Canto indígena emociona em velório de Bruno Pereira. Assista

Homenagem do povo Xukuru a indigenista morto no Amazonas emocionou familiares e amigos na cidade de Paulista, em Pernambuco

Foto: Reprodução Redes Sociais

O indigenista Bruno Pereira foi velado nesta sexta-feira (24/06) na cidade de Paulista, região metropolitana de Recife, em cerimônia marcada pela homenagem do povo Xukuru.

Entoando cantos de despedida, representantes da tribo vieram da cidade de Pesqueira para homenagear Bruno, considerado o maior indigenista de sua geração, emocionando familiares e amigos presentes.

O Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato (OPI), organização idealizada e integrada por Bruno, também realizou uma cerimônia ecumênica na Universidade de Brasília.

“Bruno era grande e forte de corpo e de alma, sua voz era firme para estar junto na defesa da terra e suave para encantar-se com a beleza dos povos da floresta”, diz nota oficial da entidade, que considerava Bruno um “irmão mais velho”.

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

“Nossa ternura é limpa e abraça a Bia, aos filhos de Bruno, a toda a sua família, a aldeia infinita dos seus amigos espalhados pelo mundo. De nossa parte, continuaremos a luta, estamos em guerra, não vamos parar! Onde cai um, surgirão muitos outros, tenham certeza, “simbora”, como diria Bruno. Não vamos esquecer quem verdadeiramente matou nosso irmão mais velho, jamais!”, ressalta a organização.

Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips foram assassinados no último dia 05 durante viagem ao Vale do Javari, no extremo oeste do Amazonas.

Considerada a segunda maior terra indígena do Brasil, a região tem sido alvo de sucessivas ações de invasores em torno da pesca e da caça ilegal. Até o momento, quatro pessoas foram detidas por envolvimento no crime.

Veja abaixo vídeos da homenagem do povo Xukuru a Bruno Pereira durante seu velório, na cidade de Paulista.

Leia Também

Beto Marubo relata medo, ameaças à própria vida e abandono no Vale do Javari

Organizações denunciam Bolsonaro na ONU em meio à morte de Dom e Bruno

The Guardian vê “digitais de Bolsonaro” no assassinato de Bruno e Dom

Dossiê lembra que Incra está nas mãos de aliado de Bolsonaro

Policiais e militares comandam maior parte das coordenações da Funai

Atos pedem justiça por Dom, Bruno e Maxciel

Bruno e Dom: o retrato de uma política em que a vida é mercadoria, por Tânia Maria de Oliveira 

Assassinato de Bruno e Dom é atentado contra a democracia, por Wilson Rocha Fernandes Assis

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador