Ernesto Araújo critica medidas de contenção da pandemia na ONU

Chanceler emula Bolsonaro durante reunião do Conselho de Direitos Humanos, e diz que “não se pode aceitar um lockdown do espírito humano”

Jornal GGN – O chanceler Ernesto Araújo emulou o presidente Jair Bolsonaro e criticou a adoção das medidas adotadas para conter o avanço da pandemia, durante discurso para o Conselho de Direitos Humanos da ONU.

“As liberdades fundamentais são hoje ameaçadas por desafios crescentes, e a crise da Covid apenas contribuiu para exacerbar estas tendências. Sociedades inteiras estão se habituando à ideia de que é preciso sacrificar a liberdade em nome da saúde”, disse. “Não critico as medidas de lockdown e semelhantes, que tantos países aplicam, mas não se pode aceitar um lockdown do espírito humano, o qual depende da liberdade e dos direitos humanos para exercer-se em sua plenitude”, prosseguiu.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o discurso do chanceler ecoou falas anteriores de Bolsonaro, que frequentemente ironiza e critica as medidas de isolamento social adotadas para conter o avanço da covid-19.

Araújo também criticou o controle da circulação de informações nas redes sociais, uma medida que tem sido adotada por conta da disseminação de fake news e que teve como destaque recente o bloqueio do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, visto como aliado pelo governo bolsonarista, após divulgar informações falsas a respeito da eleição do país.

“O grande desafio de hoje é aquilo que chamo de tecnototalitarismo, o bloqueio de plataformas e sites até o controle de conteúdos e informações, das medidas judiciais e leis que criminalizam atividades online até o emprego abusivo ou equivocado de algoritmos. A maré crescente de controle da internet por diferentes atores, movidos por objetivos econômicos ou ideológicos, precisa ser detida”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora