Trivial de Wilson das Neves

No final dos anos 60 lançou alguns LPs como instrumentista, e acompanhou diversos artistas como Elza Soares, João Donato, Nara Leão, Cartola, Clara Nunes, entre outros.

Do Blog Samba Cidade:

Carioca, de 14 de Junho de 1936, o instrumentista, cantor e compositor foi iniciado na música aos 14 anos de idade, pelo percussionista Edgar Nunes Rocca, “O Bituca”. Aos 21, descobriu o instrumento que o consagraria, a bateria, onde tocou no Conjunto Ubirajara Silva, a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o Conjunto Ed Lincoln e as orquestras da TV Globo e TV Excelsior.
No final dos anos 60 lançou alguns LPs como instrumentista, e acompanhou diversos artistas como Elza Soares, João Donato, Nara Leão, Cartola, Clara Nunes, entre outros. Basta ir na contracapa de um ou outro LP de samba e ver que lá estava, nas gravações, o baterista Wilson das Neves.
Em 1976 lançou pela Underground/Copacabana O Som Quente é o das Neves (não confundir com disco de mesmo nome, porém, sem o artigo definido masculino, de 1969). A partir daí Wilson das Neves dedicou-se quase que exclusivamente aos shows e gravações com artistas do primeiro time e à noite, deixando de lado a carreira solo, que só seria retomada para valer nos anos 90.
Em 1995 lançou o LP com composições com PC Pinheiro (e uma faixa com Chico Buarque), O Som Sagrado de Wilson das Neves, o disco lhe valeu um prêmio Sharp de música, e apresentou a todos um excelente compositor e cantor.
Em 2004 apresentou o “Brasão de Orfeu”, no qual reeditou a parceria com PC Pinheiro e cantou com parcerias. e agora com 64 anos, está em plena forma e dá lição de suingue no CD Pra Gente Fazer Mais Um Samba, no qual reúne um grupo de instrumentistas de primeira linha para dar sequência à sua tardia, porém brilhante, carreira de cantor.
Agora deu prá fazer filme – participou do filme sobre Noel Rosa -, shows e aparecer em São Paulo, e por isto torna-se imperdível.Que me perdoem pelo comentário lugar comum, mas o Wilson das Neves é o cara!

Leia também:  Como começou o apito na Escola de Samba.

http://sambacidade.blogspot.com/2011/05/personagem-do-mes-wilson-das-neves.html

Wilson das Neves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Wilson das Neves (Rio de Janeiro14 de Junho de 1936) é um baterista, cantor e compositor brasileiro.

Estudou música com Joaquim Naegle e logo depois com Darci Barbosa. Aos 14 anos, através do ritmista Edgar Nunes Rocca, o “Bituca”, tocou na Escola Flor do Ritmo, no bairro do Méier. Anos mais tarde, deu começo à sua carreira de baterista na orquestra de Permínio Gonçalves.

Entre 1957 e 1968, Wilson das Neves acompanhou a pianista Carolina Cardoso de Menezes, foi membro do Conjunto de Ubirajara Silva, estreou como músico de estúdio na Copacabana Discos, se integrou em conjuntos como o de Steve Bernard e o de Ed Lincoln. Tocou com o flautista Copinha, com o pianista Eumir Deodato no conjunto “Os Catedráticos”, e com Eumir e Durval Ferreira, no grupo “Os Gatos”. Fez parte da orquestra de Astor Silva, da orquestra da TV Globo e da orquestra da TV Tupi de São Paulo, liderada pelo maestro Cipó. Além disso, gravou com Elza Soares, o disco “Elza Soares – Baterista:Wilson das Neves” e formou seu conjunto, registrando o LP: “Juventude 2000”.

Em 1969 gravou pela Polydor seu segundo disco “Som Quente é o das Neves”, e no ano seguinte, o LP “Samba Tropi – Até aí morreu Neves”, desta vez pelo selo Elenco/Philips. Estes dois trabalhos tiveram arranjos de Erlon Chaves. Desse período até 1973, acompanhou artistas como Elis Regina, Egberto Gismonti, Wilson Simonal, Elizeth Cardoso, Roberto Carlos, Francis Hime, Taiguara e Sérgio Sampaio.

Em 1975, participou da gravação dos discos “Lugar Comum”, do músico João Donato; e “Meu Primeiro Amor”, da cantora Nara Leão; no ano seguinte, tocou timbales no clássico “África Brasil“, de Jorge Ben.

Tempos depois fez o terceiro disco com o seu conjunto, o LP “O Som Quente é o das Neves”. Nesse trabalho, lançado pela gravadora Underground/Copacabana, Wilson das Neves estreou como cantor e compositor. Os arranjos foram feitos por João Donato e pelo tecladista Sérgio Carvalho.

Acompanhou artistas internacionais como Toots Thielemans, Michel Legrand e Sarah Vaughan.

Figura presente no samba, o baterista tocou ao lado de grandes nomes do gênero como João Nogueira, Beth Carvalho, Cartola, Nelson Cavaquinho, Clara Nunes, Roberto Ribeiro, Martinho da Vila e muitos outros.

Leia também:  Milton Nascimento, o culto do mistério e o show inesquecível da despedida, por Luis Nassif

Como compositor, é parceiro de Aldir Blanc, Paulo Cesar Pinheiro, Nei Lopes, Ivor Lancellotti, Claudio Jorge, Moacyr Luz e Chico Buarque, com quem toca desde 1982.

Gravou em 1996, o disco “O Som Sagrado de Wilson das Neves”, lançado pela CID. Cinco anos depois, participou do CD “O Quintal do Pagodinho”, idealizado por Zeca Pagodinho e produzido por Rildo Hora. O último trabalho solo foi no disco “Brasão de Orfeu”, de 2004.

Em mais de cinquenta anos de carreira, Wilson das Neves acompanhou Carlos Lyra, Ney Matogrosso, João Bosco, Maria Bethânia, Gal Costa, Emílio Santiago, Nelson Gonçalves, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Alcione, Tom Jobim, Miucha, entre vários artistas da MPB.

Discografia

  • Elza Soares – Baterista: Wilson das Neves (1968 – Odeon)
  • Juventude 2000 – Wilson das Neves e seu Conjunto (1968 – Parlophone/Odeon)
  • Som Quente é o das Neves – Wilson das Neves e seu Conjunto (1969 – Polydor)
  • Samba Tropi – Até aí morreu Neves – Wilson das Neves e seu Conjunto (1970 – Elenco/Philips)
  • O Som Quente É O Das Neves – Wilson das Neves E Seu Conjunto (1976 – Underground/Copacabana)
  • O Som Sagrado de Wilson das Neves (1996 – CID)
  • Brasão de Orfeu (2004 – Acari Discos/Biscoito Fino)
  • Pra Gente Fazer Mais Um Samba (2010 – MP,B/Universal Music)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Wilson_das_Neves

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  É tarde eu já vou indo, preciso ir embora... e lá se vai Luiz Vieira

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome