Presidente do TRF-4 tenta justificar ligação que barrou soltura de Lula


Foto: Charles Damasceno/Secom/PGR
 
Jornal GGN – Após a declaração do diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, de que recebeu ligações do presidente do TRF-4, Thompson Flores, e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pedindo para não soltar Lula, o desembargador emitiu nota tentando se justificar e o PT informou que irá pedir apurações sobre o comportamento da PGR.
 
O episódio que dominou as manchetes deste domingo foi divulgado pelo Estadão, que publicou entrevista de Galloro narrando os telefonemas dos dois, barrando que a PF libertasse Lula durante o Habeas Corpus concedido pelo plantonista Rogério Favreto.
 
Nesta segunda (13), Thompson Flores soltou uma nota admitindo que telefonou para o diretor-geral da PF, mas tentando justificar que não haveria irregularidades em tal postura, uma vez que imediatamente depois ele publicaria a decisão que barrou o despacho do plantonista.
 
E disse que a comunicação com a PF não foi uma “ordem” dada por telefone:
 
“Sobre a entrevista dada ao jornal O Estado de São Paulo pelo diretor-geral da Policia Federal, publicada no dia 12 de agosto, domingo, o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador federal Thompson Flores, esclarece que, por ocasião da análise do Conflito Positivo de Jurisdição nº 5025635-16.2018.4.04.0000, proposto pelo Ministério Público Federal (MPF) em regime de plantão no dia 8 de julho, informou à autoridade competente que despacharia nos minutos subsequentes, sem, em momento algum, dar alguma ordem por telefone”, diz a nota.
 
“A atuação do presidente do TRF4 nos autos do Conflito Positivo de Jurisdição observou o sistema legal pátrio, bem como o direito constitucional do devido processo legal”, acrescentou a publicação dada pelo TRF-4 nesta segunda.
 
E sobre a afirmação de Galloro contra a PGR Raquel Dodge, que também telefonou para o diretor-geral da PF barrando-o de soltar Lula, o PT já informou que tomará providências. A presidente nacional do partido, a senadora Gleisi Hoffmann, disse nesta segunda que irá solicitar uma apuração do Senado.
 
Segundo ela, a PGR deve explicar sua atuação no episódio que contrariou a decisão de um desembargador plantonista, durante o recesso do Judiciário, que concedeu o Habeas Corpus para a soltura de Lula. 
 
“Raquel Dodge tem explicações a dar ao Senado da República. Qual a justificativa para ligar na PF do Paraná determinando não cumprir ordem judicial, ignorando caminho processual. Espero que o Senado aprove a convocação que iremos apresentar e a investigação sobre seu abuso de autoridade”, disse Gleisi, no Twitter.
 

28 comentários

  1. Foram

    pego com a boca na butija, né criminosos togados? Não importa, criminosos togados, vocês podem até ganhar a partida, mas perderam a guerra para a História. Sempre serão lembrados pelo que realmente são: golpistas, crimonsos-togados.

    • Esta gente está pouco se
      Esta gente está pouco se lixando para o julgamento da história porque já estão com o futuro garantido graças a tudo que já possuem.

  2. É preciso frisar a citação
    É preciso frisar a citação atribuída a Thompsom pelo DG da PF na entrevista ao Estadão: “Eu estou determinando, não soltem”.
    A entrevista contém detalhes inclusive relacionados a ordem cronológica dos fatos e o tempo de cada telefonema. Faz referência, inclusive, à exigência de Favreto quanto ao prazo de uma hora para soltura de Lula.
    O relato sugere muita firmeza do delegado, como se pudesse comprovar suas afirmações.

    • Se quiserem investigar, muito há para ser descoberto.

      Se neste País houvesse Estado de Direito Democrático e respeito às leis, uma primeira providência seria, em reunião plenária, o STF determinar a quebra dos sigilos telemático e telfônico dos desembargadores João Pedro Gebran Neto e Carlos Thompson Flores Lenz, assim como do  juiz de piso, Sérgio Moro, da PGR, Raquel Dodge, da ministra -presidente do STJ, Laurita Vaz, do ministro da segurança pública, Raul Jungmann, bem como dos delegados da PF que estavam de plantão naquele dia 8 e julho e que aceitaram contra-ordens ilegais para descumprir a ordem legal e legítima do Desembargador Rogério Favretto, que concedeu Habeas Corpus e expediu Alvará d eSoltura em benefício do Ex-Presidente Lula. 

      Basta, então, observar a ordem cronológica com que os agentes do sistema judiciário cometeram as ilegalidades e crimes, para entã puni-los na forma da Lei.

  3. Impressionante a cara-de-pau

    Impressionante a cara-de-pau dos capa-preta. Usam o poder que o Estado lhes confere para promover a barbárie  jurídica contra Lula, embalados pela certeza da impunidade. 

    Riem  à beça, bons penteados, bons punhos…Não precisam nem disfarçar. ..

    Mas esquecem que a roda  viva da História  não para de girar…e  os vencidos de hoje, de um jeito ou de outro, amanhã   darão as cartas !

  4. Esses que agiram contra as

    Esses que agiram contra as leis envergonham o nosso país. Quanto ódio em querer condenar sem provas um homem que o mundo e o Brasil respeita. Até quando o povo vai aceitar a continuar a ser humilhado por essa gente?

  5. Follow the money

    Como disse há pouco o Stanley Burburinho no Twitter, tem alguém muito poderoso por trás para esse povo fazer o que vem fazendo sem se preocupar.

    • Penso estar MUITO CLARO que o

      Penso estar MUITO CLARO que o golpe de 2016 foi dado com o aval das forças armadas antinacionais que o Brasil possui.

      Então, tem certeza da impunidade e acham que não correm nenhum risco de “sumir” porque acreditam que contam com a retaguarda das forças armadas golpistas desde sempre.

      Não haverá saída pac[ífica para a destruição que estão promovendo no país.

      Já passa da hora de reagir e desaparecer com algumas centenas de golpistas.

  6. OS MANOS CARA DE PAU

    Eles são muito cara de pau. A confusão foi feita. Se não quisessem que seus nomes fossem colocados da maneira como foi colocado em manchetes deveriam ter se manifestando antes, explicando porque tomaram tal atitude antes de serem denunciados. Se Gebran e outros não quisesse ter o seu nome escrachado em redes sociais deveria ter ficado na dele no dia em que Favreto deu o HC e ter resolvido  depois. Mas isso não fica por ai, ainda tem Laurita Vaz para ser questionada, pois a mesma estava fazendo parte da mesma turma suja que atacou obtusamente o desembargador Favreto. Agora não adianta chorar sobre o leite derramado. Nada do que a quadrilha de togados fez (Thompson, Gebran, Moro e Raquel Dodge) tem perdão e explicação que convença  as suas más suas atitudes.

  7. A certeza da impunidade e dos pre-julgamentos êh tanta que…

    A Raquelonaemite contra-ordem para nao soltar o Lula pois VAI DESPACHAR em sentido contrario e a Pru cu dadora faz o mesmo, alegando que esta acionando a justica nao para ver se o Lula continua preso mas porque ele vai continuar preso

  8. veja bem,

    o desembargador ligou para comentar o resultado do futebol, e casualmente externar sua opinião sobre o dano maior que seria soltar lula. e pediu um tempinho para preparar um bem bolado. que nunca daria a ordem por escrito. não é louco para tanto.

  9. Malhar em Ferro Frio

    Nassif: a ingenuidade de PT às vezes me assusta. Vai dar no quê essa de apuração e pretenso processo para cima do tal de Flores (que não se cheira), ou mesmo da dona “Charge” do Jaburu? Os caras tão blindados por todos os lados. No Conselho_Nacional_de_inJustiça a questão não se resolve antes de 2030, tempo final da Bula condenatória editada pelo Verdugo dos Pinhais contra o MelianteOperárioNordestino. No Çupremo ou no Çupreminho o treco vai ficar enrustido até a prescrição.

    É fato notório que 90% das togas do sul estão comprometidas com os do golpe. Na Corte de Suplicação dos Pampas, tirando um ou outro que já estão devidamente “anulados” para a vida judiciária, os demais tão atolado até o pescoço nessa merda política-partidária. Dizem que pretendem repetir a Guerra do Charque. Os “coloreds” que se guardem. Já foram moeda de barganha. E certos ciclos históricos são repetitivos. Por isto, dizem os entendidos e repetem:

    Vai dar no quê?

    • brigar por punição é o que menos importa…

      porque se existem e se comportam à vontade, são livres de punições

      ainda mais com porta-vozes de foras da lei graúdos, nacionais e não regionais

      e como faltou gente aí, repito, o mais importante para a Democracia é se esforçar para que todos fiquem conhecidos

  10. Jateiros Jaboticabaços

    Em regra, os atos processuais são realizados em dias úteis. Durante as férias forenses e nos feriados não se praticarão atos processuais, exceto citações, intimações, penhoras e tutela de urgência. Além dos declarados em lei, são feriados, para efeito forense, os sábados, os domingos e os dias em que não haja expediente forense. Portanto, o Desembargador Gebran não tinha competência para suscitar conflito de competência num feriado forense para o qual ele não foi designado plantonista.

    Ainda que o Gebran tivesse essa competência para suscitar conflito de cometência em feriado para o qual não foi designado plantonista, não existe plantão judiciário para Presidência de Tribunal.

    Finalmente, ainda que houvesse plantão judiciário para a presidência do TRF-4, plantões existem para atender às demandas de pacientes, atuais ou iminentes, não demandas de agentes. Erraram Dodge, Thompson, Gebran, Moro e o agente de polícia que não cumpriu a ordem de soltura do Lula.

  11. O Fraveto concedeu o HC na

    O Fraveto concedeu o HC na parte da manhã.Caramba, o tal de flores foi rápidinho mesmo, o despacho chegou sómente à noite. Quem vai acreditar nessa estória????

     

  12. Que é a autoridade coatora da prisão ilegal do Lula?

    Plantonista pode, ou não, mudar decisão de colegiado?

    O critério definidor da competência do magistrado de plantão é a urgência da matéria a ser examinada, não decisão colegiada. Portanto, se fato novo justificar a tutela de urgência, o Plantonista pode mudar decisão de colegiado. Ademais, a autoridade coatora da prisão ilegal do Lula não era a 8ª Turma o TRF-4, era o juiz da execução penal, que está submetida à competência jurisdicional do TRF-4.

    Desceram rebolando na boquinha da garrafa: Bailarino e Cafetão $érgio Moro, o Gebran, o Thompson e a Raquelona Dodge Temerária.

  13. Legalidade

    O sujeito está falando para a sua turma, negando um crime mas confessando outro, com a maior naturalidade. Com efeito, legalmente, ele não tinha nenhuma competência para anular a decisão do desembargador de plantão. Logo, ao se intrometer, cometeu um crime. Ele, Moro, Gebran, Dodge, o pessoal do MPF e  o da PF envolvidos.

  14. Justificar por que e para

    Justificar por que e para quê? Para quem? Ele não tem a menor necessidade de fazer isso. O momento que vivemos permite que ele não precise dar satisfações a ninguém.

  15. A 1ª regra do Estado de

    A 1ª regra do Estado de Direito é que um juiz acusado de cometer crimes não pode julgar sua própria conduta. Somente os justiceiros e os mafiosos recalcitrantes acreditam que podem fazer isso. A bandidagem no TRF-4 deve ser reprimida com rigor. 

  16. formação de quadrilha.. e

    formação de quadrilha.. e mais uma centena de crimes que somados devem dar uma pena de uns 600 anos de cadeia, de preferência junto com os manos..

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome