Auditora que denunciou compra de livros sem licitação é presa no RN

A família afirma ser uma represália às denúncias que a auditora fez contra o juiz Jarbas Bezerra pela compra de R$ 4 milhões em livros sem licitação

Juiz e empresário Jarbas Bezerra, envolvido na denúncia da auditora - Foto: Reprodução

Jornal GGN – A auditora fiscal do Rio Grande do Norte Alyne Bautista foi presa pela Delegacia de Combate à Corrupção do Estado na manhã desta quarta-feira (14), no que a família afirma ser uma represália às denúncias que a auditora fez contra o juiz Jarbas Bezerra pela compra de R$ 4 milhões em livros sem licitação, efetuada pela secretaria de Educação do Estado.

Segundo a agência de notícias Saiba Mais, Alyne e o marido foram acordados por policiais armados, que cumpriram um mandado de busca e apreensão, e solicitaram que a auditora os acompanhasse até a delegacia – o que não ocorreu, uma vez que Alyne é diabética e faz parte do grupo de risco para covid-19.

Foi quando a chefe da operação anunciou a existência de um mandado de prisão contra a auditora, que foi encaminhada para o CDP (Centro de Detenção Provisória) de Parnamirim, onde está em uma cela coletiva com pessoas que não passaram por qualquer tipo de quarentena.

Corrupção envolvendo governo estadual

Em linhas gerais, a auditora fiscal denunciou o governo estadual sobre a compra de livros de cidadania produzidos pela empresa do juiz Jarbas Bezerra, da 16ª Vara Criminal de Natal, e que chegou a ocupar a presidência do Programa Brasileiro de Educação e Cidadania (Probec) durante a gestão de Robinson Faria (PSD), órgão da secretaria estadual de Educação responsável por promover a cidadania entre jovens.

O governo potiguar teria pagado R$ 4 milhões em livros produzidos pela empresa de Bezerra, quando a pasta possuía aproximadamente seis mil livros atuais sobre o mesmo tema doados pelo governo do Ceará, que nunca foram distribuídos.

As compras ocorreram em duas ocasiões, sendo duas durante o governo de Robinson Faria, uma via Secretaria de Educação e outra pela Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania). Uma última aquisição teria sido feita na gestão de Fátima Bezerra (PT), também via Secretaria de Educação.

Bezerra teria passado a denunciar Alyne após o registro das denúncias: ao todo, foram cinco denúncias contra a auditora desde 2019 e o marido da auditora, Wilson Azevedo, acusa Jarbas de usar o poder judiciário e a polícia para intimidar e coagir a esposa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora