Bolsonaro corta verba de creches, escolas integrais e alfabetização

Não havia por que suspender ou reduzir a verba já que o PDDE "não está incluído nas rubricas do orçamento que compõem o contingenciamento" da Educação, que beira os R$ 6 bilhões.

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Durante os 6 primeiros meses de governo, Jair Bolsonaro suspendeu ou reduziu o repasse de dinheiro para programas do ensino básico.

Foram afetados, de acordo com a Folha de S. Paulo, a construção de creches, alfabetização, ensino técnico e as escolas em tempo integral nos ensinos fundamental e médio.

Só neste último quesito, foram mais de 9 mil escolas prejudicadas com a falta de R$ 399 milhões.

O governo federal costumava fomentar essas ações por meio do PDDE (Programa Dinheiro Direto para Escola). E não havia porque suspender ou reduzir a verba porque o PDDE “não está incluído nas rubricas do orçamento que compõem o contingenciamento” da Educação, que beira os R$ 6 bilhões.

Antes de Bolsonaro ser eleito, o plano era de ter ao menos 25% dos alunos brasileiros em escolas de tempo integral até 2024. No passado, o índice ficou em 15%. Agora, há escolas encerrando o programa por falta de verba.

Ainda de acordo com a Folha, “não houve ainda repasses de modalidades específicas do PDDE a obras de acessibilidade, fornecimento de água, instalação de internet e apoio a escolas rurais. Em 2018, o gasto federal nessas ações somaram R$ 129,4 milhões.”

“O MEC só executou até agora a modalidade básica do PDDE, previsto para pequenas obras e compras. Esses repasses somam R$ 343 milhões, 18% do previsto para todo o programa no ano.”

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

José Carlos lima

- 2019-07-15 22:39:13

Com o STF tudo dentro não eh Barroso

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador