ONU emite alerta para que brasileiros não se aglomerem na Páscoa

Organização reforça a necessidade do uso correto de máscara, a higienização das mãos com frequência e o distanciamento. “Quem puder deve ficar em casa. É o lugar mais seguro para evitar o contágio da doença”, reitera

Brasil vive o pior momento do surto do coronavírus desde o início, em março de 2020. A média diária de mortes está por volta de 3 mil. | Foto:MSF/Brasil

da Rede Brasil Atual

São Paulo – A Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou comunicado de alerta para a Páscoa, inclusive em relação ao feriado de hoje (2). A mensagem foi divulgada pelo Sistema ONU no Brasil para alertar a população e o poder público para evitar maior descontrole na transmissão da covid-19.

Além do feriado em si, que já provoca tradicionalmente deslocamentos, existe um receio especial sobre a Páscoa. É comum que muitas famílias se reúnam nesta data comemorativa cristã. Hoje, o Brasil vive o pior momento do surto do coronavírus desde o início, em março de 2020. A média diária de mortes está por volta de 3 mil e já são mais de 320 mil vidas ceifadas.

O maior descontrole em relação à disseminação do vírus começou justamente a partir do fim do ano, com a temporada de festas, viagens e aglomerações. Desde então, o país vive uma escalada com consequências trágicas. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), trata-se da “maior crise sanitária e hospitalar da história do Brasil”.

“As agências, fundos, programas e entidades das Nações Unidas no Brasil seguirão apoiando o país para que, com união e compromisso, possamos superar esta crise. Apelamos para que todas e todos se protejam neste momento em que precisamos interromper o crescimento do número de casos e de mortes. Ao cuidar de nós mesmos, estamos cuidando de todas e todos e contribuindo para diminuir a circulação do vírus”, afirma Marlova Jovchelovitch Noleto, coordenadora residente interina do Sistema ONU no Brasil.

Medidas protetivas

Além de não promover aglomerações típicas do período, a ONU pede para que os brasileiros estejam atentos a uma série de medidas protetivas. “Usar corretamente a máscara, higienizar frequentemente as mãos, manter a distância mínima de 2 metros de outras pessoas e privilegiar espaços abertos quando for preciso sair de casa são ações que estão ao alcance de todas e todos e podem salvar vidas. Além disso, quem puder deve ficar em casa. É o lugar mais seguro para evitar o contágio da doença”, afirma a entidade.

A entidade aproveita para enviar uma mensagem de alento, já que o mundo deve superar a pandemia de covid-19 com o avanço das políticas de vacinação. Na verdade, a ONU encoraja que, quando disponível, todos se vacinem. É a única maneira de deixar a covid-19 para trás. Até lá, ficam as medidas para frear o contágio. “Assim que a vacina estiver disponível para cada grupo prioritário, todas as pessoas devem se vacinar, seguindo as recomendações das autoridades locais de saúde. Até que haja vacinas para todas e todos, a redução do contágio deve ser nossa prioridade.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora