portugueses aqui aportaram. Nem era preciso inventariar em cinco parágrafos, as fraudes, os saques, as violências e o embotamento social que o capitalismo engendra aqui e acolá, desde sua gênese, para anunciar a “novidade” de que o PT “entrou como sócio” do ” sistema nacional de corrupção”, além de, pior, ter se tornado aliado desses miseráveis da classe dominante. A “caça ao intruso”, a que ele se refere, não foi imediata: foi iniciada lá no nascimento do partido. Desde a sua fundação. Aliás, se dependesse dessa gente, o PT teria sido abortado e sequer teria existido. Foram milhares de pessoas e militantes como nós, que tivemos a coragem e a disposição de erguê-lo e dar concretude, mesmo com todas as dificuldades e contradições, a uma força política que de fato luta e contribui para elevar o patamar da cidadania de tantos brasileiros, juntamente com outras forças sociais e políticas pelas quais essas mesmas “elites predadoras” nutrem e disseminam a desqualificação e o ódio, e não é de hoje. É só recordar dos Amatos (FIESP) e Caiados (UDR) da vida, e das Globos e das Vejas nos momentos cruciais da vida política brasileira. A matreira “Operação Lava a Jato” não “revelou a tragédia da violência do capitalismo sobre a liderança dos trabalhadores”. Entretanto, deixou transparecer que o aparelho coercitivo do Estado (Polícia Federal, Judiciário etc), em conjunto com a “nossa” mídia pechisbeque cerraram uma fileira classista, não só contra um governo legitimamente eleito, mas sobretudo contra sua base social composta pelos movimentos progressistas organizados e por milhões de cidadãos e cidadãs que acreditam, ainda que de modo difuso, que um país mais justo socialmente pode e deve ser construído de forma participativa e democrática. Não é à-toa que, numa inversão ideológica, buscam infundir no imaginário popular, diuturnamente ( e também não é de hoje), que representamos o atraso, a instabilidade, o aparelhamento do Estado, a corrupção sistêmica e generalizada, o mal denominado “bolivarianismo”, o diabo a quatro, na tentativa de nos emparedar politica e moralmente. Hannah Arendt nos ensinou sobre o fascismo. Ele não tem data de nascimento, mas parece que pretendem massificá-lo aqui no país. E Isso não é culpa do PT. Sabemos identificar os neofascistas por estas plagas. A história e o cotidiano todo dia os revelam. Não gosto desse modo totalizante de tratar o Partido dos Trabalhadores, no seu conjunto, como um partido de “ladrões”. Resumir o PT aos erros grotescos de alguns quadros partidários e mesmo de algumas direções é contribuir para desconstrução de toda uma história de lutas. Também não acho que é apenas de responsabilidade da presidenta Dilma “e seu Ministro da Justiça”, garantir nossa “integridade física e moral”. Precisamos e estamos nos organizando, ainda que precariamente, para conter essa escalada para o golpe que, se efetivado, aí sim temo no que se transformará esse ensaio tétrico de fascismo que ronda e entremeia nossa sociedade. Definitivamente não somos “vítimas ensanguentadas”, como pontuou Wanderley Guilherme, e nem o Partido dos Trabalhadores é nosso algoz. Não foram poucos os erros cometidos. Imperdoáveis, até. Estamos numa crise dos diabos e estamos pagando alto preço por eles. Porém, o maior erro que poderíamos incorrer neste momento, seria acreditar nessa história que só joga água no moinho dos nossos velhos e novos inimigos.

    Mauro Moreira Dias.

  23. Apagaram o comentário que eu fiz detonando esse superado

    Vergonhoso isso.

    Parece que não gostaram quando eu desanquei esse intelectual que sempre despontou para o anonimato. Um intelectual menor, sem importância significante e que cada vez  fala para mais ninguém. Nunca foi parâmetro no meio intelectual brasileiro, como quiseram vender em alguns momentos. Dizem que sua notabilidade se deve ao fato dele ter “previsto” o golpe de 1964, anos antes, como se “prever” golpes no Brasil, um país cuja história é marcada por golpes, fosse algo “difícil” de se fazer. Yeah, right. Agora se entende perfeitamente a razão de seu ostracismo.

    Eu digo isso, aponto a leviandade da crítica, que coloca todo mundo no mesmo barco da corrupção, sem qualquer suporte factual sério, e tenho os comentários apagados rsrs

    Apagaram o comentário anterior que eu fiz criitcando esse artigo leviano e desfundamentado, puro despautério de um acadêmico sem respaldo. O símbolo do site deveria ser uma tesoura. Combina com o clima de censura que impera por aqui.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome