Pazuello diz que metade do Brasil será vacinado até julho

Jornal GGN – De saída do Ministério da Saúde, o general Eduardo Pazuello disse nesta quarta (17) que o Brasil terá metade da sua população vacinada até julho, e a outra metade, até dezembro de 2021. Pazuello esteve na fábrica da Fiocruz, que entregou na manhã de hoje o primeiro lote da vacina de Oxford/Astrazeneca, com 500 mil doses. Até o final desta semana, outras 580 mil doses serão repassadas ao Plano Nacional de Imunização.

Durante a entrega das doses, Pazuello tentou justificar o recorde de mortes por Covid-19 no Brasil e apontou a vacinação como a melhor saída para a crise.

“Vamos controlar essa pandemia ainda no segundo semestre. Essa é a nossa missão”, disse. “Estávamos apenas com uma produção nacional, no Butantan, e estamos iniciando hoje na Fiocruz para que chegue até o final de março com 3,8 milhões de doses e, a partir de 1º de abril, uma produção diária de até 1 milhão de doses”, comentou.

Pazuello elogiou o trabalho da Fiocruz e disse que, “com certeza, a gente vai ter capacidade de vacinar nosso País, junto com outras fábricas, como a do Butantan. Nós precisamos fabricar vacina para o Brasil e a América do Sul, no mínimo. Para nossa segurança, a gente tem que vacinar o País e ter o entorno vacinado.”

“O momento é bom com relação à capacidade de combater a pandemia. (…) Nós vamos controlar a pandemia com vacinação e novos hábitos: usar máscara, lavar as mãos, manter um grau de distanciamento social. É necessário compreender isso. O doutor Queiroga [Marcelo Queiroga, novo ministro da Saúde] diz, e eu vou repetir palavras dele: começa na conscientização de cada um, e não apenas na imposição de um gestor. Cada brasileiro tem que se conscientizar do seu papel.”

Segundo Pazuello, a data de transmissão do cargo para Queiroga ainda não está definida.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora