Joaquim de Carvalho: Repórter de El País dá credibilidade às denúncias de Tacla Duran

 
Por Joaquim de Carvalho
 
No Diário do Centro do Mundo
 
Jornal espanhol segue pista do doleiro que denunciou amigo de Moro e comprova corrupção no Panamá
 
Jornal espanhol segue pista do doleiro que denunciou amigo de Moro e comprova corrupção no Panamá
 
O jornal El País foi atrás de uma pista dada por Rodrigo Tacla Durán sobre corrupção no Panamá e comprovou que a dica era quente.
 
Em reportagem publicada nesta quinta-feira, 7 de setembro, pelos repórteres Jose María Irujo e Joaquín Gil, a Odebrecht abriu conta no Banco Privada de Andorra, paraíso fiscal da Europa, em nome dos pais de um dos homens fortes do ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli, que governou o país entre 2009 e 2014.
 
Os repórteres publicam um documento interno do banco, em que é registrada a informação de que foi o grupo Odebrecht que apresentou os clientes.
 
Segundo o jornal, os pais do ex-ministro panamenho receberam depósitos de 10 milhões de dólares, o equivalente a 32 milhões de reais. O ex-ministro panamenho foi confrontado com a informação e confirmou a existência da conta, mas disse que era fruto de negócios lícitos.
 
Para os brasileiros, a reportagem tem importância não apenas porque envolve o nome da Odebrecht, mas principalmente porque reforça a credibilidade das denúncias de Rodrigo Tacla Durán.
 
Continue lendo aqui.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PauloBR

- 2017-09-08 14:45:56

Dura..

Duran lex sed lex: o Morinho, só carex.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador