Operação da PF prende Cachoeira e ex-diretor da Delta

Jornal GGN – Em operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (30), a Polícia Federal prendeu o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Foram expedidos mandados de prisão contra Adir Assad, empresário já condenado na Operação Lava Jato, e contra o ex-presidente da construtora Delta, Fernando Cavendish. Também foi preso Cláudio Abreu, ex-diretor da Delta. 

Os mandados de prisão e de busca e apreensão estão sendo cumpridos no Rio de Janeiro, São Paulo e Goiânia. Quem responde pelo caso é o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara da Justiça Federal do Rio de Janeiro, que também está com as ações da Eletronuclear em desmembramento da Lava Jato.

A ação de hoje apura esquema comandado pela Delta, de Fernando Cavendish. Cachoeira e Assad são suspeitos de atuar na lavagem de mais de R$ 350 milhões em favor da Delta, através de empresas de fachada.

Em 2012, Cachoeira foi preso pela Operação Monte Carlo, que desarticulou uma organização que explorava máquinas caça-níqueis e jogos de azar em Goiás. Ele já foi condenado por associação criminosa, corrupção ativa, advocacia administrativa, peculato e violação de sigilo funcional.

Do O Globo

Fernando Cavendish, Carlinhos Cachoeira e Adir Assad são alvos de operação da PF e MPF
 
Operação acontece no Rio, São Paulo e Goiás; eles são acusados de usar empresas fantasmas para transferir cerca de R$ 370 milhões obtidos pela empreiteira Delta

O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) deflagraram na manhã desta quinta-feira a “Operação Saqueador” para cumprir cinco mandados de prisão em São Paulo, Rio e Goiás. Entre os alvos estão o ex-presidente da empreiteira Delta Construções Fernando Cavendish, o bicheiro Carlos Augusto Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, e o empresário Adir Assad, que já foi condenado na Operação Lava-Jato. No Rio, a polícia não encontrou Cavendish, que estaria no exterior e já é considerado foragido pelas autoridades.

A investigação constatou que os envolvidos, “associados em quadrilha”, usaram empresas fantasmas para transferir cerca de R$ 370 milhões, obtidos pela Delta direta ou indiretamente, por meio de crimes praticados contra a administração pública, para o pagamento de propina a agentes públicos.

Também são alvo da operação Cláudio Dias Abreu, que já foi diretor regional da Delta no Centro-Oeste e Distrito Federal, e Marcelo José Abbud, que, segundo o MPF, é dono de empresas de fachada usadas no esquema de lavagem.

O MPF do Rio ofereceu esta semana denúncia contra Cavendish, Cachoeira, Adir Assad e mais 20 pessoas por envolvimento num esquema de lavagem de verbas públicas federais. O caso foi distribuído ao juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

A lista de denunciados conta com executivos, diretores e conselheiros da Delta e proprietários e contadores de empresas fantasmas. Para o MPF, o então dono da Delta era o líder da organização criminosa. A relação entre Cachoeira e Cavendish veio à tona com a Operação Monte Carlo e a CPI do Cachoeira, em 2012. Os dois compareceram ao Congresso na ocasião das investigações.

De acordo com investigação do MPF, 96,3% do faturamento da Delta entre os anos de 2007 a 2012 era oriundo de verbas públicas, totalizando um montante de quase R$ 11 bilhões. Os procuradores afirmam que mais de R$ 370 milhões foram lavados por meio de 18 empresas de fachada. Os responsáveis pela criação delas foram Cachoeira, Assad e Abbud. Por meio de contratos fictícios, as empresas fantasmas lavavam os recursos públicos. Os recursos eram sacados em espécie para o pagamento de propina a agentes públicos para impedir o rastreamento das verbas.

O procurador da República Leandro Mitidieri pede a condenação dos denunciados por lavagem de dinheiro e associação criminosa. A denúncia pretende também uma reparação de R$ 740,8 milhões, pelos danos causados com os crimes.

AUMENTO DE PAGAMENTOS EM ANOS ELEITORAIS

A investigação apontou que os pagamentos feitos pela Delta às empresas de fachada tiveram aumentos significativos em anos de eleições. O MPF apurou que os serviços não eram realizados pelas empresas fantasmas e que elas só existiam no papel, já que não tinham sedes, nem funcionários e, além disso, havia incompatibilidade entre receita e movimentação financeira identificada pela Receita Federal.

De acordo com o MPF, as empresas de Adir Assad e Marcelo Abbud emitiam notas frias para outras empresas e não somente para a Delta, uma vez que serviu ao esquema de desvios na Petrobras, investigado na Operação Lava-Jato.

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou o uso, nas investigações no Rio, de trechos da delação premiada de ex-executivos da Andrade Gutierrez investigados na Operação Lava-Jato. Os depoimentos continuam sob sigilo, mas, de acordo com o MPF, confirmam o que foi apurado e demonstram que a Delta era voltada a esquemas de corrupção em obras públicas, especialmente, no Rio.

OPERAÇÃO MONTE CARLO

A Operação Monte Carlo, de fevereiro de 2012, prendeu Carlinhos Cachoeira sob a acusação de que ele comandava uma quadrilha que explorava o jogo ilegal em Goiás. Na Operação, foi apurado que vinha da Delta grande parte do dinheiro repassado às empresas fantasmas de Cachoeira. De acordo com o MPF, Cavendish mantinha contato frequente com o bicheiro para que ele opinasse sobre assuntos relativos à Delta.

Depois que a Operação Monte Carlo foi deflagrada e a CPI, instalada, Cavendish deixou o comando da Delta. A empresa pediu recuperação judicial depois do escândalo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

21 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

lenita

- 2016-07-01 00:47:21

E o JN

Que não assistia por um longo tempo, falou tudo o que quis, mas não tocou em nenhum momento no nome do Governador Perilo ou PSDB. Se bem me lembro a constutora Delta tb trabalhou em SP, ou estarei enganada.

Mas o que espanta mesmo, é o fato do Cachoeira estar solto, (seráque ele não continuaria a delinquir?), enquanto o José Dirceu mofa na cadeia ou então ele resolve aceitar a "grande história" s/ o Lula, contada pelo próprio Moro, e faz a delação.

( Visitante ) Nickname-Humberto

- 2016-06-30 23:30:01

A DELTA

o que fez a Delta em Ipojuca/Porto de Galinhas/N. Sra. do Ó - PE foi vergonhoso. Ipojuca é o 2º PIB deo estado de PE e engloba o Complexo Industrial e Portuário de Pernambuco. Quanto a Prefeitura (e seus 2 prefeitos que se rodiziam simulando rivalidades) é um caso à parte que a imprensa local não tem peito (ou "liberdade"...) de reportar. Recursos e mais recursos pra os poderes estabelecidos, fichas-sujas (Câmara de Vereadores inclusive). Sem falar (por receios de local violento ) pelo MP-PE local. Onde está o MPPE na Sede em Recife que não toma providências, sabendo de tudo ? ?. . .  (todo o mundo sabe). Estado e Munícipes de mãos dadas. Apoiados por eleitoreirismos pela oligarquia Campos e partidos afins, incluindo um de esquerda dito comunista.

evandro condé de lima

- 2016-06-30 20:17:22

Passos de tartaruga

Desde 2012, ou até antes, já se sabia do esquema. E hoje me estão prendendo ( o Cachoeira, tadinho, novamente ). Não deu tempo nem de arrumarem as gavetas.

GalileoGalilei

- 2016-06-30 18:37:07

Até pode querer

Daí ao seu depoimento vir ao caso, são outros quinhentos.

 

alfeu

- 2016-06-30 18:28:12

*

O Cachoeira tem algumas semelhanças com o Cunha, aliás nesse Brasil que sempre esteve refém dessa marginália, como não estar comprometido?

Podemos evocar o domínio de fato, e colocar no xadrez, não do Nassif, os já comentados anteriormente; Marconi Perillo, o "valentão" Caiado, um procurador, os "impolutos", como o Demostenes Torres e porque não, a turma da revista Veja, alimentada nas suas materias escandalosas pelo submundo do crime.

O nível é abissalmente baixo dessa gente, com a conivencia dos poderes e das instituições que se revelam estarem no mesmo patamar.

Jair Fonseca

- 2016-06-30 17:36:30

Será que Cachoeira vai

Será que Cachoeira vai delatar o "Caneta"?

Babi.

- 2016-06-30 16:16:39

Existe uma grande diferença

Existe uma grande diferença entre Paulo Bernardo e Cachoeira.

O primeiro foi preso preventivamente sem que existissem os requisitos legais para isso.

Carlinhos Cachoeira já foi condenado por vários crimes a mais de 40 anos de prisão e estava solto graças a um habeas corpus.

Navalha - Paulo Henrique Amorim

Será que a PF e o MPF sabem em que vespeiro se meteram?

Adir Assad é o doleiro do coração dos tucanos:

http://www.cartacapital.com.br/blogs/direto-de-sao-paulo/adir-assad-o-doleiro-das-obras-tucanas-9816.html

Já, já, isso tudo aí não vem ao caso!

Em tempo: a PF e o MPF poderiam esclarecer dúvida cruel da Cynara Menezes, no twitter: será que o ministro (sic) Gilmar (PSDB-MT) pegava carona no jatinho do Carlinhos?

Em tempo2: tampe o nariz, mas não deixe de ver o que o Demóstenes, o amigão do Gilmar, o outro lado da linha do grampo sem áudio, disse do Caiado: http://oglobo.globo.com/brasil/demostenes-diz-que-caiado-foi-financiado-por-carlinhos-cachoeira-15746390

PHA

 

GalileoGalilei

- 2016-06-30 15:12:22

Tropecei no teclado

Mas acho que dá para entender...

Com um pouquinho de boa vontade.

rsrs;-)

dudu cartucho

- 2016-06-30 14:31:45

é facil

Prender o empresário de jogos, mas cadê o braço dos empresários de mídia.

Paulo P Ribeiro

- 2016-06-30 14:29:45

Mais uma açao midiática da

Mais uma açao midiática da Polícia Federal...

Ontem, Pauilo Bernardo; hoje, Cachoeira. Quem será a próxima vítima?

GalileoGalilei

- 2016-06-30 14:16:05

Ué? Estava solto?

Quer dizer que então que o zoo-empresário Carlinhos Waterfall estava solto, assim como o seu grande amigo, o impoluto e honrado ex-senador, DEMóstenes?

Na certa a prisão de hoje foi um grande engano. Já, já, obtêm um HC. Se precisar até dois.

 

Alan Souza

- 2016-06-30 14:10:02

Os donos do poder

Caiado é legítimo representante daquilo que o Faoro chamou de "donos do poder", aquela oligarquia que entra governo e sai governo está por cima da carne-seca, sempre bem representada e aquinhoada pelo Estado.

Em 1891 o bisavô do FHC, Capitão Felicíssimo Cardoso, mandou um telegrama de Goiás a seu filho, Joaquim Inácio, participante do movimento de proclamação da República, com o seguinte texto: "vocês fizeram a República que não serviu pra nada. Aqui agora, como antes, continuam mandando os Caiado".

Alan Souza

- 2016-06-30 13:58:50

Será que agora chega no Perillo?

Será que dessa vez dá pra chegar no Perillo? Esse corsário travestido de autoridade é um dos maiores bastiões intocados dos Tucanos...

emerson57

- 2016-06-30 13:54:37

arrepio

Agora que os cabelos de um tal de Caiado se arrepiam de vez.

Arnaldo Costa

- 2016-06-30 13:12:32

Máfia demotucana continua impune

E nenhum político do partido do picareta Moro foi preso. Perseguem petistas, vasculham até a última geração de seus membros, buscam qualquer pretexto para incriminá-los, quebram sigilos e os prendem sem motivos; enquanto isso, os bandidões demotucanos, que assaltaram o país e criaram fortunas com o dinheiro público, continuam soltos, posando de moralistas e rindo da nossa cara. Um absurdo! Cadeia para a máfia demotucana, a começar por Aécio e Demóstenes! E que se investigue o operador Moro!

André Oliveira

- 2016-06-30 13:00:15

Cabral que se cuide. Ele está
Cabral que se cuide. Ele está no olho desse furacão.

Marcos Antônio

- 2016-06-30 12:46:02

Faxina nas Gavetas?

Se continuar esse sentimento de CORREÇÃO da PF E MPF chegaremos a Privataria Tucana, ao SIVAN (já que foram até o General Othom), a compra de votos para a reeleição e outras coisas...

 

Luiz Gonzaga da Silva

- 2016-06-30 12:20:15

"Cavendish mantinha contato

"Cavendish mantinha contato frequente com o bicheiro para que ele opinasse sobre assuntos relativos à Delta."

Não era só o dono da Delta que mantinha contato frequente e pedia opinião ao renomado bicheiro, não é "Caneta"?

antonio francisco

- 2016-06-30 12:12:52

Quem gostou muitíssimo foi o Garotinho

Li no blog do Garotinho:

http://www.blogdogarotinho.com.br/MostraFoto.aspx?nome=20160630_cavendishpf.jpg

Reprodução do G1

Chegou a hora da Gangue dos Guardanapos. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal amanheceram na casa de Fernando Cavendish, da Delta, que mora na praia do Leblon, mas ele não estava. Segundo informações Cavendish estaria no exterior. Foi constatado o desvio de R$ 370 milhões de verbas federais. O "laranjal" da Delta tantas vezes denunciado aqui no blog também está na mira da PF e do MPF. Carlinhos Cachoeira também foi preso em Goiânia. Rastreando o dinheiro da Delta e das empresas de fachada será inevitável chegar a Cabral e a Gangue dos Guardanapos. Finalmente chegou a hora de Cavendish, líder da gangue, patrocinador das farras de Cabral e secretários pela Europa, que é considerado foragido. 

alexis

- 2016-06-30 11:56:28

Cuidado com a mulher!!

No processo anterior, e que foi estranhamente interrompido, foi a mulher de Cachoeira que entrou em campo e ameaçou o Juiz com um dossiê....e foi absolvida!!. Isso mesmo! Vamos ver agora se ela entra em campo novamente, ou colocaram outro Juiz com menos "medo"....digamos assim.

Ricardo Cesar

- 2016-06-30 11:51:00

Qto temp demorará o hc do gd?

Qto temp demorará o hc do gd?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador