Alerta de atentado à soberania nacional

Enviado por Luiz Alberto Moniz Bandeira*

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos pretende fiscalizar todas as atividades da Odebrecht, durante três anos, o que significa espionar os segredos de defesa nacional do Brasil, uma vez que a empresa não apenas está a construir o submarino nuclear e outros convencionais, com tecnologia francesa, o que certamente o governo de Paris não vai aceitar, como também diversos outros projetos militares.

As Forças Armadas brasileiras não podem permitir tal intrusão. É um atentado contra a soberania nacional, já aviltada por Janot, Moro e outros membros do Judiciária, trabalhando abertamente com os Estados Unidos para arrebentar a economia nacional. Têm de intervir para salvar a nação, indefesa e à beira do caos.

Com forte abraço e feliz noite de Natal, nesse ano de Herodes, como disse Leonardo Boff.

Moniz

* Professor universitário, cientista político, historiador brasileiro, indicado ao Prêmio Nobel em 2015 e autor de “A Desordem Mundial. O Espectro da Total Dominação”, ed. Civilização.

24 comentários

  1. ODT acabou, já era, FOI

         Do portfólio original da ODT irá “sobrar” , por enquanto, a Itaguai Construções Navais, a joint venture entre a Odebrecht e os franceses estatais da DCNS, porque trata-se de um contrato “governo-governo”, com multas elevadissimas, e é possivel que caso a Odebrecht “abra o bico”, altere-se a lei 12598 para permitir que os franceses da DCNS/Thales aumentem a participação no negócio, e com os franceses já “enrolados” nos contratos Scorpene India, vão fazer o possivel e o impossivel para manter este “BR” *

          Quanto ao restante, a Mectron é a “jóia da coroa” ODT, com contratos importantes e parcerias externas valorizadas, tanto com suecos, sul-africanos, europeus, paquistaneses e israelenses, há meses esperamos negocia-la no todo ou “fatiada”, está altamente endividada, só para a Denel/SAAB Dynamics/BAE sul africanas ( programa Darter ) o buraco é de mais de US$ 4 Milhões.

           Já os outras parcerias negociadas pela ODT nos “bons tempos”, as com os russos ( helicopteros e o Pantsyr ), não evoluiram alem dos MOU ( Memorandos de Entendimento ), estacionaram na Dilma, “faleceram” com Temer.

           Quanto aos “americanos” :  Com relação aos produtos da Mectron ( MAA1B , A – Darter, MAR-1, MSS 1.2 ) eles já os conhecem em tudo e mais um pouco, até peças forneceram a estes sistemas, diretamente ou através de subsidiárias como a BAE ( o sistema inercial do A-Darter e “buscador ultravioleta” ).

            E sem querer ser chato : Para certo importante ex-ministro petista,é muito aconselhavel que a ODT desapareça sem alarde, porque muitas vezes um ditado popular é valido : ” Parente é serpente”.

            

  2. Lei 12598/12 e Decretos 7970 e 8122 de 2013

         Não nos preocupa esta “investigação”, pois quem conhece este ramo sabe, tem plena consciência que se qualquer potencia decidir que irá levantar todos os aspectos de sua industria de defesa, ela irá conseguir até sem muito esforço.

          Na realidade, no mundo ocidental, as holdings de defesa & segurança são transnacionais, politicamnte controladas pelas potencias dominantes, no caso Estados Unidos, Europa e Israel ( associados aos americanos, as vezes ), e declararam que na América do Sul,  seu ponto central para ação  regional é o Brasil, e pouco importam-se com “crises” localizadas, jogam para o futuro, crises para estes conglomerados são oportunidades ( é batido, mas é real ).

          A “oportunidade” a eles atualmente apresentada, será uma ofensiva no Congresso ( lobby será forte ), visando alterar esta lei acima, e principalmente os decretos a ela “pendurados”, e como disse um amigo : ” A soberania de uma Nação, não é exercida por estrangeiros “.

    • Ninguém aqui entende o que
      Ninguém aqui entende o que você escreve. Ninguém aqui conhece essas siglas nem o que elas significam. Seria muito bom você participar do forum, mas atualmente você está falando sozinho.

    • lei…

      Somente o fato de criminalizar marcas, empresas brasileiras ao invés de individualizar as responsabilidades já demonstra os reais objetivos e interesses. Mas a culpa é somente nossa. Um país que não sabe para onde quer ir. Mais 30 anos e novamente o “cachorro atrás do rabo”. Dozinho de novo se perde. Base russa na Venezuela, Processo de paz na Colombia, Malvinas sem solução. A maior potência da região numa limitação estratégica inacreditável. Anão Diplomático. O Brasil se explica. Culpar a quem? 

  3. O fato de o acordo com a

    O fato de o acordo com a Odebrecht ter sido anunciado pelo Departamento de Justiça americano e não pelo Ministério Público brasileiro demonstra que as investigações da Lava Jato sempre foram conduzidas pelos Estados Unidos, sendo os brasileiros meros coadjuvantes, aliás, como literalmente declarado: “A mensagem deste processo é que os EUA, trabalhando em conjunto com seus parceiros estrangeiros, não hesitará em responsabilizar corporações e indivíduos que buscam enriquecer corrompendo as funções legítimas do governo, independente da sofisticação do esquema”.

    • Estamos fora das suas vistas, não do seu alcance

      O Caetano Veloso diria: O seu olho me olha mas não me pode alcançar.

      Os Parasitas Gringos dizem: Vocês estão fora das nossas vistas, não do nosso alcance.

      Mas os Paraistas gringos estão blefando: estamos dentro não só do seu alcance mas também do seu campo de visão. Ou alguém esqueceu que o Obama sabia até a cor da calcinha que a Dilma usava?

    • O acordo da Odebrecht com os EUA e as reservas de petróleo

      “Com todo respeito, mas essa linha de indagação, a relevância disso me escapa completamente, salvo aquela, talvez, tese de que isso é um plano para colher aqui as reservas de Petróleo do Brasil ou coisa parecida”. – Sérgio Moro

      Quando a traíragem começou a vir à tona, o Sérgio Moro botou sua barba de molho, tentando tirar o seu rabinho da reta.

  4. As FFAA estão empenhadas em combater o inimigo interno

    As FFAA abriram as pernas para o inimigo externo ao se empenharem, de corpo e alma, no combate ao inimigo interno.

  5. As FFAA não querem se indispor com o amigo externo

    O problema não é o amigo externo, mas o inimigo interno. A solução é não contrariar o amigo externo e combater ferozmente o inimigo interno, a fim de que o inimigo interno não conrarie os desejos, conveniências e interesses do amigo externo.

  6. O Brasil, susposta terra de

    O Brasil, susposta terra de malandros, virou o otário do mundo. Essa frase foi dita com essas palavras pelo grande brasileiro , pai do pré-sal, Guilherme Estrela numa palestra que deu aqui no Rio outro dia.

    PS: Consta que a Islândia vai fazer uma proposta de escambo para o Brasil. Em troca de uma lasca do pré-sal, instalará aqui fábricas de ventiladores finlandesas. É uma área que eles dominam bme, como se sabe

  7. Valentia só contra Professores e outros pobres trabalhadores

    Esse assunto, Soberania Nacional, me traz à lembrança trecho de livro, que vai abaixo descrito. 

    DO LIVRO “AFUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO”, de Roméro Costa Machado, trabalhou 10 anos na Rede Globo (auditor)- pág.  128.

     … O próprio país era regido pela “A Revolução dos Bichos”. Todos eram iguais perante a lei, só que uns eram mais iguais do que os outros. Kafka era “processado” todos os dias. O banditismo elitizado campeava. Eu tinha nojo de viver em que republiqueta terceiro-mundista. O Brasil sempre foi um país de cagões. Deixamos de ser Estados Unidos do Brasil para ser Republiqueta Federativa do Brasil por imposição dos Estados Unidos da América do Norte. Vi o nosso Presidente, humilhado, representante máximo de todo o povo brasileiro, que há muito posava de machão, que prendia, torturava, batia e arrebentava, fazer uma das mais patéticas declarações e confessar: “não posse mexer na lei de remessa de lucros, senão a CIA me derruba no dia seguinte”. Eu ficava espantado e tinha vergonha de viver num país com gente assim….

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome